História Mitw- Um amor prisioneiro - Capítulo 28


Escrita por: ~

Postado
Categorias Cauê "BaixaMemoria" Bueno, Felipe "Febatista" Batista, Felipe Z. "Felps", João Victor Negromonte Queiroz "Jvnq", Lucas "Luba" Feuerschütte, Lucas "T3ddy" Olioti, Luiz Felipe (Luiz 1227), Marco Tulio "AuthenticGames", Maria Luiza Ramos (MoonKase), Matheus Neves "Pk Regular Game", Pedro Afonso "RezendeEvil" Posso, Rafael "CellBit" Lange, Rafael "Guaxinim" Montes
Personagens Felipe "Febatista" Batista, Felps, João Victor Negromonte Queiroz "Jvnq", Lucas "LubaTV", Marco Tulio "AuthenticGames", Matheus Neves, MoonKase, Pedro Afonso Rezende Posso, Personagens Originais, Rafael "CellBit" Lange, Rafael "Guaxinim" Montes
Tags Fbi, Gangues, Lemon, Mike, Mitw, Pac, Prisão, Sexo, Tazercraft, Treta, Youtubers
Visualizações 186
Palavras 792
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Hentai, Lemon, Lírica, Luta, Mistério, Musical (Songfic), Poesias, Policial, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


CHEGAYYYY!!
Chegay purpurinando a zorra toda!
E que se bane, eu quero mais é que se comam!
Porque ninguém vai atrapalhar o meu dia!
Pode tentar, pode tentar.

{Paródia Cheguei que acabei de inverter de Nárnia}

Capítulo 28 - O pior dia de todos


♣♠Rezende♥♦

 

O tal de Luiz me levou até o andar de baixo, onde o único acesso era o elevador. Esperamos abrir a maldita porta do elevador. A única coisa que passava na minha cabeça era..

 

Como será que está o Pac?

 

Eu me preocupo com ele. Sempre me preocupei. Desde a primeira vez que o vi, me apaixonei. Fomos nos conhecendo, descobrindo gostos em comum, contradições, a personalidade um do outro... Até que, eu percebi que estava perdidamente apaixonado por ele, e ele por mim. Acabamos começamos um relacionamento amoroso, um namoro. Depois que pedi ele em namoro, começamos um relacionamento oficial.

Mas, isso mudou após ele ter seguido o sonho de seu pai, e eu ter seguido o sonho do meu pai.

Fomos para caminhos totalmente opostos.

Ele, um agente do FBI, totalmente treinado desde a infância, e eu, um dos mafiosos mais procurados do mundo.

Porém, isso não quer dizer que deixamos essa barreira nos separar. Conseguimos pular ela. 

Sabíamos nas consequências se esse amor fosse descoberto. Pac seria demitido, exportado para outro país, ou, na pior das hipóteses, preso por guardar informações preciosas e por infidelidade ao seu país.

Mesmo que o FBI seja americano, o Estados Unidos fez um acordo com um Brasil, como se fosse uma aliança, já que o Brasil é um dos maiores países do mundo.

Assim, criaram o FBI no Brasil. Não é tão grande como o do Estados Unidos, mas desde essa aliança entre esses dois países, tudo melhorou no meu pais natal. E sim, antes que me perguntem, sim, eu nasci no Brasil, mas me mudei de lá assim que tive que herdar a máfia de meu pai, após a morte dele. Ou melhor, assassinato.

Hehe, é impressionante como eu e Pac temos tantas coisas em comum. Nossos pais foram mortos pelo mesmo homem. O dia da morte de nossos pais... Foi o pior dia de todos.

Me lembro muito bem dele...

 

♪Flashback on♪

 

CALE A BOCA!!! — Gritou ele, apontado a arma para Pac, que estava chorando muito — ESTA QUERENDO MORRER?!?! 

Sei tom de voz só fez Pac chorar mais.

O abraçei, colocando sua cabeça em meu ombro, para ele não olhar aquele... monstro na nossa frente.

Calma, Pac. Eu te protejo. —fSussurrei em seu ouvido

Sentia as lágrimas de Pac molharem meu ombro, mas eu estava nem aí. Desde que ele se sinta seguro, pra mim está bem.

Levantei minha cabeça e comecei a olhar em volta...

Estávamos no porão da casa daquele homem. Tudo começou com um simples jantar em amigos.

O pai de Pac também veio, e como sabia que ele e eu éramos muito chegamos, levou ele junto.

O filho desse homem não está aqui. Esse homem disse que ele não podia vir, então, era apenas eu, Pac, os nossos pais... e ele.

Nunca pensei que esse homem teria coragem de fazer isso. Ele sempre foi... tão bom com todos.

DEIXE ELES EM PAZ, RODRIGO!!! — Gritou meu pai, que mal conseguia se levantar, por causa dos machucados feitos por esse monstro

Ora, ora ora, Paulo, ainda não acredito que está lutando... — Ele colocou as mãos na cintura — Ridículo. Nunca admite a derrota. Realmente ridículo. — Diz o homem, indo em passos lentos em direção ao meu pai

O homem pegou o meu pai pela gola da camisa, o obrigando a ficar me pé. E então, ele transferiu um soco na barriga de meu pai, que urrou de dor.

Pai... — Sussurrei, abraçando mais ainda Pac, para que ele não visse aquela cena

Meu pai estava cuspindo sangue, e tina caído no chão, pois o homem tinha o largado.

Agora você não fala nada, não é mesmo, Paulo? — Perguntou esse monstro, ironicamente

Meu pai olhou para cima, com puro ódio para aquele homem que um dia chamou de amigo.

ME RESPONDAAAA!!! — Gritou o homem, dando mais um soco na barriga de meu pai, que cuspia sangue

Eu olhava no fundo dos olhos de meu pai, e eles pareciam dizer: "Está tudo bem" mas eu sabia que não estava. Porem... Aquele olhar de meu pai, fez com que eu me tranquilizase. Como se... estivesse mesmo tudo bem...

Até que...

 

♪Flashback off♪

 

A porta do elevador abriu, dando o sinal que chegamos no andar certo.

Andando, prisioneiro. — Falou o Luiz, apontando a pistola em suas mãos em minhas costas, a empurrando para frente, para que eu começasse a andar

E assim diz. Saimos do elevador, e fomos caminhando um longo corredor cheio de celas. A maioria vazia. Já outras... com pessoas, ou até mesmo, cadáveres.

Engoli em seco ao ver o seu cadáveres. Pareciam tão antigos. Mas antigos que eu. Como se eles tivessem morrido quando eu nasci.

Realmente, não vou gostar nem um pouco de passar um tempo aqui. Nem um pouquinho.


Notas Finais


#Rezende_Se_Fudeu #Famoso_Suspense #Naum_Morram_De_Curiosidade

Capítulo feito por @Bilo_Bilusco
Não revisado

Então, foi isso, ktchau!!! Bjs de Berg!!

















#Sem_Criatividade_Para_Um_Hastag


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...