História My Angel - Capítulo 37


Escrita por: ~ e ~idksuckers

Postado
Categorias Barbara Palvin, Cameron Dallas, Chaz Somers, Cher Lloyd, Cody Simpson, Dylan O'Brien, Francisco Lachowski, Justin Bieber, Ryan Butler
Personagens Barbara Palvin, Cameron Dallas, Chaz Somers, Dylan O'Brien, Jaxon Bieber, Jazmyn Bieber, Jeremy Bieber, Justin Bieber, Pattie Mallette, Ryan Butler
Tags Drama, Escola, Família, Festa, Luta, Novela, Romance, Shoujo Romântico, Violencia
Visualizações 475
Palavras 2.329
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Luta, Mistério, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


♡ ❤ ♡ ♡ ❤ ♡ ♡ ❤ ♡ ♡ ❤ ♡ ♡ ❤ ♡ ♡ ❤ ♡ ♡ ❤ ♡ ♡ ❤ ♡
⬇⬇⬇⬇NOTAS FINAIS NOTAS FINAIS NOTAS FINAIS⬇⬇⬇⬇⬇
⬇⬇⬇⬇NOTAS FINAIS NOTAS FINAIS NOTAS FINAIS⬇⬇⬇⬇⬇
⬇⬇⬇⬇NOTAS FINAIS NOTAS FINAIS NOTAS FINAIS⬇⬇⬇⬇⬇
⬇⬇⬇⬇NOTAS FINAIS NOTAS FINAIS NOTAS FINAIS⬇⬇⬇⬇⬇
⬇⬇⬇⬇NOTAS FINAIS NOTAS FINAIS NOTAS FINAIS⬇⬇⬇⬇⬇
♡ ❤ ♡ ♡ ❤ ♡ ♡ ❤ ♡ ♡ ❤ ♡ ♡ ❤ ♡ ♡ ❤ ♡ ♡ ❤ ♡ ♡ ❤ ♡

Capítulo 37 - Confessions


Fanfic / Fanfiction My Angel - Capítulo 37 - Confessions

- "Desse jeito eu mandava embora essa merda de sentimento desde o dia que percebi que eu anseio que você seja minha."

Emma’s Pov On

Meu coração bateu mais depressa e minha mãos soavam frio.

— Sua? Justin, você vive me usando pra satisfazer suas “necessidades”... — dei enfâse na ultima palavra enquanto o mesmo me encarava atento.— ... e depois me tratando como se eu fosse lixo. Você demonstra que o que sente por mim é nojo, ódio ou até mesmo indiferença depois que me usa pra ter o que quer. Porque você age assim? — senti um nó se formando em minha garganta e minhas mãos soarem frio, ele abaixou sua cabeça.

— Porque eu não sei lidar com isso que estou sentindo.

— Como assim? — tirei meus pés da água me sentando na sua frente, virei todo meu corpo agora o encarando por completo com minhas sobrançelhas erguidas.

— Eu acho...er... — ele respirou fundo hesitando, tal como eu tinha feito, tirou seus pés da água se virando pra mim e colocou suas mãos em torno de minha cintura me chegando mais perto dele, me colocando no meio de suas pernas. — Eu me apaixonei por você.

— Eu devo estar delirando. Isto é um sonho? Porra... — comecei beliscando meu braço devagar, e logo ele riu e tirou a minha mão a segurando, entrelaçando nossos dedos.

— Não, você não está delirando. — ele riu abafado e logo me encarou de novo, coçou a nuca. — Você é a garota mais chata que eu conheci, e a única que sabe me deixar puto e lidar comigo ao mesmo tempo. — sua mão tocou minha bochecha colocando a frecha de cabelo que teimava em cair, atrás da minha orelha e começou fazendo carinho.

— Não é que você mereça, sem...— revirei os olhose logo ele me cortou, pude sentir seus lábios se encontrando com os meus e não pude resistir, ele começou me beijando lentamente, mas era um beijo diferente, parecia que ele me estava beijando com...carinho? Envolvi meus braços em torno do seu pescoço fazendo carinho nos seus cabelos, enquanto ele me apertava pra mais perto de si, paramos o beijo e logo olhei naqueles olhos cor de mel. — Eu nunca pensei que você fosse sentir algo por mim. — parei uns segundos e logo continuei. — Eu nunca pensei que você senti-se. — o mesmo riu me fazendo rir também.

— Nem eu. — disse sorrindo fraco. — Mas você continua sendo insuportável.

— E você continua sendo um idiota. — o encarei com os braços cruzados.

— Eu gostava de tentar... — ele apenas falou isso deixando a frase no ar.

— Tentar? Tentar o que? — sou lerda mesmo.

— Você só complica minha situação, eu estou aqui feito idiota falando essas baboseiras e você não ajuda. — o mesmo bufou me fazendo rir pela sua pouca paciência, ou até mesmo nehuma paciência. — Tentar ter algo sério com você. — meu olhar foi de encontro ao dele em segundos, meu coração batia tão depressa que estava apostando que se podia notar, engoli em seco e encarei minhas mãos que agora estavam entrelaçadas nas dele. — Posso não ser o cara certo, mas sei que você é a garota certa pra mim. Você me ensinou como é sentir isto... de sentimentos, eu já senti obvio, eu não me tornei esta pessoa do nada, mas você me ensinou a sentir intensamente. — ele parou tomando ar e continuando. — Eu vou fazer merda. Vou magoar você, vou ser rude, vou gritar. Eu só peço que tenha paciência. Eu só peço que me ensine a fazer com que o que você sente por mim seja recíproco. — meus olhos se arregalaram. — Eu sei, você não merece um merdão como eu. — ri da sua tentativa de se fazer de coitadinho.

— Eu estaria mentindo se falasse que não sinto nada por você, mas eu sinto, acho que todo mundo notou. Mas você também me magoou muito mesmo sem termos nada, e eu tenho medo de seguir em frente com isso... — disse apontando pra nós os dois. —... e de passar por isso de novo.  Ambos sabemos que você quer vadiagem e come tudo o que vê á frente, porquê isso tudo por mim? — eu realmente queria que ele fosse meu, mas também queria aquela resposta mais que qualquer coisa neste momento.

— Você sabe o que é estar fodendo com outra vadia e pensar noutra pessoa, ou seja, não conseguir fazer o o trabalho, perdendo uma boa foda? É vergonhoso e rídiculo, pois eu só consigo pensar em você, droga. —não me contive e acabei rindo mais alto do que esperado, imaginando ele com as suas vadias e seu amiguinho sem trabalhar, era merecido. O mesmo me olhou sério me repreendendo por tal ato, então logo decidi parar e ouvir o que ele tinha pra falar.— Pessoalmente... devido ao meu passado eu sou fã de ignorar problemas como sentimentos  idiotas como este, até que enventualmente ele desapareça. Mas com você isso não resultou. Só piorou minha situação. Você sabe bem que eu sou orgulhoso pra porra, e que não abro disso por ninguém nem por nada, mas tou fazendo uma exceção por você. Eu sei que sinto algo mas que não sei como lidar com isso sem ter você do meu lado. — o mesmo negou com a cabeça rindo abafado. — Isso é meu broxante, mas se eu não fizesse alguma coisa eu sinto que iria virar um louco.

— E você não é? — disse piscando o olho, o que o fez soltar uma gargalhada gostoso.

— Você tem um ponto. Mas eu quero que todos os babacas que ficarem olhando sua bunda toda vez que saimos, saibam que você é de Justin Drew Bieber enquanto eu agarro sua bunda, que só eu poderei agarrar.— suas mãos foram de novo ao encontro de minha bunda enquanto eu sussurei um “ filho da puta” fazendo o mesmo rir, e ele me beijou de novo fazendo um sorriso involuntário brutar em mim. — Está disposta a ficar com um cara idiota como eu?

— Se for pra ficar com um idiota, ao menos que seja você. — o mesmo sorriu. — Você está falando tudo isso só pra me comer?

— Não, quer dizer eu também quero fazer isso... — o mesmo riu malicioso e eu tive que revirar meus olhos. — Mas eu estava falando sério. — sorri depois disso.— Terá você o privilégio de ser minha? Se você disser não eu entendo né. — disse brincalhão, ele sabia a resposta, mas não contava com esta com certeza.

— Não.

— NÃO? COMO ASSIM NÃO? CARALHO EMMA! EU ESTOU ME HUMILHANDO PRA VOCÊ SER MINHA E VOCÊ FALA NÃO? — ele gritava feito louco enquanto se levantava sem tirar os olhos de mim, enquanto eu continha o riso.— Eu acabei de falar que estou apaixonado por você e você diz um simples, não? Tudo bem.— não aguentei e acabei caindo na gargalhada com ele me olhando puto, respirei fundo me acalmando.

— Afinal não iria entender se eu dissesse não. — o mesmo revirou os olhos, e eu o puxei pela nuca grudando os meus lábios nos dele, notei que ele ficou surpreso de ínicio mas logo retribuiu, era um beijo veloz que já estava virando pra outros lados então me separei pra não acabar estreando a piscina. Até que não era uma má ideia, mas teriamos muito tempo pra isso. Ri notando meus pensamentos, isto era o resultado de muito tempo passada com o Bieber e seus amigos babacas.— Respondendo á sua pergunta, sim. — o mesmo abriu um sorriso enorme.

 —Você é oficialmente minha.— ele pegou minhas mãos me levantando juntando nossos corpos, ficamos nos encarando por um tempo até eu falar.

— Não me faça arrepender da minha decisão Bieber.

— Não vou. — nesse momento eu era a garota mais feliz, eu ainda estava chocada com tudo isso, mas eu posso dizer que em toda minha vida nunca estive tão feliz como neste momento, ele me dava vida, me fazia sentir o que era viver ao máximo, literalmente né, porque eu vivia correndo perigo, mas eu gostava pois sentia que não estava vivendo em vão. — Você praticamente falou que sonhava comigo.— logo me toquei do que tinha falado momentos antes sobre estar sonhando de novo e todo meu rosto esquentou.

— Não falei nada. — o mesmo riu enquanto eu o olhava puta da vida.

— Falou.

— Não falei.

— Falou. — ele era teimoso, mas eu era mais.

—  Não falei.

— Fal... —ele ia repetir mas eu logo o interrompi.

— Se você disser que eu falei de novo, fica usando as mãos pra se satisfazer por um mês e eu ainda corto seu pinto, pra tu não tirar proveito com ninguém.— abri o sorriso mais angelical possível enquanto Bieber se calou no momento mas logo abriu um sorriso desafiador.

— Você não faria isso.

— Paga pra ver.— disse piscando o olho e entrando em casa o deixando com cara de cu ao pé da piscina, mas logo ouvi ele falando um “filha da puta” o que me fez rir.

É eu realmente tinha mudado muito e não estava arrependida disso, pelo contrário, eu estava orgulhosa. Pra falar a verdade eu também estava com medo de ele me vir a magoar mais tarde, sei prefeitamente que isso vai acontecer porque você não muda de um dia para outro. Mas eu estava muito feliz, nunca imaginei um dia que Justin iria sentir algo por mim desse jeito, porque isso era praticamente impossivel visto que ele vivia dizendo que não era de ninguém blablabla e tudo mais, mas agora ele estava disposto a tentar algo, fazer com que eu o ajude a saber como era sentir intensamente, nas palavras dele. Eu mal conseguia acreditar.

********

Subi as escadas e bati na porta de Mary, escutei depois de um tempo “entre” então assim o fiz, encontrei Mary e Jack deitados na cama, é eu realmente tinha interrumpido algo.

— Ups me desculpa, não sabia que você estava aqui. —  falei me desculpando olhando para os dois mas não evitando o riso.

— Tudo bom, eu já estava de saida.—  Jack se levantou dando um ultimo beijo em Mary. — Pode falar com ela baixinha.— disse rindo, quase lhe dava um tapa mas ele correu tão depressa pelo corredor que nem deu tempo.

— Então, espero que seja algo bem importante pra você interromper minha quase transa.—  Mary se sentando na cama e me olhando irritada.

— Como assim? Quem é você e o que fez a Mary? —  falei rindo dela me sentando do seu lado.

— Estou aprendendo umas coisinhas ai. Ninguém é santo.— ela disse dando ombros.—  Mas e aí o que aconteceu? Você parece feliz. — disse me olhando de cima abaixo.

—Então é o seguinte...euejustinestamosjuntos. —  falei tão depressa fazendo a mesma me encarar confusa.

—  Agora devagar. —  disse mary revirando os olhos, respirei fundo e logo prossegui.

—  Eu e Justin estamos juntos.—  falei pausadamente e notei sua boca abrir num perfeito “o”, chegou a ser engraçado.

— VOCÊS ESTÃO MESMO NAMORANDO? COMO ASSIM?—  ela nunca iria aprender a ser discreta.

— Sim nós estamos. — falei rindo do seu estado.—  Mas agora fala baixo porra. —  suspirei me deitando na cama e logo mary fez o mesmo.—  Parece um sonho, sei la eu realmente sinto algo muito forte por ele.

Acabei contando tudo o que aconteceu enquanto a mesma ouvia tudo atentamente.

— Nossa vou ter de bater palmas pra você. — ela bateu palmas, eu me pergunto como arranjei amiga tao idiota. — Você conseguiu finalmente domar a fera, em qual bruxa você foi fazer a macumba?— neste momento eu ria feito louca.—  Eu estou muito feliz por você Emms.—  ela disse pulando de alegria em cima de mim e me abraçando depois.—  Apesar de ele ser um pau no cu, filho da puta, cabeça de papagaio... — a encarei aborrecida tentando dar a entender que ja notei que eles se odiavam, entao ela parou.— Eu juro que se ele magoar você eu corto o pinto dele.

-— Nao precisa, eu mesmo corto.— acabamos rindo.— Vou ser sincera eu tô bem feliz, mas estou com muito medo tambem.

— Medo de que?

Que ele me magoe.Que isto seja tudo um sonho.

— Você esta insegura, isso existe na maioria dos relacionamentos, mas no seu caso vai existir no nivel maximo, visto que você é namorada de Justin Corno Bieber, e você sabe que ele é fruta podre.

— Muito obrigada você realmente ajudou bastante. Adorei seu voto de confiaça.—  sorri amarela.

— Me desculpa.— disse rindo, nos sentamos de novo na cama e mary me encarou.— Vai com calma, veja ate onde isso vai dar. Até porque agora o jogo é outro, antigamente você era só dele enquanto ele podia andar ai comendo quem bem lhe apetece-se, mas agora ele tambem e seu e tem que te respeitar. — ela falou calmamente e eu continuei quieta, ouvindo tudo.—  Olha emma eu sei que você está em duvida com isso tudo, mas se parar para pensar um pouquinho, você vai perceber que ele tinha a escolha de ter todas aquelas vadias que ele come, mas ele escolheu que você fosse somente dele, por mais estranho que isso seja, ele queria te ter. Ele tinha o medo que você fosse andar com outros garotos por aí,  entao exigia que você fosse dele, sem ele ser seu. — respirei fundo encarando as maos. — A verdade é que ele sempre gostou de você, mas ele é orgulhoso demais para poder admitir. Vai ser dificil no começo, pois o Bieber é um pau no cu na real e não está habituado a ser de ninguem como todo mundo ja notou, rei da máfia e essa treta toda.— revirei meus olhos depois dessa.— Ele quer ser livre, mas eu acho que se ele não gostasse realmente de você ele não iria fala tudo o que sente por você dizendo esta apaixonado, ele sendo aquele machão orgulhoso, nunca diria isso em vão.—  confesso que tudo o que ela me disse me fez ter um pouco mais de segurança em mim mesma. Eu era apaixonado por Bieber e pela primeira vez pude sentir que era reciproco.

— Até que você presta para alguma coisa quando quer.— ela me deu um tapa no braço e logo acabamos rindo juntas. 


Notas Finais


♡ CASA NAS BAHAMAS: http://imgur.com/a/bakWi

♡ SIGAM: https://www.instagram.com/suggstilinski/
♡Espero que tenha gostado!
♡ NÃO SE ESQUEÇA DE COMENTAR!
♡TRAILER: https://www.youtube.com/watch?v=FvUe7cpS60Y
♡ YT: https://www.youtube.com/channel/UCshCTdZZL4DvIgyY-dZ9djA


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...