História My Beloved Criminal (NamJin) - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO
Personagens Chanyeol, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Fbi, Namjin
Visualizações 204
Palavras 6.646
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drabble, Drama (Tragédia), Ficção, Lemon, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Me desculpem pela demora, eu estive muito ocupada esses dias.
Para compensar essa demora, eu fiz um capítulo maior para vocês, e espero que gostem.

*Tenho uma notícia ruim*

O próximo capítulo vai demorar mais para sair, esse mês os meus professores pegaram pesado com a gente e estou atolada de trabalhos e assuntos para estudar, espero que me entendam.

Capítulo 5 - Capítulo 5


Fanfic / Fanfiction My Beloved Criminal (NamJin) - Capítulo 5 - Capítulo 5

Jin se considerava um idiota. Um idiota de coração mole. Ele não tinha certeza no que havia passado em sua cabeça quando pensou que poderia avisar a NamJoon sobre o plano de Chanyeol e depois escapar livre. É claro que não ia funcionar assim, o agente estava na sua cola fazia um ano. E agora ele estava algemado ao sofá do agente, e não era muito agradável.

Ele não dormiu nem um pouco, considerando que não conseguia deitar sem seus braços estarem posicionados estranha e desconfortavelmente por debaixo dele. Mas para sua diversão, NamJoon também não havia conseguido dormir. O homem mais jovem entrava na sala de estar, parecendo injustamente bonito em apenas calças de pijamas e uma blusa a cada trinta minutos e Jin não fazia nada além de rir e dizer um suave "Oi" para o agente.

Quando o agente entrou novamente na sala novamente por volta de 5 da manhã e deu para Jin um dos seus piores olhares, o assaltante apenas deu de ombros, se sentando e esfregando seu pulso algemado com a mão livre. O metal estava um pouco apertado e deixava marcas em sua pele. Ele podia ouvir o agente andando silenciosamente na cozinha e eventualmente veio até a porta, seu corpo sendo iluminado pela luz da cozinha. Ele tinha uma caneca entre seus longos dedos e Jin não podia fazer nada além de admirá-lo. Ele usava uma camiseta social com as bordas para dentro da calça, usualmente Jin faria uma careta ao ver pessoas usando blusas por dentro das calças, mas ver NamJoon assim o deixava ligeiramente excitado. Ele tinha uma forte sensação que o agente podia fazer as piores tragédias da moda parecerem perfeitas em seu corpo.

- Como o sofá está se saindo? - NamJoon finalmente falou e Jin fez biquinho.

- As algemas estão apertando o meu pulso, mas eu estou extremamente confortável. - ele deitou novamente no sofá e se cobriu com o cobertor para provar seu ponto à NamJoon. -Confortável.

- Bem, isso é ótimo então. Você vai ficar por aí mesmo enquanto estiver aqui.- NamJoon respondeu, franzindo os lábios.

Jin lutou para não soltar um grunhido, se tocando que se quisesse que as algemas fossem retiradas, ele teria que dar uma de gentil e inocente.

- Mas... As algemas estão apertadas. Você pode afrouxá-las um pouco? Por favor.

- Não. - NamJoon balançou a cabeça. - Fica assim mesmo.

Antes que Jin pudesse protestar, ele voltou para a cozinha. O assaltante bufou, colocando o seu braço sem algemas por cima dos olhos e deitando novamente no sofá. O agente era bom em seu trabalho, Jin tinha que admitir. Ele apenas mostrava simpatia, fora isso ele era uma rocha dura e impenetrável. Jin deitou de lado, com o seu outro braço ainda desconfortavelmente por baixo de seu corpo, rosto pressionado no macio tecido do sofá. Se ele não estivesse algemado, até que gostaria da situação.

A casa toda era fofa. Era pequena mas era aconchegante, confortável e fazia Jin querer ficar. Mas ele não podia ficar. Ele não era bem-vindo. NamJoon ia levá-lo para a cadeia, o que ele não podia permitir. Ele tinha que escapar do agente, mas primeiro precisava ganhar sua confiança.

Ele se perdeu em pensamentos até sentir uma mão em suas costas, o fazendo se sentar. Um prato foi colocado em seu colo, torradas com geleia.

- Tem um pouco de leite aí dentro, não sabia como você gostava. -NamJoon falou, empurrando uma xícara de chá em sua direção.

- Uh... Obrigado. - Jin encarou o homem em choque, mas aceitou mesmo assim a comida.

- Eu tenho que sair logo, eu não sei o que vou fazer para te dar almoço. - NamJoon franziu as sobrancelhas. - Eu não vou estar em casa até...

- 17:45. - Jin assentiu e NamJoon arregalou os olhos. - Eu me escondi no seu carro.

- Você se escondeu no meu...- NamJoon quase berrou.

- Eu não sabia aonde você morava e precisava te avisar de alguma maneira. - Jin explicou, tomando um gole do chá que NamJoon deu para ele. Até que era decente. - Bom chá, parceiro.

- Eu não sou o seu parceiro. - NamJoon bufou. -Não ache que somos parceiros. Eu não posso ser amigo de um criminoso.

- Mas, e se eu não fosse um criminoso? - Jin usou sua torrada para apontar para NamJoon.

- Mas você é.

- Hipoteticamente falando, agente, dá uma ajudinha aqui. - foi a vez de Jin para bufar.

- Cala a boca. - NamJoon respondeu severamente -Que tal biscoitos para o almoço? Um pacote de biscoitos vai tapear o almoço até eu chegar em casa?

- Olha pra mim, Kim. -Jin riu. - Você está vendo esse estômago? O que te faz pensar que biscoitos vão me segurar?

- Nem vem com essa, eu já vi o tamanho dos dutos de ar em que você se arrasta. -NamJoon balançou a cabeça. -Então se você está tentando dizer que é gordo, nem tenta.

- Mas biscoitos? - Jin fez biquinho.

- Me perdoa, esqueci que você era uma princesa. -NamJoon revirou os olhos e foi até a cozinha. Jin podia ouvir o homem procurando algo nos armários até voltar, e jogar vários pacotes em cima de Jin. -Biscoitos, batatas fritas, bolinhos e suco.

- Aww. - Jin praticamente gemeu. -Obrigado!

- Achei melhor te dar algum luxo, já que você vai ficar na miséria a partir de segunda. -NamJoon lembrou e o coração de Jin parou. Novamente, ele foi lembrado que precisava escapar antes que NamJoon o entregasse.

- Eu só tenho 24 anos. Sou muito novo para cadeia. - Jin tentou brincar. Ele terminou a torrada e tomou um gole do chá, olhando ao redor por um lugar para colocar a xícara vazia. Havia uma pequena mesa de café no meio da sala e NamJoon a empurrou até Jin.

- E eu só tenho 22. Sou muito novo para estar lidando com as suas merdas. Pronto. Pode colocar suas coisas ali. - NamJoon respondeu, tirando a xícara da mão de Jin e colocando em cima da pequena mesa. -Eu preciso ir, apenas... fique aqui. Se eu voltar e você não estiver aqui, eu irei te achar. E dessa vez, não te darei nenhum tempo para fazer o que você tiver que fazer.

- Compreensível, agente. - Jin saudou o homem, colocando os pés em cima da mesa apenas para ter NamJoon as colocando novamente no chão.

- Não ferra isso. Eu estou te ajudando com isso apenas porque você me ajudou. - NamJoon apontou para ele, sua expressão facial tensa.

- Ah! - Jin sentou, imediatamente lembrando o que o babaca do Park Chanyeol estava planejando - Hey, Chanyeol vai... tipo, se esconder na joalheria e...

- Eu sei, Kim SeokJin. -NamJoon disse devagar, tentando evitar um sorriso. - Você me disse ontem à noite.

Jin se sentiu culpado por NamJoon não ter conseguido dormir na noite anterior. Ele precisaria ser rápido quando fosse achar Chanyeol na loja e evitar de ser baleado. Suas intenções, no final das contas, era evitar de que isso acontecesse. Ele tentou mover as mãos para acenar mas as algemas fizeram cortes em seus pulsos e ele soltou um doloroso gemido.

- Eu quero dizer tipo... Seja cuidadoso? Você não dormiu direito, tenta pedir reforço ou alguma coisa...

- Sim... Pode deixar. -NamJoon olhou para Jin em surpresa e assentiu devagar.

- Usa colete a prova de bala e essas coisas? -Jin perguntou. - E capacetes?

- Sim, Jin. - NamJoon disse, surpreendendo Jin com o uso de seu apelido.

- É por que assim. -Jin deu de ombros. - Eu estou algemado ao seu sofá porque eu vim te avisar que você provavelmente seria baleado. E se você acabar sendo baleado, eu vou ficar preso aqui para sempre com essas algemas prendendo a minha circulação.

- Está tão apertado assim? - NamJoon perguntou hesitantemente, soltando um longo suspiro.

- Sim. - Jin respondeu imediatamente, tentando mas falhando em erguer os pulos.

O rapaz de cabelos platinados parecia indeciso, mas andou até o móvel aonde guardava sua arma e pegou suas chaves, retornando para o sofá e cuidadosamente segurando os pulsos de Jin.

- Não tenta dar uma de espertinho, estou apenas afrouxando.

- Obrigado. - Jin murmurou, estendendo o braço para NamJoon. Ele foi fechar novamente, mas Jin protestou.

- Já que você vai ficar fora o dia inteiro, eu posso ir ao banheiro?

- Certo. - NamJoon assentiu. - Sim, claro.

Eles foram rápidos, NamJoon levando Jin até o banheiro e deixando o homem se aliviar rapidamente e depois o levou novamente para o sofá. Ele se abaixou para o algemar e Jin sorriu.

- Obrigado, mesmo.

- Certo. - NamJoon disse e se levantou. - Nem tente se soltar, porque você não vai conseguir. Mas está mais solto em seus pulsos.

- Muito melhor, estava doendo. Mas assim, é difícil de deitar. Então sinta-se à vontade em me algemar em outro lugar. Eu até deixo você me algemar em sua cama, se você entende o que estou querendo dizer. - Jin assentiu, mexendo os braços.

- Não. - NamJoon pressionou um dedo no peito de Jin. - Eu sou um agente profissional, e não terei atividades sexuais com um criminoso quando ele já é sortudo por eu estar dando até sábado para resolver as merdas que ele tem que resolver, antes que eu o tranque em uma cela.

- Foi apenas uma simples sugestão. - Jin suspirou.

- Sugestão não aceita. Você não vai sair desse sofá e nós não faremos sexo. - NamJoon disse firmemente. - Eu tenho que ir agora, prefiro ser o primeiro a chegar a agência.

E com isso, NamJoon virou de costas e foi até onde sua arma estava, a colocando em seu jeans e vestindo uma jaqueta preta, logo após abrindo a porta e saindo da casa. Jin franziu os lábios e voltou a ficar entediado no sofá. NamJoon nem se deu o trabalho de dar o controle remoto da televisão para ele.

Quando Jin olhou ao redor, ele percebeu o quanto as coisas ao seu redor eram pequenas. A TV, o sofá, a sala. O chão era de madeira perfeitamente polida e um tapete grosso de cor creme ficava em baixo da pequena mesinha de café. As paredes eram um escuro tom de verde mas pelo pouquinho que conseguia enxergar da cozinha e do corredor, dava para ver que eram de um tom bege. Era tudo adorável e Jin não esperava nada menos do atraente agente, mas ele estava meio surpreso com o tamanho de tudo.

NamJoon não era nem um pouco pequeno. Ele era magro porém musculoso e alto, Jin tinha certeza que se NamJoon quisesse que Jin não fugisse, era apenas envolver o rapaz menor em seus braços e ele nunca mais iria embora. Ou talvez isso fosse apenas o lado romântico de Jin falando mais alto.

Era bobo. Ele nem conhecia NamJoon direito, mas ele gostaria de conhecer NamJoon direito. Porém quanto mais ele pensava sobre, mais ele queria dormir. Por experiência anterior, dormir com algemas era praticamente impossível. Jin pensou por um momento, percebendo que com NamJoon fora, ele podia tentar se soltar, pegar as joias de debaixo do travesseiro de NamJoon e se mandar. Ele saberia se NamJoon conseguiu pegar Chanyeol pela televisão em seu quarto de hotel barato.

Com isso, ele se virou no sofá e tirou o estofado para achar a barra em que estava algemado. Ele sabia que as algemas não iria sair, mas talvez ele conseguiria soltar a barra do sofá.

Quando achou, viu que a barra de metal tinha um parafuso. Claro, ele não tinha uma chave de fenda, colocando a mão no seu bolso traseiro ele achou a moeda que NamJoon não percebeu durante sua revista. Com dificuldade, conseguiu enfiar sua mão direita no espaço apertado e soltou o pequeno parafuso com a moeda, deixando em cima da mesa para não perder de vista. Em seguida deu um puxão na barra, bufando quando o pedaço de metal nem se moveu.

- O que diabos me fez pensar que isso só estaria parafusado em apenas um lugar?

Ele teve que virar seu corpo para alcançar o outro lugar, removendo o outro parafuso e quase berrando de alegria quando conseguiu puxar a barra junto com sua mão. O sofá deu uma pequena tremida, mas Jin não deu muita atenção pois ainda parecia intacto. Ele grunhiu alto quando finalmente puxou a barra por completo do sofá. A barra era fina no meio e ia se alargando nas pontas, sem dar espaço para as algemas passarem. Ele estava não apenas preso às algemas, mas também à uma barra de metal.

Jin deixou os parafusos na mesa para NamJoon e tirou sua já oleosa franja do rosto com a sua mão livre, pegando um dos lanches que NamJoon deixou para ele e procurando quarto do agente. Ele reconhecia o banheiro mas nunca havia ido mais adiante. Ele abriu uma porta e encontrou um armário cheio de toalhas e lençóis, outra porta deu para um pequeno escritório e a última porta no corredor dava para um quarto pintado na mesma cor da sala. Tinham roupas espalhadas por todos os lugares. No meio do quarto havia uma cama gigante que parecia fora de lugar no pequeno quarto. Estava desarrumada e parecia confortável.

O assaltante, acompanhado por uma barra de metal, foi até a cama e levantou os travesseiros apenas para encontrar um pequeno bilhete no macio lençol. "Você realmente achou que eu te contaria onde coloquei as jóias? Estou com vergonha por você, Kim SeokJin. Mas se você está lendo isso, fique sabendo que estou extremamente puto por você ter quebrado o meu sofá, então não fique surpreso se eu te colocar na cadeia mais cedo. Nós dois sabemos que você não vai sair daqui sem as jóias". 

NamJoon estava certo. Jin não podia roubar mais jóias. Ele já tinha roubado algumas sem razão nenhuma, mas essa agora ele precisava para domingo. Então em vez de ir pelas coisas de NamJoon para encontrar as jóias, ele tirou os sapatos, largou os biscoitos no chão e decidiu fazer um bom uso do chuveiro de NamJoon. Era difícil tirar as roupas, se limpar e depois recolocar as roupas com uma barra de metal pendurada em seu braço, mas ele de algum modo conseguiu. Depois de colocar roupas limpas, ele voltou para a cama de NamJoon e se enfiou por debaixo das cobertas. O cobertor de NamJoon era muito mais confortável do que os lençóis baratos dos hotéis em que ficava, e parecia o céu não estar algemado em um sofá. Infelizmente ainda existia uma barra, mas isso não o impedia de se mover e praticamente fazer um ninho da cama de NamJoon. O travesseiro tinha o cheiro do outro homem, uma essência que Jin achava deliciosa. Era perfeito, tão bom quanto o cheiro do resto da casa, mas a leve essência misturada com o cheiro natural fazia ser uma coisa única.

A mente sonolenta de Jin o fez querer sentir esse cheiro pelo resto de sua vida, pegando um travesseiro extra ao seu lado e afundando o seu nariz nele. Ele nem se incomodava em ser bizarro, ele apenas gostava muito do cheiro que NamJoon tinha. Ele jogou todas as preocupações de um NamJoon com raiva pela janela, e adormeceu abraçando um dos travesseiros do agente.

Quando NamJoon finamente recebeu a ligação de JooHeon dizendo que havia acontecido outro roubo e que tinha um vídeo, ele fez questão de reunir seu time todo e equipá-los com coletes a provas de balas. Eles ficaram confusos, acostumados com a rotina de ir na já abandonada área do crime, pegar o vídeo que Jin sempre deixava e voltar. Mas dessa vez não era Jin, ele simplesmente não podia deixar os seus parceiros descobrirem que ele sabia disso.

- É melhor ter segurança. - ele explicou em voz alta para os homens que se equipavam com armas e capacetes.

Hoseok e Jimin também pareciam confusos, Jimin era o mais desconfiado.

- Você acha que Kim SeokJin ainda está lá?

- Eu não sei. - NamJoon mentiu. - Eu só acho que deveríamos nos manter seguros. Mesmo Kim SeokJin não sendo violento, o cara que estava lá com ele antes era. Nós não sabíamos que ele estava lá com Kim SeokJin pela primeira vez e não dá para saber se vai estar lá novamente.

- É, acho que você tem razão... - Jimin concordou.

Quando chegaram na cena do crime, NamJoon imediatamente reuniu todos.

- Certo, metade de vocês vão cercar o lugar e a outra metade vai entrar. Eu sei que já disseram que não tem ameaças, mas estou sentindo que tem algo errado. Confiem em mim.

Com a ajuda da polícia, eles efetivamente, tinham o que podiam da loja cercado.

Haviam espaços estreitos de cada lado do edifício, mas NamJoon tinha certeza de que os únicos modos de fuga eram pela parte de trás ou pela frente do prédio. Quando o agente líder teve certeza de que sua equipe estava posicionada corretamente e segura, ele hesitantemente levou uma parte ao interior do prédio. Como sempre, Jimin e Hoseok seguindo logo atrás dele. Eles trabalhavam juntos por muito tempo, e apesar de NamJoon confiar em toda a sua equipe, ele confiava mais neles. Mas, claro, ele nunca admitiria isso para ninguém.

Eles andaram através da loja, olhando os armários de armazenamento, a sala onde a joia foi roubada e até mesmo verificando a sala principal, mas não havia nada.

NamJoon tentou não fazer barulho enquanto lentamente colocava a arma de volta ao cinto e movia-se para tirar o capacete. No entanto, assim que começou a levantar o capacete de sua cabeça, a grande abertura no alto da parede foi empurrada com um barulho alto para o chão.

NamJoon tirou suas mãos do capacete e instantaneamente pegou a arma em seu cinto, e em seguida, um tiro ecoou. Ele sentiu um impacto contra seu peito e ouviu vagamente Jimin e Hoseok berrarem o seu nome.

- Parem ele! - NamJoon se forçou a dizer, se encolhendo quando balas formaram buracos na parede ao redor do duto. - Não desse jeito, do lado de fora, até onde esse duto vai?

Ele ignorou o pulsar de seu peito enquanto trancava a porta, apenas para ver um homem alto saltar para fora do lado do edifício, passado por um policial confuso e saindo pela rua. NamJoon correu atrás dele, na cola do homem. Ele podia ouvir Jimin correndo atrás dele.

- Ele é o único?

Mas NamJoon não respondeu, simplesmente tentou forçar suas pernas o mais rápido para acabar com a distância entre o ladrão e ele. Mas o peito doendo gritou em protesto e ele tropeçou, agarrando-se a parede mais próxima como suporte enquanto o ladrão corria para longe.

- Droga, ele...

- Havia mais de um homem? - Jimin perguntou de repente - Era o Kim SeokJin?

- Não. - NamJoon estava ofegante, apertando o peito. - Eu não sei quem era. Mas ele... Porra, ele fugiu.

Ele sentiu as mãos de Jimin em seu ombro, tentando o endireitar e o colocar de pé.

- Está tudo bem, você está ferido? Ouvi uma arma disparar...

- No colete, sim. - NamJoon acenou com as mãos. - É mais do que provável que tenha uma contusão, mas já tive piores.

- Você está ofegando para caralho, cara, e você está em forma então algo me diz que não foi porque você correu. -Jimin murmurou.

- Okay, está doendo um pouco. - NamJoon admitiu.

Jimin deu um passo à frente de NamJoon para examinar o colete, estendendo a mão e cutucando o buraco no tecido.

- Merda, está perto de sua garganta... Aqui né?

- Porra, sim, ow...

- Talvez você devesse dar uma olhada nisso, ou se sentar, eu não sei cara. - Jimin interrompeu.

- Podemos voltar para o escritório? - NamJoon suspirou, colocando levemente a mão sobre o peito ferido.

- Vamos, agente. - Jimin ofereceu um pequeno sorriso. - Vamos pegar o vídeo e voltar para o escritório. Nós, uh, nós temos que contar ao Lee sobre o colete. E seu peito.

- Droga. - NamJoon suspirou, mas andou com Jimin de volta para a loja. Imediatamente alguns dos policiais começaram a fazer perguntas para NamJoon, perguntando onde o homem tinha ido e porque NamJoon não o impediu.

- Hey, vão se foder! -Disse Jimin imediatamente. - Eu não vi nenhum de vocês fazendo algo e o agente Kim tem um motivo. Ele foi atingido no colete e eu sei que vocês sabem que isso dói para caralho. Ele vai ter uma contusão desagradável.

NamJoon lançou um olhar silencioso de gratidão para o agente e em seguida, Hoseok estava entrando com uma carranca em seu rosto.

- Os filhos da puta queriam a câmera, mas eu peguei. Aqui.

- Obrigado. - NamJoon murmurou. - Nós vamos mandar alguém pegar as fitas de segurança, não precisamos aprofundar a investigação.

Jimin dirigiu o Suburban de volta em vez de NamJoon, e Hoseok sentou no banco de trás ao lado do agente líder para ele não ficar sozinho. NamJoon fazia uma careta cada vez que o cinto de segurança pressionava com muita força seu peito.

- Você está bem? - Jimin olhou para ele preocupado.

- A adrenalina está indo embora, então...

- Então seu corpo está dizendo que seu peito dói para caralho? -Hoseok ofereceu.

- Exatamente. - NamJoon riu mas depois se arrependeu. O agente mais jovem olhou para Jimin, achando que ele ainda estava franzindo a testa.

- Algum problema, Park?

- Assim... - Jimin deu de ombros. - Nós quase não usamos proteção. Geralmente não, sabe? E Kim SeokJin estava desaparecido quando chegamos lá. Se não tivéssemos nos equipado, você provavelmente não estaria aqui nesse momento.

O agente líder foi surpreendido com preocupação de seus amigos. Ele arqueou a sobrancelha, decidindo abordar a situação tensa com uma brincadeira.

- Hey, se isso acontecesse, você poderia ser o agente líder no meu lugar.

- Não. - Jimin balançou a cabeça. - Eu provavelmente pediria transferência para outro lugar.

- O mesmo aqui. - Hoseok inclinou-se e deu um tapinha no ombro de NamJoon. - Não quero trabalhar para Londres se você não estiver comandando.

NamJoon lutou contra um sorriso, sendo rápido ao responder

- O Lee é bom. Ele geralmente escolhe um agente líder decente... Tirando eu.

- Não se coloque para baixo, você claramente é decente. - Jimin respondeu firmemente. - Não vamos falar sobre isso. Mas sério, como está o seu peito?

- Eu queria alguns analgésicos e uma soneca. - NamJoon respondeu com um suspiro.

- Lee vai fazer você ficar em casa pelo o resto do dia. - Jimin lembrou. - Ele sempre faz isso se algo acontece em cena.

- Eu acho que dessa vez não serei contra. - NamJoon suspirou. - Vamos assistir ao vídeo, eu vou falar com Lee, e então vou preencher o relatório para amanhã.

- Ou eu posso preencher o relatório para você, Hoseok e eu podemos ver o vídeo e nós te mostramos amanhã. - Jimin sugeriu enquanto entrava no estacionamento da agência.

NamJoon, no entanto, recusou.

- Eu quero ver o vídeo... Mas vou aceitar a primeira oferta. Isso seria ótimo, fico devendo essa a vocês.

Jimin simplesmente riu e os três agentes fizeram seu caminho para a agência. NamJoon tirou o colete e a roupa preta desconfortável no momento em que entrou no vestiário. Ele olhou para o peito no espelho, encolhendo-se quando encontrou uma profunda mancha amarela arroxeada. Traçando levemente um dedo sobre a pele inchada, ele fez uma careta.

- Isso vai doer ainda mais na parte da manhã.

- Você deveria colocar um pouco de gelo sobre isso. - Hoseok deu um olhar de simpatia

- Talvez mais tarde. -NamJoon recusou. - Vamos ver o vídeo para que eu possa falar com o Lee e...

- Liguei para ele por você. - Jimin falou. - Ele não está contente que o atirador fugiu, mas ele gostou do seu alerta em fazer a equipe se equipar. Disse que devemos sempre nos equipar a partir de agora.

- Eu concordo. - NamJoon murmurou. - Ele disse alguma coisa sobre me mandar para casa mais cedo?

- Você tecnicamente deveria tirar seu equipamento e ir, mas acho que nós podemos manter em segredo que você ficou para assistir o vídeo que Kim SeokJin deixou para você. - Jimin riu e NamJoon mordeu o interior de sua bochecha. Jin não estava nesse vídeo porque Jin estava algemado em seu sofá.

Os três rapazes se reuniram no escritório de NamJoon, e como sempre, ligaram a câmara ao computador de NamJoon e iniciaram o vídeo. Com o vídeo carregando, ele se perguntou se era Park Chanyeol realmente, o cara que tinha tentado matá-lo pela primeira vez na sala de armazenamento da loja que Jin tinha roubado. E em seguida, o vídeo carregou e assim como Jin havia avisado, era o homem. Ele ouviu Hoseok e Jimin suspirarem atrás dele.

- Quem...- Hoseok começou a berrar, mas NamJoon o interrompeu.

- É o cara que quase atirou em mim naquela vez. - NamJoon murmurou, batendo na mesa.

O homem com o cabelo escuro arrumado em um topete que nunca chegarias aos pés do cabelo de Jimin, sorriu presunçosamente "Olá pra quem estiver assistindo isso. Provavelmente você perdeu o seu agente líder hoje, hum? Sim, esse era o meu plano. Te enganar e fazer você pensar que eu era o Kim SeokJin e depois matar o agente Kim. Então agora, eu vou revelar o meu nome para que o outro bastardo de quem eu roubei a arma  não receba o crédito que mereço. Meu nome é Park Chanyeol, e aposto que posso dizer com sucesso que matei o Agente Kim NamJoon".

O vídeo terminou e Jimin arrancou com raiva o vídeo do computador:

- Não, ele não pode dizer que te matou com sucesso! E nem vai ser capaz. Ele não vai matar nenhum dos membros da nossa equipe. Ele vai passar o resto de sua vida na prisão, é o que ele vai fazer. Então... Kim SeokJin não estava lá?

- Eu não acho que Kim SeokJin seja o nosso maior problema agora. -NamJoon suspirou.

- Talvez alguém deve te acompanhar até em casa... Eles devem colocar outra pessoa para liderar esse caso já que o ladrão estava especificamente atrás de você. Kim SeokJin nunca foi assim, ele não estava lá para te matar. Ele estava apenas zombando de você porque você não conseguia pegá-lo. Mas este é um crime contra você, você precisa de alguém para...

- Park. - NamJoon interrompeu. - Eu não vou sair deste caso a menos que Lee mande. E não tente convencê-lo a fazer isso, entendeu?

Jimin o examinou por um momento e depois balançou a cabeça.

- Tudo bem. Mas você sabe que ele precisa assistir esse vídeo.

- Sim, sim. Ele sempre vê todos os vídeos. -NamJoon tirou os seus cabelos ligeiramente suados da testa. - Estou indo para casa agora, certo? Vejo vocês amanhã.

- Você quer que um de nós leve o jantar para você mais tarde? - Hoseok ofereceu. - Imagino que você não vai querer se mexer muito, com o peito dolorido tudo mais.

- Não! - NamJoon respondeu imediatamente antes de interromper a si mesmo e continuar. - Não, quero dizer, eu provavelmente vou dormir o resto do dia... Eu só vou fazer algum lanche ou algo. Está tudo bem. Vão para casa e relaxem. Sério.

Hoseok e Jimin deram de ombros e o deixaram escapar. NamJoon se perguntou nervosamente como iria fazer para manter eles longe de sua casa até depois de domingo. Ele deixou o prédio, entrou em seu carro depois de verificar cuidadosamente os assentos e costas, e ligou o aquecedor para que não tremesse de frio e machucasse mais ainda o peito. Durante a viagem de volta para casa, ele estava preocupado se Park Chanyeol estivesse o seguindo. Claro, ele tinha sua arma com ele, sempre tinha, mas ainda assim se sentia estranhamente paranoico. No entanto, enquanto andava até a porta de casa, ele sorriu para si mesmo ao pensar que SeokJin seria surpreendido por ele estar voltando para casa mais cedo. Talvez o assaltante ainda temesse a ideia de NamJoon voltar para casa.

Ele entrou em casa, tirando o cinto e o casaco e pendurando-os em seus cabides antes de chutar os sapatos.

- Criminoso!

Não houve resposta e ele não conseguia ver a cabeça de SeokJin sobre o encosto do sofá. Aproximou-se em confusão, pensando que talvez Jin tivesse se enrolado sem jeito e adormecido, mas quando olhou para a parte de trás do sofá e encontrou apenas almofadas vazias, seus olhos se arregalaram de horror.

- Que inferno! Como esse filho da puta conseguiu?

NamJoon correu pelo corredor, abrindo a porta do banheiro, escritório e closet, apenas para encontrar todos vazios. Ele correu para o seu quarto, entrou em desespero ao descobrir que estava vazio. Mas, em seguida, na sua cama, ele avistou um monte de cobertores que pareciam quase... Uma forma humana. Ele caminhou em direção a ela, puxando o edredom para o final da cama para encontrar um SeokJin dormindo, abraçando o travesseiro e com barra de metal que foi algemada pendurada em seu pulso. Quando um som estrangulado escapou de sua garganta, os olhos de Jin se abriram e ele se espreguiçou. O ladrão olhou para NamJoon, dando um sorriso sonolento.

- Boa noite, agente. Não queria dormir tanto tempo.

- É tarde ainda. - NamJoon rosnou. - São apenas uma da tarde. Que porra você está fazendo aqui?

- Dormindo. - Jin suspirou. -Ou estava.

- Levanta.

- Mais cinco minutos? -Jin fez biquinho. NamJoon considerou arrastar Jin da cama pelos braços, mas ele lembrou do seu peito machucado. Para sua surpresa, no entanto, Jin se sentou e saiu da cama de qualquer maneira. - Ok, ok... Eu suponho que tenha que voltar para o sofá, certo? Deixei os parafusos na mesa para que eu possa consertar depois.

- Você...Como você conseguiu sair do sofá? - NamJoon balbuciou.

- Eu encontrei o seu bilhete e não se preocupe, o sofá não está quebrado. - Jin ofereceu, passando a mão livre pelo seu cabelo bagunçado. - Eu apenas usei uma moeda para desaparafusar a barra, depois a soltei. Eu estava cansado e resolvi tirar um cochilo na sua cama.

- E você estava procurando as jóias para correr com elas. - NamJoon adicionou.

- Sim, não vou mentir. -Jin assentiu. - Mas elas não estão realmente lá e eu não vou embora sem elas, então eu decidi que iria fazer uso do seu chuveiro e sua cama. É muito macia, por sinal. Um paraíso!

- Você é louco.

- É, já me disseram. -Jin deu de ombros. -Devo consertar o seu sofá agora? Preciso ser desalgemado para fazer isso no entanto. Depois você pode me algemar de volta.

- Uh...

NamJoon seguiu o ladrão, confuso, enquanto caminhavam pelo corredor até a sala de estar, mas mesmo assim pegou a chave do cinto e desalgemou Jin. O ladrão imediatamente foi consertar o sofá.

- Então, você pegou o Chanyeol?

- Não...

- Bem, você ainda está vivo e inteiro, ele não seguiu com o plano? - Jin perguntou. - Eu juro para você que não estava mentindo.

- Não, ele seguiu o plano. - NamJoon acenou com a cabeça. - Mas ele escapou, então ainda está livre para tentar me matar.

As mãos de Jin vacilaram em seus movimentos e a moeda caiu de sua mão.

- O quê?

- Ele escapou. Ele ainda está lá fora em algum lugar e sabe que eu estou vivo porque tentei persegui-lo? -NamJoon repetiu, confuso.

Para sua surpresa, Jin levantou de sua posição de joelhos no chão em um instante, correndo para a porta. NamJoon suspirou, correndo atrás do ladrão. Ele preguiçosamente pegou a mão de Jin agarrando a fechadura da porta e segurou o rapaz, o jogando contra a parede, prendendo o homem menor com seu próprio corpo e provocando dor em seu peito.

- Ow...

- Que porra você está fazendo? - NamJoon berrou. - Eu deveria te arrastar para a cadeia agora! Eu não posso acreditar que estava te dando até domingo, você estava mentindo, seu...

- Eu estava tentando fechar a porta! - Jin resmungou.

- Que...- NamJoon balançou a cabeça em confusão.

- Apenas no caso de Chanyeol aparecer aqui. Eu estava trancando a porta. - Jin assentiu. - Mesmo se ele aparecer aqui, ele vai ter que passar por mim primeiro. Bem, eu vou estar algemado no sofá, mas posso arrastar junto comigo e bater nele. Hmm... Agora você poderia talvez tirar o seu joelho da minha virilha?

NamJoon percebeu o quão perto estava do ladrão, quase nariz com nariz enquanto olhava o pequeno homem. Seu peito gritou de dor quando ele o soltou, e seu rosto se contorceu enquanto resmungava

- Desculpe.

- Hey... Eu nem toquei em você, como você está ferido? - Jin franziu a sobrancelha.

- Porque eu levei a porra de um tiro! -NamJoon retrucou. - E você poderia ter me dito que estava apenas trancando a porta em vez de sair correndo. Você é um criminoso, porra, você não deveria ser útil. Você deveria ser um mentiroso, um filho da puta sem coração!

- Você levou um tiro? -A voz de Jin ficou mil vezes mais aguda. - Seu idiota, você tem que ir para o hospital, por que você...

- No colete, SeokJin. Eu não estou mortalmente ferido. - NamJoon revirou os olhos. - Claro, acho que eu deveria agradecer a você, porque eu não teria usado um colete se você não tivesse dito.

Jin mordia o lábio enquanto examinava o agente.

- Aonde você foi baleado?

NamJoon desajeitadamente desabotoou os primeiros botões de sua camisa para revelar parte de seu peito.

- Aqui...

- Que merda... - Jin suspirou em horror, os olhos examinando NamJoon. O agente imediatamente abotoou sua camisa de volta, sentindo uma mistura de desconforto e alguma emoção estanha não identificável borbulhando dentro dele.

- Você deveria estar na cama, e não me pressionando contra paredes. Que tal você ir se deitar, eu faço um faço um almoço para você e depois me algemo novamente no sofá.

- Você é um mentiroso. -NamJoon diz ceticamente. -Que tipo de ladrão se algemaria de volta a um sofá?

- Eu já te disse que eu não vou embora sem as jóias. - Jin lembrou. -E eu não sei aonde você as escondeu, então...

NamJoon agarrou o pulso do homem, uma ideia surgindo em sua cabeça.

- Eu tenho uma ideia melhor.

Ele arrastou Jin até o sofá, pegando as algemas da mesa e caindo de joelhos na frente do ladrão.

- Whoa, não que eu esteja reclamando, mas você não acha isso um pouco antiprofissional, agente? - Jin suspirou.

- Você é um idiota. -NamJoon resmungou, apertando as algemas ao redor dos tornozelos de Jin.- Aqui. Você não vai conseguir se mover rapidamente, mas vai ser capaz de andar livremente pela casa.

Ele se afastou e Jin hesitante deus alguns passos para a frente.

- Eu mal posso me mover direito...

- Mas você pode se mover o suficiente. - NamJoon sorriu. - Você só não pode correr. Mesmo se você de alguma forma conseguir escapar pela cidade, você vai ser capturado em um instante.

- Eu não estou planejando ir a lugar algum. Porém não gostaria de ser algemado ao seu sofá novamente. Obrigada, isso foi atencioso da sua parte. -Jin deu de ombros.

- Sinta-se à vontade para comer alguma coisa cozinha. Eu vou tirar um cochilo. Se você fugir, eu vou chutar a sua bunda.

- Anotado. - Jin saudou o agente. - Você quer que eu faça alguma coisa?

- Eu quero que você me deixe dormir. - NamJoon resmungou. E com isso, ele se virou e foi ao banheiro. Ele tomou banhou primeiro, testando Jin. Se o ladrão tentou fugir enquanto ele estava no banheiro, ele definitivamente não podia confiar nele o suficiente para o deixar sozinho para tirar uma soneca. No entanto, para sua surpresa, depois de banho tomado e já vestido, Jin estava na sua mesa da cozinha folheando um livro.

- O Cão dos Baskervilles. - ele murmurou para NamJoon quando o agente entrou na cozinha.

- Sim?

- Eu gosto de Sherlock Holmes. - Jin riu. -Coisas de detetive... Você já quis ser um detetive?

- Eu sou, de certa forma. - NamJoon apontou. - Você foi uma peça difícil. Demorou um pouco para te entender.

Jin riu e NamJoon sorriu quando o homem mais velho continuou.

- Acho que você tem razão. Eu sempre fui um fã de detetives.

- Serio? - NamJoon riu. -Achei que seria mais de ladrões.

- Robin Hood, talvez... - Jin sorriu e NamJoon arqueou uma sobrancelha.

- Por que ele?

- Ele era um excelente ladrão e roubava por boas motivos. - Jin respondeu mas mudou de assunto abruptamente. -Eu fiz um pouco de chá e torradas com queijo. Sei que você disse que não queria nada, mas já passou da hora do almoço, então...

- Obrigado... - disse NamJoon confusamente, comendo lentamente, apoiado na cozinha enquanto Jin lia o livro.

Ele quase teve medo de dormir, mas desmaiou no momento em que estava debaixo do edredom. Ele acordou cerca de cinco horas depois, saindo da sua cama e apertando o peito dolorido, andando até o fim do corredor. Jin estava sentado no sofá, mudando de canais na televisão. Ele olhou para NamJoon, que estava com os olhos arregalados.

- Você não tentou escapar...

- Uh... Boa observação. -disse Jin lentamente. -Seu peito está melhor?

- Nem um pouco. - NamJoon bufou.

- Tome alguns analgésicos e volte para cama. - Jin sugeriu, se levantando com uma ligeira dificuldade e mancando com as algemas nos tornozelos em direção a NamJoon, o levando para cozinha. -Ou então, eu estava prestes a fazer alguns sanduíches, você pode me fazer companhia.

- Você sabe que eu ainda vou te levar para a prisão depois de domingo, né? - NamJoon perguntou ceticamente. -Ganhar a minha confiança não vai fazer eu te libertar.

- Eu sei. - respondeu Jin. - Mas eu posso tentar ser útil durante a minha estadia. Estou mais do que agradecido por você estar me dando tempo para cuidar do que preciso.

NamJoon se sentou em silêncio na mesa da cozinha, enquanto Jin fazia os sanduíches e chá. Eles comeram na mesa, olhando sem jeito para seus pratos. O agente terminou seu sanduíche rapidamente, levantando-se para levar seu prato para a pia e pegando um paracetamol no armário de remédios.

- Eu vou. Uhm... Vou voltar para cama, eu acho. Ainda estou cansado.

- Você está ferido. -Jin deu de ombros. -Estar ferido te deixa cansado.

- Certo. Hm... Se você tentar escapar..

- Você vai chutar a minha bunda. - Jin interrompeu. -Entendi.

- Isso. - NamJoon murmurou, andando pelo corredor até o seu quarto. No entanto, ele lembrou que Jin tinha apenas um mero lençol para dormir no sofá. A casa parecia um pouco fria naquela noite e NamJoon não precisava de um ladrão resfriado e com tosse nos próximos dias, então ele pegou um travesseiro de sua cama e um cobertor mais grosso do armário, passando direto da cozinha onde Jin estava lavando a louça e os deixou no sofá.

Ele voltou rapidamente para seu quarto antes que o ladrão o pegasse em seu ato de bondade, ficando apenas de boxers e rastejando para debaixo das cobertas. A parte do seu cérebro que era um agente líder ainda estava desconfortável com os sons dos movimentos de Jin, mas depois que via a luz fraca da sala apagar e nenhum barulho de porta abrindo e o baixo som de alguém se mexendo no sofá, ele finalmente se permitiu relaxar e fechar os olhos.

Antes que ele pudesse perceber, o alarme dele estava soando, e ele rastejou com dor para fora da cama para se vestir, apesar da dor muscular em seu peito. Assim que se vestiu, ele andou rapidamente pelo corredor para espiar a sala de estar. Na penumbra, ele podia enxergar vagamente a silhueta de Jin enrolado no cobertor que lhe foi entregue, aconchegado em um travesseiro fofo. O homem parecia tão inocente, o cabelo dele uma verdadeira bagunça. E então o coração de NamJoon disparou subitamente com afeto pela cena. Uma arfada de ar surpresa escapou de seus lábios, e o agente mentalmente deu um tapa em si mesmo. Ele não podia sentir afeto por Jin, Jin era um criminoso e NamJoon era um agente federal. Acontecia que NamJoon simplesmente apreciava que Jin era meio dócil, gentil de certa forma.

Ele cambaleou para longe do ladrão adormecido, dirigindo-se com pressa para o banheiro para jogar um pouco de água no próprio rosto, se perguntando que tipo de ladrão Kim SeokJin realmente era e se perguntando o que estava mexendo com sua própria cabeça.




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...