História My Heart Is Yours - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias MasterChef Brasil
Personagens Henrique Fogaça, Paola Carosella
Tags Farosella, Henrique Fogaça, Paola Carosella
Visualizações 105
Palavras 753
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá pessoal!❤
Bom, estou aqui com outra fanfic, espero que gostem!

P.S: A relação deles dois pode parecer confusa no início, mas com o decorrer dos capítulos vocês vão entender melhor.

Capítulo 1 - Prólogo



- Paola! - falou Henrique aos berros, esmurrando a porta do quarto da argentina, que acabara de fechar em sua cara. - Abre a porcaria dessa porta, porra!
- No! - Gritou ela de dentro do seu quarto, sentada em sua cama com os braços cruzados.
- Abre logo, caralho! - Berrou, esmurrando a porta com tanta força que fazia Paola se encolher com o barulho. - Se você não abrir, eu vou arrombar! - Ameaçou e  isso a fez ficar mais irritada ainda. Ela levantou e parou em frente a porta.
- Pois que arrombe! Já falei que yo no voy abrir! - Disse ela, e bateu de volta na porta, mas logo se arrependeu ao sentir a ardência no local.
Ela ouviu ele respirar fundo diversas vezes, provavelmente tentando se acalmar.
- Meu amor, por favor... - Ele disse mais calmo, com aquela voz rouca que causava arrepios na morena. - Abre a porta, deixa eu me explicar.
 
Ele completou e por  alguns segundos a única coisa que houve foi um silêncio perturbador, mas ele logo escuta o barulho da fechadura sendo aberta. Ele fica esperando que ela mesma abra, mas já que isso não acontece, ele impaciente empurra a porta, e vê Paola de costas para ele, olhando a paisagem através da janela.
- Você tem 5 minutos. - Ela disse ríspida, e ele revirou os olhos. Como diabos foi se apaixonar por uma argentina tão teimosa?
- Meu amor, aquela mulher não é nada mais que minha estagiária, eu jamais olharia pra ela. - Ele disse calmo, tentando se aproximar da mulher sua frente, mas ela logo se esquiva, virando-se de frente para ele.
- No? E porque ela estava sozinha com você em seu escritório, agarrada no teu pescoço?! - Disse ela sentindo a raiva invadir novamente.
- Eu já te disse porra! - Berrou ele impaciente, e a viu fuzilar com olhar por estar gritando com ela. Henrique sabia que Paola simplesmente odiava quando ele era grosso com ela, mas as vezes era difícil manter o controle, principalmente porque ele não estava acostumado, em sua cozinha ele berrava com que o contrariava,  e não era diferente fora dela. Ele era assim, naturalmente.
- Paola, eu já te disse que ela só me abraçou porque pediu um dia de folga para cuidar da mãe dela que está doente, e eu o dei. Foi apenas isso, meu amor. Você sabe que eu só tenho olhos para um mulher muito orgulhosa, que nesse momento está sendo muito cabeça dura de não ouvir a pessoa que mais a ama nessa vida. - Disse ele tentando manter a voz calma, ele encarava a argentina nos olhos a toda instante.
Ela desviou o olhar do dele, ficando sem graça e percebendo que talvez tivesse exagerado um pouco.
Cruzou os braços, e volto a olhar pra ele, dessa vez mais calma.
- Jura? - Perguntou em um tom de voz suave.
- É claro que eu juro, minha princesa. - Disse ele sorrindo, ao vê-la toda manhosa, depois que percebeu que fez drama atoa.
- De dedinho? - Ela falou e ergueu seu dedo mindinho. Ele soltou uma gargalhada, e a abraçou forte, tirando ela do chão.
- Juro do que você quiser, lindinha! - Disse antes de jogá-la na cama, e começar a beijar o pescoço dela, enquanto ela se debatia morrendo de rir, pois a barba dele provocava cócegas.
- Henrique! - Disse ela em meio aos risos que ele tanto amava ouvir. - Estou sem ar, para! - Disse tentando afastar a cabeça dele do seu pescoço.
Ele parou o que estava fazendo, e levantou a cabeça apenas o suficiente para encarar a mulher que estava embaixo de si, com as bochechas coradas,lábios avermelhados e cabelos bagunçados em cima do travesseiro. Aquilo foi demais para sua sanidade mental. 
Sem perder tempo nenhum, ele colou seus lábios contra os delas de maneira forte, lenta e sensual. Ele simplesmente perdia o controle quando estava perto dela, ainda mais nesse momento. Ele jamais admitiria, mas achava ela um charme toda metida daquele jeito.
Ela logo abriu os lábios, dando passagem para a língua do tatuado, que começou a explorar toda a boca da morena.
Paola não conteu o gemido, quando sentiu a mordida em seu lábio inferior, antes dele ser obrigado a se separar da mulher por falta de ar.
Ele se afastou e a olhou nos olhos.
Naquele momento ele teve certeza de que estava completamente e perdidamente apaixonado por essa argentina teimosa.
 


Notas Finais


Espero que tenham gostado.
Xoxo💖


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...