História Meu cafajeste favorito. - Capítulo 25


Escrita por: ~ e ~Neko-Solitario

Postado
Categorias Naruto
Personagens Anko Mitarashi, Deidara, Fugaku Uchiha, Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hidan, Ibiki Morino, Ino Yamanaka, Itachi Uchiha, Jiraiya, Kabuto, Kakashi Hatake, Karin, Kimimaru, Kurenai Yuuhi, Kushina Uzumaki, Mebuki Haruno, Mikoto Uchiha, Minato "Yondaime" Namikaze, Morino Idate, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Personagens Originais, Sai, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, Shizune, Tsunade Senju
Tags Kakasaku, Naruto
Visualizações 82
Palavras 2.215
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Festa, Hentai, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Saga, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Espero que gostem.

Boa leitura. ✌

Capítulo 25 - O perigo se aproxima.


Fanfic / Fanfiction Meu cafajeste favorito. - Capítulo 25 - O perigo se aproxima.

POV Kakashi



  Chego mais cedo que o normal na empresa.


 —Anko, em minha sala agora!—ordeno assim que passo por sua mesa.


Ela me acompanha até minha sala.


 —Fecha a porta por favor —me sento e pego meu celular procurando por sua mensagem de ontem a noite —O que significa isto? —dou o celular pra ela ler.


 —Eu posso explicar Kakashi —tenta se justificar, mas não permito. Não quero ouvir uma só palavra que ela tenha a me dizer.


 —Estou cansado de sua arrogância, você não é mais que ninguém aqui nessa empresa —ela tenta falar, faço um gesto com a mão para ela se calar —Você é somente minha secretária, o fato de você e minha mãe terem sido amigas não te dá o direito de se meter em minha vida. 


 —Será que você é cego? —diz com um riso de canto —Aquela mosca morta não serve pra você, ela não tem o mesmo nível social que você, é somente uma aproveitadora que se enfiou em sua casa pra tomar o seu dinheiro.


 —Não vou discutir com você —pego o telefone em cima da mesa e ligo para a nova recepcionista —Kushina, pegue a demissão da senhora Anko no departamento pessoal, ela não trabalha mais nessa empresa.


 —Sim senhor —desliga o telefone.


 Volto meus olhos para Anko que parece não acreditar no que está acontecendo.


 —Você não pode me demitir —fala. 


 —Lógico que posso —rio —Acabei de fazê-lo.


 —Foi sua mãe quem me colocou aqui como sua secretária, estou com você a anos Kakashi, você não pode me tirar daqui por causa de uma vadia qualquer que foi parar em sua cama —começa a se descontrolar .


 —Você tem cinco minutos pra sair da minha empresa —ando até ela e seguro seu braço —Ou eu mesmo vou te chutar pra fora daqui —ela puxa seu braço com raiva.


 —Eu vou —fala —Mas vocês vão se arrepender por isso, principalmente aquela vira lata que está em sua casa agora.


 —Saia daqui —seguro seu braço apertando e abro a porta —Some dessa empresa, sai antes que os outros funcionários veja essa cena ridícula —a jogo pra fora. Ela me olha uma última vez e pega sua bolsa saindo.


 —Até parece que vou levar em conta o descontrole de uma desequilibrada, já foi e foi bem tarde. 



POV Sakura



  Acordo sentindo um peso em minha cama. Viro-me dando de cara com Ino.


 —Que susto sua doida —pego o travesseiro dando em sua cabeça.


 —Vejo que aprendeu com seu namorado —joga o travesseiro de volta se sentando —Bom dia ainda se usa.


 —Bom dia querida Ino —falo irônica.


 —Bom dia Sakura —responde ironicamente também —Me conta, como foi ontem a noite?


 —Chato e desagradável —sento-me encostando na cabeceira e abraço minhas pernas.


 —Mas porque? —pensa um pouco —Kakashi voltou a te tratar mal? —sinto raiva em sua voz.


 —Não foi ele, lembra daquela mulher que você disse que veio aqui atrás dele? A secretária —explico.


 —O que ela fez?


 —Ela ligou pra Kakashi, mas ele tinha deixado o celular comigo porque precisava falar com alguma pessoa fora do restaurante —ela se ajeita melhor na cama prestando atenção —Aí ela perguntou o que eu estava fazendo com o telefone de Kakashi. 


 —E você respondeu o quê? 


 —Que ele deixou porquê tinha saído, e que eu era a namorada dele. 


 —Meu Deus que babado —fala empolgada esperando eu continuar —E depois?! 


 —Ela começou a rir que nem doida, parecia uma bruxa sei lá —reviro os olhos —Ela disse que eu seria no máximo mais uma das putinhas dele, disse que pobre só serve para ser usado pelos ricos, e para a diversão deles. 


 —Que imbecil —me olha —Você falou pra Kakashi? 


 —Não precisei, ela mesma se ferrou sozinha —digo —Depois que ele pegou o celular de volta , Anko mandou uma mensagem achando que ainda era eu quem estava com o aparelho. 


 —Se lascou —começa a rir —O que Kakashi disse? 


 —Primeiro ele ficou irritado com a situação, não sei se foi por ver Anko me ofendendo , ou por ele ser reservado mesmo , e não querer que ela soubesse de nosso namoro —levanto e pego uma toalha para ir tomar um banho —Ontem quando chegamos ele disse que ia dá um jeito nessa situação. 


 —Fiquei de boca aberta —diz incrédula —Tomara que mande ela embora, eu nem gostei daquela vaca —fala cuspindo —É exibida e se acha de mais pro meu gosto. 


 —Vamos mudar de assunto —peço —Minha noite foi uma merda, meu dia não vai ser outro desastre por causa dela —entro no banheiro e fecho a porta. 


 —É amanhã não é? O dia que seus pais vão ter alta? 


Nossa... Já tinha esquecido. Esses dias foram tão corridos, aconteceram tantas coisas que eu acabei esquecendo isso. 


 —Quer ir ao hospital comigo? —pergunto —Depois do café eu vou lá  


 —Ok eu vou, ao menos assim saio um pouco dessa casa. Inauguraram uma lanchonete há uns dias perto de lá sabia? 


 —Hum que legal —falo. 


Depois do banho e de tomar café vamos ao hospital , Arnoldo fica nos esperando do lado de fora. Eu disse que não vou ficar muito tempo, vou passar em minha casa para ver se está tudo em ordem pra amanhã. 


A visita foi rápida, meu pai perguntou como foi a viagem com Kakashi, se eu tinha me comportado bem. Perdi as contas das vezes que Ino me olhou prendendo a risada. 


 —Claro papai eu me comportei bem —Ino fala me provocando já fora do hospital —Eu obdeci meu chefe em tudo. 


 —Para porra —dou um tapa em sua cabeça. 


 —Fala sério Sakura, quando seu pai vai perceber que você não tem mais quinze anos? 


 —As vezes me pergunto isso também, agora você sabe o porquê eu não contei nada ainda sobre namorar Kakashi —falo entrando no carro. 


 —Vai ser um milagre seu pai concordar, ele acha que os ricos só fazem pisar nos pobres —diz fazendo-me lembrar das palavras de Anko. 


 —Te levo para onde agora senhorita? —Arnoldo olha do espelho retrovisor. 


 —Vamos a lanchonete que inaugurou Sakura? —Ino pede com cara de cachorro pidão —Por favor... Por favor. 


 —Para a lanchonete Arnoldo —reviro os olhos cedendo —Mas será só um pouco —falo —Ainda tenho de limpar lá em casa. 

 Ino da um gritinho agudo me abraçando. 


—Obrigado testinha. 


Depois de alguns minutos finalmente chegamos na lanchonete. Agradeço ao Arnoldo e entramos na lanchonete . Sentamos numa mesa perto da entrada. 


 —O que vai pedir? —pergunto —É quase hora do almoço. 


 —Quero hambúrguer, fritas e um refrigerante grande —diz com os olhos brilhando parecendo que não come a séculos. 


 —Você parece criança as vezes —balanço a cabeça rindo —Quero só um hambúrguer e um suco de acerola. 


A garçonete anota nossos pedidos e logo chega. 


 —Você vai engasgar —rio olhando Ino acabando com o hambúrguer. 


 —Se concentra no seu aí —mostra língua. 


 —Olha —aponto com o dedo —O hambúrguer está começando a sangrar —rio e ela me chuta por baixo da mesa. 


 —Ao menos eu não tive crise de ciúmes com o chefinho —provoca. Dessa vez eu a chuto —Ai! Doeu. 


 —Quem manda ser idiota. 


 —Ficou com ciúmes —bate palminhas cantando —Ficou com ciúmes —gargalha. 

 —Para de rir, sua idiota! —Bato em sua mão. 


Ino começa a rir e para de repente. 


 —Sakura não olha agora, mas tem um loirinho divino vindo pra cá —ela sussurra. 


Viro-me para olhar. 


 —Eu disse pra não olhar porra! —fala entre os dentes —Meu dente está sujo? —dá tipo um sorriso. 


 —Não, e o meu?


 —Um pouco amarelado... —dou um chute em sua canela. 


 —Como vai Sakura! —fala atrás da minha cadeira. 


 —Não acredito —levanto sem acreditar —Naruto? —o olho vendo que continua com o mesmo sorriso —Quanto tempo —dou-lhe um abraço. 


 —Uau Sakura! Você continua linda como sempre —fala se soltando. 


 —Eu estou aqui também se você não me viu —Ino reclama de braços cruzados e um bico. 


 —Boa tarde Ino —sorrir amarelo coçando a cabeça —Desculpa. 


 —Tudo bem, já acostumei com as pessoas se esquecendo de mim —diz fazendo drama. 


 —Não liga pra ela Naruto —rio —Quer sentar com a gente? —pergunto. 


 —claro —Naruto senta e pede um suco. 


 —Então —Ino começa —O que está fazendo aqui na cidade? 


 —Meus pais voltaram a morar aqui, minha mãe está trabalhando como recepcionista e meu pai foi transferido para a delegacia como novo delegado. 


 —Nossa —falo surpresa —Como o tempo passou rápido. 


 —Verdade —Naruto fala com um sorriso —Como você está Sakura? E seus pais? Passei em sua casa ontem e não tinha ninguém. 


 —Aah... —pondero antes de falar —Meus pais estão no hospital, mas amanhã já terão alta —forço um sorriso torcendo pra não ter de responder sobre Sasuke. 


 —E você Naruto? —Ino interrompe percebendo meu desconforto —Ainda solteiro? 


Ele rir abertamente e toma do suco. 


 —Sim, não estou namorando ninguém —me olha. 


 —Porque está me olhando? —pergunto terminando meu lanche. 


 —Nada, não é nada Sakura —sorrir timidamente coçando o queixo com o dedo —Bom tenho que ir —levanta olhando o relógio —Tenho que destribuir currículos nas lojas aqui próximas. 


 —Até logo Naruto —Ino se despede sem se levantar ,comendo suas fritas. 


 —Boa sorte —lhe dou um abraço e ele beija minha bochecha. 



POV Kakashi



Depois do trabalho decidi sair para conhecer a lanchonete que inaugurou uns dias atrás, meus funcionários falaram tão bem que atiçou minha curiosidade. 


Paro o carro na entrada da lanchonete sem baixar os vidros. 


 —Mas... Que diabos é aquilo ali? —meu sangue ferve ao ver Sakura abraçando um homem —O que significa isto! —aperto o volante com força ao ver ele lhe beijando o rosto, e os dois se tratando com tanta intimidade. 


Abro a porta do carro para descer e tirar satisfação. Meu celular vibra com Assuna ligando. 


 —Alô —atendo com raiva olhando Sakura acompanhar o homem até a saída. Ela olha para meu carro, mas parece não reconhecer que sou eu. 


 —O que houve? —pergunta —Parece furioso. 


 —Não é nada, diga logo o que é. 


 —Encontraram o lugar em que possivelmente o irmão de sua namorada está. 


Fico um tempo em silêncio ainda pensando se desço ou não. Decido voltar para a empresa. 


 —Peça aos homens para se certificarem de que realmente é ele, se for informe ao Itachi para se comunicar com Fugaku. 


 —Certo. 


 —Me mantenha informado de cada passo sobre a investigação —desligo o telefone sem esperar sua resposta.


 Dou uma última olhada para a mesa em que Sakura está sentada. Ela parece sorrir com sua amiga Ino. 


— Parece que a conversa com aquele cara estava boa — ligo o carro arrancando de uma vez — Eu aceito tudo Sakura, menos traição ...



POV Sakura



— Você viu isso? — Ino se levanta da mesa juntamente com outras pessoas para ver o barulho do lado de fora. 


— Deve ser um doido querendo chamar atenção — puxo pelo braço fazendo-a sentar. 


— Deu um arrepio aqui — Ino fala passando a mão nos braços — Credo. 


— Esquece isso, estou feliz que meus pais melhoraram e que vão voltar amanhã pra casa — sorrio lembrando o tanto de vezes que chorei imaginando a possibilidade deles morrerem. 


— Você fica toda boba apaixonada quando fala que eles melhoraram por causa de Kajashi — cutuca meu ombro rindo da minha cara. 


—Mas é verdade —sorrio um pouco corada —Ele sempre esteve comigo quando mais precisei —falo —Até pediu desculpas pela forma como me tratou no começo. 


—Falando assim até acho possível eu gostar dele —termina o refrigerante —Ele está fazendo minha irmã feliz, então torço pra vocês dois ficarem juntos. 



Depois da lanchonete pedi ao Arnoldo para nos levar até minha casa. O lugar estava uma bagunça. Limpei o chão, os móveis, arrumei os quartos. Deixei tudo organizado pra amanhã. 


Voltamos para casa, Ino segue para o quarto e eu fico um tempo deitada no banco do jardim olhando o céu com poucas estrelas. 


Escuto o barulho de Kakashi chegando com o carro e o portão se fechando. 


—Ele chegou tarde hoje —sento no banco esperando ele vir até mim.


 Kakashi me olha um instante e vira as costas subindo as escadas, para dentro da mansão. 


—Uai... Será que ele não me viu? —calço os chinelos e vou atrás dele —Ele me viu sim, até olhou para mim que eu ví. 


—Kakashi?... —Bato na porta e ela abre sem esforço —Kakashi?.. Ele não está aqui, deve está no escritório. 


Saio do quarto e vou ao escritório dele. 


—Kakashi? —ouço o trincar de umas garrafas e copos —Está tudo bem? —pergunto. 


—Estou bem —responde sem dizer mais nada. 


—Ok —encosto minha testa do lado de fora e tento girar a maçaneta com a mão, mas a porta está trancada —Vou indo dormir —falo imaginando ele abrir a porta me dando um beijo de boa noite, mas nada acontece. Ele não diz nenhuma palavra —Bom... Boa noite. 



Entro no quarto e encontro Ino ajeitando a cama pra dormir. 


—Porquê está com essa cara? Até parece que voltou de um velório —supõe. 


—Kakashi chegou estranho —digo e sento na cama .


—Estranho de que jeito? 


—Não sei, nunca vi ele agir assim. Hoje ele chegou e nem me deu um beijo ou abraço —tiro os chinelos me deitando na cama. 


—Ele deve ter tido um mal dia, e está cansado também —dá de ombros. 


—Deve ser... 




Notas Finais


Espero que tenham gostado.

Ate o próximo. ✌


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...