História Me faltaram palavras - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 5
Palavras 682
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Minha intenção em fazer perfil aqui era somente escrever textos mas as inspirações foram surgindo e cá estou eu pagando de romancista hoho escrevi essa história no meu diário e aos domingos vou postando capítulo novo. Ok?

Capítulo 1 - Mudanças


Júlia tinha um poder de me acalmar, ela sorria e fazia meu dia ficar lindo. Eu a conheci na escola, tínhamos apenas 11 anos quando juramos amor eterno. Aquele amor puro de andar de mãos dadas na hora do intervalo, ser o parceiro de dança na quadrilha, fazer os cursos extracurriculares juntos. Como tínhamos o mesmo gosto para quase tudo, na hora de escolher a faculdade eu tinha certeza que também não seria diferente.

Mas naquele tempo tão conturbado para dois jovens como nós o mais comum mesmo eram as brigas, nessas últimas férias de verão ela se juntou com uma galera "diferente" para não dizer outra coisa. Nos falamos pelo celular algumas vezes porque fui ao interior visitar a casa do meu pai e a pedido dele fiquei mais tempo do que de costume. Cada dia que se passava naquela casa eu notava que ela não era mais a mesma, não reconhecia nem na maneira de digitar as mensagens. Era sempre curta e grossa sem puxar assunto e eu já estava temendo minha volta a capital. Olhava minha passagem, dava suspiros profundos e treinava conversas do nosso reencontro no espelho. Até que chegou o dia de voltar a Salvador, meus tios me esperavam sorridentes no aeroporto,meus primos brincando no estacionamento e eu insistentemente olhava ao redor para ver se a Julia estava por perto, no cantinho de sempre segurando a linda plaquinha "bem-vindo, meu amor".

Como pode? Ela visualizou a minha mensagem e não respondeu, por um momento eu pensei que  poderia fazer alguma surpresa pra mim. Não sei onde estava com a cabeça, não demorou muito até minha tia perceber que eu não estava bem mas não disse nada e entramos no carro. Tentei manter as aparências, juro, mas por dentro estava destruído. Meus primos estavam brincando e isso me distraiu no trajeto até o nosso apartamento. Cheguei em casa depois de desfazer as malas e já corri para o celular, chequei todas as redes sociais, todos pareciam estar animados com a faculdade e com a minha volta mas não tinha nada relacionado a ela. De repente o celular vibra e chega a tão esperada mensagem "Eu sei que está cansado mas podemos conversar hoje à noite no lugar de sempre?", meu coração gelou. Tem coisa que dá mais medo do que a frase "precisamos conversar?", mantive o controle e respondi com um simples "ok".

Finalmente todos aqueles diálogos com o espelho poderiam servir de alguma coisa, treinei todas as respostas que poderia dar para as desculpas que ela diria para ir embora da minha vida. Estava ficando louco. Cheguei mais cedo e ela já estava lá, cabisbaixa e chorando.

- O que houve, Júlia? Está tudo bem?

- É que eu tô confusa, não sei explicar direito.

Pronto, vê-la chorar já me deixou desmontado. Poucas vezes a vi tão mal.

Ela continuou - Eu fiz muita coisa quando você foi embora, quis conhecer o mundo e me perdi.

- Não estou entendendo nada, fala com calma.

Eu sei que não adiantava pedir calma naquela hora mas era preciso, tinha que deixar a situação confortável para pelo menos ela conseguir olhar nos meus olhos, até que ela conseguiu - Eu falhei contigo. Me perdoa?

- E o que você fez? Conheceu outra pessoa?

Quando ela abaixou a cabeça de novo eu já tinha entendido tudo. Me faltaram palavras mas não consegui ter outra reação a não ser abraçá-la e dizer que ia ficar tudo bem. Depois daquilo nem lembro o que ela disse para se despedir, terminou ali no "lugar de sempre". O carro da mãe dela buzinou de longe, antes de soltar a minha mão ela disse - Sinto muito por tudo, por favor não tenha raiva de mim por isso mas eu preciso ir.

E eu ? Não sei se meu corpo estava inteiro naquele momento, nem como eu consegui andar até minha casa se meu coração parecia não funcionar. Eu tinha certeza que passaríamos a vida juntos. Normal, já que eu nunca me conformei com o fim de nada, por mais que eu soubesse que era a hora. 


Notas Finais


Pode deixar dicas construtivas nos comentários. Obrigada por ter lido 😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...