História My neighbor has a baby?! - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Neo Culture Technology (NCT)
Personagens Jaehyun, Personagens Originais
Tags Imagine Jaehyun, Imagine Nct, Jaehyun, Jung Jaehyun, Nct, Nct 127, Nct U, Yoon Oh, Yunoh
Visualizações 75
Palavras 2.817
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Comédia, Ficção, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Demorei mais do que o esperado para atualizar.
Aigoo, perdoem este ser atolado aqui!
_ノ乙(、ン、)_ 미안해요~!!
E como estamos chegando próximo ao fim, prometo não me prolongar tanto!
Sem enrolar demais, Let'su Go!
( σ •̀ㅂ•́)σ

Capítulo 9 - Everything's good! Or not?


Fanfic / Fanfiction My neighbor has a baby?! - Capítulo 9 - Everything's good! Or not?

Ontem havia sido um pouco turbulento demais para a vida de dois simples estudantes da faculdade. Desde o dia em que conheci Jaehyun, não imaginei que o mesmo viraria minha vida de cabeça para baixo. Na verdade, nunca nem imaginei que chegaria ao ponto de me sentir atraída desta forma por ele. Qual a probabilidade de seu amigo de infância se tornar uma paixonite, depois de muito tempo sem contato, e ainda por causa de um bebê? A vida é engraçada, podia ter seus dias endemoniados, mas estava ficando agradável.

Prometi ser de apoio para Jaehyun. Bogum finalmente virou um membro oficial da família Jung, e se depender do pai, vamos acabar em um problema sério. Estive pensando nisso o dia todo. Acordamos mais tarde do que esperado e ainda apenas por Bogum se manifestar querendo usar o banheiro. Decidi voltar para casa e fazer minha higiene matinal. Logo busquei o telefone e liguei aos meus pais. Claro que comentei sobre o que estava acontecendo, eu tinha uma ideia em mente, contudo precisava da ajuda da minha mãe. Se eles iriam gostar disso? Com certeza não, mas era necessário nesse momento. Nem que fosse apenas para tentar.

ㅡ E como estão as coisas por aí? ㅡ mesmo com a cabeça um pouco cheia, ainda me preocupava com a saúde da minha vó.

ㅡ Sua vó está bem, os médicos receitaram uma nova medicação. As dores sumiram, ela vai melhorar logo ㅡ minha mãe parecia mais relaxada, o que também me tranquilizou.

ㅡ Isso é ótimo! Então, tudo não passou de um alarme falso?

ㅡ É, quase isso. Ela só precisa parar de ser teimosa e se cuidar melhor. Se ela tivesse ido antes ao médico, não teríamos nos assustado assim. Graças a Deus não é nada grave.

ㅡ Vão ficar mais alguns dias de olho nela?

ㅡ Vamos voltar mais cedo, não quero te deixar sozinha enquanto vai pra faculdade, é perigoso. Por isso, dois dias. Estaremos aí em dois dias ou menos.

ㅡ Entendi...

ㅡ Se que dizer algo, diga logo.

ㅡ Mãe, posso pedir um favor? ㅡ agora que ela já sabia sobre a situação de Jaehyun, ousei em perguntar.

ㅡ Não te prometo nada.

ㅡ Eu estou preocupada com o Jaehyun. Você sabe, ele também precisa ir pra faculdade, mas com quem o irmão vai ficar?

ㅡ Isso não é problema nosso, se bem que você se meteu no meio disso. Falando nisso, me diga, como você se envolveu nessa coisa toda? Anda passando a noite sozinha com esse menino é isso?!

ㅡ Não! ㅡ quase gaguejei no telefone ㅡ Não é isso, você está entendendo errado! Os vizinhos podem confirmar minha versão, eu já te disse, tinha uma festa e o volume estava alto, eu fui lá pedir pra abaixarem e encontramos o bebê!

ㅡ Festa porra nenhuma, menina o que você anda fazendo?

ㅡ Mas meu Deus mulher! Estou dizendo a verdade, eu só ajudo como babá, nada mais! E ele ainda é nosso vizinho, você sabe quem é, sempre vinha aqui em casa quando éramos mais novos.

ㅡ Arruma perninha e bracinho pra você ver o que eu faço na sua cara. Se bem que se você arrumar pra sua cabeça o problema vai ser seu. Eu não to nem aí.

ㅡ Então me ajude cuidando do Bogum enquanto vamos pra faculdade.

ㅡ Não.

ㅡ Mãe! ㅡ fiz birra no telefone ㅡ Por favor! É só até o pai dele voltar!

ㅡ Quando ele vai voltar?

ㅡ Eu não sei.

ㅡ Não.

ㅡ Ah, mãe! ㅡ fiz mais birra ainda ㅡ Aigoo, qual o problema! Ele é bem mais tranquilo de se cuidar do que você imagina, aish o que eu preciso fazer pra você dizer sim?

ㅡ Vai trabalhar, começa por aí. Se você arranjar um emprego e pagar sua faculdade eu cuido dele.

ㅡ Por que parece que estou fazendo um pacto com um demônio?

ㅡ Você sabe que eu consigo fazer outra filha né? Se eu quiser te derrubo aí agora, quer tentar a sorte?

ㅡ Tá bom mãe eu aceito sua condição, mas você tem que prometer cuidar bem dele.

ㅡ Tá dizendo que te criei mal?

ㅡ Não, minha nossa senhora o que é isso? Que bicho te mordeu?

ㅡ Ora cale a boca, eu sei cuidar de uma criança. Agora se não tem mais nada pra me dizer, eu vou desligar, tenho coisas pra fazer. Se eu chegar aí e a louça estiver na pia, a roupa suja não estiver limpa, ha ha minha filha, você vai ver a baixinha aqui ficar com três metros.

ㅡ Eu também te amo mãe. E muito obrigado por aceitar...!

Mesmo sendo uma pessoa difícil de se lidar, minha mãe era boa e gentil. Ela aceitou nos ajudar e isso me deixou animada. Parecia que nossos problemas aos poucos estavam se dissipando. Quis correr para a casa de Jaehyun e contar sobre a notícia, contudo ao chegar lá, senti algo pesado no clima do grande casarão dos Jung.

ㅡ Jaehyun! Eu consegui uma... ㅡ entrei de porta a dentro correndo para a sala e me deparei com Yuta. Ele estava sentado em uma poltrona enquanto Jaehyun estava na outra à frente, ambos se encarando seriamente ㅡ O que está acontecendo aqui?

ㅡ A princesa chegou! ㅡ com um largo sorriso Yuta me recebeu desviando seu olhar de Jaehyun para mim ㅡ Gwiyomi, como você está?

ㅡ Eu estou bem... Mas e vocês, está tudo bem? ㅡ cocei a cabeça observando ambos os dois garotos que agiam estranho.

ㅡ Yuta veio ficar com a gente um pouco. Ele disse que conseguiu uma bolsa na nossa faculdade ㅡ Jaehyun se levantou evitando os olhos de Yuta.

ㅡ Oh, isso é ótimo! Qual curso?

ㅡ Eu gosto de esportes, em especial futebol, então educação física seria bom. Mas... ㅡ ele se aproximou tocando em uma mecha dos meus cabelos ㅡ Artes me parece muito atraente.

ㅡ Ah... ㅡ senti as bochechas esquentarem um pouco ㅡ Eu faço esse curso... ㅡ Jaehyun gentilmente tirou a mão de Yuta dos meus fios de cabelo e o encarou brevemente. O outro apenas riu parecendo já saber qual o curso em que eu estava.

ㅡ O que você estava querendo dizer antes? ㅡ as palavras de Jaehyun me fizeram acordar.

ㅡ Sim! Eu acabei contando para minha mãe sobre o que está acontecendo ㅡ ele me olhou surpreso ㅡ Me desculpe não ter pedido sua permissão... Mas! Ela vai nos ajudar enquanto estivermos na faculdade, assim o Bogum fica na minha casa, e quando voltarmos das aulas ele fica com você ㅡ mantive um sorriso no rosto a todo momento e quando Jaehyun fez o mesmo, senti uma alegria imensa.

ㅡ Wah... Gwiyomi é realmente incrível!

ㅡ Você tem feito tanta coisa pra me ajudar, queria poder te recompensar de alguma forma...

ㅡ Não flerte na minha frente ㅡ Yuta soltou o ar de seus pulmões com pesar ㅡ Respeite o príncipe e não roube a princesa dele ㅡ Jaehyun se virou, ambos se encarando.

ㅡ Do que você está falando...? ㅡ apenas eu estava perdida naquele meio ㅡ Qual o problema de vocês dois?

ㅡ Noona! ㅡ Bogum correu e abraçou minha perna.

ㅡ Wah, Bogummie! ㅡ o peguei no colo o enchendo de beijos nas bochechas enquanto ele ria.

ㅡ Injusto... ㅡ Yuta murmurou cruzando os braços.

ㅡ Injusto o quê? ㅡ Jaehyun não parecia estar muito contente.

ㅡ Ele é recebido com beijos e eu não.

ㅡ A vida não é um mangá onde a mocinha é apaixonada por você ㅡ com ironia Jaehyun abordou o mais velho ao seu lado.

ㅡ Mas isso não significa que ela não vá se apaixonar por mim no futuro ㅡ contudo o outro retrucou rindo cínico.

ㅡ Credo... Estão ficando malucos... ㅡ eu jurava que podia ver faíscas saindo de seus olhos ㅡ Vamos comer alguma coisa Bogum?

ㅡ Que tal pizza? ㅡ o mais velho ignorou Jaehyun voltando sua atenção para mim ㅡ Por minha conta!

ㅡ Por mim tudo bem Yuta... Hm, Jaehyun tudo bem por você? ㅡ com um aceno afirmativo de Jaehyun, sorri para o mais velho.

ㅡ Ei... Me chame de oppa! Já somos amigos à algum tempo ㅡ pegando o celular Yuta ligou à pizzaria se afastando um pouco.

Admito nunca ter tido coragem de chamá-lo assim antes, já que Yuta tinha sido meu primeiro amor, contudo meus sentimentos por ele pareciam não ser tão fortes quanto antes, por ter sido Doyoung quem me fez chorar. Senti o olhar de Jaehyun me observar, de forma estranha ele parecia procupado, irritado e louco para me dizer alguma coisa.

ㅡ Você está estranho... Na verdade os dois estão. Qual o problema, aconteceu alguma coisa enquanto estive fora? ㅡ indaguei deixando Bogum correr pela casa procurando seus brinquedos.

ㅡ Por que você nunca me chamou de oppa?

ㅡ É com isso que está preocupado? ㅡ ele pareceu frustrado com minha pergunta, talvez tivesse ficado com vergonha ㅡ Eu nunca pensei sobre isso na verdade. Mas é um pouco vergonhoso.

ㅡ Não pareceu vergonhoso quando Yuta te pediu pra chamar ele assim.

ㅡ Parece que o Jaehyun está com ciúmes ㅡ quis provocá-lo apenas por graça e ri com a reação dele falhando claramente em se defender ㅡ Brincadeira, oppa ㅡ suas orelhas ficaram rubras em segundos e ele se virou de costas.

ㅡ Aish... Isso é difícil ㅡ ele se abanava com a destra.

ㅡ Ué, você me pede pra te chamar assim e fica com vergonha depois? ㅡ acabei rindo de toda aquela situação ㅡ Prefere que eu te chame de Jay?

ㅡ Ai meu Deus... ㅡ ele se virou balançando ambas as mãos em negação. Por que estava tão envergonhado? ㅡ Deixa pra lá, me chame como sempre chamou, vai ser melhor!

ㅡ Oppa ㅡ sorri largo ao vê-lo se irritar.

ㅡ Aish... Por que eu fui pedir?

ㅡ Okay, só queria te provocar dessa vez ㅡ ri baixo o vendo sorrir de canto.

ㅡ Logo estaremos comendo uma pizza tamanho gigante, obviamente por que Jaehyun comeria uma de tamanho normal sozinho ㅡ Yuta laçou os ombros de Jaehyun rindo ao se aproximar ㅡ E vocês, parem de flertar, estão me deixando com ciúmes!

ㅡ Ninguém está flertando aqui ㅡ Jaehyun se livrou do braço de seu amigo mais velho.

ㅡ É um caso perdido... ㅡ Yuta suspirou ㅡ Bom, veremos o que vamos fazer a respeito disso.

ㅡ Além de convencido é louco varrido, olha... Até fala sozinho ㅡ me aliviei por ver os dois rindo ao se provocarem desta forma. Algo me dizia que ambos haviam brigado, mas agora tudo pareciam ter sido da minha imaginação.

Dado algum tempo, a pizza finalmente chegou e nos sentamos a mesa. Enquanto eu auxiliava Bogum a comer, Jaehyun e Yuta estavam um pouco quietos, não completamente, mas mais do que o normal,  algo parecia estranho.

Bogum acabou derrubando molho de tomate em sua roupa, me voluntariei para dar banho e trocar as roupas dele, contudo Jaehyun preferiu fazê-lo ele mesmo. "Quero lhe dar um descanço por hoje". Logo após jantarmos, Bogum e Jaehyun subiram para o banheiro. Yuta decidiu me ajudar com a louça, enquanto eu lavava, ele secava e guardava.

ㅡ Você poderia colocar na secadora de pratos... Sabia? ㅡ ri ao terminar de lavar e secar minhas mãos no pano que Yuta segurava.

ㅡ Se eu tivesse colocado na secadora, você ficaria constrangida comigo te encarando ㅡ novamente aquele sorriso malicioso.

ㅡ Aigoo ㅡ esta me deixando constrangida agora! ㅡ Enfim... Eu percebi que você e Jaehyun estão agindo um pouco estranho.

ㅡ Quer saber por quê? ㅡ afirmei com a cabeça ㅡ Estou olhando para o motivo agora.

ㅡ O quê? ㅡ por impulso olhei para trás, logo que voltei a encará-lo de frente apontei para mim mesma ㅡ Eu?

ㅡ Ah, então quer dizer que vou precisar me esforçar mais?

ㅡ Yuta, é difícil acreditar que eu possa ser um motivo plausível pra gerar desconforto em vocês dois...

ㅡ Por que?

ㅡ Porque! ㅡ acabei gaguejando ㅡ Eu não sei, só não acho convincente...

ㅡ Você não acreditaria se eu dissesse que gosto de você?

ㅡ Escute o que está dizendo! ㅡ acabei ficando corada e joguei o pano de pratos contra ele ㅡ Para de ficar me provocando!

ㅡ Tudo bem, você me pegou, fica pra depois... ㅡ ele riu me encarando ㅡ E se o Jaehyun disser isso? Vai acreditar ou não?

ㅡ Por que estava me perguntando essas coisas? Vocês dois estão bizarros hoje ㅡ eu não podia ficar com mais vergonha do que já estava.

ㅡ Não se preocupe, eu vou usar uma mágica diferente ㅡ deixando o pano sobre a pia, ele se aproximou mais do que o normal ㅡ Você só precisa olhar pra um único homem, quando descobrir quem, suas dúvidas vão desaparecer... ㅡ seu tom era baixo quase um sussurro. Com isso ele selou uma mecha dos meus cabelos e se afastou indo para a sala.

Estive a ponto de entrar em parafusos. O que ele quis dizer? Me preparei para perguntar, mas meu corpo se negou a tomar a iniciativa. As coisas passaram de preocupantes à extremamente esquisitas agora. Apenas tomei coragem de me dirigir a sala dados alguns minutos de silêncio. Já mais calma, me aproximei do sofá onde Yuta estava sentado mexendo de forma concentrada em seu celular. Com um pouco de distância, só por segurança, me sentei ligando a televisão e procurando algo para me distrair. Que agonia. Pensei em começar uma conversa com o mais velho, mas toda a minha coragem se esvairou quando Yuta lançava breves olhares para mim. Jaehyun, por favor volte logo e me ajude a sair dessa situação.

ㅡ Gwiyomi.

ㅡ Hm?

ㅡ Eu preciso ir à um lugar agora. Você deveria voltar para casa.

ㅡ Ah, tem razão... Mas vou esperar Jaehyun voltar primeiro.

ㅡ Claro, vamos nos despedir deles antes.

ㅡ "Vamos"?

ㅡ Quem você acha que vai te acompanhar até em casa?

ㅡ Mas é logo ali, não há necessidade...

ㅡ Ei, não discuta com o príncipe.

ㅡ O que os dois estão cochichando aí? ㅡ com um cheiro agradável de sabonete infantil, Jaehyun se aproximou sentando entre nós dois no largo sofá.

ㅡ Eu já tenho que ir. Meu apartamento está uma bagunça e preciso terminar de desempacotar umas coisas. Se mudar sozinho é difícil ㅡ Yuta bufou pelas narinas em uma forma de demonstrar preguiça e cansaço.

ㅡ Quer ajuda? ㅡ rindo da reação do mais velho, Jaehyun empurrou de leve seu ombro.

ㅡ Mesmo?! Ah cara pega esse bebê e vamos pro carro! ㅡ num pulo o mais velho começou a se ajeitar.

ㅡ Okay, okay... Você vêm? ㅡ me jogando um sorriso daqueles, foi quase injusto para mim conseguir rejeitar.

ㅡ Eu ia adorar...! ㅡ fiquei relutante em terminar a frase.

ㅡ Mas...? ㅡ Jaehyun pareceu preocupado ㅡ Não é outro encontro né?

ㅡ Se fosse seria comigo, duh! ㅡ Yuta brincou logo me encarando ㅡ Não é? ㅡ mas logo se preocupou também.

ㅡ Do quê estão falando? ㅡ acabei rindo em negação as palavras deles ㅡ Eu só tenho que terminar de limpar a casa, meus pais vão voltar lembra?

ㅡ Ah! ㅡ ambos falaram em coro.

ㅡ Mas você não respondeu minha pergunta ㅡ Yuta fora interrompido por Jaehyun, que o arrastou até que ambos estivessem na porta principal.

ㅡ Ignora esse cara... ㅡ logo após deixar Yuta no carro, Jaehyun voltou ㅡ Bogum, vamos pra casa do Yuta hyung hoje?

ㅡ Vamos! A noona vai com a gente? ㅡ o menor, agora nos braços de Jaehyun, sorriu largo tocando o rosto de seu irmão mais velho.

 ㅡ Ela precisa ficar e cuidar da casa dela Bogummie.

ㅡ Mas a noona promete brincar com você amanhã ㅡ apertando de leve a bochecha de Bogum, deixei a casa dos Jung acenando levemente enquanto os via dentro do carro.

ㅡ Não precisa pensar demais ㅡ antes de partirem, Yuta indagou sorrindo para mim ㅡ É só prestar atenção no que eu disse, assim tudo vai ficar óbvio! ㅡ e então se foram para dentro da cidade.

Enquanto ajeitava a casa ouvindo música, acabei me distraindo e o tempo passou mais rápido. Em pouco já estava em meu quarto encarando aquele desenho em cima da minha escrivaninha. Realmente quis compreender o por quê de eu ter desenhado Jaehyun. Cansada de procurar respostas, o guardei em minha gaveta. Definitivamente hoje não havia sido um dia muito comum. Ainda estava confusa com o que Yuta havia dito, sem contar que não era apenas ele quem agia estranho, assim como Jaehyun também. Tentei ignorar pensamentos inúteis, como a possibilidade de que um deles possa gostar de mim, por exemplo. Tudo bem que eu beijei sim Jung Jaehyun, não uma, contudo duas vezes, a primeira sendo culpa dele, mas o que aquilo realmente significou? Seria certo perguntar? Talvez ele só estivesse tentando me confortar naquele momento. Como não havia comentado nada, acredito que para ele não tinha tido nenhum sentimento naquele beijo. Só de imaginar que eu poderia estar começando a gostar de outra pessoa, logo depois de levar um fora, me era desconfortante. Meus sentimentos estavam abalados por eu gostar de Doyoung, entretanto então, por que Hana incomodou tanto meu coração? Não vou mais me iludir! Hoje criarei um limite. Somos apenas amigos, eu, Jaehyun e Yuta, como nos velhos tempos. Só que dessa vez prometo a mim mesma, quem se apega demais, sorri menos, não vou sair de coração partido novamente!


Notas Finais


Com uma promessa complicada, nossa protagonista decide ignorar seus sentimentos confusos~

Veremos no que isso vai dar!

Vejo vocês no próximo Capítulo
(つ >ω●)つ


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...