História My Angel - Capítulo 23


Escrita por: ~ e ~idksuckers

Postado
Categorias Barbara Palvin, Cameron Dallas, Chaz Somers, Cher Lloyd, Cody Simpson, Dylan O'Brien, Francisco Lachowski, Justin Bieber, Ryan Butler
Personagens Barbara Palvin, Cameron Dallas, Chaz Somers, Dylan O'Brien, Jaxon Bieber, Jazmyn Bieber, Jeremy Bieber, Justin Bieber, Pattie Mallette, Ryan Butler
Tags Drama, Escola, Família, Festa, Luta, Novela, Romance, Shoujo Romântico, Violencia
Visualizações 659
Palavras 2.069
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Luta, Mistério, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Heyy anjos aqui está mais um capitulo, espero que gostem.
NÃO SE ESQUEÇAM DE VER AS NOTAS FINAIS ♥ ♡ ♥

Capítulo 23 - Amnesia


Fanfic / Fanfiction My Angel - Capítulo 23 - Amnesia

Justin’s Pov On

Acordei assustado com a respiração acelerada, olhei para o lado e vi Mary dormindo. Eu estava naquele hospital horrível e nada disso era um sonho. Pisquei algumas vezes, me acostumando com a luz forte daquela sala. Emma estava na cama de hospital, parecia um anjo. Passei todas as noite aqui depois da notícia que o médico deu à nós. Emma estava inconsciente fazia uma semana, ninguém saberia quando ela iria acordar, ou se até mesmo ia acordar. Naquele momento senti que nada valia mais a pena, tinha feito aquilo com ela. E não tinha como me perdoar se ela não acordar.

—Hey dude.— percebi o pouco ânimo na voz de Chaz ao entrar naquela sala. 

Ele costuma ser a alegria de todos, sempre gritando e fazendo todo mundo rir com as suas idiotices; neste momento ele não era tudo isso, dava pra ver a tristeza no seu olhar. Fui o seu encontro, abraçando-o involuntariamente.

Nossa justin que coisa mais gay.

Não era de mim, mas ele precisava, e eu sei que lá bem no fundo eu também estava precisando.

Me sentei na cadeira que estava bem encostada a cama de Emma, fiquei admirando sua beleza, ela era única, me irritava muito, deixava-me puto da vida, mas também era a única que eu conseguia suportar e que conseguia meter um sorriso na minha cara, a única que me fazia ver o mundo de uma forma não tão obscura como realmente é. Segurei minhas lágrimas forte e suspirei não tirando meus olhos dela.

— Ela é forte, vai aguentar. Essa garota não nos vai deixar, tenho certeza.— olhei para Chris tentando encontrar o conforto que ele me queria passar, porém foi em vão, eu sabia muito bem que algo estava errado com ela e que era tudo minha culpa. Todo esse sofrimento em sua volta era minha culpa.

— Justin…— senti a mão de Mary em meu ombro.— Vai pra casa, tomar um banho, ela fica bem, você precisa de apanhar ar, tem horas que você está aqui.— assenti a olhando uma ultima vez e me levantei.

Passei por todos aqueles corredores até chegar lá fora. Entrei no carro, suspirei deitando minha cabeça sobre os braços, e logo sai voando pra casa. Cheguei rápido, joguei as chaves num canto, subi correndo direto ao banheiro.

Eu não acredito nessa treta de amor; amor só serve pra gente sofrer. Porém todo mundo sabe que não fomos feitos para estarmos só toda a vida, se você está sofrendo por amor, ou você está com a pessoa errada, ou  está amando de uma forma ruim. Eu estava começando a ter sentimentos pela Emma, mas tudo me dizia que era errado. Eu apenas causo sofrimento em todo mundo, sou feito pra ficar sozinho, não ser amado nem saber amar. Cada dia que passa, perco-a aos poucos. Queria aproveitar cada segundo ao seu lado, queria ver o seu sorriso todos os dias. Eu a desejo desde primeira vez que a vi. Como nunca desejei ninguém. Mas quando tudo parecia estar indo bem, tudo parecia estar melhorando, agora tudo parece estar desmoronando. E cada vez mais, eu tenho certeza que não nasci pra amar. 

Me livrei de meus pensamentos, sai do banheiro me dirigindo pro closet. Vesti rapidamente e logo sai de volta pro hospital. Ficamos lá por um tempo conversando esperando alguma notícia. Estava todo mundo conversando, tentando se animar uns aos outros e passar um pouco de esperança, até que se ouve um barulho vindo da cama. Corri pra lá, e peguei sua mão. Seus olhos começaram abrindo, ela tinha acordado.

— Emma? Emma tá me ouvindo?— digo a olhando.

—Onde eu estou?— perguntou, tentando levantar porém a impedimos.

—Calma senhorita Palvin, não faça esforços. Teve um acidente muito grave.— o médico logo entrou e a examinou.— Muito bem, está sentindo alguma dor específica?— a mesma negou com a cabeça.

—Alguém me pode explicar o que está acontecendo?Como assim... acidente?— emma indagou olhando a todo mundo de uma forma estranha.

— Você teve um acidente com carro, saiu correndo e foi atingida. Ficou inconsciente durante uma semana.— disse, Chris. 

Ela ficou sem perceber muito bem, olhando pra si mesma, com a boca aberta num perfeito “O”.

— Bem, parece que tudo está bem, que nada de mal aconteceu com você, iremos fazer apenas alguns exames e será liberada hoje. — sorriu o médico.

— Emma.. eu... me desculpa.. eu fui um idiota.— abaixo a cabeça, desapontado com minhas ações.

— Tudo bem.— disse sorrindo torto. — Mas... quem é você?

Senti meu mundo cair, ela não lembrava de mim, senti meu coração apertar e minhas pernas falharem.

— Emma você não lembra ele?— o doutor, que estava prestes a sair, voltou.

— Lembra de mim? — mary se aproximara também. 

Se notava um pouco de medo de Emma não se lembrar, afinal uma pessoa vive memórias com você e apenas num fechar de olhos você deixe de ser alguém pra ela, apenas um vazio.

— Claro idiota.— sorriu.

Vê-la feliz é de tirar meu fôlego, poder voltar a ver seu sorriso. A mesma foi apontado para todos.

— Chaz, Chris, Mary, Jack e... esse rapaz eu não conheço.— falou me olhando confusa.

— Me parece que você tá sofrendo de amnésia, talvez temporário, talvez não. Iremos avaliar tudo isso.— balbuciou o médico, apontando algo em seu caderno.— Vou deixar vocês conversarem. Com licença.— o mesmo sorriu e saiu. 

Olhei-a e ela me encarava tentando decifrar quem era eu. Sai correndo sem falar nada, até chegar a meu carro, dirigindo sem rumo.

Eu ainda não tava acreditando que Emma não lembrava mais de mim. Queria voltar atrás no tempo e aproveitar cada momento que tive ao seu lado. Poder abraçá-la, tratá-la bem, como merece. Fazer se sentir especial, dizer que seu olhar me prende. Mas será que me perder, seria realmente uma perda? Talvez fosse melhor ela não lembrar de mim, afinal todo seu sofrimento era minha culpa. Talvez ela encontre alguém que a trate do jeito que eu deveria. Dar carinho como nunca dei, dizer que é linda toda vez que sorri. Talvez fosse melhor assim. Me arrependo de não dar valor.

Queria dizer que seria mais fácil me esquecer pra sempre e seguir em frente, porém isso me custa, eu não quero a longe de mim, não quero não poder ver mais seus sorriso, não quero deixar de vê-la bravinha quando eu sou rude, não quero deixar de ouvir sua voz me chamando de “Bieber”, ou até mesmo quando me chama de “idiota”, eu não quero que me esqueça, pois eu não vou conseguir esquecer.  

Tinha uma coisa nela que eu admirava muito, na verdade, tinha milhares de coisas nela que eu admirava mas nunca fui capaz de dizer. Tirando o fato de ser linda, seus olhos que iam de encontro com os meus cada vez que ela sorria, seu sorriso era o mais perfeito de todos, seu jeito tímido, mas nunca deixando de me contrariar, suas mãos tão pequenas perto das minhas, seus leves toques, seus abraços aconchegantes que me abraçavam enquanto dormia, e sua voz… sua doce voz.

Mas de tudo isso, nada poderia ser meu, e só me tenho eu para culpar disso. Talvez tenha resolvido todos seus problemas. Quando uma pessoa é importante demais para você, a única imagem que quer mostrar para ela é a de que você é perfeito. E eu não fiz nada disso, sempre lhe mostrei o pior, e a fiz sentir um ninguém. Talvez porque eu não saiba que o sentimento que tinha era real, mas não justifica. Ou talvez tivesse medo de me machucar de novo. Talvez nosso destino fosse esse. Eu a perdi. Resta saber se era pra sempre.

Cheguei em meu apartamento e me dirigi pro escritório trancando a porta atrás de mim. Abri minha gaveta tirando de lá um copo e minha bebida predileta, toda vez que eu precisava ela era minha companhia pra me fazer esquecer tudo, pelo menos por um tempo.

 

Emma’s Pov On

Fiquei conversando com todo mundo e rindo das palhaçadas de Chaz, até que todos foram embora e só ficou Mary. Estava demasiado confusa. Como assim eu tive um acidente?! Não estava entendendo nada. E aquele garoto de olhos cor de mel? Quem era ele?  Pareceu ficar bastante abalado. Será que ele é meu amigo? Da minha família? Ou será... meu namorado? Eu olhava pra ele e não recordava nada, é como se eu nunca tivesse o visto, um desconhecido. Por que eu não lembro ele? Ele era bem gatinho.Porém o mais estranho ainda é que eu reconheci todo mundo menos ele, eu queria saber quem era.

Ok emma você acabou de acordar de um acidente por favor mantenha a calma, seu coração não aguenta tudo isso.

— Emma?— mary me chamou, tirando de meus pensamentos. 

— Hum?— resmungo, prestando atenção nela. 

— Tô feliz que você acordou, puta.— histérica me abraçou, dando pulinhos.

— Porra, Mary, está me sufocando.— disse tentando livrar-me de seus braços.

— Foi mal. Só estou contente que você está bem.

— É, deve ser.— falei revirando os olhos, a mesma riu.

— Você não lembra mesmo nada dele? — a encarei suspirando.

— Quem?— perguntei confusa.

— O garoto que estava aqui á pouco. 

— Não.—  murmuro cabisbaixa, olhando minhas mãos.— Você sabe quem ele é?

— Sei, porém prefiro que seja ele contando pra você.— sorriu torto.

— Mas e se não quiser mais me ver? Ele saiu daqui voando.

— Gostava mesmo de lhe poder contar, mas vamos com calma, você acabou de acordar e ainda não teve alta, o médico disse que a perda de memória podia ser temporária, mas que não podemos forçar nada.

— Eu não entendo. Por que não me conta, porra? — exaltei-me.

—Emma... tenha calma. Ele virá procurar você. Te prometo.— sorriu, com isso suspirei, não acreditava depois de vê-lo fugir daqui, mas só me restava esperar.

Confesso que não acreditava nisso depois de ver ele fugir daqui,eu queria saber porque ele parecia tão abalado por eu não lembrar ele, eu apenas queria saber quem era aquele rapaz que fez meu olhar prender no dele mesmo sem saber quem ele era, mas só me restava esperar.

 

***2 Semanas Depois***

Justin’s Pov On

—Bizzle você tem que parar com essa merda.— disse Chaz tacando o cigarro que eu tinha na minha mão.

—Alguém perguntou o que eu tenho ou não que fazer?— o mesmo se manteu sério.— ENTÃO CALA A PORRA DA BOCA E VAI TOMAR NO CU.— tornei a pegar o cigarro.

— Faz dias que você não sai daqui mano, fica ai bebendo e fumando, se destruindo.— disse Chris.

— É meu babysitter agora?

— CALA A BOCA PORRA, NÓS TAMOS TENTANDO AJUDAR VOCÊ, NÃO TA ENTENDENDO?— Ryan gritou me fazendo o olhar surpreso.

Ryan sempre me dava os melhores conselhos e me mostrava que eu era um babaca, mas nunca vi ele falando daquele jeito, ainda pra mais sobre a Emma e isso me deixou surpreso.

— Faz dias que não sai, trás vagabundas todos os dias pra casa e fica ai transando com tudo que mexe, fuma tudo que pode, tá bêbado todo tempo, e perdemos a merda do nosso carregamento por sua causa.— bufou.— Não to pedindo pra você ficar ai pulando de alegria por emma não lembrar você, até porque tou nem ai pra ela. Mas você é meu melhor amigo cara, to farto de ficar sentado e ver você estragando sua vida mais do que ela já está por outra garota.— o mesmo saiu batendo com a porta.

— Ele é um babaca as vezes, mas falou o que você tava preciando de ouvir.— disse chaz me olhando feio.—  E Emma também não merece que jogem com seus sentimentos.

Todo mundo saiu ficando só eu e meus pensamentos. Me levantei levando tudo á minha frente, destruindo tudo que via sem aguentar as lágrimas, por mais que eu tentasse esconder meus sentimentos era impossível afinal eu também sou humano. Eu ainda não tinha coragem de falar pra ela quem eu sou. Jurei que nunca mais iria sofrer por uma garota e olhe pra você Justin se arruinando por uma garota que nem lembra quem você é. Sinto que tudo que fiz foi errado, podia ter emma comigo, podia chamar ela de “minha”, mas decidi ser um completo idiota e orgulhoso pra caralho e estragar tudo.

 Tentar e falhar é pelo menos aprender. Não chegar a tentar é sofrer a inestimável perda do que poderia ter sido e esse foi meu maior erro, agora talvez eu tenha perdido ela, talvez para sempre. 


Notas Finais


Não se esqueçam de deixar seus comentários pois ajuda MUITO!
Obrigada anjos e espero que tenham gostado! ♥ ♡ ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...