História More Than Babies - Capítulo 23


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Got7
Personagens Jackson, JB, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Mark, Rap Monster, Suga, V
Tags 2jae, Chanbaek, Jikook, Markson, Minjae, Mpreg, Namjin, Taejae, Yoonseok
Visualizações 2.947
Palavras 3.824
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Leiam as notas finais, por favor!
Boa leitura ♥

Capítulo 23 - More Than Picture


Fanfic / Fanfiction More Than Babies - Capítulo 23 - More Than Picture

— Toma bebe isso, vai te acalmar. – Yoongi entregou um copo com chá de camomila para Jin e se sentou em seguida ao lado dele. – E eu vou ter que tomar uns dez copos desse chá para me acalmar, sinto que vou parir a qualquer momento.

— Sinto muito por isso. – Jin falou limpando as lágrimas que escorriam pela a sua bochecha. – Você não devia ficar nervoso assim.

— Estou bem. – Yoongi falou terminando de beber o seu chá. – Eu já liguei para o Hoseok e ele está vindo para levar o Minseok e o Taejin.

— Nem sei como agradecer. – Jin falou desolado e o mais velho sorriu acariciando as costas do mais novo.

— Não se preocupe, Jin. Sua bebê está bem. – Yoongi falou e Seokjin bebeu o chá antes que caísse em mais uma onda de choro

Seokjin tinha dado entrada no hospital desesperado, mas foi diferente da primeira vez. Namjoon estava lá e pronto para ajudar, ao lado dele estava Seulgi a obstetra de Mark pronta para também ajudar. Taehy foi rapidamente atendida e levada para longe de Seokjin, que teve que ser consolado por um Yoongi desesperado. Já tinha passado duas horas e nada de notícias de sua filha, nem Namjoon tinha aparecido para falar algo e aquilo consumia Seokjin. Ele confiava em Namjoon, confiava tanto que estava entregando a vida de sua filha a ele, e o mesmo sabia que ele não lhe decepcionaria.

— Oi. – Hoseok apareceu em frente a eles completamente bagunçado com o seu palito em mãos e a gravata torta. – Vim o mais rápido possível. – O empresário falou abraçando rapidamente o seu esposo sabendo que o mesmo estava sensível diante a situação.

— Que bom que chegou, eu já não sabia o que fazer aqui sem você. – Yoongi sussurrou e Hoseok lhe deu um beijo rápido. – Seokjin está desolado e Namjoon até agora não deu notícias, eu vou matar ele.

— Calma, amor. Respire fundo. – Hoseok instruiu o esposo ao ver que ele já estava ficando nervoso. – Vai dar tudo certo, Namjoon é um médico ótimo.

— Eu sei que ele é, mas é essa demora e aflição que está me matando. – Yoongi falou e Hoseok tirou a sua gravata colocando ela em cima do seu palito e dando para o seu marido.

— Sente-se com Seokjin, se acalme okay? Vou ver como os bebês estão e ficarei aqui com você até Namjoon voltar com notícias. – Hoseok sorriu de maneira doce e passou por Seokjin, indo até o mais novo e beijando a testa do mesmo docemente. – Vai dar tudo certo, Jin.

— Obrigado, Hoseok. – Seokjin agradeceu dando um sorriso verdadeiro e terminando de beber o seu chá ao ver Hoseok se afastar em direção ao espaço reservado para crianças. — Hoseok é um grande homem, ele é um ótimo marido. – Seokjin falou para Yoongi que sorriu agradecido e segurou a mão do mais novo.

— Eu sei disso. – Yoongi olhou para o fim do corredor e mudou a sua feição rapidamente. — Se importa de ficar sozinho só um pouco? É que tem uma vadia tocando no meu marido. – Yoongi falou vendo uma enfermeira passar as suas mãos pelos os músculos evidentes de Hoseok naquela camisa branca social e o próprio Hoseok estava bastante interdito nas ações de seu filho para notar aquilo.

— Mostra quem manda. – Seokjin falou e Yoongi se levantou furioso indo até o seu marido.

Seokjin encostou as suas costas na cadeira e respirou fundo tentando juntar e organizar os seus pensamentos. Mas tudo ia para a cena de quando Seokjin estava na banheira de sua antiga casa cheia de sangue e o mesmo se esforçava para colocar os seus filhos no mundo.

“Força! ” – Ele conseguia escutar perfeitamente a voz de sua noona em sua cabeça que lhe ajudou naquele momento. “Força, meu filho. Está vindo. ”

Foi quando Taehy nasceu primeiro, aquela imagem era a mais bela do mundo para Jin... tirando o fato de que a sua bebê tinha nascido com uma pequena falta de ar que quase lhe levou a morte. Mas tudo ocorreu bem... estava ocorrendo bem, Seokjin devia ter sido mais atento talvez sua filha não estaria ali se ele tivesse feito isso.

— O que pensa? – A voz de Namjoon lhe tirou do seus pensamentos e o mais novo pulou da cadeira indo abraçar o mais velho. – Calma... sh...

— M-minha filha. – Seokjin não conseguiu terminar a frase e já estava chorando novamente, era tudo tão desesperador que ele somente tinha a imagem de quando Taehy nasceu naquela banheira misturada com água e sangue.

— Ela está muito bem, meu amor. Ela está bem e está dormindo agora. – Namjoon falou tranquilizando o mais novo que suspirou aliviado. – Vamos ao meu escritório, precisamos conversar.

Seokjin concordou e seguiu com Namjoon até o fim do corredor onde Yoongi faltava bater na enfermeira que estava assustado, Hoseok assistia tudo quieto enquanto Taejin coçava os seus olhinhos sonolentos e Minseok procurava um jeito de quebrar o colar de ouro do seu appa.

— Você não viu que ele é casado, sua vadia? Quer que eu desenhe? – Yoongi perguntou com raiva e a enfermeira negou.

— MinHee, por favor vá ajudar Seulgi. – Namjoon pediu e a enfermeira não demorou a concordar e sair dali apressada.

— Galinha não corre desse jeito, querida. Daqui a pouco sai voando. – Yoongi murmurou alto e se virou para Namjoon, abraçando o mais velho em seguida. – Céus! Como está Taehy?

— Você é muito bipolar quando está grávido. – Namjoon falou e Yoongi deu de ombros, Seokjin se aproximou de Hoseok e pegou o seu bebê, abraçando ele aliviado por tudo. – Ela está muito bem, agora vou com Seokjin no meu escritório explicar a situação da Taehy.

Yoongi concordou dizendo que esperava ali e Seokjin seguiu Namjoon, o mais novo beijava as bochechas cheinhas de seu bebê e cheirava o seu cheirinho único. Taejin também estava agarrado a Seokjin, os seus bracinhos gordinhos estavam ao redor do seu omma e constantemente gemia alguns ‘uhn’ ou ‘mama’ para o mais novo.

— Taejin também sentiu o impacto. – Seokjin falou entrando no escritório do mais velho e vendo ele pegar Taejin ansioso. – Ele tem uma ligação muito forte com a Taehy, mesmo sendo pequenino desse jeito.

— Eles são gêmeos, dividiram o útero e nasceram juntos. A ligação deles é muito forte. – Namjoon concordou com o mais novo e sorriu largo ao sentir Taejin lhe abraçar também. – Sente-se, amor. Vou começar a explicar o caso de Taehy.

— Espero que não seja muito grave. – O mais novo falou e Namjoon deu de ombros.

— Não é grave, mas também não é algo para deixarmos de lado. – Ele falou se sentando ao lado de Jin e arrumando Taejin em seu colo. – Taehy sofre de Síndrome do desconforto respiratório, ou popularmente chamado de afogamento seco. Isso ocorre quando falta oxigênio para o cérebro, você tinha me falado que Taehy tinha nascido com problemas respiratórios. Bom, posso dizer que isso evoluiu para uma espécie de trauma.

— Trauma? – Seokjin perguntou preocupado e Namjoon sorriu.

— Calma, deixe-me terminar. – Quando Namjoon ia falar novamente, Taejin começou a chorar e a pedir por Jin. O mais novo pegou o seu filho e rapidamente ergueu o seu moletom deixando o seu filho colocar a boca em seu peito e mamar à vontade o restante de leite que lhe sobrava. – Continuando, isso ocorre quando por exemplo, um garoto se afogou, mas foi resgatado, cinco dias depois ele reclama de dores intensas e vai para o hospital onde morre. Ele morreu porque ainda tinha água em seu pulmão e isso dificultava que o oxigênio fosse para o cérebro. Também pode evoluir para um trauma, quando uma pessoa sofre um afogamento e fica traumatizada com aquilo, quando ela vê uma piscina ela começa a se desesperar, é quando o seu pulmão se enche de água e com isso ocorre o afogamento seco.

— Quer dizer então, que Taehy tem uma espécie de trauma? – Seokjin perguntou confuso e Namjoon concordou.

— Exatamente, mas como ela é novinha ainda vai ser bem mais fácil o seu tratamento. – Namjoon tirou o seu jaleco e observou Taejin mamar enquanto brincava com a borda do moletom rosa. – Taehy se assustou quando virou dentro da banheira...

— E os seus pulmões se encheram de água. – Jin falou com um pesar na voz. – Tirou a água dela?

— Sim, e agora ela vai precisar ficar no oxigênio por um tempinho e tomar duas bolsas de soro. – Namjoon beijou a bochecha do mais novo ao ver que ele estava ficando menos tenso. – Amanhã ela já pode ter alta.

— Obrigado. – Seokjin falou sorrindo para o mais velho agradecido. – Salvou a vida da nossa filha.

— É a minha obrigação como pai. – Namjoon falou rindo e beijando o mais novo rapidamente. – Estava pensando em ir a sua casa rapidamente falar com o cara da mudança e pegar uma muda de roupa para você. Seulgi vai ficar com Taehy e você pode ficar no quarto o tempo que quiser. – Namjoon falou e o mais novo sorriu agradecido.

— Obrigado, eu amo você. – Seokjin falou tirando Taejin de seu peito ao ver que ele tinha dormido.

— Eu te amo mais. – Namjoon beijou o mais novo novamente e se levantou ajudando o outro em seguida. – Vá ficar com a nossa filha, o quanto antes eu for melhor será.

[•••]

Namjoon conversava com o dono do caminhão de mudança prometendo a ele pagar o dobro se ele voltasse no dia seguinte. O velho rabugento concordou e saiu sem dizer mais nada, o médico entrou na casa do namorado exausto e logo caminhou até o quarto deles afim de pegar uma roupa para o mais novo. Ele também pegou o travesseiro e um cobertor para ambos, pois Namjoon dormiria aquela noite com Jin no hospital, ajudando ele e a sua filha o máximo que pudesse. Foi mexendo em algumas caixas que Namjoon encontrou algo intrigante, era uma caixinha de veludo e a mesma estava trancada, mas o cadeado estava velho demais, então Namjoon apenas moveu o cadeado e o mesmo se abriu fazendo com que a caixinha abrisse junto. Dentro dela tinha um CD e uma carta por cima, Namjoon pegou a carta vendo que o papel estava amarelado mostrando que fazia muito tempo que ele estava ali.

“Querido Seokjin...”

Namjoon parou ao ver que aquilo era uma carta de amor e a mesma estava escrita em inglês, seguida de alguns versos em mandarim. Namjoon passou a mão em seu rosto em um gesto de pura frustração, o mais velho continuou lendo apenas as partes em inglês, já que era bem fluente na língua.

“Amo você... O seu ‘sim’ mudou tudo... seu sorriso... você é a minha motivação para tudo. ”

Namjoon parou de ler ao ver que tudo aquilo continuava em mandariam, suspirou zangado sentindo o seu peito se encher de ciúmes e raiva. Aquela carta pertencia ao pais dos seus filhos com Seokjin e talvez o ex-namorado dele. A sua raiva era ao ver que aquilo era uma carta ao mais novo, uma carta cheia de mentiras e ilusões aos olhos de Namjoon. Em um momento de raiva o mais velho pegou o CD dentro da caixinha e se assustou em seguida.

Era uma fotografia. Uma fotografia do homem que odiava abraçado a Seokjin. Ali estava ele, o homem que Namjoon odiava sem nunca ter ouvido falar dele ou ter visto ele, mas agora ele estava ali, em forma de fotografia. Ele tinha os seus braços ao redor da cintura de Seokjin enquanto o mais novo tinha os seus braços ao redor de seu pescoço, o sorriso de Seokjin era tão largo e verdadeiro que Namjoon pela a primeira vez temeu pelo o seu relacionamento. Temeu que o amor que o mais novo sentiu por aquele homem fosse mais forte que o atual amor deles. E em falar daquele homem ele também tinha uma face feliz, ele sorria para a câmera enquanto abraçava Seokjin. O sem tom de pele era um pouco escura como a de Namjoon, os seus cabelos eram em um tom platinado e ele parecia bem forte e alto.

— Finalmente te conheci. – Namjoon murmurou olhando para aquela face com ódio.

Abriu o CD vendo que dentro tinha uma outra mensagem, só que em coreano dessa vez.

“Me desculpe, sei que esse foi o presente mais simples que te dei, mas é o que possui mais significado. Toda vez que se sentir triste por minha causa, escute esse CD pois ele foi feito com o meu maior amor. Eu te amo, Seokjin. Eu te amo muito e nunca em minha vida o meu desejo foi ou é te magoar, tanto que estou escrevendo essa nota em hangul, a sua e a minha língua nativa. Eu amo você e o nosso filho, que ainda nem nasceu, mas já é amado. Sabe qual foi a minha reação de ter descoberto que seria pai? Eu me senti o homem mais feliz do mundo, pois eu consegui fazer em você uma prova do nosso amor, depois me senti culpado, pois eu queria ter estado lá quando tinha feito o exame. Me perdoe, Seokjin. Você sabe o quanto eu te amo e me desculpe, espero que o nosso bebê de um mês de vida também me perdoe, ele deve achar que sou um péssimo pai. Me desculpe, meu bebê. Prometo ser o melhor pai de toda a sua vida.

Assinado: o homem da sua vida. ”

— Quem é você? – Namjoon perguntou sentindo as lágrimas escorrerem pela a sua bochecha. – Eu não vou deixar que você tire o Jin de mim. Dessa vez, eu sou o homem da vida dele.

[•••]

Seokjin estava alisando a mão pequena de sua bebê que ressonava tranquila, quando Taehyung entrou no quarto carregando um urso enorme em seus braços. O mesmo tinha o nariz vermelho de tanto chorar e caminhou até a pequena cama ansioso.

— Como ela está? – Ele perguntou preocupado e Seokjin sorriu.

— Está bem, apenas dormindo.

Minjae vinha atrás carregando vários balões cor de rosa e outros presentes. O mais novo revirou os olhos olhando para eles vendo que não tinha como mudar Taehyung e Minjae, desde que Seokjin descobriu a sua gravidez ambos vinha mimando ele. Taehyung era um tio babão que sempre queria estar ao lado de seus sobrinhos, já Minjae fazia o papel de melhor amigo de Seokjin e também o papel de tio. O seu melhor amigo largou os balões e correu até Seokjin onde Taejin dormia em seu colo, Minjae fez questão de acordar ele e ganhar um olhar furioso de Seokjin, mas o mesmo não se importou muito, ele tinha passado muito tempo longe dos sobrinhos e queria mais do que tudo matar as saudades.

— Se você tivesse em Hong Kong ainda... – Taehyung fungou limpando as lágrimas que escorriam. – Ela estaria bem.

— Namjoon disse que ela está bem, não me culpe. – Seokjin falou e Taehyung franziu a testa.

— Quem é Namjoon? – Ele perguntou e Seokjin sentiu a sua garganta ficar seca, o mais novo deu a volta na cama de sua sobrinha e se ajoelhou de frente para Jin. – Quem é Namjoon?

— Tae... – Jin murmurou puxando o mais novo para um abraço ao sentir que ele cairia em mais um pranto.

— Você me esqueceu, você fugiu e me abandonou. – Taehyung gritou abafado e Seokjin sentiu as suas lágrimas já virem. – Você nunca iria voltar, você abandonou o hyung e me abandonou! Abandonou todo mundo para viver aqui!

— Taehyung! – Seokjin gritou olhando para Taehy temendo ter acordado ela. – Você sabe o porquê de ter fugido, eu não aguentava mais... – Seokjin se entregou ao choro. – Você não estava vendo o quanto eu estava sofrendo?

— O hyung te ama. – Taehyung falou desesperado. – Ele jurou isso para mim, ele andou como um louco no dia em que você sumiu, eu nunca vi ele daquele jeito.

— Taehyung. – Foi a vez de Minjae falar. – Eu concordo plenamente com o Seokjin. – Assim que o mais velho entre eles falou o loiro arregalou os olhos e se levantou encarando o noivo perplexo. – O Tae-hyung nunca mereceu Seokjin... no começo sim, mas depois ele mostrou a sua real face.

— Está falando do meu irmão. – O loiro falou magoado e Seokjin sentiu o seu interior sangrar quando o mais novo começou a chorar. – Está me dizendo que o meu próprio irmão, sangue do meu sangue, mentiria para mim? – Taehyung se virou para Seokjin. – Sua mãe está louca, Jin. Ela enlouqueceu quando você foi embora, ela passou todos os últimos meses se culpando pensando que tudo foi culpa dela.

— Minha mãe? – Seokjin perguntou chocado e Minjae negou se aproximando e passando a mão pelas costas do mesmo. – Não mintam para mim!

— Sinto muito, Jin... não queríamos que tivesse descoberto assim. – Minjae entregou Taejin para Seokjin e se virou para Taehyung. – Não fique falando essas coisas para Seokjin no momento mais difícil dele. Ele errou? Sim, mas você também. Estamos nós três no mesmo barco, nós três fugimos de Hong Kong e sabemos que foi quase pelo o mesmo motivo.

Taehyung suspirou assentindo e indo até o noivo, abraçando ele em seguida e fungando. O loiro foi até Seokjin e abraçou ele, pedindo várias vezes desculpas e perdão.

— Eu ainda estou sensível... – Taehyung falou e beijou a bochecha de Seokjin. – Não me deixe, hyung.

— Eu nunca abandonaria você, Tae. – Seokjin limpou as lágrimas e arrumou Taejin em seu colo que já estava ficando emburrado. – Eu sabia que vocês iriam me encontrar... ou ele. Mais cedo ou mais tarde, vocês iriam me encontrar. – Ele sorriu se levantando. – Só que antes eu estava fadado a ter a minha vida manipulada novamente, mas eu conheci alguém...

— Namjoon? – Taehyung perguntou fazendo um bico fofo em seus lábios e fazendo Seokjin rir.

— Sim, ele. Ele me deu uma nova chance, e eu aprendi com ele que eu não devia mais deixar ninguém manipular a minha vida. – O mais novo se virou para o leito em que sua filha dormia. – Mesmo que tenha acontecido algumas coisas, eu sei que se não tivesse acontecido eu nunca teria amadurecido. Perdi minha infância, adolescência e juventude. Estou feliz em ver que estou conseguindo recuperar tudo.

— Eu vejo isso em seus olhos. – Minjae falou sorrindo. – Eles brilham de uma forma que me deixa com inveja, meus olhos só vão poder brilhar assim novamente quando eu finalmente levar o Taehyung para o altar.

— Essa conversa se tornou tão melosa. – Taehyung riu contagiando todos ali ao redor.

Alguém bateu na porta e Seulgi entrou sorrindo para todos ali.

— Vou precisar trocar o soro de sua filha, se quiser pode ir comer algo enquanto fico aqui. – Ela sugeriu e Seokjin mordeu o seu lábio receoso.

— Ele vai sim! – Taehyung falou animado. – Do jeito que te conheço, aposto que não comeu nada. Venha logo. – Taehyung saiu puxando Seokjin que bufou ao ver que Minjae ajudava ele.

— Eu já volto. – Seokjin falou e Seulgi concordou.

[•••]

Jennie entrou no quarto do paciente sorrindo docemente ao ter o olhar de Seulgi em si. A médica lhe encarou confusa e a enfermeira se aproximou.

— A paciente do quarto treze deseja vê-la. – Falou e Seulgi suspirou.

— Eu já volto, ajuste o soro dela, por favor. – Seulgi pediu e Jennie concordou vendo a médica sair do quarto e lhe deixar sozinha. A enfermeira rapidamente fez o seu trabalho e olhou para o corpo do paciente, foi quando a mesma notou que era a filha de Seokjin e a mesma estava acordada lhe encarando.

— Você é tão parecida com seu omma. – Jennie falou para a bebê que sorriu sem entender nada e irritada com o soro ligado em seu bracinho. – Eu odeio isso, olhar para você é mesmo que ver Seokjin.

A bebê continuou sorrindo sem entender nada e mostrando os dois dentinhos que tinha. Jennie sorriu se aproximando da maca e aproximando o seu rosto daquele bebê.

— Você não devia ter aparecido aqui naquele dia. – Jennie falou ainda encarando o bebê. – Eu não devia desejar isso, mas eu desejo que você tivesse sumido naquela noite. Eu devia ter tirado você daqui e devia ter expulsado Seokjin. Assim ele nunca teria conhecido Namjoon e eu teria uma chance.

Jennie viu a bebê soltar uma risada e em seguida se mexer querendo tirar a agulha do seu braço. Jennie sabia que devia parar ela antes que a agulha quebrasse na veia da bebê, mas a mesma estava cega de ciúmes de ódio vendo a imagem de Seokjin no rosto do pequeno bebê. Foi quando a porta se abriu revelando Seokjin com o pequeno Taejin no braço, quando o mais novo viu a mulher no quarto de sua filha sua feição mudou rapidamente.

— Jennie. – Falou o nome da enfermeira com um gosto amargo na boca. A mesma fez uma reverencia para Seokjin e sorriu falsamente.

— Olá, sr. Kim. – Ela juntou as suas mãos e encarou Seokjin de cima a baixo. – É sempre bom vê-lo. – A ironia estava em um tom forte em sua voz.

— Gostaria de poder dizer o mesmo. – Seokjin falou entrando no quarto e fechando a porta. – Mas eu apenas sinto pena quando lhe vejo.

— Somente porque o senhor está transando com o Namjoon pensa que tem algum tipo de autoridade por aqui, — Ela se aproximou de Seokjin e sorriu de lado. – Temo dizer que o senhor está muito enganado.

— Primeiramente; eu sou o namorado de Namjoon e enquanto eu estiver aqui nesse hospital com a minha filha, eu tenho autoridade sim. – O mais novo colocou Taejin em cima da cama, o bebê sorriu alegre em ver a irmã e engatinhou para perto da mesma com saudade. – Depois, quem lhe deu a permissão de entrar no quarto da minha filha?

— Permissão? – Jennie perguntou soltando uma risada em seguida. – Foi a Seulgi, ela foi atender outro paciente.

— Eu não quero você perto dos meus filhos, de mim ou do Namjoon. – Seokjin viu que a mesma inspirava rapidamente, controlando a sua raiva. – Eu sinto o seu ódio por mim, e enquanto não vê que o Namjoon não quer nada com você-

— Eu não vou ficar aqui escutando merda de um garoto de dezenove anos. – Jennie gritou segurando o braço de Seokjin e cravando as suas unhas ali. – Eu tenho mais o que fazer do que discutir com uma criança. Se me der licença-

— Não, eu não! – Foi a vez de Seokjin gritar e tirar o seu braço da mão da cobra. – Agora você vai me escutar e vai me engolir! Você não sai desse quarto enquanto eu não falar tudo que está entalado. Você pensa que eu sou o inimigo aqui, e está certa. – Seokjin sorriu vendo a enfermeira praticamente bufar de raiva. – Mexa com quem eu amo e vai conhecer a minha pior face.


Notas Finais


CHEGOU A MELHOR PARTE EVEEEER DA FANFIC! A PARTE EM QUE O SEOKJIN COMEÇA A SER UMA NAJAAA! SOCORRO TO AMANDO MUITO TUDO ISSOOO!

Enfim, chegamos na parte da fanfic em que os mistérios vão começar a se resolver.

Taeyang ou Taemin? Vi essa treta nos comentários e me da agonia pq eu não posso comentar nada rsrs

Você podem estar certos... Ou errados... Não sei :)

ESPECIAL 2K DE FAV: eu estava pensando em lançar um video dance cover para comemorar os 2000 mil favoritos (quando chegar lá claro) por isso preciso da ajuda de vcs.
#DanceCover ou #CapituloEspecial

Por favor comentem, eu preciso saber o que vcs querem! Tudo isso é para vcs amores.

Estou indo, prometo voltar logo :) fiz o meu vestibular hoje e estou segura. Beijooos amo vocês (◍•ᴗ•◍)❤

ⓐⓜⓞ ⓥⓞⓒⓔⓢ ⓜⓔⓤⓢ ⓑⓔⓑⓔⓢ


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...