História Mommy - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias IKON
Personagens Bobby
Tags Bobby
Visualizações 8
Palavras 1.505
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


bom dia ...


boa tarde ...


boa noite ...

Capítulo 1 - First


Leo abriu a porta do apartamento esperando ver a sala escura e a vista da ampla janela que possuia da sala.Naquela noite em questão na qual voltava do trabalho estava querendo apenas  sua cama. Mas seus pensamentos foram cortados pela figura esguia que estava no meio da penumbra como um fantasma. E sinceramente Leo preferia que fosse uma assombração a ser o moreno que lhe perseguia.
 --Mommy chegou. - o garoto exclamou andando animado em sua direção e Leo ligou um abajur perto do sofá olhando o mais alto com raiva.
 --Para de me chamar assim. - deixou a bolsa sobre o estofado bege e deu as costas para o outro.
 Sua mente estava focada em apenas descansar um pouco para o dia de faculdade que viria. Precisava estudar bastante para os testes que logo começariam, e ter o maior encostado em si como um sombra não era a melhor coisa. Pegou um copo de água e bebeu tudo rapidamente para voltar a sala. Não se surpreendeu ao ver o moreno mexendo nas suas coisas, inclusive seu celular.
 --Bobby, já disse para não mexer no meu celular. Anda, devolve. - estendeu a mão esperando o objeto mas o moreno a puxou para bem perto de si. Curvada e com o rosto próximo, Leo viu de relance as íris escuras faiscarem.
 --Mommy está saindo com alguém? - perguntou sério e agarrou o queixo da mulher.
 --Não é da sua conta. - tentou se afastar mas o moreno não estava disposto a largá-la. - Mas não Bobby, eu não estou saindo com ninguém. - afirmou segurando o pulso do maior para que este lhe soltasse.
 --Então quem é esse te mandando mensagem? - rebateu mostrando o celular nas mensagens mencionadas.
 Leo afastou a mão do maior e se sentou para ver o que lhe enviaram. Um colega de trabalho estava a algum tempo tentando sair consigo, e sempre negava ou por falta de tempo ou por estar cansada. Desviava-se como podia das investidas do mais velho.Mandou a resposta de sempre, a de que estava ocupada com a faculdade e não poderia sair. Suspirou vendo que ele estava escrevendo. Bobby observava a menor ao seu lado estar desconfortável com a insistência.
 --Quer que eu dê um jeito nele? - propôs como quem não queria nada, mas Leo sabia que ele queria muita coisa.
 --Você vai se meter em problema. Deixa isso pra lá. - o celular vibrou novamente e desviou o olhar para a tela se arrependendo em seguida. - Argh, que nojo. - exclamou no susto.
 Ponderou seriamente deixar o mais novo fazer o que quisesse mas sabia que seus métodos podiam ser um pouco violentos para resolver os problemas. E ainda podia arrumar uma grande confusão na qual não podia ajudá-lo, e mesmo o rejeitando várias vezes, não podia imaginar seu garoto metido em problema. Rapidamente saiu do bate-papo esperando poder esquecer aquela imagem horrível de sua mente.
 --O que houve? - percebeu que o mais novo não espionara sua conversa.
 --Hnm, nada.
 Antes que pudesse se levantar, Bobby lhe segurou. Se aproximou e deixou um selo em sua bochecha como normalmente faz quando a vê. Apesar da abordagem pouco convencional, o garoto tentava sutilmente se aproximar e se tornar mais íntimo. E com o tempo conseguiu a confiança  de Leo, mesmo que ela ainda não lhe aceitasse completamente. Ele era encrenqueiro e tinha tendências possessivas e isso lhe assustava um pouco, mesmo que não demonstrasse muito. Bobby podia ser o sonho de muitas meninas por ser carinhoso e atencioso, mas também era ciumento e violento.
 Lembrava de quando conheceu o mais novo e não podia evitar o frio na espinha. Leo estava voltando para casa quando um desconhecido a encurralou numa rua menos movimentada. O terror do susto lhe subiu a cabeça e não pode fazer muito mais do que gritar por ajuda, se sentia fraca sempre que lembrava do episódio e se não fosse pelo moreno que a estava seguindo, não sabia o que teria acontecido. Foi realmente assustador não ter forças para revidar e esperar algum milagre acontecer.
 Mesmo não deixando tão claro, agradecia pela perseguição que Bobby estava fazendo naquele dia. Que aliás, perdurava por algumas semanas desde que o vira pela primeira vez numa loja. Foi algo tão aleatório que Leo logo pensou que Bobby poderia ser um doido. E não estava tão errada assim. E reprimindo o impulso de ligar para a polícia e denunciá-lo, deixou que aquilo se aprofundasse até que ele veio a lhe salvar e trocar palavras consigo. Não ficou surpresa ao saber que ele tinha conhecimento de sua moradia e que no dia seguinte, ele estava em seu sofá lhe esperando.
 Foi chocante, não pode negar nem pra si mesma. Mas assim que Bobby segurou o taco de baseball acima de sua cabeça mostrando não ser uma ameaça, Leo educadamente  - e relutante - o convidou para tomar café. E logo ele a estava chamando de Mommy.Tentava entender a mente do mais novo, entretanto deixava de lado quando percebia que não adiantava.
 --Hey, você já comeu hoje? - Leo olhou Bobby da bancada da cozinha.
 --Sim. - respondeu desviando o olhar da menor.
 --Você não comeu, né? Bobby o que você faz o dia todo? Fora me perseguir. - começou a preparar  um jantar bem simples e rápido para ir tomar um banho.
 --Nada demais. - respondeu vago num tom rouco.
 Preparou um arroz, filé de peixe e salada. Serviu um prato para o mais novo e colocou sobre a mesa da sala de jantar. Não iria admitir em voz alta mas estava preocupada com o moreno nos últimos dias. Ele estava andando um pouco mais magro que o normal e com uma expressão menos alegre quando a via. Leo não queria deixá-lo irritado consigo mas a dúvida estava começando a corroer sua mente. Pensava que podia estar ajudando-o em seus problemas, porém, ela estava apenas o rejeitando.
 --Vem comer. - chamou e Bobby largou o próprio celular no sofá.
 --Você não vai comer? - perguntou estranhando que só havia um prato ali.
 --Não. Eu estou sem fome. Vou tomar banho tá?
 Saiu dali e andou para o quarto em busca do pijama. Terminou o banho rapidamente não querendo adiar mais seu tão merecido descanso. Voltou a sala amarrando os cabelos num coque e Bobby já havia terminado a refeição e lavado o prato. Se encontrava no chão mexendo em seu celular novamente.
 --Bobby já não disse pa...
 --Mommy, ele está te incomodando, não está? - perguntou lhe encarando debaixo. O piercing na sobrancelha reluzindo levemente com a luz baixa da sala.
 --Já disse pra deixar isso de lado. - se curvou tentando pegar o celular de suas mãos.O moreno se afastou a tempo de evitar.As vezes sentia que estava falando com uma criança, não com um cara de vinte e três anos.
 --Eu posso dar um jeito pra você. - afirmou e ousou lhe puxar para se sentar no tapete junto com ele. O maior então ficou bem perto de si olhando em seus olhos como se quisesse a convencer.
 --Não. - respondeu curta tentando fazer com que aquele assunto morresse de uma vez.
 --Mas... - perdeu sua argumentação e abraçou o corpo menor deixando a cabeça em seu pescoço.
 Um pouco relutante com o raro contato físico, Leo o envolveu em seus braços sentindo a camiseta folgada na pele.Se deixando levar pelo conforto, a menor se aproximou cada vez mais, subindo no colo do maior e ficando ali sem realmente se dar conta do que estava fazendo.O moreno se aproveitando da situação, selou o pescoço de Leo delicadamente para não assustá-la.Uma das mãos grandes foram a sua nuca bagunçando os cabelos dali e desfazendo o coque que tinha feito.O calor dos lábios alheios passava para sua pele com um sentimento terno que a deixava mais hipnotizada.
 --Eu amo muito você. - a voz rouca parecia raspar a garganta do mais novo e Leo tensionou.Tanto pelo tom de voz mais intenso que o normal quanto pela mensagem que lhe passou.Os braços estreitaram ainda mais ao seu redor.
 Se afastou do maior e pelo ato repentino viu os olhos escuros marejados.
 --O que houve? - Bobby desviou o olhar para o chão e segurou as pernas da menor para levantá-la.Ele estava claramente tentando fugir da pergunta.Leo agarrou o rosto do mais novo querendo olhar em seus olhos.
 --Não é nada, Mommy. - respondeu manhoso.Virou o rosto para sair das mãos da outra mas falhou e continuou olhando o chão.
 --É sim, é alguma coisa sim.O que está acontecendo? - perguntou deixando sua preocupação transbordar pelas palavras.
 Teimoso, Bobby continuou quieto.Não queria incomodar Leo com seus problemas pessoais.Ela já tinha coisas o suficiente para se preocupar. 
 --Bobby. - pressionou mas não houve resposta.O garoto nem sequer lhe olhava
 O mais novo com as mãos em suas pernas, a ergueu e praticamente fugiu em direção a porta.Sem beijinho ou um abraço meloso como fazia as vezes, nem uma palavra.Em contrapartida Leo percebeu que algo realmente o estava incomodando.
 


Notas Finais


até mais ....


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...