História Meu Primo (não) Querido - Capítulo 30


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), SHINee
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, Taemin Lee, V
Tags 2min, Bts, Namjin, Taegguk, Taekook, Vkook, Yoonseok
Visualizações 368
Palavras 2.176
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Então... Primeiramente quero pedir desculpa, por demorar tanto para postar o capítulo, 6 fuck dias.
Está no final do ano e, com isso, meus professores acabam me lotando de trabalhos, eu passo a tarde quse toda fazendo a porra de um trabalho.
Também estou com um pouco de bloqueio criativo, o que também dificulta para que eu consiga escrever algo que preste e postar rápido.
Me desculpa se o capítulo tiver uma bosta, eu tentei, de verdade, escrever algo bom para vocês.

Capítulo 30 - Chapter Thirty


Acordei com os raios do sol batendo no meu rosto, consequência de não ter fechado a janela antes de dormir. Levantei da cama e entrei no banheiro para fazer minha higiene matinal e corporal, vestindo meu uniforme em seguida. 

Arrumei a bolsa direitinho e desci para tomar café, já sentindo falta de ter Taehyung ao meu lado, enquanto comíamos conversando sobre coisas bem aleatórias. 

— Bom dia mãe. — A cumprimento assim que adentro a cozinha, vendo-a colocar o café na mesa.

— Bom dia, meu filho. — Sorriu.

Sentei-me à mesa e comecei a comer, enquanto isso, peguei meu celular e o desbloqueei, vendo algumas mensagens do Taehyung, acabei sorrindo bobo.

Taehyung: Então quer dizer que você ficava se pegando com as pessoas na salinha que guarda os produtos de limpeza, Jeongguk?!

Acabei por gargalhar, lendo sua resposta sobre o assunto em que conversávamos antes de eu acabar caindo no sono.

Taehyung: Você dormiu?

Taehyung: Imagino que sim.

Taehyung: Não tenho certeza de que vou te ver amanhã.

Taehyung: Desculpa, pode ser terça?

Taehyung: Saímos para algum lugar, ou eu passo o resto do dia aí na sua casa, já que em dia de semana fica tudo meio murcho nas ruas wjdwksj

You: Ah, Taehyung :c

You: Por que não pode vir me ver hoje?

Enviei a mensagem e voltei a comer, já que havia deixado de lado para ler e responder as mensagens do mais velho. Minha mãe me olhava desconfiada, enquanto comia tudo silenciosamente.

— Então… Como foi a viagem? Gostou? — Puxei assunto.

— Foi legal, eu gostei bastante. — Respondeu. — Queria que tivéssemos ido conosco.

— Eu também queria ter ido no começo, mas depois eu percebi que vocês deveriam ter sim, um tempo sozinhos.

— Besteira, filho… — Riu. — Mas foi divertido, você iria ficar encantado com a beleza de Tokyo.

— Um dia eu quero conhecer o Japão.

— Se quiser, quando terminar os estudos, eu pago uma viagem para você até o Japão. — Sorriu, segurando minha mão que estava em cima da mesa.

— Posso levar um acompanhante? — Perguntei, levantando minhas sobrancelhas várias vezes.

— Só não quero que quando você volte, eu seja avó. — Gargalhou sozinha. — Leve preservativo, ouviu?

— Você sabe que eu sou gay, nem se preocupe com isso. — Ri. — Fique tranquila, eu vou levar uma mala apenas com camisinhas. — Digo com sarcasmo, piscando para ela.

— Mas a camisinha tem que levar mesmo, filho.

— Tá bom, mãe. Tchau. — Levanto da mesa, levando meu prato e o copo até a pia.

Ouvi a mais velha gargalhar, desejando uma boa aula em seguida. Peguei minha bolsa e saí de casa, caminhando com o celular na mão, desbloqueei mais uma vez e vi mensagens do Taehyung.

Taehyung: Vou sair com uns amigos.

Taehyung: Beber, fumar… Foder.

You: Ah, okay.

You: Se divirta!

Bloqueei com raiva e enfiei o aparelho no meu bolso, pisando fundo o caminho inteiro. Cheguei na escola, vi Taemin junto com os outros hyungs, ambos sentados em uns banquinhos que haviam no jardim.

— Bom dia, Jeonggukie! — Taemin gritou, pulando nos meus braços, segurei-o rapidamente, retribuindo o aperto.

— Dia. — Sorri sem mostrar os dentes.

— Eita, o que aconteceu? — Namjoon perguntou, vindo me abraçar também.

— Nada, hyung. — Respondi, pouco tempo depois escutamos o sinal tocar, deixamos Namjoon e Jin hyung lá e subimos para o prédio.

                     oOo

— Você só sai daqui quando me contar o que aconteceu! — Namjoon segura meu braço. — Segundo você, eu sou o hyung que você mais confia.

— Namjonnie! — Choraminguei.

Como eu esperei, fui ignorado. O hyung me levou até o banheiro e se trancou comigo dentro de uma cabine, ficando na frente da porta para eu não sair. Sua cara de bravo e os braços cruzados me deram vontade de rir, ele estava engraçado.

— Pode começar.

— Eu não vou sair daqui até contar né?

— Não. — Respondeu curto, empinando o nariz. Não me aguentei e ri baixinho.

— Taehyung não vem me ver hoje.

— Tá, e?

— O motivo é que ele vai tá fumando, bebendo e fodendo com os amigos. — Revirei os olhos, desejando que ele não viesse amanhã também, se não o espancaria em qualquer lugar que estivesse.

— Que cuzão, ele vai continuar mesmo com isso? Foi só você voltar pra casa que começou tudo de novo. — Revirou os olhos também, virando-se para abrir a porta.

— É… Isso é para eu aprender a parar de ser trouxa. — Suspirei. — Vou indo. Tchau, hyung. — Abracei-o brevemente e sai do banheiro.

Enquanto caminhava até a saída do colégio, peguei meu celular e pluguei os fones, colocando o aparelho no bolso traseiro. Continuei meu trajeto, encontrei Jin no caminho, este que perguntou onde estava o Namjoon, disse que estava no banheiro e ele saiu correndo até lá.

Quando cheguei no portão de ferro, vi alguns pais esperando seus filhos, e no canto de uma parede, estava Taehyung encostado na sua moto estacionada no outro lado da rua. Fingi que não o vi e continuei andando, concentrando na música que ecoava em meus fones.

— Hey! — Sinto alguém puxar meu braço. Viro para trás e vejo o acinzentado com um sorriso no rosto. — Estava fugindo de mim?

— Estava. — Respondi grosso, soltando-me do seu aperto.

— O que foi? Por que demorou tanto para aparecer?

— Eu estava bebendo, fumando e fodendo com meus amigos. — Revirei os olhos.

— Ah, Jeonggukie! — Agarrou minha cintura. — Era mentira, só queria fazer uma surpresa pra você.

 Sai, Taehyung. Vai foder com seus amigos! — Tento tirar seu braço da minha cintura, falhando miseravelmente.

— Para, Jeongguk, eu tô falando sério! Eu queria lhe fazer uma surpresa, estou até com o uniforme da escola! — Puxou-me para mais perto de si. — Ai, caralho! — Gritou, assim que finquei minhas unhas em seu braço, para ele me soltar.

— Tchau. — Sai andando a caminho da minha casa. Escuto os passos apressados do mais velho atrás de mim, logo fui suspendido no ar. — Taehyung! — Bati nele.

— Deixa de cu doce. — O acinzentado caminhou comigo no colo até sua moto. Taehyung me colocou em cima do banco do veículo, se encaixando entre as minhas pernas. — Eu não tô mentindo. Só queria que fosse surpresa, pode perguntar ao Jim-

O calei com meus lábios nos seus, iniciei um beijo calmo, deixando minhas mãos em seu rosto, enquanto as dele pousaram na minha cintura. Taehyung abriu mais minhas pernas, aproximando ainda mais os nossos corpos, suas mãos deslizaram para minhas pernas, apertando a carne dali.

Prendi seu lábio inferior entre meus dentes e puxei seu cabelo, fazendo sua cabeça se inclinar para trás e ele abrir os olhos, dando um sorrisinho safado ao me encarar nos olhos. Chupei seu lábio antes de soltá-lo, acabando o beijo selinhos.

— Vou passar a tarde com você hoje. — Disse baixo, beijando meu pescoço.

— E a noite?

— Eu não tenho certeza, porque não falei nada para a mãe e não trouxe roupas, vim direto do colégio. — Taehyung apertou minhas coxas, fazendo força para me pegar nos braços, e dando beijos molhados na minha clavícula. O acinzentado me prensou na parede, distribuindo agora chupões pela minha pele, sua mão deslizou para a minha bunda, deixando um aperto forte ali, fazendo-me arfar, puxando um pouco o seu cabelo entre meus dedos.

— O-O que pensa que está fazendo? — Perguntei com dificuldade.

— Desculpa, eu estou com tesão. — Murmurou, mordendo o lóbulo da minha orelha.

— Aqui na rua não, hyung… — Arrastei a última palavra quando senti uma sugada forte na lateral do meu pescoço.

— Na sua casa então? — Afastou sua boca da minha pele, encarando-me.

— Acho que sim…

— Por que acha? — Voltou a dar beijos molhados no meu pescoço. — Estou tão excitado…

— Minha mãe vai estar em casa.

— Eu prometo não fazer barulho, agora você também tem que fazer sua parte.

— Hyung…  

— Vamos. — Beijou minha boca, caminhando comigo no colo para a moto, sorte que a rua estava deserta.

Taehyung sentou na minha frente, já ligando a moto e dando partida para a minha casa. Não demorou muito para chegarmos, logo fomos recebidos pela minha mãe, que cumprimentou Taehyung um pouco surpresa pela visita do outro.

— Estão com fome, meus amores? O almoço já está pronto. — Comentou, caminhando até a cozinha.

— Eu vou tomar um banho primeiro, estou com calor. Depois a gente vem comer. — Sorri, puxando a mão do acinzentado para irmos ao meu quarto.

Pelo o que eu me lembro, o mais velho não teve a oportunidade de conhecer o meu quarto depois de grande, já que assim que viramos adolescentes e nos separamos, apenas minha família ia visitar a dele, mas SooBin nunca mais veio aqui.

— Pronto para conhecer meu quarto? — Fiquei na frente da porta, impossibilitando-o de entrar.

— Estou pronto. — Ele riu, entrando na brincadeira.

Abri a porta, dando a visão do meu simples quarto, do jeito que eu gostava, nada extravagante e sim aconchegante.

— Caralho, seu cheiro está empregando em cada cantinho desse quarto. Posso morar aqui? — Perguntou rindo.

— Gosta do meu cheiro, é?

Taehyung me abraçou por trás, cheirando meu pescoço com vontade e me fazendo arrepiar quase que instantaneamente.

— Eu amo o seu cheiro. — Beijou minha pele.

Eu quase derreti em seus braços, Taehyung me causava sensações incríveis, que nenhuma outra pessoa conseguiu jamais despertar isso em mim. Com apenas um toque em um lugar estratégico, eu sentia que poderia me desmanchar em seus braços.

— Vou tomar banho, o calor aumentou agora. — Rimos. — Por que não vem comigo? Eu te empresto uma roupa.

 Pode ser. — O mai velho caminhou até o banheiro já tirando sua camisa, jogando em qualquer lugar do meu quarto. 

Entramos dentro do box e começamos a tomar banho, assim que terminamos, fomos vestir uma roupa leve e descemos para almoçar. Minha mãe já estava sentada à mesa, apenas esperando para que juntássemos a ela.

— Como foi a escola de vocês hoje? — Puxou assunto. Minha mãe sempre foi dessas que só conseguia comer alguma refeição conversando.

— Mesma coisa de sempre, a única novidade, mas nem tão novidade assim, é que vou ter provas na próxima semana. — Respondi.

— Estudar né? — Perguntou séria, quase que em um tom mandão.

— Claro. — Suspirei.

— E você, Taehyung?

— Mesma coisa de sempre também, tia.

Conversamos mais alguns assuntos aleatórios, até que terminamos de comer e minha mãe disse que iria tirar um cochilo lá no quarto, deixando a louça para lavarmos. Enquanto eu passava a esponja com o detergente na louça, Taehyung enxugava e guardava.

— Cansei já. — Proferiu o mais velho, abraçando-me por trás e deixando sua cabeça no meu ombro.

— Mas já? Falta pouquinho.

— Você falou isso há uns minutos atrás.

— É porque tem de ontem também. Seu preguiçoso.

— Você que é.

— Ah, claro, sou eu que estou reclamando, sendo que só enxuguei e guardei dois pratos e três copos.

— Mas cansa mesmo! — Se defendeu.

— Ah, Taehyung, vai te catar, vai. — Empurrei seu corpo com minha bunda.

Vi o mais velho sentar-se na cadeira e continuei lavando os pratos. Depois de lavar, enxugar e guardar tudo, saí da cozinha e fui para o meu quarto, jogando-me na cama. Taehyung veio logo atrás, deitando-se ao meu lado, agarrando minha cintura e dando beijos no meu ombro.

— Sai, eu estou cansado. — Empurrei sua cabeça, ficando de costas para ele.

— Vai ficar com raiva?

— Eu não estou com raiva.

— Então diz que não está com raiva olhando nos meus olhos.

— Vai dar, Taehyung.

— Não sou passivo. — Ele riu, puxando meu corpo para se encaixar no seu, ficando de conchinha comigo.

Eu estava cansado, realmente cansa ficar andando de um lado para o outro dentro da cozinha para guardar os pratos, mas ele não iria morrer se continuasse me ajudando, pior era lavar, já que eu estava com os dedos doídos.

— Vem cá, bebê zangado. — Taehyung me puxou para o seu colo, ficando por baixo do meu corpo. Deitei minha cabeça no seu peito e me acomodei melhor ali, sentindo seus braços rodearem minha cintura. — Está com raiva?

— Já disse que não! Só acho que você poderia ter me ajudado, foi bastante babaca e insensível da sua parte! — Franzi o cenho, fazendo um bico, que o acinzentado tratou de beijá-lo meio desajeitado.

— Me desculpa? — Assenti. — Desculpa? — Assenti novamente. — Desculpa?

— Desculpo!!! — Grito sem paciência.

— Hoje você tá de TPM, né? Será que não pode transar por estar saindo sangue do seu cu? — Brincou, recebendo um tapa meu.

— Vai dormir, Taehyung!

— Eu não tô com sono.

— Mas eu tô! — Saí de cima dele e me deitei no colchão mesmo, sentindo, mais uma vez, seus braços me puxarem para pertinho do seu corpo. — Que grude, meu Deus!

— Ai, eu tô carente. Seu insensível! — Bateu no meu braço.

Deixei ele falando sozinho e adormeci na cama.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...