História Minha Vida Meu Apocalipse - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Brown Eyed Girls, EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, Kai, Miryo, Sehun, Xiumin
Tags Baekbeom, Baekhyun, Baekyeol, Bullying, Chanbaek, Chanyeol, Exo, Gay, Homofobia, Kpop, Sadomasoquisto, Sexo, Tortura, Yaoi
Visualizações 13
Palavras 1.289
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 11 - É apenas um até logo


            Sabe aqueles sonos tão bons que você sente como se estivesse flutuando? Então, era sempre assim depois de uma noite agitada, mas dessa vez foi especialmente bom. Juro que sonhei apenar de não lembrar o quê. Mas como tudo que é bom acaba rápido, fui acordado com um comentário nada agradável vindo do meu irmão.

            - A noite foi boa. – aperto os olhos negando a triste realidade de que agora eu estava acordado e não poderia dormir em paz tão cedo. – Sinto cheiro de sexo vindo de vocês. Só não me diga que fizeram do meu lado, pelo amor!

            - Bom dia pra você também, hyung. – falo enfiando a cara no travesseiro. Provavelmente ele nem ouviu as últimas palavras que foram abafadas pela almofada.

            Após alguns minutos com a cara enfiada no travesseiro decido me levantar e tenho uma má notícia imediatamente. Ergo o tronco me sentando na cama e aperto os olhos com a claridade vinda da janela. Olho em volta até meu olhar cair sobre Baekbeom e ele rir como se pudesse evitar a surra que vai levar daqui a pouco.

            - Ninguém está acordado! Como você me acorda de manhã assim sem necessidade alguma! – passo as mãos no rosto em frustração.

            - Desculpa, mas estive pensando... Deveríamos fazer algo a mais para os meninos já que vamos embora. Eles nos ajudaram bastante nos oferecendo o banheiro e até um lugar confortável para dormir essa noite.

            Acabei não espancando ele até a morte por que não tínhamos muito tempo pra isso. Sei que o Kai acorda cedo apesar de não sair do quarto e logo o Chen deve aparecer para levar comida ao Xiumin – nunca vou me acostumar com essa coisa estranha dele sair a qualquer hora e de qualquer lugar só pra levar comida para um homem mais velho que ele.

            Nos levantamos, fizemos nossa higiene e fomos a cozinha. Hoje teríamos um belo desjejum por nossa conta. Miryo apareceu quando decidíamos o que iríamos fazer e acordou Chanyeol também. Estávamos tentando manter o máximo de silêncio possível, mas como nada sai barato pra quem me acorda cedo eu fiquei perturbando Baekbeom tentando o fazer rir enquanto ele tentava se manter em silêncio a todo custo.

            Enquanto Miryo e Chanyeol arrumavam a casa eu e meu irmão saímos para ir ao mercado comprar tudo o que precisaríamos para fazer o café.

            - Será a refeição de despedida. – ele comentou enquanto entrávamos em uma das filas de caixa.

            - Não. É uma refeição de agradecimento pela ajuda. – o contrario.

            - Vai precisar se despedir deles. Não sabe quando e nem se vai encontrar com eles de novo, Baek.

            - Nós definitivamente vamos nos encontrar de novo, tenho certeza. Não quero me despedir.

            - Se acha que é melhor... – murmurou por fim e então a nossa vez chegou.

            Caminhar pelas ruas de Jeju é algo totalmente diferente de caminhar pelas ruas lotadas de Seul. O ar é limpo e fresco e de qualquer lugar é possível sentir o clima de praia. Pela manhã parece ainda mais incrível. O céu está cheio de nuvens, mas ainda é ensolarado e duvido que venha a chover por agora.

            Quando chegamos em casa, Miryo e Chanyeol já haviam arrumado tudo. A garota estava feliz, sorria a todo momento por nada e fazia as coisas com animação, já Chanyeol estava... Com bastante sono. A cara dele era de um defunto que esqueceram de enterrar. Quase senti peso na consciência por ter feito ele dormir tarde. Quase. Na verdade até ri da cara dele. E o coitado nem tinha energia pra brigar comigo.

            Preparamos arroz, sopa e vários banchan*. Quase imediatamente que colocamos tudo na mesa, Chen sai do quarto. Ficou um tempo olhando pra gente com uma expressão confusa então sorriu largo e soltou um grito. Já falei que esse cara fala meio gritando e grita quase tão alto quanto um golfinho? Não? Então, ele faz isso.

            Obviamente, com o grito que ele deu todos acordaram. Imagino que esse tenha sido o objetivo dele, afinal não vejo outra utilidade para um grito desse.

            Com todos na cozinha, o café da manhã foi animado. Pela primeira vez Sehun não calava a boca e continuava falando mil coisas ao mesmo tempo. Chen também gritava como um louco. E, principalmente, nada diferente de um sorriso se fazia presente. Era apenas felicidade. Acho que uma despedida assim é bem melhor do que choro e abraços... Mas talvez eu sinta ainda mais falta desses momentos. Acho que nunca tive algo assim até vir para Jeju.

            Mas uma hora a parte ruim tinha que chegar e nós precisaríamos dizer adeus e entrar no avião. Eu não estava pronto para dizer essas palavras a nenhum deles... Principalmente Chanyeol.

           

 

            Mais ou menos umas onze horas os meninos foram com nós três até o aeroporto. Eu queria me enterrar em algum buraco e me esconder do meu irmão só pra perder voo e poder ficar. Mas não conseguia nem conversar. Sehun me deu vários cutucões esperando meus comentários inúteis sobre os assuntos aleatórios que eles arrumavam, mas a verdade é que eu não estava com o menor ânimo pra isso.

            Ficamos o máximo que pudemos com os garotos na parte livre e senti meu coração parar quando o horário chegou e a despedida oficial aconteceria.

            Primeiro falei com Jongdae e Minseok.

            - Aproveite os dias em Busan. – Chen falou e logo foi completado por Xiumin.

            - Vamos sentir saudades, mande mensagens, tudo bem?

            - É, vou mandar... – respondi sorrindo fracamente então fui até o Kai.

            Ele bagunçou meus cabelos e mostrou a tela do celular onde havia uma mensagem de seu namorado dizendo que eu deveria aproveitar a viagem antes de voltar a estudar. Claro, alguém precisava me lembrar que eu ainda tinha que construir minha vida.

            Ao menos me aliviou um pouco da tensão da despedida. Apenas um pouco.

            - Semana que vem eu e o Sehun vamos dançar, é uma pena que não possa ver, então faça coisas legais em Busan para termos boas histórias. – foi o que ele me disse.    

            -  Se essa apresentação não for filmada, vou ficar irritado.

            Recebo uma continência em resposta e vou até o Sehun que acabava de falar com o meu irmão. Ele me dá um abraço tão apertado que minhas costelas quase se tornaram farinha.

            - Eu realmente vou sentir saudades... – falo sentindo que estava prestes a chorar.

            - Eu também, mas não vamos deixar de conversar, tá? E volte pra Jeju assim que puder ou não vou me aguentar.

            - É claro que vou voltar! – dou um tapa fraco em seu ombro então nos separamos do abraço.

            Logo que nos separamos e vejo que era a hora de me despedir do Chanyeol desisto de tentar segurar o choro. O abraço com toda a força que eu tinha e escondo a cara em seu peito. Ele me abraça passando as mãos em minhas costas.

            - Como vamos ficar? – pergunto com a voz embargada.

            - Vamos dar tempo ao tempo. Vai acontecer o que tiver que acontecer.

            - Você não é nada animador. – respondo passando as mãos no rosto limpando as lágrimas. – Vou te perturbar todos os dias e você trate de conseguir um lugar para morar, um emprego e uma faculdade e quando eu vir aqui de novo nenhum de nós vai ser mais um dependente, entendeu?

            - Entendi. – um sorriso apareceu em seu rosto, mas seus olhos estavam molhados e avermelhados. – Agora vá logo antes que eu te prenda aqui.

            - Pode me prender, não vou reclamar. Até ajudo. – falo em tom brincalhão. Mas falava sério.

            - Baek, vá. – agora era nítido o tom embargado em sua voz.

            Era hora de ir.

            Sair de perto de alguém nunca foi tão desesperador.


Notas Finais


*Banchan: acompanhamentos (como kimchi ou broto de feijão, por exemplo)

Não sei com que cara aparecer aqui depois do último capítulo ainda mais com essa coisinha pequena, mas eu tinha que aparecer né kkk
Desculpa pelo capítulo pequeno T_T o próximo vai ser maior, juro
Até o próximo o/


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...