História My Change (Chanbaek/Baekyeol) - Capítulo 30


Escrita por: ~

Postado
Categorias 1PUNCH, Bangtan Boys (BTS), EXO, Got7, IKON, SHINee
Personagens 1(Jung Jaewon), Baekhyun, Bobby, Chanyeol, Chen, D.O, Jackson, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Personagens Originais, Sehun, Suho, Taemin Lee, Tao, V, Xiumin
Tags 1punch, Baekhyun, Bangtan Sonyeondan, Bobby, Bts, Chanbaek, Chansoo, Chanyeol, Chen, Exo, Got7, Hunhan, Ikon, Jackson, Jaewon, Jiwon, Jongdae, Jongin, Junmyeon, Kai, Kaimin, Kaisoo, K-pop, Kris Wu, Kristao, Kyungsoo, Layho, Luhan, Luhun, Minseok, One, Ot12, Sehun, Shinee, Suho Lay, Sulay, Taehyung, Taekai, Taemin, Taoris, Taozi, Wu Yifan, Xiuchen, Xiumin, Yaoi, Yixing, Ztao
Visualizações 97
Palavras 3.448
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Fluffy, Hentai, Lemon, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Slash, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Self Inserction, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Adivinha quem arranjou um tempinho? Isso mesmo, euzinho aqui!
Não me perguntem como foi o ENEM. Ainda falta um caderno e eu tô fodido, eu tô literalmente chorando só de lembrar, eu sou um merda, tomara que eu morra!

Enfim. Tô muito feliz aaaaaa
Mano, acho que vou conseguir por o final que eu estou planejando.

¡¡¡¡IMPORTANTE!!!!

VOCÊS QUEREM MPREG NESTE CARALHO LINDO E CHEIROSO?

Eu amo vocês demais, sério. Vocês são incríveis. Obrigado por serem meus leitores, eu amo muito você, meus pudins.

Tenho que ir treinar coreografia.

Tenham uma ótima leitura. Espero que vocês gostem! =^.^=

Capítulo 30 - Miami Pt1


Fanfic / Fanfiction My Change (Chanbaek/Baekyeol) - Capítulo 30 - Miami Pt1

Leiam as notas iniciais. Obrigado, pudins do Angel! 

[…]

Filho da puta… pode apostar que você vai morrer…

Me abaixei para ver como SuHo estava, ele se encontrava pálido, com olhos fechados enquanto colocava uma das mãos sobre o local ferido. Sem demoras, o peguei no colo como uma noivinha e segui o mais rápido possível para um ponto de táxi. Entrei no primeiro que vi vazio e dei o endereço do hospital mais próximo para o motorista, enquanto íamos, eu estava acariciando os cabelos dele na tentativa de distraí-lo um pouco da dor. Peguei o meu celular no bolso e disquei o número de Lay, aflito para o mesmo atender.

—Chanyeol! O que foi? ‘Tá tudo bem?

—Na verdade não. Só vai para aquele hospital perto da academia de dança aqui perto da casa do Kyungsoo.

—Cadê o Junmyeon? — Perguntou entre os dentes, aflito.

—Estou levando-o para lá agora.

—Não me fala mais nada. Eu quero ver com meus próprios olhos. Se acontecer algo com ele, não vai ser só você que vai matar Do Kyungsoo!…

—Fico muito feliz por isso. Venha logo pois eu já cheguei.

Falei desligando. Agradeci ao motorista e sai as pressas com Junmyeon no colo, assim que entrei no local. Corri até a recepção e procurei afobado por palavras.

—E-ele tomou um tiro no ombro! M-médico, rápido!

—Calma, senhor! Preencha a ficha dele e…

Não! — Falei gritando, assustando um pouco a mulher à minha frente. — Ele está quase inconsciente. Levem ele logo. Faço a ficha dele enquanto isso.

A mulher continuou olhando para nós durante um tempo, enquanto eu a olhava com olhos desesperados. A mesma suspirou e assentiu.

—Tudo bem, tudo bem.

A mulher chamou os enfermeiros com a mão, que logo o puseram na maca e foram para dentro com o mesmo, enquanto me dava a ficha para preencher.

Assim que terminei, a mesma me disse para esperar por notícias, e eu fui me sentar no banco, logo avistando Lay entrando pelas portas do hospital. O mesmo parecia calmo, andava devagar sem expressão no rosto, com as mãos nos bolsos. Porém, o mesmo estava nervoso, notei o mesmo batendo os dedos na calça como se tocasse alguma música. O mesmo se aproximou enquanto eu me levantava e o abracei assim que chegou a mim. Ele devolveu o abraço e me apertou.

—Como ele está? — Sussurrou com a cabeça deitada em meu ombro.

—Eu não sei, levaram ele lá para dentro e me pediram para esperar.

—Chanyeol, escuta o que estou te falando: Se você não matar ele, eu vou matar… e vai ser bem pior do que qualquer coisa que você poderia fazer!

—Eu acredito em você, bebê! Mas eu vou matar ele, pode aguardar. Ele vai morrer nas minhas mãos!

—Sabe onde ele está?

—Ah! Sei muito bem para onde ele foi, e eu vou lá assim que souber que o Junmye está bem! E ele vai morrer! Eu prometo.

—Você vai ficar bem?

—Vou! Mesmo que aconteça algo, eu vou voltar, eu te prometo. Acredita em mim, eu juro pelo Byun!

—Acredito em você. — Disse o mesmo me apertando mais, sem ligarmos para as pessoas que nos olhavam por conta do abraço extenso, mas eu nem liguei, apenas continuei o abraçando. Ele estava mal e precisava, e eu queria que o resto do pessoal se fodesse. Ele era meu amigo, minha família e eu cuidaria dele. — Eu acredito em você, Park Chanyeol!

—Vamos sentar agora? Precisa descansar. Está mal, mesmo que não mostre.

—Para de me ler… — Sorriu fofo para mim enquanto sentava na cadeira ao meu lado, enquanto eu me sentava ao seu lado.

—Você é um livro adorável.

—Para, vai se foder… — Olhei para o mesmo e pude ver seu rosto vermelho.

—Oh! Que bebê fofinho ele é! — Sorri apertando suas bochechas. Logo rindo pelo menor me dar um tapa. — Tudo bem! Eu parei já.

—Obrigado, Park Chanyeol.

—Pelo que?

—Por tudo que está fazendo, por mim, pelo SuHo, pelo Baek, por todo mundo, até mesmo pelo Jongin. Isso será um favor para ele. — Sorri o olhando e beijei sua bochecha, arrancando um sorriso inesperado do mesmo.

—Não precisa me agradecer por nada. Eu não faço isso pra receber nada em troca. Vocês se tornaram minha família e eu cuidarei de vocês.

—E digo o mesmo sobre mim. Vou sempre lhe proteger.

Eu abri a boca para poder falar algo, porém, rapidamente me calei e me levantei junto dele ao avistar uma doutora vindo em nossa direção.

—Park Chanyeol? Responsável por Kim Junmyeon?

—Eu. Somos nós aqui.

—Bom… — Ela disse olhando a folha e nos olhou novamente. — Ele se encontra estável por hora. Tiramos a bala do local, com um pouco de dificuldade, já que a mesma quase perfurou o osso, por pouco ela passaria da pele. Bom, ele ficará aqui uns dois dias apenas em observação. Mas ele está bem. Senão piorar, se nada acontecer, ele poderá ir.

—Obrigado, doutora. Bom, o Lay, este aqui — Falei apontando. — É o namorado dele. Eu tenho uma viagem marcada para amanhã e não poderei ficar. Ele pode ficar como responsável dele, caso aconteça algo?

—Claro que pode. Só me dê seu nome completo e eu mudo o nome na ficha.

—Park Lay.

—Tudo bem. E o número de contato?

—Oh! Nos moramos juntos, o número é o mesmo.

—Tudo bem então, se quiserem ir vê-lo podem ir. O horário de visitas acaba as oito e meia.

—M-mas ele não está na UTI… Eu não posso ficar com ele? Fazem três meses que não nos vemos e ele chegou de viagem hoje, eu estou com tanto medo, Chanyeol… — O mesmo disse me abraçando forte e se virou para mim com lágrimas nos olhos. — Não quero ficar longe dele de novo. — Falou me abraçando forte, começando a chorar.

—M-mas, bebê, não pode. Ele vai ficar bem.

—Mas, Chanyeol, ele quase morreu semana passada porque quase foi atropelado… e isso é verdade. — Sussurrou apenas para mim. — E agora isso, eu estou realmente com medo.

—T-tudo bem, senhor! Eu lhe deixo ficar com ele os dois dias. Mas não conte a ninguém. Se quiser, podem ir ver ele agora. Quarto 06

—Obrigado, doutora. — Sorri ao ver a mesma sorrir de volta e avistei a mesma sair.

—De onde que você tirou essa história de três meses e viagem, doente?

—De lugar nenhum. É verdade. Faziam três meses que só nos falávamos por mensagem, por conta do trabalho dele, da escola e tudo mais. Eu sou um ótimo ator, não?

—Sim, você é. — Falei enquanto ria baixo.

—Mas, estou realmente com medo. Vamos ver ele?

—Vamos sim. Fica calmo. Vai dar tudo certo. — Falei enquanto puxava a mão do mesmo até o quarto.

Andamos pelos corredores, até que finalmente achei o quarto e entrei sorrateiramente com ele, observando Junmyeon deitado na maca, enquanto lia um pequenino livro. Me aproximei lentamente junto com Lay, que segurou sua mão e o olhou preocupado.

—Amor… — Disse enquanto acariciava a mão do mesmo. Eu sorri e resolvi ir aí corredor, tomar um café, deixsria-os à sós e voltaria depois.

Lay's POV

—Amor… — Falei nervoso, preocupado, enquanto acariciava sua mão gentilmente. Avistei Chanyeol saindo do quarto mas nada disse. Apenas o deixei ir. Sei que voltaria depois.

—Hyung! — Disse um pouco surpreso ao me ver, apertando minha mão enquanto colocava o livro sobre a pequena mesa ao lado da maca.

—Como você está se sentindo? — É, é uma pergunta idiota sim. Mas eu não sei muito bem o que dizer.

—Eu tinha me esqueci como esta porra dói.

—Se tivesse continuado a ser um dos bandidinhos, jamais esqueceria e não iria doer tanto agora… — Falei rindo baixo, fazendo o mesmo rir também, porém logo o mesmo fez biquinho.

—Não me faz rir, amor. Tá doendo!

—Desculpa, bebê. — Falei olhando em volta para ver de havia alguém é lhe dei um selinho demorado.

—Vocês ainda querem matar ele, não?

—Queremos sim… ainda mais agora. Chanyeol está furioso com ele. Mas, se ele não matar a miniatura do Satanás… eu quem vou matar.

—Eu amo você, Zhang Yixing . — Ele sussurrou bem baixinho, me fazendo sorrir.

—E eu amo você, Kim Junmyeon. — Falei arrancando outro sorriso do mesmo, e logo olhamos para a porta avistando Chanyeol entrar com dois copinhos de café.

—Vocês querem?

—Não, obrigado. Vou tentar dormir daqui a pouco.

—Tudo bem. Você quer Lay?

—Oh, eu quero sim. — Falei sorrindo enquanto pegava o copo, bebendo todo café de uma vez.

—Calme, campeão. Vá devagar.

—Estou nervoso.

—Percebi. Você já parece que fuma maconha, é todo lerdão. Se tomar café vai explodir de eletricidade.

—Assim espero, quero ficar acordado cuidando dele.

—Não precisa, meu amor.

—Amor, não seja chato. Quero cuidar de ti como posso.

—Tudo bem, mas não reclame quando eu quiser retribuir.

—Não irei, eu prometo.

—Vocês são muito fofinhos, mas, eu preciso ir agora.

—O que você irá fazer?

—Vou na casa do Nini, ver se ele está lá. Senão, eu vou pedir para o Kris rastrear o meu carro e o celular dele. Melhor… como ele não deve mais estar aqui como presumo, falarei com um amigo meu.

—Tudo bem, eu vou ficar aqui com ele.

—Claro, claro. Amo vocês. Ligo para dar notícia, diga ao Byun que eu amo ele demais.

—Sim, senhor. — Falei sorrindo. Nos despedimos do mesmo e assim que ele saiu, puxei uma cadeira para perto da maca, me sentando e começamos a conversar.

Chanyeol's POV

Assim que saí do hospital, sem demoras, peguei um táxi e dei o endereço da casa do Nini. Não demorou muito para que eu chegasse. Paguei ao taxista, sai e andei apressado até à porta e toquei a campainha. Em poucos segundos a porta foi aberta, mas não foi Kai quem abriu.

—Oh! Chanyeol! — Disse o menino a minha frente, com um sorriso enquanto me abraçava. — Veio ver o Nini?

—Taemin… — Sorri o abraçando de volta, um pouco confuso, confesso. — Eu vim sim. Ele está?

—Yah! Só um segundo. Amor, o Yeollie está aqui para lhe ver. — Dei uma pequena arregalada nos olhos. Eles estavam juntos? Logo avistei um Jongin de cabelos molhados e bagunçando descendo e sorri para o mesmo, assim que me abraçou.

—Entre, Chanyeol.

—Obrigado. — Fiz como o mesmo disse e entrei, me sentando no sofá de frente a ele.

—Vou deixar vocês conversarem.

—Não precisa, Minie, pode ficar.

—Não, conversem a vontade. Licença. — O mesmo se curvou sorrindo e subiu as escadas, foi para o quarto, presumo eu.

—O que quer falar, Channye?

—Você sabe do Soo?

—Não, depois do que me disse, nós terminamos. E agora, estou com o Taemin… achei que ele já estivesse morto. — Deu de ombros.

—Sim, ele estaria, mas, ele fugiu. Ele sabe que eu quero matar ele… ele atirou no SuHo.

—SuHo? Que SuHo? Kim Junmyeon, o musicista e professor de música? Você conhece ele?

—Os meninos conhecem, ele é namorado do Lay e meu amigo agora. E foi nele mesmo.

—Ele está bem?

—Sim, está. Eu preciso muito achar o Do.

—Já pensou na possibilidade dele estar em Miami? Na cada de praia?

—Acha que ele iria para lá?

—Claro! Ambos sabemos que você não é muito bom em inglês, e só ia para lá com ele. Então seria um bom local!

—É, mas o que ele não sabe é que o Kris e LuHan Hyung são bons com inglês, e se eu for, eles vão comigo. Nem que eu entre em um curso de seis meses… mas eu vou fazer o que for preciso pra ir atrás dele.

—Acho que seria bom, sabe? Deixar ele pensar que desistiu, deixar ele baixar a guarda e ir depois.

—Quem diria que, seríamos amigos, unidos pela pessoa que fez com que odiássemos um ao outro.

—É… e agora odiamos ele.

—Ódio une mais que amor, infelizmente.

—Realmente. Eu espero que dê tudo certo, mesmo não sendo muito certo. — Disse rindo, me fazendo rir também.

—Obrigado, de verdade. Vou aproveitar que tenho um amigo meu que está morando em Miami, e vou ver se ele consegue ficar de olho no Soo pra mim.

—Espero que ele fique.

—Oh! Ele ficará sim. Digamos que ele é da máfia chinesa.

—Tu só anda com quem não presta, garoto.

—E você presta? Quem disse que eu presto pra andar com quem presta?

—Eu prestou sim!

—Ah, claro que sim, garoto que explodiu o teto do banheiro dos meninos e dava cola pra escola inteira. — Disse dando ênfase. — No ensino médio.

—Ok, ok, está certo. Mas você também. Você pode até ter sofrido aquelas coisas mas você era terrível, menino que quebrou o carro do diretor com taco de basebol e colocou a culpa no ex funcionário que havia morrido um dia depois… — Disse me fazendo rir.

Continuamos conversando, lembrando de quando éramos amigos e acabamos por perceber que fomos idiotas de nos separarmos por causa do idiota do Kyungsoo. Um pequeno tempo depois, Taemin havia se juntado a nós. O que era algo bom, era o fato de que todos havíamos nos conhecido na escola, menos Byun. Que claro, entrou em nossa vida graças a SeHun.

Fui embora bem tarde. Já eram suas onze horas, Jongin me deixou na porta de casa e foi embora de volta com Taemin. Por incrível que pareça todos estavam dormindo, afinal, amanhã seria segunda. LuHan voltaria a cuidar da empresa, claro, SeHun era como segundo dono, cuidava dos rolos e das coisas eletrônicas, voltaria com ele. Baek voltaria a empresa também, ele estava trabalhando duro para ter sua própria empresa de fotografia. Tao estava com Kris e Jiwon, na casa do coelhinho enquanto Chen e Xiumin faziam uns picos como modelo, mas na verdade ambos tinham uma escola de artes gerais para crianças, onde Lay dava aula de dança. E Eu… era professor de jardim e primário. Mas dei uma pausa para resolver todos esses problemas. 

Mas, nem todos estavam dormindo. No sofá, havia uma pessoa coberta por inteiro, com o rosto pra fora enquanto chorava assistindo algo. Sorri bobo com o jeito sensível do meu pequeno e me aproximei aos poucos, porém não em silêncio, não queria assiustá-lo.

—Por que está chorando, amor? — Perguntei me sentando ao seu lado

—Yeollie! — Ele gritou se jogando em cima de mim e me agarrou, eu arregalei os olhos mas o segurei de volta. — Ela morreu, amor! Agora ele vai ficar sozinho! Ela tomou um tiro e caiu na água!

Doctor Strange? Está vendo isso?

—Estou. — Balançou a cabeça formando um biquinho, o qual eu beijei. — Eles colocam muitas coisas em um episódio só. Já não basta o JongSeok e o Hae Jin estarem atuando juntos…

—O que tem isso, amor?

—Você não é idiota, Channye. Olha pra eles. Olha para esses homens! Eles são lindos nível supremo, ultra supremo!

—É… não posso negar, realmente isso já causa uma emoção gigantesca.

—Você me ama como o personagem do JongSeok ama a garota dele? — Perguntou me olhando, com os olhos brilhando. Eu sorri e enxuguei suas lágrimas, o abraçando e deitando sua cabeça em meu peito.

—Até mais, meu amor. Eu sou capaz de fazer tudo e muito mais do que ele faz por ela!

—Eu vou chorar de novo.

—Não vai. Não deixo!

—E como não? Eu choro fácil, sabe disso.

—Realmente, mas não vai chorar se estiver rindo!

—Rindo?!

—Sim! — Sorri e comecei a lhe fazer cócegas.

—P-para, Channye! — Disse ele rindo enquanto se contorcia.

—Vai chorar de novo?

—N-não, prometo.

—Agora sim! — Sorri encerrando as cócegas torturantes e inverti as posições, o deitando sobre mim, abraçando seu corpo pela cintura, acariciando suas costas.

—Eu amo quando sorri assim, sabia?

—Não sabia… — Olhei seu rosto e sorri notando que estava vermelhinho.

—Eu amo absolutamente tudo sobre, você Byun Baekhyun… você é realmente o amor da minha vida…

Fiquei com meu pequeno acariciando suas costas até que dormisse, sorri ao ver que o mesmo havia caído no sono e desliguei a televisão, o peguei no colo e subi as escadas. Abri a porta do nosso quarto e entrei fechando a mesma em seguida, apaguei a luz deitando abraçado com ele na cama e me permiti dormir também.

Me aguarde, Kyungsoo. Pode até demorar, mas você vai me pagar, nem que eu tenha que dar a vida por isso.

[…]

—Quanto tempo não te vejo, Orelhudo!

—Vai se foder, viu? Desligo na sua cara e não falo contigo nunca mais!

—Estou brincando, seu dramático! Mas estou realmente com saudade. Precisa de mim para quê?

—Acha que sou interesseiro, é isto? Quer perder um amigo?

—Ainda estou brincando! Fale logo, Park Chanyeol.

—Tudo bem. Preciso de você, do seu namorado e do seu irmão.

—Pra que?

—Quero matar o Kyungsoo.

—Mas o que? Caralho, vocês não namoram?

—Aí, Jung Jaewon… aconteceu muita coisa nesses meses.

—Pois conte todas!

—Ok. Então, primeiro, meu pai morreu e…

[…]

Permanecemos algumas horas conversando, contei tudo pra ele, para eles na verdade. Seu irmãos e seu namorado se juntaram a conversa. E no final, eu tinha mais três aliados ao meu lado.

—Tudo bem, Park Chanyeol. Vamos ver se ele está aqui em Miami mesmo e vamos ficar de olho nele pra você. Faça o que tem que fazer, te vejo em seis meses. E daí, preparamos tudo para que mate o pequenino Satanás em forma humana.

—Obrigado, meu amor! Estou te devendo…

Desliguei o celular e fui fazer o que? Isso mesmo, me matricular em um curso de inglês. Aqueles bem furrequinha de seis meses só pra poder aprender algo. Então, me matriculei e voltei para casa, não queria fazer muita coisa, já que gastaria todas as minhas horas livres estudando essa porra desse inglês. Não esperava que matar esse filho da puta sem ser preso me daria tanto trabalho… antes eu tivesse matado e ido preso, foda-se. Seria menos enrolação.

Assim que entrei em casa, avistei Kris e uma garota, namorada dele, presumo.

—Olá, todos!

—Olá, Orelhudo. Está aqui é a JanDi!

—Prazer, Oppa!

—Prazer, Saeng-nim.

—Sua namorada?

—Uhum!

—Sejam felizes! Mas e o Tao?

—Depois explico tudo!

—Ok, meu amor.

Sorri subindo para o quarto. Olhei o calendário e vi que faltavam apenas dois meses para o Natal… parece que este vai ser o último fim de amo de Do Kyungsoo.

[……]

—Chanyeol! Amor… A véspera de Natal é daqui a três semanas e a gente nem montou a árvore ainda! Para de estudar um pouco e vem ficar comigo! — Dizia Baekhyun completamente manhoso, com um biquinho super adorável. Sorri largo o olhando com os olhos brilhando e fechei o livro. Tirei os óculos e segui até o mesmo.

—O que você quer, meu amor?

—Eu quero meu noivo! Você só sabe ficar com esses livros, e esses cadernos e não me dá mais atenção, parece até que você mão me ama ma…

Eu ri alto com toda sua manha e o puxei para um beijo, sem o deixar acabar de falar. Envolvi seu corpo com meus braços e o puxei para um abraço apertado, sem parar o beijo. Estava o beijando vagarosamente e com carinho. Senti sua língua passar timidamente por meus lábios e cedi a passagem, começando uma guerra amistosa entre nossas línguas.

Sorri me sentando na cama enquanto o mantinha sobre meu colo e o vi tentar tirar minha blusa, um pouco desesperado.

—Calma, amor!

—N-não Yeollie… eu quero você… por favor, já faz tanto tempo, eu quero você! — Eu sorri com seu tom necessitado e manhoso. Ele estava completamente manhosinho e carente, eu amo meu noivo.

—Shh, my beauty… pra que apressar as coisas, hum? Relaxa aí, está muito Tenso…

Sususrei calmamente ao seu ouvido e deixei uma pequena mordida no local. Forcei a cintura para cima para estimular nosso membros e apertei a bunda dele, o fazendo gemer baixo e rebolar sobre meu colo. Assim que senti nossas ereções se encostarem, gemi baixinho e sorri abaixando nossas calças e ambas as boxer. 

Segurei meu membro pela base enquanto levantava Byun minimamente e o penetrei devagar, vendo o mesmo gemer alto e se contorcer. Comecei a me mover devagar enquanto abraçava sua cintura e o puxava pra perto de mim, colando nossos corpos. Distribuí chupões e beijos molhados por todo seu pescoço, ombros e clavículas, me deliciando com cada gemido dele, mínimo que fosse.

—C-Chanyeol… por favor, m-mais rápido… eu q-quero mais!

Tomei seus lábios de modo carinhoso enquanto masturbava seu membro rapidamente, enquanto o penetrava mais rápido e fundo.

Não demorou muito para chegarmos ao nosso ápice enquanto Byun gemia bem alto perto de meu ouvido.

—Eu amo fazer amor com você, Park Chanyeol!

—Eu amo fazer amor com você, Byun Baekhyun… vamos comprar os enfeites da árvore?

—Vamos! — Disse ele animado, levantando de meu colo e correndo para o banheiro.

Me levantei para ir junto porém ouvi meu celular tocar e me estiquei para pegá-lo na cômoda.

—Jaewon! Oi, amor.

—Oi, docinho. Tenho algo pra ti.

—Só, fala, meu bebê.

—Kyungsoo está aqui sim!

—Bom saber disso… daqui quatro meses… Estou aí.

—Tudo bem, amor. Estaremos esperando.

—Obrigado. Diga a seu irmão que vou precisar bastante dele.

—Pode deixar… 


Notas Finais


Se eu me coloquei como namorado de Jung Jaewon? KKKKKKK S… sinceramente não, puff, lógico que não.

Se eu tô in love com esse Chanbaek? ÓBVIO aaaaah

Até o próximo, amores.
Beijos, morangos e abraços
~Kissus do Angel! 💟💟


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...