História My Little Slave. - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Dragon Ball
Personagens Goku, Vegeta
Tags Goku, Vegeta
Visualizações 74
Palavras 1.463
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Hentai, Luta, Romance e Novela, Violência, Yaoi
Avisos: Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá, leitores e leitoras. Esta fic é um trabalho que venho amadurecendo a um certo tempo, espero que gostem. Comentem suas críticas, irei evoluir por intermédio destes durante o decorrer da história. Boa leitura a todos. ❤️
Ps: perdoem qualquer erro de ortográfico, revisei algumas vezes mas pode ter passado em branco.

Capítulo 1 - Capítulo 1.


Os primeiros raios de sol apareciam tímidos em meio às nuvens, iluminando o enorme cômodo onde repousava Vegeta. O príncipe completaria 23 anos nesta data e, diante de sua posição social notável, este fato não poderia ser ignorado. O servo do Sayajin, denominado Whis, homem alto com postura e modos invejáveis, adentrou o local onde este encontrava-se a repousar. 

-Senhor, acorde por favor. Seus afazeres foram organizados de acordo com a especial data.-Recitou o servo, aproximando-se da cama.-Os convidados para a cerimônia de meu senhor chegaram sem demora, não podemos deixar que o tempo disperse-se.-Completou, em um tom calmo.

-Vá embora, deixe-me dormir.-Respondeu de forma ríspida. Vegeta portava um mau humor constante, o qual agravava-se diante de situações que este não aprovasse. 

-Senhor, caso negue-se a levantar, verei-me obrigado a assumir uma postura mais rígida.-Disse o homem, calmamente.-Meu mestre deseja que eu cante a canção de despertar?-Perguntou, esboçando um leve sorriso. 

-Tsc, você é muito irritante.-Afirmou, com o tom alterado.-Atreva-se a cantar isso, e eu tratarei de destruí-lo pessoalmente.-Recitou, esboçando sua constante expressão de desaprovação. 

Vegeta levantou-se, contra sua vontade, e dirigiu-se para o banheiro. Entrou neste, realizou sua higiene matinal e voltou para o local onde encontrava-se o servo. Este havia separado um traje para que vestisse, deixou-o sobre a cama e retirou-se do cômodo, em resposta à ordem do príncipe. O Sayajin vestiu-se com calma e, ao terminar, parou em frente a um dos enormes espelhos presentes em seu quarto, pondo-se a admirar-se. 

-A ideia de recepcionar todos esses vermes insignificantes em minha casa me irrita.-Pensou, consigo mesmo.-Espero que esta farsa não dure mais que o necessário.-Completou o raciocínio. 

A vida do príncipe causava inveja em qualquer indivíduo. Seu status social o excluía dos demais, pois este fazia parte da elite social. Este seleto seguimento de pessoas ricas e extravagantes não seguia as normas, impostas para os demais, o que permitia a estes manter relações como mais de um companheiro, seja homem ou mulher, ou adquirir um servo para fins sexuais, como um objeto descartável. A promiscuidade deliberada era algo normal para a nobreza, como ficou conhecido o distinto grupo. 

-O irritante do Whis deve estar a minha espera.-Murmurou, franzindo o cenho. Odiava responsabilidades e compromissos, a sensação de sentir-se preso a algo o enfurecia. 

Pôs-se a andar em passos lentos, dirigindo-se a sala de jantar, onde comeria algo e tomaria conhecimento de sua agenda. O caminho era um pouco extenso, a residência do Sayajin era grande e bem ornamentada, seu servo e assistente pessoal encarregava-se de manter o alto padrão do imóvel. Após alguns minutos, adentrou o local e sentou-se em frente a uma grande mesa, repleta de alimentos dos mais variados. Pegou algo qualquer e o ingeriu de forma rápida. Whis, ao perceber a presença do homem, posicionou-se ao lado da cadeira onde este encontrava-se. 

-Meu Senhor, como eu havia dito mais cedo, a vossa agenda de compromissos está repleta de afazeres.-Disse, calmamente. Com o seu bastão, fez uma folha aparecer e parear diante do príncipe.-Meu mestre deve receber os convidados e, pelo menos desta vez, participar por um certo tempo da ocasião.-Completou, em um tom educado. 

-Isso é ridículo. Não conheço a maioria dos vermes que estão nesta lista. Como vou recepcionar alguém que não conheço.-Respondeu de forma ríspida e grosseira, como de costume. Odiava festas e mais ainda a presença de muitas pessoas. 

-Meu Senhor não precisa ficar preocupado. Basta estar presente e trocar algumas palavras com estes. Quanto ao restante da reunião, cuidarei pessoalmente para que ocorra da forma devida.-Recitou, esboçando um sorriso leve. 

Vegeta terminou de alimentar-se e dirigiu-se novamente a seu quarto. A festa começaria em poucas horas, precisava estar apresentável. Adentrou o local, fechando a porta atrás de si. Para a ocasião em questão, Whis havia escolhido um terno preto elegante, digno da alta sociedade. Despiu-se e dirigiu seus passos ao banheiro, necessitava de um banho gelado para aliviar a tensão. Assim o fez, ligou o chuveiro permitindo a queda de gotículas gélidas de água. Um leve arrepio percorreu o corpo do príncipe, em decorrência do choque de temperaturas. Permaneceu ali por alguns minutos, em seguida impedindo o fluxo da água e secando-se com uma toalha branca. 

-Não vou fazer mais do que o necessário.-Murmurava baixo, enquanto passava a toalha por seu abdômen e peito definidos.

Jogou-a sobre a cama, e pôs-se a vestir o terno. Em pouco tempo, encontrava-se impecável. O traje escolhido, em contraste com a beleza do homem, resultaram em uma perfeita combinação. No entanto, a gravata estava a tirá-lo do sério, o nó não firmava-se, odiava sentir-se incapaz. 

-Whis, venha até aqui.-Recitou, alterado. Estava prestes a rasgar o item. 

-Chamou, Senhor Vegeta?-Respondeu, aparecendo ao seu lado. 

-Sim. Ajude-me com a gravata.-Disse, em um tom seco. Entregou o objeto ao servo, com desdenho. 

-Ajudarei-o com prazer.-Recitou, em um tom educado. Em questão de segundos, o item estava devidamente posto em seu lugar. 

-Se meu senhor não precisa mais de auxílio, voltarei a meus afazeres.-Afirmou, fazendo o cajado aparecer em suas mãos.-Com sua licença, mestre.-Completou, desaparecendo em uma fração de segundo. 

O príncipe estava a aguardar o começo da reunião em seu quarto, os convidados aglomeravam-se em meio a sala de recepções. Todos trajavam roupas belíssimas, e traziam consigo presentes deslumbrantes e deveras peculiares. Um convidado em questão, trouxe consigo uma caixa de vidro grande repleta de furos. O objeto transparente continha um pequeno garoto dentro, aparentava ter por volta 14 ou 15 anos, estava encolhido em um dos cantos do cubo, escondendo a cabeça entre os joelhos. Assim como os demais embrulhos, fora encaminhado a uma sala com os demais objetos recebidos. 

Todos ali presentes interromperam o que estavam a fazer para saldar o anfitrião que descia as escadas, seguido por seu assistente Whis. Não demorou muito para que o príncipe visasse-se debruçado em meio à multidão de indivíduos.  

-O Senhor está portando-se de forma divina.-Disse o assistente, esboçando um sorriso terno. O incomodo era perspetivei em meio às expressões do Sayajin.  

-Hmph, eu estou apenas suportando essa farsa. Vou me retirar em breve.-Respondeu, de forma ríspida. Whis compreendia que seria exigir muito do homem mantê-lo presente ao decorrer da reunião toda. 

Os convidados bebiam e comiam os mais extravagantes pratos ornamentados. Homens acompanhados por belas mulheres desfilavam entre os demais. A festa fora regada a luxo e conversas fúteis a respeito de posses. As horas passaram-se de forma rápida, no ponto de vista dos convidados. Vegeta não suportava mais presenciar tamanha aglomeração de inúteis, como considerava todos ali presentes. 

-Vou me retirar, assuma a frente. Expulse-os se necessário, não prolongue isto mais do que o necessário.-Recitou, em um tom estressado, direcionando o olhar a Whis. Não esperou pela resposta do servo, pondo-se a andar em direção ao seu quarto. 

O príncipe caminhou a passos largos até ver-se livre da multidão. Subiu as escadas e, quando encontrava-se a sós em meio aos corredores, diminuiu a velocidade. A quantidade de cômodos na residência era admirável, constatou. O homem encontrava-se próximo a seu quarto, quando interrompeu os passos. Havia sentido um Ki, fraco por sinal, vindo de um quarto próximo de onde estava. Segui-o, estancando em frente a uma porta fechada. 

-O quarto de presentes.-Pensou, consigo.-Algum verme deve ter ficado preso aqui, enquanto tentava fazer algo inútil.-Completou o raciocínio. Seus punhos encontravam-se cerrados, descontaria a tensão no primeiro que encontrasse. 

Abriu a porta vagarosamente, observando inúmeros presentes, de todos os tamanhos, empilhados uns sobre os outros. Seu olhar fora direcionado a uma espécie de cubo de vidro transparente, dentro deste havia um garoto. Não pode ver o rosto do mesmo, pois este o escondia. Notou que o menor utilizava roupas na cor laranja, presas por uma faixa azul, quase imperceptível pela posição do desconhecido. Algo o intrigou, uma calda coberta por pelos marrons envolvia as pernas do pequeno, só poderia ser um Sayajin. Vegeta fora retirado de seus devaneios por um leve gemido vindo do garoto, este estava a derramar-se em lágrimas, constatou. 

-Depois pergunto a Whis o que significa isto.-Disse, mentalmente. Fechou a porta com cuidado, deixando o menor a sós novamente. 

Voltou seus passos a seu quarto, no entanto o cansaço havia dado lugar a curiosidade. Adentrou o local, fechando a porta atrás de si. Em um súbito gesto, retirou as roupas que vestia. No lugar, pôs apenas um short simples. Dirigiu-se a cama, deitando-se sobre esta. 

-Estou exausto.-Murmurou, baixo.-Preciso aliviar toda essa tensão.-Completou, sentindo seus músculos relaxarem-se. 

A visão do garoto não saia de sua mente. Precisava saber o que aquilo significava. De uma forma estranha, nutriu atração física pelo pequeno, mesmo não conhecendo-o ou possuindo total visão sobre o corpo do mesmo. Assim que a festa fosse encerrada, chamaria Whis e pediria explicações a este. No entanto, até que isto ocorresse, resolveu apenas descansar sobre os lençóis macios.


Notas Finais


Espero que tenham gostado, pretendo voltar em breve com mais conteúdo. Agradeço a todos que leram até o final. Um abraço e até logo. ❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...