História My Baby - Capítulo 19


Escrita por: ~

Postado
Categorias Chloë Grace Moretz, Justin Bieber
Personagens Chloë Grace Moretz, Justin Bieber
Tags Amor, Baby Girls, Chloe Moretz, Daddy, Infantilismo, Justin, Romance, Sexo
Visualizações 301
Palavras 1.578
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Ficção, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Drogas, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Novas emoções!

Boa leitura 💜

Capítulo 19 - Traumas


Fanfic / Fanfiction My Baby - Capítulo 19 - Traumas

-Minha sobrinha deve ter uma boquinha dos sonhos. - Ryan fala e Justin retira sua atenção imediatamente das roupas que estava dobrando para lançar um olhar duro para o amigo. -Desculpa, só digo isso porquê essas mamadas já estão constantes.

-Não seja ridículo Ryan, só foram duas vezes. - ele fala e então retoma seu trabalho.

-Mas foram duas vezes com a sua FILHA! - ela fala.

-Eu sei Ryan, e você repetindo isso não ajuda. - o Bieber diz com tédio na voz.

-É bom te lembrar porque acho que não há mais sanidade nesse seu cérebro. - o Butler fala e come um de seus salgadinhos de batatas.

-Eu sei que eu sou um filho da puta Butler.

-Filho da puta não que eu gosto muito da minha tia Pattie, você tá mais para um fudido arrombado. - ele fala com indiferença.

-Por isso que te adoro. - ele lhe lança um sorriso falso ao amigo. -Mas falando sério agora, acho que Dollores vai me enlouquecer.

-Louco você já é, mas por que diz isso? - indaga.

-Ela e sua curiosidade, sempre querendo descobrir tudo, querendo fazer tudo, e a filha da puta ainda por cima ainda é boa em tudo que faz. - ele fala.

-Então sinto em lhe informar, mas você realmente vai ficar louco. - Ryan fala com sinceridade e come outra batatinha.

-Ontem ela estava diferente, ela me fez um oral como uma verdadeira profissional.

-As vezes isso só seja a tal curiosidade dela, ela quer tocar tudo, mexer em tudo e acaba sendo uma coisa boa. - ele diz.

-Talvez seja. - o Bieber solta no ar e então continua a dobrar as roupas.

-Já sabe o dia em que vamos ao orfanato?

-Pedi apara a Joana vir hoje pra irmos lá, tá bom pra você?

-Tá ótimo, não faço nada da vida mesmo. - o Butler dá de ombros.

-Okay.

-Não acha que Dollores possa estar em algum tipo de coma? Acho que ela está dormindo a manhã toda. - Ryan fala com falsa preocupação.

-Deixa a garota Butler, ontem ela foi dormir tarde. Mas acha que devo acordar ela? Ela pode estar com fome. - ele olha pro amigo.

-Ah isso não deve se preocupar, ela tomou uma dose generosa de leitinho ontem. - ele fala e começa a rir, recebendo uma almofada em sua cara.

-Olha o respeito! - Justin lhe dá um olhar desafiador.


{...}


-Senhor Bieber! É um prazer recebe-lo aqui novamente. - senhorita Moretz diz e cumprimenta o loiro.

-Também é um prazer, senhorita Moretz. - o loiro devolve o cumprimento. -Esse é Ryan, meu amigo.

-Prazer senhora.

-Prazer, Ryan. - ela diz e aperta sua mão. -Onde está Doll?

-Ela sofreu um pequeno acidente enquanto brincava e acabou quebrando a perna. - o Bieber diz.

-Oh senhor... Ela está bem?! - pergunta preocupada.

-Está sim, já está se recuperando. - ele diz e a mais velha dá um sorriso aliviado.

-Mas já que não veio aqui para Doll nos visitar, o que o senhor deseja?

-Eu vim porque Dollores teve um sonho estranho uma vez e ela surtou, quebrou a bota ortopédica que usava, me batia e gritava. - o loiro explica.

-Gritava o que? - a mais velha interferiu.

-"Não me bota para dormir papai, eu não quero dormir". - ele repete o que sua filha disse.

-Meu deus! - diz espantada.

-E então eu vim, pois achei que tinha algo a ver com sua antiga família e talvez a senhora possa me dar alguma informação sobre eles. - ele pede.

-Senhor Bieber, me desculpe mas não podemos liberar informações sobre passado de nossas crianças. - ela diz.

-Me desculpe senhorita Moretz, mas de acordo com o código penal, essas informações podem sim ser liberadas se tal coisa interferir na saúde mental ou física do menor. - Ryan fala entrando na conversa.

-Não sei se devo... - ela diz receosa.

-Se a senhora preferir podemos vir outro dia acompanhados de um oficial de justiça. - diz o Butler mais sério.

-N-não será necessário. - ela fala de imediato. -Me acompanhem.

A mais velha começa a caminhar para dentro do estabelecimento, percorrendo o mesmo local onde Justin um dia já havia percorrido. Justin lançou um olhar de agradecimento para Ryan e o mesmo devolveu com uma feição serena de como se aquilo não fosse nada. Eles entraram dentro da diretoria do orfanato e logo Justin e Ryan ocuparam os acentos de visitantes e senhorita Moretz em sua poltrona costumeira.

-Acho que está aqui em algum lugar... - ela diz e se abaixa um pouco para procurar em uma gaveta que era embutida em sua mesa. -Aqui! - ela comemora e retira de lá uma ficha com alguns papéis. -Essa é a ficha de Doll. Deseja dar uma olha senhor Bieber?

-Sim. - ele responde e a mais velha lhe estende a ficha e o mesmo a pega em mãos.

-Aqui diz que Dollores chegou aqui a dois anos. - Ryan fala olhando a ficha nas mãos de seu amigo.

-A senhora havia dito que ela chegou a três anos. - fala o Bieber encarando a senhora.

-Prossiga com  a leitura senhor Bieber. - diz ela calmamente.

-Os exames médicos constam agressão física. - Justin fala estático.

-Pelos pais? - perguntou Ryan.

-Não. Por seu patrão. - fala senhorita Moretz.

-Patrão? Aonde uma garota de quatorze anos trabalharia? - indagou o loiro confuso.

-Por exames físicos e psicológicos, a paciente Dollores Jacob Flores possa ter sofridos abusos físicos e sexuais... - Ryan lê um trecho do que estava escrito na ficha.

-Sexuais? Quer dizer que ela foi estrupada por UM ANO? - indagou Justin já se alterando.

-Na verdade não fôra um estrupo direto, era uma espécie de prostituição. - explica senhorita Moretz.

-Mas como? Onde estão os pais dela? - pergunta Ryan.

-O pai de Doll era viciado em drogas e em uma tarde foi assassinado, e os traficantes que ele devia a pegaram como pagamento, já a mãe de Doll faleceu em seu nascimento.

-Então eles prostituíram uma criança de quatorze anos de idade? - disse Ryan.

-Sim. - confirma senhorita Moretz.

-E de onde ela tirou essa coisa de dormir? - indagou Justin.

-Depois de muitas seções com a psicóloga, Doll contou que seu antigo "pai" a levava para um quarto e pedia para que ela deitasse, fechasse seus olhos e dormisse, e então vinham homens e a tocavam e a machucavam. - Disse a senhora.

-Filho da puta! - Justin dá um grito alto, bate sua mão na mesa e passa suas mãos em seu cabelo.

-Justin! - Ryan o adiverte.

-Me desculpem. - ele pede. -Mas como ela veio para cá?

-Me parece que a policia conseguiu invadir a casa de prostituição e Doll com medo fugiu de lá. Ela ficou uns três dias na rua até chegar aqui. - fala ela. -Nos percebemos que pelo seu estado físico ela estava acabada e depois de um tempo ela começou com pesadelos e se debater enquanto dormia, então entramos com um pedido judicial para a governo nos fornecer verba para um tratamento psicológico para ela. E em meio esse tempo decidimos ficar com ela.

-Mas ela já chegou com infantilismo? - pergunta Ryan.

-Sim. E pelo que os exames indicaram ela já era assim bem antes dos abusos e prostituição começarem.

-Meu deus... Minha menina é só uma criança e já passou por tudo isso. - Justin diz visivelmente abalado com tudo o que ouviu.

-Dollores é uma menina muio forte. Ela aceitou o tratamento, o fez muito bem e ainda consegue brincar e sorrir como se nada tivesse acontecido. - diz senhorita Moretz.

-Com certeza. - diz o Bieber. -A senhora acha que devo a colocar em uma psicóloga para ajudar com os traumas e pesadelos?

-Não será necessário. Sua última psicóloga falou que os pesadelos e traumas são algo natural, não podemos apagar isso de sua memória ainda mais algo que ela sentiu na pele, e querendo ou não isso é uma aprendizagem. - explica a senhora.

-Mas deve...

-Justin, a senhora Moretz está certa. Infelizmente traumas não podem ser apagados assim, Doll já superou tudo isso e os pesadelos fazem parte, com o tempo isso some e não passará de uma dolorosa lembrança e estimulo para ela. - fala Ryan.

-Vocês tem razão... Me desculpe. - ele fala e se acalma.

-Justin, a única coisa que Doll precisa para ajudar é amor, dê o máximo de seu amor para ela que com certeza nossa garota vai ficar bem. - a amis velha diz e passa sua mão por cima da do loiro a acaricia em conforto.

-Isso não irá faltar. - ele dá um sorriso e ela assente.

-Seria bom você conversar com ela também, é bom que ela saiba que pode confiar em você e você nela, aposto que não quer uma filha adolescente sem confiança. - ela diz divertida e todos riem.

-Irei fazer o mais rápido possível. - ele fala com o mesmo divertimento. -Obrigada mesmo, senhorita Moretz.

-Que nada. Sempre que precisar. - ela diz e todos se levantam e começam a se cumprimentar para se despedir.

{...}

-A cada dia mais eu admiro a Doll. - Ryan diz se sentando no sofá. -É bonita, tem um ótimo oral e ainda por cima guerreira.

-Não fala assim da minha filha, seu arrombado. - Justin fala e vira um copo de água em sua boca.

-Desculpa papai. - ele diz divertido.

-Pai! - a menina diz alegre enquanto Joana a traz em sua cadeira de rodas.

-Meu anjo! - ele diz com a mesma felicidade e então caminha rapidamente até a garota e se abaixa para lhe dar um abraço e um beijo em sua testa em seguida. -Eu te amo meu amor, amo muito.

-Eu também te amo papai, amo muito.


Notas Finais


Me desculpem qualquer erro e até a próxima 💜


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...