História My Innocent Boss - IMAGINE JIMIN - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Bts, Jimin, Park Jimin
Visualizações 326
Palavras 2.444
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi (^^)

Estavam com saudades? Eu estava! ❤

Espero que essa história esteja cativando vocês, assim como eu estou amando escrever ela.

Se acalmem, logo tudo será explicado ou não (?)

Boa leitura ♌

Capítulo 18 - Ajuda


Fanfic / Fanfiction My Innocent Boss - IMAGINE JIMIN - Capítulo 18 - Ajuda

Noiva!?


Arregalei os olhos quando a garota se apresentou devidamente. Então, ela realmente existe, não foi uma mentira de Namjoon como pensei que poderia ser, o rapaz foi sincero comigo desde muito tempo atrás. Jimin estava estático, ele sabia que aquela nomenclatura mudaria tudo que um dia pudesse existir entre nós, ele havia errado quando tomou a iniciativa em me beijar e eu, bom, fui errada em retribuir.


_ Ah sim… não me leve a mal senhorita Minah, eu já estava mesmo de saída. - falei terminando de fechar minha mala, queria sair rapidamente dali, não aguentava mais aquela situação. _ Foi um prazer... 


_ Alexia… - Jimin ousou pronunciar meu nome, enquanto eu olhava ao redor do quarto verificando se não estava esquecendo nada.


_ Nos vemos na segunda, senhor Park Jimin. - pronuncio formalmente passando pelo casal, que estava em frente a porta do quarto. Sinto uma mão pegar meu pulso, sabia exatamente de quem se trata, apenas dou um tranco forte com o braço fazendo o garoto me soltar e passando pela porta.


Andei rapidamente até o quarto onde o Samantha estava, não bati, abri a porta rapidamente e a encontrei aos beijos com a sogra da tal Minah. As duas olharam assustadas me vendo com aquela expressão séria no rosto, o susto foi  principalmente porque ainda não tinham falado para o garoto noivo sobre o relacionamento de ambas.


_ Te espero no carro! - disse brevemente sem ao menos me despedir da mãe de Jimin, que me olhou sabendo que o próprio filho tinha aprontando uma daquelas.


_ O que houve Alexia? - ouvi Samantha gritar ao me ver descendo as escadas até a sala de estar da casa. Não ousei responder.


Entrei no carro, batendo forte a porta. Nervosa. Não com Jimin, mas comigo mesma, que por algum motivo inútil, acreditou que tudo mudaria com um simples beijo. Se nem com uma transa mudou, o que um beijo faria? Como tinha sido tola, realmente sou um desastre como garota de programa, acabei me apaixonando por um cliente, que logo irá se casar. Idiota.


Samantha entrou no carro sem dizer uma palavra sequer, provavelmente So Hyeon lhe disse o que estava acontecendo. Minha amiga ligou o carro e fomos em direção ao local de onde não deveríamos ter saído. O domingo estava ensolarado, se via crianças pelos parques e casais se encontrando. Uma música começou no rádio, a música que Jimin um dia cantarolou para mim, desliguei o aparelho sem pensar duas vezes. Não queria lembranças dele, mesmo sabendo que é impossível não pensar no garoto, continuaria o vendo, todos os dias, ele Infelizmente era o meu chefe.


Logo chegamos em frente ao velho prédio onde ficava nosso apartamento. Descemos nossas malas e subimos até o local. Tudo estava como sempre esteve, com diferença de que estava limpo, já que tínhamos pagado uma pessoa para limpar antes que voltássemos. Não pronunciei uma palavra sequer, apenas fui em direção ao meu quarto. Fechei a porta atrás de mim e encostei minhas costas na madeira, respirando profundamente.


Não vou chorar…


Não chegaria a tal ponto, já suportei coisas demais para derramar lágrimas com uma decepção, que no caso eu mesma tinha ocasionado com tamanha expectativa. Arrumei minhas coisas no guarda roupa, evitando ao máximo lembrar do garoto. Resolvi tomar um banho e me deitar, meu corpo ainda estava estranho pelo tanto de álcool que tinha tomado na festa. Porque fui? Quer dizer, não fui a errada da história. Porque Jimin foi? O presidente não estava acostumado a ir nessas comemorações, deveria continuar sem dar as caras. O problema não foi de fato ele ir… mas porque me beijou?


Para de pensar nele Alexia!...


Acabei adormecendo mesmo sendo pouco depois da hora do almoço, estava precisando descansar e me desligar daquela realidade que estava vivendo. Acordei com meu celular vibrando, olhei o número e logicamente que não atendi, era meu chefe e tinha certeza que de que não se tratava de assunto de trabalho. Outra chamada veio, logo depois de outra, outra, e outra…


_ Alexia! Atenda logo a porra desse celular, estou cansada de Jimin me ligar! - Samantha disse abrindo brutalmente a porta do meu quarto. A garota pelo jeito estava realmente muito irritada com aquela agitação toda, sua expressão era péssima.


_ Desligue. Não vou atender… - respondi me virando para o lado voltando a tentar dormir.


_ Teimosa! - ouço a porta bater.


Mais de trinta mensagens, quarenta e oito ligações não atendidas. Porque o garoto não aproveita o dia de folga para ficar com a noiva? Porque insisti em continuar me procurando?


Levantei para finalmente comer alguma coisa, estava faminta. Tomando os devidos cuidados com o fogão, depois do ocorrido que me fez passar as últimas semanas na casa do meu chefe, o desliguei corretamente depois que preparei algumas panquecas. Comi me esquecendo totalmente do celular, que ficara no quarto, aproveitando a refeição. Dei por mim que o sol já está se pondo, a noite logo chegaria, tinha dormido o dia todo mas ainda estava cansada, talvez psicologicamente. Voltei ao meu quarto e me deitei novamente, voltando a dormir, quando sou acordado por gritos de pessoas, uma delas reconheci que era Samantha, mas quem era a outra pessoa?


_ Pensou que iria me ignorar até quando? - o garoto abriu minha porta com força, fazendo a mesma bater contra a parede. Jimin estava com a respiração tensa, o rosto levemente suado e as mãos fechadas em  punho, mostrando sua injúria.


_ Vou chamar a polícia, você não pode invadir meu apartamento! - Samantha veio em seguida, totalmente estressada com a atitude impensada do garoto.


_ Pode deixar Samantha! Vou ouvir o senhor Park… não se preocupe, ele não é louco de fazer algo comigo. - disse para Samantha, mas também falei direcionada para o garoto que me olhava inquieto.


Respirei profundamente tentando me acalmar enquanto caminhava até a porta para a fechar. Passei por Jimin que ainda estava parado no meio do quarto, sentindo o garoto não desviar os olhos negros de mim. Voltei e me sentei na cama, cruzando as pernas e arrumando minha postura.


_ O que queria tanto falar comigo, Senhor Park? - disse num tom baixo não demonstrando minha decepção. Ele não precisava saber que estive pensando nele durante todos esses anos que se passaram.


_ Senhor Park? É assim que realmente vai me tratar agora? - Jimin perguntou complexo. Ele não gostava de ser tratado assim, e eu sabia, principalmente depois do ouvir o apelido 'chim’.


_ Sim senhor. Um chefe deve ser tratado com tal. Mas, o que devo a honra de ter o senhor no meu humilde apartamento? - sorri fraco. Estava realmente pegando pesado, aquele tratamento era demais para Jimin.


_ Senhor? Alexia, sei que está magoada, mas deixe-me explicar, é apenas um noivado por contrato… - Jimin caminhou até estar de frente para mim, onde se ajoelhou tentando pegar minha mão. Me levantei deixando o garoto no chão.


_ Não precisa me explicar nada senhor, sua vida pessoal não é da minha importância. Assim como a minha também não lhe interessa… - falei indo em direção a porta a abrindo, indicando a saída.


_ Chega! - o garoto se levantou fechou a porta e me jogou contra a mesma, acertando minhas costas na madeira. _ Eu não quero ela! Alexia, eu quero você! Pela primeira vez eu tenho certeza do que realmente quero…


Não é a primeira vez que você tem certeza de algo…


_ Me solta senhor Park! - disse tentando me soltar de seus braços que apertavam meus ombros. _ Vá embora!


_ Não irei embora até você parar de me chamar de Senhor Park… - sua voz não estava mais alterada, estava melosa, sensual. Seus olhos se encontraram com os meus, e eu sabia o que ele iria tentar. Ele sabe que não resisto a ele. _ Me chame de Chim…  


_ Não… - disse quase me entregando quando senti seus lábios grossos tocarem meu pescoço me fazendo arfar. _ Não! - gritei num súbito empurrando Jimin que se assustou com a minha atitude. _ Se você não sai, saiu eu…


Ouvi o garoto me chamar mas não me importei. Peguei minha bolsa, um casaco longo e sai do apartamento. Samantha pelo jeito o segurou para que não viesse atrás de mim, já que não ouvi mais meu nome. Desci as escadas correndo e peguei o primeiro taxi que vira na frente. Pedi o motorista para me levar para o centro da cidade, estava decidida a esquecer de vez o garoto, iria beber e se encontrasse alguém, não iria me importar em mostrar o que aprendi com os anos como garota de programa.


O centro estava movimentado, mesmo sendo domingo a noite, havia vários bares interessantes, mas estava procurando um lugar com música alta para esquecer os pensamentos que insistiam em vir vez ou outra. Encontrei um bar que estava tendo uma apresentação ao vivo, entrei no local me sentando no balcão e pedindo uma cerveja. O ambiente era agradável, frequentado por jovens universitários que curtiam o show. O cantor tinha uma voz suave, e era acompanhado por um piano, estava cantando uma música animada mais mesmo assim romântica, tudo que eu menos precisava. Suspirei aliviada quando a música acabou e toques de uma batida eletrônica ocuparam o local.


Três cervejas já tinham sido tomadas, estava na hora de ir ao banheiro, me levantei e fui a procura, depois de perguntar um grupo de jovens o encontrei. Me olhei no espelho tendo certeza de que não encontraria ninguém para passar uma noite casual, estava sem maquiagem e com o cabelo amarrado num coque todo bagunçado. Suspirei e voltei para o meu lugar, que ao longe vi que estava ocupado com outra pessoa sentada, me aproximei do rapaz lentamente e o toquei nas costas.


_ Com licença, eu estava sentada neste lugar… - o rapaz conversava com o barMan e com outro cara que estava ao lado, quando se virou para mim.


_ Ah! Alexia? - o garoto de cabelos pretos me olhou curioso.


_ Yoongi? - perguntei reconhecendo o garoto que sorriu afirmando minha suposição. _ Jungkook, certo? - reparei o cara sentado ao lado, que também assentiu positivamente.


_  Aquele dia que foi entregar o documento para Jimin, não tivemos tempo para nos cumprimentar. - Yoongi falou enquanto me sentava no meio dos dois garotos. _ Como está seu trabalho? Jimin não parece ser um bom chefe, ainda mais depois do…


_ Hyung! Ela não sabe… - Jungkook interrompeu o mais velho que parecia que iria falar algo sério. _ Esqueceu que Jimin disse que era para nós esquecermos que isso aconteceu?


_ Por falar em esquecer, quero esquecer Jimin, então nada disso de fato me interessa. - respondi virando o resto de cerveja que continha na garrafa.


_ Brigaram? - Yoongi perguntou. O garoto sempre foi de poucas palavras, mas parecia querer mesmo me ajudar. _ Aposto que é culpa dele…


_ Kim Minah. A noiva. A conheci. - falei pausadamente, respirando enquanto pensava na garota, que por sinal formava um belo casal com Jimin. _ “Jiminzinho”... - imitei sua voz aguda.


_ Você sabia que ela existia. - Yoongi era duro com as palavras, mas o pálido estava correto, eu sabia, sempre soube.


_ Mas… só um minuto! - me afastei da música para atender um número desconhecido que me ligava. _ Alô?


_ Alexia? Senhorita Alexia? - um voz masculina perguntou por mim.


_ Quem gostaria? - perguntei desconfiada. Poderia ser Jimin me pregando uma peça para saber onde estou.


_ Seu irmão pediu para ligar. - o homem respondeu friamente.


_ O que houve com Alex? - estava nervosa.


_ Ele foi detido e está preso, senhorita.


_ O que??? Qual a delegacia?


Corri para pagar as bebidas, meus olhos já estavam cheios de lágrimas, meu irmão estava na cadeia, preso, o que meus pais iriam pensar quando soubessem disso?


_ Alexia! Alexia! O que houve? - Sinto uma mão segurar meu braço fortemente. Me virei vendo que era Jungkook.


_ Meu irmão. Cadeia. Rápido. - não conseguia pensar direito, estava um pouco bêbada e com essa notícia minha mente estava ainda mais bagunçada. _ Rápido! - gritei chorando.


_ Vamos logo, Kookie. - Yoongi disse me conduzindo até o carro do mais velho.


Dentro do carro minhas pernas não paravam de se mexer, estava ansiosa. Minhas lágrimas não cessavam, pensar no meu irmão preso me fazia refletir que falhei como irmã mais velha, não o ajudei o suficiente. Sou capaz de tudo por eles, minha família é tudo para mim, e Alex é meu irmãozinho.


O oitavo distrito policial ficava ao sul da cidade, então demoramos um pouco para chegar, mas assim que Yoongi estacionou o carro, sai apressada entrando na delegacia rapidamente. Dei as informações necessárias na recepção e fui guiada até o delegado de plantão, que estava em sua sala.


_ Seu irmão estava com uma turma muito procurada aqui na cidade. Traficantes. - o homem que aparentava ter mais de cinquenta anos, estava com sua farda azul marinho e óculos de grau.


Então aquele que vi era realmente Alex?


_ Ele estava portando drogas, delegado? - perguntei com medo da resposta que viria. Apreensiva.


_ Não. Mas, os 'companheiros’ dele disseram aos guardas que o seu irmão estava sim fazendo parte do bando. - o homem disse me explicando.


_ O que devo fazer para tirá-lo daqui? - eu iria resolver as coisas com Alex longe da cadeia, nem que fosse na pancada.


_ Pagamento de fiança ou esperar a sentença do juiz? - o delegado ajeitou os óculos. _ Esse é o valor da fiança. - um papel foi entregue para mim.


Puta que pariu Alex! Desculpa mãe…


_ Não tenho esse dinheiro. - respondi clamando piedade.


_ Então é melhor chamar seu advogado, senhorita.


Me levantei agradecendo a atenção do delegado. Sai da sua sala aos prantos, soluços e lágrimas não paravam. Me sentei no banco mas próximo, ouvindo todo o barulho que aquele lugar fazia, gritos e sirenes por todos os lados. Não tinha dinheiro para pagar essa quantia tão alta, meus pais muito menos, e não tinha como abandonar meu irmão naquela situação.


Advogado?


Peguei meu celular e busquei um número que a muito tempo não era usado, mas nunca foi de fato esquecido. Olhei as horas, passavam das duas da manhã, mesmo assim iria tentar a sorte. Disquei na esperança de ser atendida.


_ Alô? Alexia? Porque está me ligando a essa hora da madrugada? Aconteceu alguma coisa? - sua voz grossa me despertou do transe.


O que estou fazendo? Mas não tenho escolha.


_ Namjoon? Preciso de você…



Notas Finais


Namjoon? O que virá a seguir? #Comentem
.
.
.
.
.

Fanfic Kim Taehyung (Fase final) ❤

https://spiritfanfics.com/historia/a-estrangeira-why-me-imagine-taehyung-9345696
.
.
.
.
.
🐯 Venha ser um Lionzinho 🐯

Link grupo do whatsapp

https://chat.whatsapp.com/1N0Fvnxsh5fJETnkruWVP8


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...