História My Little Ômega - Capítulo 31


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jungkook
Tags Jimin Jungkook Jikook
Visualizações 52
Palavras 1.839
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Festa, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


OLÁÁÁÁÁ
Capítulo novinho pra o6
Bjãooooo

Capítulo 31 - Only three days ... oh God!


        Seoul, 09 de outubro de 2017

Acordei com um barulho alto estridente batendo contra o chão. Abro os olhos rapidamente e me sento no sofá. Outro barulho ecoa pelo apartamento e eu me levanto, indo até a cozinha, que era de onde o som estava vindo.

Vi Jungkook agaichado no chão pegando alguns talheres e panelas que caíram. Levantou seu olhar, e assim que me viu, forçou um sorriso.

- Mas o que você está fazendo? - Perguntei confuso indo ajudar o mesmo.

- Eu fui pegar um copo, mas caiu algumas outras coisas e eu acabei não dando conta.

- Eu não posso piscar que você destrói a casa?

- Tá parecendo o Junghyun. - Revirou os olhos. - E você não piscou, você hibernou. Dormiu muito.

- Espera, que horas são? - O encaro assustado. Jungkook levanta o pulso até sua visão, e encara o relógio que estava ali.

- São nove e meia. - Jungkook diz calmamente e eu arregalo os olhos.

- Não, você está brincando com a minha cara.

- Não estou não, olha. - Me mostrou o relógio e eu rapidamente levantei do chão.

- Eu preciso ir. Daqui a algumas horas meus pais chegam e minha casa está um completo pandemônio. - Vou até a sala novamente e pego minha mochila. - Tchau, Kookie. - Eu iria sair, porém Jungkook segura meu pulso. - O que foi agora?

- Deixa eu dar uma carona pra você, é melhor do que esperar uber. - Pegou a chave do seu carro e saiu do apartamento, o trancando em seguida. Descemos o elevador e fomos até o estacionamento do condomínio.

                        ~...~

- Muito obrigado pela carona, Kookie. - Dei um beijo na sua bochecha e ele sorri.

- Não precisa agradecer. E, Jimin, em que dia, especificamente, é seu aniversário?

- Dia treze de Outubro. Escuta, não precisa se preocupar quanto a isso, é só mais um de muitos aniversários que eu vou passar e-

- Não é "só mais um de muitos aniversários" que você vai passar. É o primeiro aniversário que você vai passar comigo! - Jungkook falou. Senti minhas bochechas arderem. Sorri e ele fez o mesmo. - Vai ser o melhor aniversário da sua vida, eu prometo. 

- Não precisa, Kookie.

- Mas é lógico que precisa, eu faço questão de fazer suas vontades nesse aniversário. Por favor...

- Tudo bem. - Sorri. Jungkook segurou meu maxilar delicadamente e me deu um selinho demorado.

- Não esquece.

- Do quê?

- Que eu te amo muito. - Sorri e assenti, saindo do carro em seguida. Fechei a porta e acenei pelo vidro, recebendo um aceno de volta de Jeon. Entrei no condomínio com um sorriso enorme e fui até meu andar. Assim que cheguei, abri a porta, tranquei e me joguei no sofá, pensando no que jungkook havia falado.

Sem dúvidas, seria o melhor aniversário da minha vida.

Após, me dei conta de que eu tinha que arrumar meu apartamento para a chegada dos meus pais e do meu irmão. Comecei jogando tudo quanto era embalagem de doces e salgadinhos que estavam em cima da mesinha de centro. Limpei meu quarto e o quarto de visitas. Lavei todas as louças, até mesmo as que não estavam sujas. E quando eu estava arrumando meu armário, percebi que havia uma blusa na qual não era minha, e sim de Jungkook. Ele havia esquecido nos dias que estava dormindo aqui. Sorri ao sentir seu cheiro doce na blusa.

- Seria muito idiota dormir com essa camisa? - Perguntei para mim mesmo. - acho que não. - Sorri, colocando a blusa sobre a cama e pegando minha toalha, em seguida indo ao banheiro e tomando um banho preciso.

Assim que terminei meu banho, voltei para o quarto e me vesti, colocando uma calça moletom e a blusa de Jungkook. Eu sei, era muita caboquisse dormir com a blusa dele e ainda sentindo o cheiro dele, mas eu não consegui me conter. Quando já estava tudo arrumado e cheiroso, liguei meu ar e deitei em minha cama, pegando meu celular e recebendo algumas mensagens.



Kookie♡

Amor, me diz uma coisa que você quer muito ganhar. Não tô conseguindo pensar em nada pra te dar de aniversário :( [23:40]

Kookie, não precisa de presente. Mas pensando bem, tem uma coisa que eu quero muito. [23:44]

Ótimo! E o que seria? [23:45]

Um Jeon Jungkook igualzinho a você, ou, senão, você. ^^ [23:45]

Que audácia = ) Como que você quer ter uma coisa que já é sua? [23:46]

Ué, não sabia que você era meu. [23:46]

Ah, sabia não? Pois agora sabe. E eu tive uma ótima idéia de presente pro seu aniversário. E vai dormir que seus pais chegam cedo. ;) [23:47]

Antes, me diz o que vai ser o presente. [23:47]

Claro que não! Vai dormir, garoto. Beijo, tchau! [23:47]

                Kookie♡ offline.


Aish, esse garoto.


Omma.

Olá meu amorzinho. Sei que está tarde, mas não queria deixar você preocupado. Bem, eu e seu pai ja estamos a caminho de Seoul. Estaremos por aí mais ou menos umas 07:00. Durma bem, anjinho. [23:50]

Tudo bem, omma. Tenha uma boa viagem. [23:50] [Visualizado]

                Omma offline.


Desliguei meu celular e fechei os olhos, prestes a dormir...

           ~manhã seguinte~

  Seoul, 10 de outubro de 2017.

                    07:39 AM


- Alô. - Minha voz rouca e com sono ecoou enquanto meus olhos continuavam fechados.

- Bom dia, bebê. Nós estamos na recepção do seu condomínio. - Foi quando lembrei e processei. Meus pais e meu irmão haviam chegado. - Esqueceu, não é? 

- Não, eu apenas acabei de acordar, e quando eu acordo a minha cabeça não funciona bem. Eu estou descendo, só um minuto. - Desliguei o telefone e rapidamente fui até o banheiro escovar os dentes e tomar uma ducha. Saí e vesti a primeira roupa que apareceu na minha frente, que era uma blusa cinza e uma bermuda jeans. Penteei meus cabelos e desci.

Cheguei na recepção e vi meus pais sentados no banco e meu irmão em pé conversando com a recepcionista.

- Mãe? - A chamei e rapidamente ela seguiu minha voz, dando um sorriso radiante ao me ver. Levantou-se da cadeira e andou apressadamente até mim, dando-me um abraço em seguida. Eu sentia tanto a falta daquele abraço. Logo em seguida meu pai e meu irmão se juntaram. - Eu tava com tanta saudade de vocês. - Falei segurando as lágrimas.

- Oi, Jimin. - Jihyun disse, em seguida, eu corri para o abraçar. O mesmo riu de meu desespero e eu ri junto. - Saudades, maninho.

- Também. - Afundei meu rosto em seu pescoço. - Mesmo cheiro de sempre.

- Claro. - Sorriu. - Minha marca registrada. - Separei o abraço e os ajudei a carregar as malas.

Assim que chegamos no meu apartamento, meus pais sorriram e meu irmão soltou um "Oh!'.

- Pensei que chegaria aqui e esse apartamento estivesse um completo lixão, mas até que você aprendeu a ter mais higiene. - Minha mãe diz. Se ela soubesse que eu passei a noite toda tirando minhas tranqueiras, ela iria me dar sermão, mas ela não precisa saber disso.

- Eu também pensei. Lembro de quando morávamos juntos e dividiamos o mesmo quarto. O meu lado era sempre o mais arrumado, o seu lado era todo bagunçado. Eu me perguntava "Cara, esse moleque não é meu irmão". - Todos riram e eu revirei os olhos.

- Ah, cala a boca. 

- Vem calar. - E, sem perceber, eu já estava correndo atrás de Jihyun pelo meu apartamento, e meus pais gritando para que passaremos. Como antigamente.





Algumas horas se passaram, todos decidiram onde iriam dormir, que no caso seria meus pais no quarto de hóspedes e meu irmão na sala, já que meu sofá era sofá-cama. Todos estávamos sentados na sala conversando até que meu pai toca num assunto um tanto quanto delicado.

- E os namorados e namoradas, filho? - Engoli seco e desviei meu olhar para qualquer coisa que não fosse meus pais e meu irmão. Eu estava em uma dúvida eterna entre: Falar ou não falar de Jeon. Bom, meus pais vieram para meu aniversário, e Jeon quer passar o aniversário comigo também, e sem contar que Jungkook quer conhecê-los, então eu terei que contar de qualquer jeito

- Bem, não é um namoro certo, mas eu estou envolvido com uma pessoa. - Assim que falei isso, meus pais arregalaram os olhos, e meu irmão murmurou algo que julgo ter sido um "Não é possível.". - O que foi, gente?

- Você, Park Jimin, meu irmão mais novo, envolvido com alguém novamente? - Riu tenso. - Cara, achei que isso nunca mais fosse acontecer. Desde o que aconteceu no seu namoro com Bambam, você nunca mais tinha dado bola pra nenhum outro alfa.

- É, mas acontece que essa pessoa conseguiu fazer com que eu me apaixonasse.

- Mas, filho...- Meu pai segurou minha mão. - Me diga uma coisa. Você já falou "Eu te amo" pra ele?

- Não. Eu queria muito, mas eu não consigo, meu coração tem medo. Eu acho melhor esperar o momento certo, até porque, nem estamos namorando ainda.

- Mas ele já disse "Eu te amo" pra você? - Minha mãe pergunta.

- Várias e várias vezes. - Meus pais se olharam e sorriram.

- Esse garoto com certeza ama você. Que outra pessoa diz isso sem ao menos estar namorando? - Meu pai mais pergunta do que afirma. Ri.

- Do que está rindo, Jimin? Papai está certo. Quero conhecê-lo. - Jihyun diz.

- Eu também. Ah, por que não passamos seu aniversário todos juntos? Você traz seu futuro namorado e nós programamos algo em família. - Minha mãe diz e eu sorrio tenso. Jungkook é muito inseguro em relação a essas coisas, certeza que ele não irá querer...





                     ................



               

- Você tem certeza, Jimin? - Jungkook pergunta pela milésima vez ao telefone. - Mas e se eles não gostarem de mim?

- Jungkook, apenas diz sim ou não.

- Já que sua mãe insiste tanto, tudo bem, eu vou. Mas não me culpe se eu ficar sem graça e calado. Estou avisando desde agora que sou inseguro com esse tipo de coisa. - Mesmo? Não sabia.

- Tudo bem, fica tranquilo. Eu mal comecei a falar de você e eles te amaram. Enfim, preciso ir, até mais, Kookie.

- Até mais, amor.


Desligo o telefone e suspiro fundo.

- Ui, amor...- Ouço uma voz atrás de mim e dou um pulo. Me viro e vejo Jihyun rindo alto.

- Aish, quer me matar, animal? O que está fazendo aqui?

- Eu vim atrás do meu carregador que eu havia deixado aqui no seu quarto, mas aí eu ouvi você falando com alguém, e eu ouvi a conversa...Esse guri te ama. - Sorriu. - O jeito como ele fala com você, tão suavemente, os apelidos carinhosos que eram ditos a cada um minuto. E a voz sedutora? Deus...- O encarei torto. Se ele estava encantado pelo Jungkook agora, imagine quando conhecer ele pessoalmente, o que vai me resultar problemas, por conta da sua beleza. Bem, pelo menos eu espero que não.

- Não quer ir calando a sua boca? - Reviro os olhos. - Cadê o appa e a omma?

- Foram no mercado. Enfim, estarei na sala, qualquer coisa me chame. - Saiu do quarto saltitante e eu ri.


Faltam apenas três dias...ah, Deus!



Notas Finais


Aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa
Sintam o cheirinho de coisa boa vindo no ar...

Tchauu


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...