História Mil Rosas despedaçadas - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Ambre, Armin, Bia, Castiel, Charlotte, Dakota, Debrah, Kentin, Kim, Li, Lysandre, Melody, Nathaniel, Peggy, Personagens Originais, Professor Faraize, Professora Delanay, Rosalya, Violette
Tags Amor Doce, Musical, Romance
Visualizações 2
Palavras 1.085
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Mutilação, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Um beijo a todos...

E uma ótima leitura ( ;

Só lembrando essa é a minha primeira Fanfic então me desculpe qualquer erro

Capítulo 3 - Capítulo 3 - O senhor dos desejos é um grande brincalhão.


Fanfic / Fanfiction Mil Rosas despedaçadas - Capítulo 3 - Capítulo 3 - O senhor dos desejos é um grande brincalhão.


Naquele mês de chuva, em pleno janeiro. Eu enfrentei o meu pior pesadelo. 


Amor doce não pode ter sumido!! Pesquisei no Google várias coisas, mas nenhum esperança até agora. Me tranquei no meu quarto. Não quero nada. Não preciso de nada apenas quero jogar! 


Sinto falta das ironias e, brincadeiras ( sem graças) do Castiel. Da alegria e empolgação de Alexy, minha eterna purpurina, sinto muito Jessy. Quando olhava para o teclado percebia que não só ansiava que Cassy existisse, também queria que a Rosa. O seu namorado. O professor de artes existissem. Entre muitos outros... suspiro inclinando a cabeça para trás. Fechando meus olhos.


Quando lembro de artes. Galerias. Lembro de mamãe...


Assim como ela, amo a música. Foi ver ela tocando tão bem com tanta... paixão que me fez me apaixonar pelo violino. Mamãe amava teatro. O som dos instrumentos. Mas o que ela mais amava era pintar quadros, ir à desfiles de moda. Em geral ela amava o mundo artístico, foi exatamente no mundo das celebridades que ela conheceu meu pai o grande e bem sucedido empresário. 


Depois de dois meses juntos, mamãe acabou ficando grávida de mim. Como obrigação e para não ficar mal falado, papai casou com ela, apenas por obrigação não avia amor algum na relação deles. Assim que eu nasci ela engravidou novamente, da Bruna.  


Como avia dito, eles não se amavam. E por conta disso brigavam constantemente, eles brigavam. Falar a verdade nunca vi papai sorrindo, ou feliz com a mamãe. Pensar bem ouve somente uma única vez, foi quando eu tinha três anos. Mamãe estava tocando violino, eu estava no colo do papai, lembro dele acariciando meus cabelos. 


O que será que mudou aquele homem? 


Ta que ele nunca foi carinhoso, nem comigo, nem com Bruna, muito menos com mamãe talvez por isso ela esta nas condições que se encontram. Antigamente ele era... atencioso com suas filhas, queria dar o melhor para nós, ver a gente crescer com saúde e realizar nossos sonhos, seja lá qual for mas agora ele está totalmente diferente. Aquele homem que eu o chamo de pai é obcecado por dinheiro. Se torna um verdadeiro psicopata quando o assunto é poder. Ele faz de tudo, tudo mesmo. Apenas pelo dinheiro e fama. 


Abro meus olhos. Toda esse realidade me deixa triste, a única coisa que me tirava dela era a música, como não tenho mais ela me distraia com Amor doce. 


Pensando nele deveria continuar minha pequena busca que já tinha levado dias. Se antigamente não saia muito de casa imagina agora, apenas vou ao banheiro e cozinha. Falar a verdade quase nunca. Não sinto vontade de mais nada só de encontrar uma explicação para isso. 


Já tinha feito de tudo. Tenho muitas perguntas e o Google não me dá nenhuma resposta. Acho que vou desistir. Seguir em frente é apenas mais um jogo, até que...


Ah isso é novo! 


Digitei Sweet Amoris e deu um sinal de vida, Só que algo inesperado aconteceu. Uma imagem surgiu no canto superior da tela. 


Isso é uma escola, uma escola real! O que está havendo? 


- ALICE! SAI AGORA DESSE QUARTO! - Escuto os gritos da dona Marcelina, ela bate várias vezes na porta. 


Eu destranco. Saio correndo ignorando ela, que ficou imóvel sem entender, desço as escadas indo para cozinha. Onde estava, sentada comendo calma assim que me vê se assusta. 


- Você... não vai.. acreditar... no que.. eu encontrei... é .. sobre aquele.. negocio - Eu estava ofegante por conta das escadas. 


- Ei! calma, sente e respire fundo. 


Me sento. Ela tem razão não posso deixar isso me abalar, pode ser muito bem um engano. Uma escola muito parecida com Sweet Amoris. 


- Bruna. Eu e você já visitamos quase todos os lugares do mundo. Já fomos no Brasil, Mas eu nunca ouvi falar na cidade de Bela Rosa, E você? Ela é um pouco próxima do Rio de Janeiro. 


- Não. Também não me lembro de ter visto no mapa quando tivemos lá. Mas o que isso tem a ver com Amor Doce? 


- Agora que as coisas ficam interessantes. Existe poucas escolas nessa pequena cidade, mas uma me chamou atenção. Seu nome é Sweet Amoris!


- An?!  -  Ela se engasga.  - Você não deveria ficar tão empolgada, o Amor Doce se passa em uma cidade fictícia. Pode ser uma pegadinha. 


- Mesmo assim preciso conferir com os meus olhos, certas coisas só acredito vendo. 


[....]


Converso com a Marcelina, mesmo sendo grande e dona do meu nariz, moro na sua casa e preciso da sua permissão.  Sei que Bruna não irá querer vim, então irei até o Brasil sozinha, e como Marcelina não confia muito em mim. Para viajar assim ela pediu que Leonardo meu motorista fosse junto. 


Como temos muito dinheiro ( Principalmente meu pai) irei ir hoje mesmo. 


Arrumo minhas malas, coloco o essencial. E sigo viagem onde meu Jatinho particular estava. 


Leo abre a porta para que eu dessa do carro, assim eu faço. Não ligo muito para as malas, tenho certeza que Leo já mandou os seguranças virem pegar-las. 


Entro e me acomodo, tenho muitas lembranças desse jato. Boas e ruins. 


Como quando a Emilly tinha exagerado na bebida, ela avia vomitado. Ah como estávamos alegres tínhamos ganhado nosso primeiro troféu e homenagens, de melhores dançarinos e cantores. 


Josh estava tão radiante. Como todas nois estávamos.



[...]



Acho que acabei caindo no sono. Me levanto e caminho até Leo. 


- Quanto tempo se passaram?


- Cinco Horas. Já estamos no Brasil, é questão de tempo pra chegamos na cidade.


- Você já ouviu falar dessa cidade? - pergunto. 

 

- Sim... algumas vezes, sabe ela é uma cidade pequena longe de tudo. 


- Ah sim... 


Prefiro não comentar mais nada, isso é muito estranho.  Eu já conversei com pessoas que jogavam, adivinha o que falaram? Me falaram que nunca ouviram sobre o jogo, assim como a criadora. 


Vou até o pequeno banheiro. Preciso relaxar. Tranco a porta e tiro minhas roupas.  Entro na banheira. Depois de algum tempo saio. Vou ficar linda, sexy sem ser indecente. 


Com esse objetivo começo a me vestir, visto primeiro minhas roupas íntimas depois coloco uma saia de preta de couro rodada, não tão curta. Também coloco uns dos meus saltos preferidos, aquela bota, sempre usava em shows especias. E uma blusa caida nos ombros, amarela nada chamativo. 


Por último arrumo meu cabelo, só que dessa vez não deixei minhas pontas vermelhas e me maquio.


Assim que saio do banheiro, logo percebo que iremos desser. Sweet Amoris que me aguarde.





Notas Finais


Não deixe de comentar o que estão achando ;)

Até o próximo...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...