História MAKTUB NaruHina - Já estava escrito - Capítulo 67


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Chouji Akimichi, Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Kakashi Hatake, Kiba Inuzuka, Kurama (Kyuubi), Neji Hyuuga, Rock Lee, Sakura Haruno, Shikamaru Nara, Shino Aburame, TenTen Mitsashi
Tags Decepções, Hinata, Naruhina, Naruto, Pósguerra, Romance, Traição
Visualizações 237
Palavras 2.851
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Festa, Hentai, Lírica, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi pessoinhas! Voltei de novo!
Espero que gostem desse ep de hoje!
Obrigada por TUDO!
Minha fic é uma das mais favoritadas e comentadas que vi nesse app.
#Orgulho e #Felicidade me definem!

Capítulo 67 - Culpado ou não?


Fanfic / Fanfiction MAKTUB NaruHina - Já estava escrito - Capítulo 67 - Culpado ou não?

 

#NARUTO

 

Mais um dia se passou, e eu continuava em casa, com a mínima vontade de sair dela para algo. Kurama havia ficado em silêncio durante todos os dias que sucederam aquela madrugada, acho que ela estava respeitando o que eu estava sentindo e também não teria nada no mundo que me tirasse aquela culpa, ou que melhorasse como eu estou.

 

Naruto – O que… O que foi que eu fiz?

Kakashi – Aconteceu de novo Naruto!

Naruto – Não… Não… Não…

Kakashi – Precisamos levar você e Hinata para o hospital, vamos!

Naruto – Não me diga que…

Kakashi – Não era você! A culpa não foi sua!

 

Naruto – Eu a matei?

 

A conversa logo após eu ter voltado a mim que tive com Kakashi que me segurava, e logo após com Sakura que socorria Hinata, martelavam a minha cabeça a todo momento, a todo instante. Era difícil acreditar que eu cheguei a perguntar se eu a havia matado. Eu, perguntando se havia matado a mulher que eu amo, Hinata. Parecia ser impossível, mas foi o que eu quase fiz, a matar.

O ódio dentro de mim foi tão grande que não consegui controlar o meu lado sombrio que voltou com toda força naquela noite, olhava para os meus punhos e me imaginava como um perigo, um perigo ambulante para qualquer pessoa que me rodeasse. Eu pensava que havia controlado este meu outro lado na viagem que fiz com Jiraya a alguns anos atrás, mas me enganei. Mas por quê esse meu lado voltou dessa forma? Por que? Hinata tem uma importância sem igual pra mim, e um efeito maior ainda. Se eu fechasse os olhos poderia sentir minhas veias quase saltando dos braços segundos antes de perder o controle, quando eu olhava aquele desgraçado a tocando. Ela totalmente ferida, e seus olhos… Machucados! Por sorte temos Sakura como médica em nossa Vila! Eu cheguei a achar que ela não enxergaria nunca mais, mas isso não aconteceu, e ela se recupera bem  no hospital, longe de mim e em segurança.

Ontem, na última conversa que tivemos eu vi a raiva em seus olhos, olhos estes que a uns dias atrás me olhavam da forma mais apaixonada possível. Como tudo pode mudar assim de repente? Tão de repente… da água pro vinho? Toda essa situação e eu sem poder fazer nada! Não podia ir visitá-la, não podia reverter os ferimentos que a causei, as palavras que eu prefiro nem imaginar quais foram, eu não poderia revertê-las… Estava de mãos atadas.

Naruto – Kurama?

Kurama – Olá garoto. Ainda de cama?

Naruto – Sim.

Kurama – Como se sente?

Naruto – A pior pessoa do mundo.

Kurama – Não deveria!

Naruto – Não?

Kurama – Definitivamente não. Você estava fora de si! Qualquer atitude que tenha tomado naquele dia não foi sua culpa.

Naruto – Eu sei… Mas…

Kurama – Mas nada! Acima da raiva de Hiashi, da mágoa de Sakura e do desprezo de Hinata, está você aí se culpando e se martirizando por algo que você neste exato momento em sã consciência, sabe, e sabe bem que jamais faria, em hipótese alguma. Da mesma forma que aconteceu com Jiraya, aconteceu com Hinata naquela noite. Se culpe menos, bem menos Naruto!

Naruto – Você tem razão!

Ouvir aquilo de Kurama foi de um alívio sem igual. Ela me conhecia bem, bem até demais e sabia como moldar meus pensamentos, me convencendo do que eu não enxergava, e do que até eu fingia não enxergar.

Kurama – Hum.

Naruto – O que eu faço agora? Ela não quer me ver!

Kurama – Ela está assustada. Primeiro, vá até Sakura, comece por ela. Depois vá até Kakashi, você precisa saber se a Vila está sendo ameaçada, ou mesmo se Hinata ou e Sakura ainda correm risco de vida.

Naruto – É… Você tem razão! Não conversei com eles ainda.

Kurama “Se essa conversa não surtir efeito, tomarei providências” – Vá logo. Mas antes, tome um bom banho viu?

Entrei no banho, tentando afastar os pensamentos ruins com a água gelada sobre minha cabeça, apenas focando nas palavras que Kurama disse, de que a culpa não havia sido minha e o que eu deveria fazer agora era investigar se todos da Vila estávamos realmente seguros.

 

#SAKURA

 

Seria mais uma terça comum, se não fosse pelo fato de acordar com Tsunade-sama fazendo café para nós duas em minha cozinha. Depois de nós duas termos cuidado de Hinata, Tsunade se hospedou em minha casa, para cuidar do meu tratamento que ela empôs a mim, tratamento esse que consistia em prisão domiciliar, afastamento total do hospital, nada de treinos e tudo de remédios possíveis para uma recuperação total.

Tsunade – Onde pensa que vai mocinha?

Sakura – Eu preciso ver Hinata, preciso muito Tsunade-sama! Já posso sair de casa, estou quase cem por cento já!

Tsunade – Tem certeza Sakura?

Sakura – Tenho sim!

Tsunade – Se prendi você aqui é por que a sua situação era grave e precisava do tratamento. Grave como nunca havia ficado antes .

A olhei sorrindo, andei alguns passos e fui de encontro ao abraço dela.

Sakura – Eu sei e agradeço muito! Por mais uma vez cuidar de mim tão bem! Mas eu preciso ir, garanto a você que já estou bem.

Tsunade – Tudo bem! Eu permito! Vamos juntas então… Tenho uns problemas em atraso pra resolver também. Esteja de volta durante a tarde, ainda ficarei mais uns dias com você e vou te esperar aqui.

Sakura – Arigato.

Ela foi para um lado e eu me direcionei com um pouco de pressa ao hospital, não sabia de nada da situação de Hinata.

 

Hinata – Sakura-chaaaan!

Ela me direcionou um sorriso largo quando eu abri a porta e ela me viu.

Sakura – Hinata-chaan! Como está? Desculpe pela ausência, eu também fiquei bastante ferida da minha batalha, e fiquei em casa sob os cuidados de Tsunade-sama, que não me deixou sair pra nada!

Hinata – Eu entendo! Você não imagina a alegria que sinto vendo-a bem.

Sakura – Bom… Estou ainda uns oitenta por cento de minha saúde total, mas é questão de tempo. Vamos ao que interessa… Você! Como se sente hoje pela manhã? [Peguei a sua ficha médica que se encontrava pendurada e fui verificar os dados]

Hinata – Me sinto bem, alguns hematomas ainda e leve ferimentos, mas bem. Obrigada!

Sakura – Pelo que leio aqui realmente está se recuperando bem. Logo ganhará alta e poderá se recuperar em sua casa.

Hinata – Me conte Sakura! O que houve naquela noite com você? Koh havia me dito que alguém tinha ido em sua busca. Fiquei com receio por sua vida.

Sakura – E foi mesmo… Ele chamava-se Omoti, foi atrás de mim para que eu curasse Koh. Ele entrou no meu quarto, me paralisou com uma substancia forte e usou em meus pais também. O enfrentei e também vários outros ninjas, quase não conseguia me livrar de todos, principalmente dos dois últimos que cravaram em mim pelas costas duas espadas, até me atravessar. Se não fosse…

Pausei minhas palavras ao lembrar dele.

Hinata – Se não fosse… Continue Sakura…

Sakura – Se não fosse por Uchiha Sasuke.

Hinata – Ele? A salvou? Mas ele estava fora a anos… Como foi?

Sakura – Só lembro de ver os dois ninjas cobertos por chamas pretas… Depois acordei em uma caverna, e ele estava me abraçando. Ele me soltou, me encarou e eu pude vê-lo de bem perto… Ele estava com o cabelo mais claro, claro quase cinza e um de seus olhos sem luz.

Hinata – Como assim? Por que?

Sakura – Ele realizou um Jutsu de ressuscitação, pondo sua vida e seu olho em risco. Eu o questionei porque havia feito aquilo, e ele não me respondeu. Falei coisas que nunca me imaginei um dia falando para ele, ele chorou na minha frente… Chorou, me abraçou e por um bom tempo dormiu sobre meu colo.

Hinata me olhou surpresa, sem acreditar nas minhas palavras. Pelo que todos conheciam de Uchiha Sasuke e pelo que ela sabia que ele já tinha feito comigo ficava muito difícil de acreditar.

Sakura – Eu também fiquei assim quando acordei e ele estava ao meu lado. Logo depois me recuperei com alguns de meus Jutsus, ainda que com muita dificuldade. Ele estava notavelmente preocupado comigo, embora não dissesse nada. Chovia um pouco quando ele me pegou no colo e me trouxe pra vila nos braços.

Hinata – Ele veio até aqui? Nossa! Pelo jeito estava empenhado mesmo em te salvar.

Sakura – Não posso nem imaginar o que teria acontecido comigo se não fosse por ele.

Hinata – Teria dado um jeito, eu sei que sim Sakura-chan.

Sakura – Não sei Hinata, não sei. Só consegui agradecer a Kami por ele ter aparecido. Agora, por favor! Me prometa que não vai contar pra ninguém. Eu disse a todos que foi um ninja de outra Vila, o único fora eu e você que sabe é Kakashi, pois ele descobriu que era Sasuke pelos vestígios das lutas.

Hinata – Prometo sim!

Logo em seguida a porta ia se abrindo, quando do outro lado minha secretaria apareceu e me informou que alguém me aguardava em minha sala. Me despedi de Hinata, e fui ver quem me esperava.

 

Sakura – Naruto? [Era ele quem me esperava em minha sala]

Naruto – Eeei, como está? Como vai a sua recuperação?

Falou com um meio sorriso no rosto e eu estranhei, pois fazia uns dias que não o via, e pelo que eu estava sabendo ele tava em casa remoendo sua culpa sem sair pra nada.

Sakura – Estou bem. O que deseja? [Não conseguia tratá-lo normalmente ainda, demoraria um tempo]

Naruto [Me olhava com tristeza pela forma que eu falava] – Queria conversar com você e depois gostaria que fôssemos juntos até Kakashi-sensei, para sabermos mais notícias sobre como vão as investigações sobre o que aconteceu nos últimos dias.

Sakura – Hum. Seria bom mesmo! Que tal irmos agora até ele? [Queria evitar essa suposta conversa]

Naruto – Hum. Vamos sim! Mas antes sobre nossa conv…

Sakura – Vamos então.

Fui saindo porta a fora, ignorando o que ele ia dizer. Não demorou muito até que ele me acompanhasse pelos corredores do hospital. Fomos caminhando lado a lado, eu com os braços cruzados e ele com as mãos no bolso. Eu sentia que ele queria falar algo, e não falava por saber que eu não estava querendo ouvi-lo. Com mais alguns minutos chegamos a torre do Hokage, caminhamos mais um pouco e logo estávamos em frente a sala de nosso antigo sensei. A porta estava entre aberta, o que fez com que nos aproximar mais devagar. Em seguida, começamos a ouvir uma voz em tom ato e alterado, apressamos o passo por acharmos ser algo ruim e nos posicionamos rapidamente frente a entrada.

As duas pessoas que estavam na sala conversavam e uma delas gritou ao nos ver, apontando para Naruto.

- Ele tentou matar a minha filha! ELE!

Era o pai de Hinata, Hyuuga Hiashi que estava notavelmente alterado conversando com o Sexto Hokage na sala.

Kakashi – Hiashi se controle!

Naruto – Eu? [Falou assustado ainda sendo apontado por Hiashi, o olhando fixamente]

Hiashi – Você tentou matar a minha filha! [Falou e foi se aproximando de Naruto]

Eu me coloquei na frente de Naruto ao ver que ele não esboçaria nenhuma reação.

Hiashi – Vai defender um assassino? Vai?

Ele me olhava com ódio, quase invocando seu poder ocular.

Sakura – Eu estendo que esteja assim por conta de Hinata, mas Naruto não teve culpa, ele é uma das pessoas que mais se importa com e sua filha, e se ele chegou a fazer isso com as próprias mãos não estava em si. Tente entender! Ao menos tente.

Hiashi – Ele saiu da minha casa coma  intenção de salvá-la e depois a atingiu com um Jutsu após enforcá-la? É dessa forma que ele se importa com minha filha?

Hanabi – Vamos papai, não devemos ficar aqui na presença dele.

Não havia percebido a presença dela até que ela falou.

Hiashi – Não saiu daqui até sabe o que será feito com ele, agora Kakashi! [Foi até a mesa de Kakashi e a socou com força]

Kakashi – Agora já chega! [Kakashi levantou e foi em direção ao pai de Hinata, que não esperava] – Meu nome é Hatake Kakashi, sou Rokudaime Hokage de Konohagakure, e devo ser tratado como tal. Esse que você acaba de chamar de assassino se chama Uzumaki Naruto, filho Namikaze Minato, o grande terceiro Hokage e de Uzumaki Kushina, grande Shinobi que salvou a todos nós no dia que seu filho nasceu. Ele é meu discípulo, afilhado e também discípulo de Jiraya, um dos três grandes Sennins Lendários. Se hoje você está podendo pisar neste chão, nessa Vila e habitar nesse mundo é por causa desse homem a quem você aponta o dedo! Homem que nos salvou não uma só vez. Agora! Respeite a minha sala, a mim e aos meus discípulos. Se ele machucou sua filha, não foi e nunca seria a intenção dele. Eu vou ajudá-lo mais uma vez para que ele consiga controlar isso que o manipulou e o fez machucar ela. Retire-se da minha sala com sua criança e vá cuidar de Hinata, no momento ela precisa mais de vocês do que eu aqui. Passar bem! [Virou-se dando as costas para Hiashi]

Nunca vi Kakashi falar tão sério! Ele descreveu perfeitamente Naruto, e naquela hora a ficha caiu para mim. Hiashi saiu da sala sério sem dizer uma palavra, juntamente com Hanabi e depois nós sentamos nas cadeiras próximas do Hokage.

Naruto – Muito, muito obrigado pelas palavras! Por me defender Kakashi-sensei! Obrigado!

Kakashi [Virou-se e nos olhou com um sorriso meigo] – Só falei a verdade que ele estava precisando ouvir.

Neste momento ergui minha mão, coloquei em cima da mão de Naruto e a apertei. Ele me olhou como se não esperasse aquele  - gesto, e me sorria de uma forma linda. Era o meu pedido de desculpas por estar agindo mal com o meu melhor amigo.

Kakashi – E o que os trazem aqui?

Sakura – Viemos saber sobre as últimas investigações… Como vão? Nós ainda corremos risco de vida?

Kakashi – Não, por hora não! Pelas buscas e investigações que liderei, os três estão mortos e não há nenhuma ameaça que possam chegar até vocês duas, tranquilizem-se. Mas ainda que a ameaça não haja, reforcei a segurança da vila e em especial, nas proximidades onde vocês residem.

Naruto – Arigato Hokage-sama.

Kakashi – E sobe você Naruto… Temos um assunto pendente! Estou estudando formas para controlar mais uma vez seu lado sombrio.

Naruto – Entendido. Eu farei o que for necessário!

Kakashi – Certo! Nos próximos dias marcarei uma reunião com você e mais duas pessoas. No dia e na hora certa você saberá quem são.

Saímos bem mais tranquilos da sala de Kakashi, dessa vez eu ia mais tranquila, e mais em paz com relação a Naruto. Conversamos sobre o que aconteceu e eu pude entender ainda mais que ele não havia tido culpa em nada naquela noite. Ele só queria salvar ela.

 

Dois dias depois…

 

*HANABI

 

Eu tinha acabado de sair do banho, tinha colocado uma camisola confortável e penteava pacientemente minhas madeixas. Vi a porta se abrindo, percebi que era minha irmã, e que ela me chamava.

Hinata – Oi pequena! Está aí?

Hanabi – Ei mana… Sim! Vem cá.

Hinata – Penteando os cabelos?

Hanabi – Siiiim! Dá um trabalho danado mana.

Hinata – Quer ajuda?

Hanabi – Aaah eu aceito.

Ela entrou no meu quarto com passos firmes e me olhava com um sorriso diferente. Eu não disse nada, apenas sentei na cama e entreguei a escova para ela.

Hinata – Papai! Paaaapai! Venha aqui um minuto!

Hanabi – O papai?

Hinata – Sim maninha! Quero que ele veja algo.

Hanabi – Huum, então tá.

Hinata – Papaaaaaaaaai! Veeeem!

Hanabi – Haha! Tá loouquinha…

Hiashi – Olhe a hora Hinata! O que foi? [Ele falou ao chegar na entrada do quarto]

Hinata – Oi papai. Você veio!

Nesse momento Hinata puxou bruscamente meus cabelos, me colocando de frente a papai que assim como eu se assustou.

Hanabi – Mana? O que foi?

Ela continuou com a mão em meu cabelo, olhando para baixo e segurando minha cabeça de frente para papai. Eu tentei me soltar, mas doeu. Ela então ergueu a cabeça, e olhou para papai. Pelo seu cenho havia algo de errado, ele se posicionou em modo de ataque e eu fiquei sem entender aquilo.

Hiashi – Solte ela Hinata!

Eu consegui olhá-la de relance, e quase não acreditei. Seus olhos estavam pretos, totalmente pretos. Eu tentei com mais força me soltar, mas ela me segurou novamente, puxando meu cabelo. Eu fiquei sem saber o que fazer, jamais atacaria ela.

Hanabi – Arwwwwn!

Hinata – Tá doendo maninha?

Hiashi – Eu não quero machucá-la Hinata. Solte sua irmã agora!

Hinata – Soltar? Não não papai! [Ela riu de canto, foi uma risada maligna, que com certeza não era da minha irmã]

Hanabi – Quem é você?

Hinata – Tá doendo maninha? Que tal se…

Com a outra mão ela sacou uma Shuriken, e a colocou rente ao meu pescoço.

Hinata – Que tal se vou eu matar sua caçulinha? Assim nada mais me empedirá de ser a líder do clã Hyuuga.

Hiashi [Ativou seu poder ocular] – Você não é minha filha Hinata! Quem é você? Solte Hanabi agora!

Hinata – Eu vou matá-la! E não se preocupe… O próximo é você, querido pa   pa   i …


Notas Finais


Meta da semana: 146.000 visualizações e 920 favoritamentos! #Comeeeenteeeem, isso é o que me motiva a postar! Me aguardem!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...