História Meia-Noite em mim - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Kai, Sehun
Tags Fluffy, Saavik, Sekai
Visualizações 32
Palavras 1.013
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


mais uma pseudo drabble, e mais uma vez coloquei meus demônios numa fanfic
espero ter ficado bom
***para os leitores de le magnifique cirque que sempre me perguntam: a atualização vai ser em breve; já mandei betarem o capitulo
[BOA LEITURA]

Capítulo 1 - Único


Ele é como uma dança lenta ao pôr do sol, daquelas que tocam a alma e a preenchem com admiráveis e encantadoras rosas repletas de espinhos, cravando com força contra a carne machucada, mas eu sou machucada também, sempre fui e, talvez, sempre vá ser.  

O belo quiça nunca possa existir sem um lado grosseiro e firme, e não cabe a ninguém reclamar e maldizer, essa é a beleza mais pura que existe. Tão além do que uns possam dizer, e mais intenso do que acreditamos sentir. Está sempre se aprofundando, indo mais e mais fundo.  

Resta dizer que gosto da barba grossa, as vezes por fazer, com poucos fios ruivos que clareiam a face branca e bonita. Gosto da mão grande de dedos pesados e grossos, com unhas extremamente curtas. Vaidoso e cuidadoso, seu simples perfume; uma fragrância delicada e tão bem cheirosa que me abala mesmo quando ele não a está usando, penso que é a fragrância mais cheirosa que já senti em toda vida.  

Resta dizer que gosto das coxas grossas e o peitoral firme e gostoso ao toque. Em noites frias o olho de baixo para cima e tudo o que vejo, tudo o que mais está preso em minha mente, é o queixo fino coberto por barba e um nariz bem delineado. Talvez seja a primeira imagem que vem em minha mente quando o nome dele me vem em mente, e é tão bom, indescritivelmente bom. Não há como saber ao certo a primeira imagem ou o primeiro pensamento que ele tem ao pensar em mim, e não há pista alguma em lugar algum, mas ainda assim é reconfortante o simples saber de que há algo, e a expectativa de que seja algo bom e refrescante, é grande.  

Mesmo que nem sempre tenha completa certeza de que estou ao lado de quem deveria estar, ou que nem sempre pense que gostas verdadeiramente de mim, ou que, deste mesmo modo, as vezes te enxergue como um ogro, mantenho-me firme e sorrio ao distanciar-me dos maus pensamentos, quase sempre certa de que são fruto apenas de minha mente um tanto doente, acabo rindo e não ouso o dizer que penso coisas assim, somente para poupar sua voz calma e lenta falando-me "Desse mal limítrofe¹, também compartilho, e nem sempre te amo, quero lhe matar as grandes partes do tempo." E então acabar toda a sentença com uma risada gostosa que, neste momento, confidencio estar morta de saudades.  

Ouso dizer que os deuses fizeram um belo trabalho criando todas as suas imperfeições feitas com total exatidão para serem perfeitas e extraordinárias, desde os cabelos que não se pode deixar crescer, pois são rebeldes demais, ao olho que depois de acidentado está mais baixo e pequeno, inúmeras características que se puder, listarei até o fim de nossos dias, ou até mais, se assim a vida permitir, se nos tornarmos bons um para o outro depois do fim, se tu tornastes bom para mim..  

E o amor, é como gritar e gritar e gritar sem nunca ser ouvida, nem mesmo um pouco. É como esperar que a chuva suba ao céu ao invés de cair sobre o chão. É algo urgente, nunca espera ninguém e age sozinho com total impulsividade. Não por loucura, mas sim por sua maneira extremamente generosa de sentir. Talvez eu nunca seja capaz de dizer tudo o que sinto, bem no fundo, ou dizer o porquê eu o amo, o quanto, ou como sei, talvez tudo se resuma a sentir que o mundo todo e todo o necessário é somente uma única pessoa que peca e erra sem parar, é sentir que pode ser tudo e todos que ele precisar ou fazer enormes planos e vestir-se de um tipo forte de guerreiro e ser quem ele precise que eu seja, e sentir tudo isso num misto desesperado de amor; um sentimento deveras cruel aos despreparados romanticamente.   

É um amor daqueles que reconhece as perpétuas imensidões entre ele e eu, e não se empenha em destrui-las, mas sim cultiva-las como diferenças e jeitos próprios que nos fariam menos nós se não as tivéssemos. Um amor que quero que seja eterno e brilhante enquanto tenha de durar, mesmo que o céu e as mais belas paisagens durem somente enquanto este amor durar. E parte de mim obriga-se a dizer "até quando" mesmo que queira dizer e repetir "para todo o sempre" a cada instante, e faço pois naquela noite me foi deixado claro que certeza alguma tem de estar junto a mim, e deu a mim como consolo a certeza de querer sempre estar, e como se tirasse de mim o posto mais alto na nuvem dos sonhadores e me colocado no chão daqueles que vivem secretamente de incertezas, mas nunca dizem que esperam algo além do miserável. 

Inevitavelmente as coisas mudam, e não permanecemos muito próximos por tanto tempo. Temos nos afastado de pouco a pouco cada vez mais, e talvez isso seja evidente somente para mim, e cabe também a mim correr e me prender a tudo que sinto, correr e me prender a todo este amor que sinto e sinto e me preenche e me sufoca e me faz flutuar. Quando o sinto distante e desinteressado choro, e me permito chorar e me entristecer, mas também dou-me a chance de tentar e fazer todo o possível para termos um começo, meio e fim felizes o bastante.  

Jongin tem esta mania, este ímpeto de acabar com minhas flores cheirosas e exóticas, as mais belas e cobiçadas, e dizer, além de demonstrar, nunca as precisar. Diz não gostar de meus melhores galanteios e faz pouco do que eu me esforçava a apresentar e achava ser o melhor de mim, não sei se faz para que eu seja mais eu e simplória, mas o certo é que me ganha, me ganha e me molda sempre a melhorar, e nas tuas mãos quero ficar.

 

O amor só é amor, se não se dobra a obstáculos e não se curva à vicissitudes. É uma marca eterna, que sofre tempestades sem nunca se abalar.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...