História My First and Last - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Visualizações 9
Palavras 1.498
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hey everbody!!
Acho que dessa vez eu não demorei muto rsrs mas perdão
Espero que gostem viu? E acalmem o coração rs

Capítulo 3 - Capítulo II


Maio 2017

Sook POV’s

O cérebro, ao final do dia, apaga de nossas memórias, aquilo que é totalmente insignificante. A questão que rondava minha cabeça, era como eu não havia esquecido aquela maldita mão na minha cintura. Foi um movimento involuntário, o garoto estava dormindo. Mas não. Minha cabeça insistia em voltar naquele momento, aqueles leves apertos que mataram minha noite de sono. Duas semanas haviam se passado desde o ocorrido, e durante os outros dias que passaram, eu evitei de dormir ao lado de Kim Taehyung.

— Senhorita Jeon. — sai do meu transe ao notar que Sr. Chan chamava minha atenção — Se puder sair desse seu mundo e prestar atenção no que eu falo, eu agradeceria. — sorriu cinicamente.

— Me desculpe professor. — torci o lábio e voltei minha atenção as anotações na lousa, que há pouco tempo não estavam lá.

O sinal de que as aulas haviam encerrado, tocou, e eu agradeci mentalmente por isso. Juntei meu material e fui ao corredor, em direção ao meu armário. Coloquei o código e guardei minhas coisas, enquanto realizava o ato, senti uma presença ao meu lado.

— Hey, flower! — Jin beijou minha têmpora — Nem me esperou.

— Estava focada em sair daquele cubículo. — murmurei concentrada em organizar os livros e ouvi meu melhor amigo rir.

— Bom, os meninos comentaram de sair hoje à noite… — interrompi antes que ele terminasse.

— Não estou muito afim, Prin. — fechei o armário e comecei a andar em direção à saída.

— Ah Sook, qual é? — reclamou me acompanhando — Vai ser legal.

— Diferente do meu irmão, não gosto de torrar o dinheiro dos meus pais todo final de semana. Saí com vocês semana passada já. — o lembrei.

— Já que a economia em pessoa não vai sair, ela vai fazer o que? — revirou os olhos.

— Eu ainda não sei, vou pensar. — acenei para Jungkook que me esperava junto com o pessoal.

— Por favor, flower! — Jin parou em minha frente, e se ajoelhou juntando as mãos — Vamos, por favor.

— Jin... — murmurei nervosa ao ver que todos nos olhavam curiosos — Levanta daí! — puxei-o para cima pela gola de sua camiseta — Eu já falei que não! — repeti e sai andando até o meu irmão.

[...]

Eu bebericava a bebida de cor azul, enquanto analisava o que tinha acontecido pra eu chegar nesse bar. Eu deveria ser muito previsível, por que assim que os meninos souberam que eu não iria, me chantagearam com presentes e promessas, eu relutei, mas quando Yoongi veio com a promessa de ingressos para o show do meu grupo favorito, eu não pude negar. De toda aquela chantagem apenas Jungkook e Taehyung ficaram de fora, sendo que o segundo analisava tudo seriamente e o primeiro com um meio sorriso.

E aqui estou eu, sentada com um copo de bebida, que eu não sabia o nome, esperando Jungkook voltar com mais um copo. Quando ele e seus amigos saiam, e eu ia junto, meu irmão sempre ficava ao meu lado, caso ocorresse algo indesejável. As vezes ele barrava os beijos com certos caras que, de acordo com ele, não passava uma boa impressão, mas nada que chegasse a me afetar. Ele também não ficava focado em me “proteger”, rolava umas pegações, porém nunca tão longe, onde ele poderia me perder de vista.

— Kookie... — chamei assim que ele voltou com os copos — Eu vou ao banheiro.

— Eu vou com você. — se levantou, mas foi impedido por mim.

— O banheiro é aqui na frente, pode olhar daqui. — apontei para porta, um pouco mais a frente — É rápido! — dei um beijo em sua bochecha e fui rapidamente a entrada do banheiro, antes que houvesse algum protesto.

Entrei e me deparei com um casal se pegando intensamente, não dei muita bola e me dirigi a uma das cabines, realizando minhas necessidades. Sai lavando a mão e notei que a pegação do casal estava longe de terminar. A menina, que estava sentada na pia e de costas para o espelho, começou a distribuir beijos pelo pescoço do menino que inclinou sua cabeça para o lado, me dando a visão de seu rosto. Assim que notei quem era, um nervosismo tomou conta de mim. Taehyung me encarava com um olhar de surpresa, e logo afastou a menina bruscamente e me olhou, enquanto mordia o lábio nervoso. A menina nos olhava sem entender nada, nem eu estava entendo nossa reação. Eu apenas suspirei e sai do local.

Por que eu fiquei nervosa? Por que ele ficou nervoso? Eu não estava entendendo nada. Nunca nos envolvemos, nunca houve um interesse… Mas porque eu reagi como se houvesse? Não tinha motivo para ficar nervosa. Um aperto em abraço espantou todos os meus pensamentos. Taehyung me encarava ofegante e seu aperto era firme em meu braço.

— Sook, olha eu…

— Tae, desculpa atrapalhar, não vai se repetir. — tentei me virar, mas seu braço me impediu.

— Sook... — se aproximou — Não…

— V, nós não temos nada... — sorri nervosa — Não precisa me dar satisfação. — soltei-me de seu aperto e fui para onde Jungkook estava, sem lhe dar tempo de responder algo.

— Aconteceu alguma coisa, Jagya? — minha expressão não deveria ser uma das melhores, já que Jungkook me olhava preocupado.

— Só estou meio tonta, Oppa. — me sentei ao seu lado, e peguei uma bebida.

— Quer ir embora? — meu irmão sussurrou em meu ouvido e eu neguei.

— Vou ficar mais um pouco, pode ir se divertir. — peguei uma batata que estava na mesa.

— Eu vou ficar com você, não tem nada de interessante aqui. — comentou olhando ao redor, mas seu olhar parou em uma mulher que acabara de entrar no estabelecimento — Quer dizer, não quero te deixar sozinha, dongs. — murmurou.

— Eu fico com ela, Jeon. — ouvi uma voz atrás de mim, o que me fez gelar — Pode ir. — Taehyung sentou-se ao meu lado, e Jungkook olhou pra mim, como se perguntasse se estava tudo bem ele ir. Apenas lhe dei um pequeno sorriso.

O silêncio reinou naquela mesa. Enquanto eu brincava com o copo, Taehyung me encarava, de vez em quando, enquanto rasgava os guardanapos em pequenos pedaços. O clima estava estranho entre nós, e se alguém me perguntasse o motivo, eu não saberia responder. O garçom veio depositar mais uma porção de batata frita, e minha boca enche d'água, eu sou apaixonada por batata frita. Me apressei em pegar, mas infelizmente Taehyung também quis pegar uma ao mesmo tempo que eu, esbarrando sua mão na minha. Aquela  sensação tomou conta do meu corpo, recolhi minha mão e me esqueci da batata.  O que estava acontecendo comigo?

— Pode pegar Sook. — o garoto ao meu lado coçou a nuca, parecendo estar constrangido. O que era totalmente novo pra mim. Kim Taehyung era um dos maiores pegadores da minha escola, como que um cara pegador se constrange por uma mão que esbarrou em outra?

— Não... — sorri minimamente — Pode ficar, estou indo embora, vou chamar meu irmão. — me levantei, mas sua mão agarrou a minha, me impedindo de continuar o caminho.

— Eu te levo. — se levantou — Meu interesse aqui acabou. — me senti culpada por ter acabado com sua possível noite.

— Desculpe Tae. — murmurei — Não quero te incomodar mais. — sorri constrangida.

— Você nunca me incomoda. — murmurou — Vamos lá, é caminho.

— Tudo bem. — suspirei, enquanto ele sorria e me guiava até a saída. O grupo todo tinha vindo em três carros, então ninguém ficaria na mão, no final. Caminhávamos em direção ao seu carro, que não estava muito longe, calmamente, quando um grupo de garotos passou ao nosso lado fazendo comentários totalmente desnecessários, foi quando eu senti Taehyung enrijecer a postura e apertar minha mão um pouco mais forte. Foi aí que eu percebi que nossas mãos ainda estavam enlaçadas, quando os meninos foram embora, tratei de me soltar do aperto timidamente, coisa que o garoto ao meu lado percebeu, porém não comentou nada.

Chegando ao seu carro ele abriu a porta do passageiro, ao me ver entrar, deu a volta no veículo e ocupou o espaço do motorista. O caminho até minha casa foi silencioso, mas um silêncio desconfortável. Taehyung parecia querer prestar atenção na música, enquanto eu mandava mensagens à Jungkook.

O carro parou em frente à minha casa, e o rádio foi desligado, dando lugar a um silêncio absoluto. Eu não sabia como agir.

— Hm… — forcei a voz para sair mais firme — Obrigada pela carona Tae. Boa noite. — me apressei em sair daquele carro que parecia ficar cada vez menor, mas, mais uma vez, fui impedida por sua mão em meu braço.

— Espera, Sook. — falou calmo e se aproximou. Eu engoli seco quando seus dedos tocaram os fios de meu cabelo, os colocando atrás de minha orelha, e tive a certeza de que meu coração sairia pela boca quando ele se aproximar mais. Ele vai me beijar. Tudo indicava a isso. Senti sua respiração bater em meu rosto, logo depois, um beijo em minha testa.

— Boa noite, Sook. — sussurrou. Depois disso só me vi andando, um pouco rápido, até a minha casa. Quando fechei a porta, escorreguei pela mesma, soltando a respiração, que eu não me lembrava de ter prendido.

 


Notas Finais


rsrsrs
até o próximo, comentem hein sz


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...