História My Fake Virtual Boyfriend - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Black Pink
Personagens Jennie, J-hope, Jimin, Jin, Jisoo, Lisa, Rap Monster, Rosé, Suga, V
Visualizações 43
Palavras 2.435
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Droubble, Famí­lia, Ficção, Hentai, Romance e Novela, Seinen
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá, Bom receber você aqui :3
Vou ser breve prometo, para uma parte do capítulo eu sugiro colocar a Música Crying in The Club da Camila Cabello pois essa música me inspirou a escrever boa parte e tem um pouco de ligação com os acontecimentos iniciais.
Boa Leitura <3

Capítulo 1 - Prólogo - I Can Be That Someone


Jisoo P.O.Vs 

Clubes ou Baladas, como melhor conhecidos, na visão de muitas pessoas servem para elas se descontraírem de suas vidas agitadas, se divertirem e ficarem bêbadas com seus amigos. Eu sinceramente acredito que diversão  é Netflix e uma pipoquinha amanteigada enquanto fico em baixo do ar enrolada no cobertor trocando mensagens com meu melhor amigo sobre séries. O fato é que mesmo eu não gostando de lugares como clubes, esta noite estou sendo arrastada para um por meu velho grupo de amigas da escola. Bom acho melhor eu esclarecer algumas coisas. Quando fomos para a faculdade acabamos nos afastando pelo motivo de cada uma ter escolhido um curso e acabava que alguns dos cursos eram do outro lado do país, então quando tem um feriado e todas estão na cidade resolvemos fazer um programa legal juntas, o problema disso? Bom não é sempre que a ideia de programa entre amigas  que elas têm me agrada. Já tivemos vários programas divertidos, como jantares, saídas para restaurantes, jogar boliche e outros que não vou recordar no momento. Outra coisa que eu deveria esclarecer é que algo que costumamos fazer é decidir a ordem de quem vai organizar a programação da vez, fazemos isso da mais velha pra mais nova e este é um péssimo momento para a integrante mais nova do grupo decidir beber pela primeira vez quando caiu pra ela escolher. Por isso cá estou sendo arrastada para um dos clubes mais cheios de Seul. Deus tenha misericórdia da minha pobre alma.

À nossa entrada é tranquila, carimbam meu braço e o das Minhas amigas e vamos pra dentro. Assim que passamos pela porta luzes fortes invadem meus olhos e uma música alta e quase ensurdecedora fica contra meus tímpanos.

-Legal né Jisoo -A membro mais nova disse pulando de um lado para o outro.

Jesus me Leva

-Sim, muito -sorrio forçado e vou em direção a uma das mesas enquanto algumas se dirigem a pista de dança e outras ao bar. 

Eu não estou confortável mesmo estando com Minhas amigas de infância, qual o meu problema? Eu deveria estar me divertindo com elas não é sempre que nos vemos e eu só consigo sentir essa repulsa por tudo que vejo dentro do ambiente de festa. Este final de semana parece estar cheio de mais pra uma pessoa que costuma usá-los pra dormir. 

Sinto o estofado pesar um pouco e me viro para ver quem é. Um garoto bonito que assim que percebe minha atenção sobre si coloca o indicador nos lábios cheios me pedindo silêncio.

-Não precisa gritar, eu não sou um estuprador nem nada -diz o garoto sorrindo enquanto o olho e- Eu só To fugindo de uma garota doida, você pode me ajudar?

Faço que sim com a cabeça  e ele abre um sorriso encantador. 

-Pra que precisa da minha ajuda? -olho ele um pouco desconfiada

-Meus amigos armaram pra mim e agora a menina acha que eu estou na dela -Revira os olhos e solta uma risada nervosa

-Certo mas onde eu entro nisso? -arqueio a sobrancelha 

Percebo seu olhar em outro lugar e quando pretendo me virar para seguir a direção onde estão seus olhos ele segura meu queixo. 

-Bem aqui- Isso foi tudo que ele disse antes de me beijar. E que beijo.... 

Onde é que eu to com a cabeça? Nos separo de um modo gentil e começo a mexer a cabeça em um sinal negativo. 

-Cara você tá maluco? -Olho pra ele indignada 

-Acho que ela viu -soltou um suspiro de alívio e sorriu- Desculpa fazer isso com você, eu só precisava fazer ela desencanar de mim. 

-Fez isso de um modo cruel, não acha? -cruzo meus braços em forma de reprovação

-É talvez eu tenha exagerado no modo que demonstrei desinteresse nela -deu de ombros. 

Ficamos encarando um ao outro por um bom tempo sem ter o que falar, acho que talvez seja o modo constrangedor que nos conhecemos ou o clima estranho do beijo inesperado. Ele tentou manter uma conversa comigo e até que funcionou, ficamos um bom tempo conversando. Parecia que tanto ele quanto eu estávamos desanimados para ir essa droga de clube. Fomos pegos em uma mentira de nossos amigos. 

Ele se ofereceu para pegar uma bebida para nós e eu pedi que ele me trouxesse só um refrigerante, claramente eu teria que cuidar das mais bêbadas do clube no táxi, melhor eu estar 100% pra ajudar elas. Espero ele voltar mas quem chega primeiro a mesa é a mais nova do grupo, maquiagem levemente borrada nos lábios e um pouco de hálito cheirando a vodka. Ela já fez burrada. 

-Jisoo vamos dançar -ela não espera minha resposta e me puxa para o meio da multidão

Ela começa a mexer meus braços e forçando a dançar, então eu rio dela e cedo as batidas da música, eu reconheço a mesma como Swalla. Fecho os olhos acompanhando os outros corpos que dançavam com a música enquanto sigo a letra. Percebo outras amigas se aproximarem mas continuo de olhos fechados, escuto suas vozes rindo e se divertindo até que eu sinto um puxão no meu braço, então abro meus olhos e recebo um tapa forte de mais em meu rosto. 

-Jisoo eu não acredito que você foi capaz de fazer isso comigo -que? 

-Que? -pergunto zonza e com a mão no rosto quente resultados do forte tapa levado. 

-Ele está apaixonada por você, não por mim -Ela grita para o clube todo e me olha com lágrimas escorrendo pelo seu rosto e puro ódio nos olhos e então minha amiga corre para o banheiro do clube com duas outras meninas em seu encalço. 

As outras que ficaram me seguram pois quase que caio para trás e as vezes colocam as mãos nos meus ombros dando sinal que estão ali por mim enquanto me guiam até a uma mesa, pareciam estar tão confusas quanto eu. Elas se esforçam para me acalmar e tentamos entender juntas o que estava acontecendo na quela droga de clube enquanto  a mais nova corre a trás de gelo no bar pro meu rosto. 

-Do que ela tava falando? -choro de nervoso

-Eu acho que eu sei do que ela está falando -a mais velha da mesa diz enquanto a mais nova retorna me entregando o gelo- A festa de ontem a noite Jisoo, lembra de algo? 

-Só me lembro do bolo, as piadas de tio de vocês e dela e o garoto meio chato que ela levou -dou de ombros meio confusa com o que a mais velha estava querendo dizer. 

-O problema é esse garoto que ela levou -disse a mais velha bufando de nervoso com a mesa inteira não entendo nada.

Foi ai que eu entendi o que ela estava falando. O Garoto que ela levou na Festa... 

Vou deixar bem claro eu nunca gostei de festas, se é algo que eu acho que atrai problemas é isso. Pessoas bêbadas fazendo coisas estúpidas e desleixadas que resultam em maus resultados no dia seguinte. E ontem o único motivo de eu ter resolvido ir na festa foi por causa que era um festa de aniversário da minha velha colega de sala e teria bolo.

   Resolvi que seria justo ir pelo menos pela consideração e umas boas e velhas lembranças.

   Que má idéia a minha.

Flashback On

  Está realmente horrível achar o prédio certo. Ter cinco prédios iguais em um mesmo lugar e não especificar detalhes para as pessoas convidadas saberem diferenciar, lindo, obrigada mesmo por facilitar a vida. Fico Procurando o prédio que tinha luzes piscando e um som pelo menos um pouco alto. Parece que não é tão complicado procurar um apartamento olhando pra cima quando se vê garrafas de champanhe vazias caindo do céu ou do décimo andar do prédio do meio. 

  Vou até o prédio apressada para chegar ao apartamento da garota. Entro na recepção e passo direto pois não havia um porteiro, somente na entrada que estava aberta e o mesmo cochilava pesadamente, então segui para o elevador como um foguete. Retoco meu batom e coloco meu sorriso simpático no rosto. Isso vai acabar logo e eu só precisaria passar algumas horinhas sendo legal com uma boa quantidade de desconhecidos. O elevador abre e eu já percebo a desgraça da festa, pessoas bêbadas caídas pelo corredor, velhos colegas se engolido como aquelas cobras imensas me fazendo me perguntar o que eu realmente estava fazendo ali. Foi então que vejo a mais nova cursante de direito e dona da festa vindo em minha direção de braços abertos. 

-Jisoo que bom que você veio! -Ela sorri simpaticamente- Sei que está uma bagunça, meu namorado planejou não imaginava que sairia tão exagerado, olha eu já volto, preciso buscar gelo mas pode ir entrando e coloque seu presente no meu quarto, é a última porta do corredor. 

Ela simplesmente me abraça sorrindo e sai voando para a porta do elevador logo depois. Sigo suas instruções e depois me sento no sofá logo sendo cumprimentada por uma boa quantidade de pessoas. Melhor ficar de bobeira no sofá enquanto escuto conversas aleatórias. Quando estou quase fechando os olhos e cochilando sinto uma mão na minha cabeça.

-E essa é a Jisoo Oppa -olho para cima para ver minha velha amiga do colegial

Me levanto e trocamos reverências apressadas para que ela pudesse fazer com que o garoto conhecesse as outras pessoas presentes. Assim que ele vira as costas e eu pisco para e faço um Positivo e ela faz os mesmo gestos toda iluminada e sorridente. É claro que eu sabia quem era o garoto, ela só falava a meses dele dizendo que era o homem que ela se casaria. Pelo menos a vida dela estava dando certo, finalmente um casamento no grupo.

...

Eu estaou realmente incomodada e irritada, aquele esquisito que era o amor da vida da minha amiga não saia do meu pé, ficava puxando assunto e ficava me encarando sem parar. Ele não pode dar atenção pra quem realmente quer e precisa? Ele só fica dando uma desculpa pra menina! Nem minhas amigas conseguem melhorar meu humor por causa desse chato. Quando finalmente anunciam o parabéns eu pulo do sofá.

Tiramos fotos rápidas com várias palhaçadas e pessoas caindo uma em cima das outras devido ao aperto do apartamento. O Bolo tava parecendo um pedaço do próprio paraíso quando fui comer e esse final de festa fez tudo parecia ótimo. Assim que terminei de ajudar no que precisam disse um tchau rápido a todos enquanto era acompanhada pela aniversariante até a saída do prédio.  

Foi uma boa Festa. 

Flashback Off

Foi uma péssima festa. 

Me levanto da mesa e me movimento o mas rápido que posso até o banheiro do estabelecimento. Abro a porta violentamente e peço para que as outras pessoas saiam. Tranco a porta assim que não tem mais ninguém e apenas eu e minha amiga no banheiro. Encosto a mão na porta e percebo a abrir com o gesto, ela tinha apenas encostado. Sua maquiagem estava borrada e estava sentada em cima da tampa abraçando os joelhos. 

-Eu sei que você não tem culpa alguma -diz com a voz rouca e passando a mão no rosto piorando a bagunça já feita nele pelo rímel e lápis de olho. 

Assinto a ela dando sinal que a estou ouvindo. 

-Fiz um escândalo, me perdoa -então volta a chorar.

Seguro seu rosto e limpo suas lágrimas enquanto escuto a música lá fora, que momento perfeito pra ela.

Crying in The Club. Para acalma-lá eu traduzo a ela as palavras colocadas na música. 

-Você acha que vai morrer sem ele

Você sabe que isso é uma mentira que diz a si mesma

Você tem medo de ficar sozinha para sempre

Não é verdade. 

Então quando percebe o que estou fazendo ela ri e me empurra e me fazendo cair de bunda no chão.

-Não vem me dar lição de moral com uma música que ta tocando nessa merda -Ela ri descontroladamente logo depois de tentar fazer uma cara séria- Vem, vamos dançar.

Ela me puxa e saímos daquele banheiro. 

...

 

Quando retorno a mim eu já estava no táxi a caminho de casa com minha amiga descabelada com a cabeça no meu ombro. Achei que seria justo levar ela pra casa e cuidar dela amanhã com toda aquela ressaca. 

-Jisoo -escuto ela chamar- Sei que ele está apaixonado por você... Mas eu o amo e vou me casar com ele, eu sei que eu vou.

Depois de dizer essas palavras tristes ela vomita no carro e nos meus sapatos depois dormindo encostada na janela. Pago os danos ao motorista e a carrego com dificuldade para dentro da minha casa onde a deito a no sofá assim que entro. Limpo seu rosto e colo um travesseiro em baixo de sua cabeça, logo depois a cubro com delicadeza. Quando termino de cuidar dela me viro como posso com meus sapatos fazendo o que posso para restaurar eles. 

Termino tudo por volta das três da manhã e tomo um banho de longos minutos para tirar as impurezas da noite do meu corpo. Me jogo na cama já de pijama e olho meu celular que estava apitando com uma vídeo chamada.

Jungkook. 

Parece que finalmente eu tinha um motivo pra respirar aquela noite.Eu o atendi e  ele me contou todo seu final de semana divertido com seus amigos. Contou me empolgado como jogaram boliche no sábado e no domingo fizeram escalada enquanto um dos seus amigos ficou apavorado em fazer. Chegou a iluminar minha madrugada com suas piadas e risadas. Como sempre cortês Jeon me perguntou como tinha sido o meu final de semana. Pobre coitado, desabei em lágrimas contando a ele tudo que tinha acontecido. 

-Vou ter falar Kook, o jeito é eu arranjar alguém para fugir dessa -rimos juntos enquanto seco as lágrimas que fizeram questão em cair ao lembrar das últimas 48h. 

-Eu posso ser esse alguém -Ele sorri para mim de um modo engraçado pela tela do celular

-Genial, assim você me salva de várias coisas como essas situações que sou jogada -Dou uma risada baixa para não acordar a garota na sala. 

-Estou falando sério Jisoo -Percebo mudar sua expressão- Nos conhecemos a cinco anos, podemos fingir muito bem um namoro. 

-O que você quer dizer com isso Jeon -Tomo um ar mais sério.

-Que não é só você que está com problemas -Seu rosto geralmente sorridente parece cansado- E então, falsos namorados? 

-Falsos namorados -Concordo. 

O que teria de mal nisso, somos melhores amigos, ninguém ira desconfiar e se ajuda as duas partes, melhor pra nós. 

Continua...

 

 


Notas Finais


Espero que tenha gostado e mais uma coisa já dando um spoiler...
O próximo capítulo terá o Kook como narrador para entender a parte dele da história.
Até a próxima <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...