História My only one among 5 kingdoms - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Undertale
Personagens Sans
Tags Blueberry, Cherry, Cross, Crossmare, Dream, Error, Fell, Ink, Nightcross, Nightmare, Reinos, Yaoi
Visualizações 43
Palavras 957
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Fluffy, Hentai, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Poesias, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Necrofilia, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oiiiiiiiieeeeee
Vcs devem ta perguntando: Outro Kaze? Sim... Mas esse tbm vai ser postando uma vez na semana por causa da fic Erros da minha vida;u;

Mas, espero que gostem.

Capítulo 1 - Prólogo - O ataque!


A muito tempo, os reinos eram dominados por duas raças em um só reino, conhecida como Diamonds, os humanos e os monstros. Um dia, as duas raças travaram uma guerra. Anos se passaram, sangue e poeira foram derramados, foi quando as duas raças fizeram um acordo de paz, dividindo as raças em 5 reinos, Alngels e Demons os dos montros; Diamonds, Gold e Main os dos humanos.

Depois de anos uma guerra novamente foi travada e então, os reinos foi novamente divido em dois. Misturando as duas raças, os reinos Angel's  e Demon's .

~Muito tempo depois~

Em uma pequena vila da capital de Demons, humanos e montros saim de suas casas para seus legíveis trabalhos. Crianças saim para para brincar e jovens para treinar.

Diferente do pequeno Cross, que saia de sua casa para poder ajudar seu pai no campo.

– "Cross, porquê nós temos que sair tão cedo?" – Perguntou o fantasma esfregando os olhos. Apenas o esqueleto monocromático poderia ve-lo.

– Para poder ajudar o papai no trabalho. – Respondeu como se fosse uma coisa tão óbvia.

– "Nem para você poder normal como as outras crianças."

– Vamos lá Cecy, você apenas vai ficar observando, enquanto eu vou estar trabalhando. – Disse o híbrido tentando animar o fantasma apelidado de Cecy.

– "OK" – Respondeu revirando os olhos.

Ambos caminhavam juntos, Cross sempre matinha um sorriso amigável no rosto. Era conhecido por todos da vila como um jovem com potencial na guarda real, mas o mesmo sempre preferiu o campo. Já Cross Chara ou Cecy, era apenas um fantasma morto na segunda guerra dos reinos e que foi gelado em Cross quando ainda era um bebê, dai veio o seu nome. 

Chegaram no campo e viram um esqueleto mais velho, esse capinava, mas parou assim que viu seu filho aproximar. 

– Hey campeão, pronto para o trabalho? – Perguntou dando para Cross uma enxada. 

– Sempre pronto. – Respondeu. 

– "Que coisa mais chata." – Cross riu com o cometário do amigo, e o maior entendeu a situação. 

– Hehe, é mais uma vez o Cecy reclamando do trabalho não é? – Cross assentiu como resposta. – Sorte que ele é um fantasma, se não eu o faria ver o quão bom é trabalhar no campo. – Cecy revirou os olhos com o que o mais velho disse. Assim os dois menos o fantasma começaram fazer os seus trabalhos. 

~Na floresta~

– Lembram né? Quando eu der o sinal, vocês atacam a vila principal de Demon's enquanto os outros a de Angel's. – Falava o homem que ajeitava uma arma semelhante a uma de fogo. 

– Sim senhor. – Disseram mais 100 homens em uníssono. 

– Lembram do objetivo principal?  – Perguntou. Essa já se preparando para dar o sinal com a arma.

– Destruir as duas vilas, roubar tudo de precioso e ir para os dois castelos  para seqüestrar os herdeiros. – Respondeu o único monstro entre eles, semelhante a um lobo que continha uma cicatriz em seu olho direito. 

– Exatamente,  matem sem piedade. – Disse e observeu seus homens, alguns com tochas, armas de fogo, espadas,  macahdos, e facas. – Se preparem. – Poxou o gatilho apontando a arma para cima, saindo dala uma fumaça verdade que poderia ser visto a quilômetros de distâncias. Os homens que estavam em sua volta começaram a correr em direção a vila principal. 

~No campo.~

Cross que ajudava seu pai acabou se deparando com a fumaça verde  que saia da floresta a frente. 

– Pai, o que é aquilo? – Seu pai se virou vendo aonde o filho apontava, achou estranho, e mudou sua visão para a floresta, foi quando viu homens correndo em suas direções. 

–Bandidos! Cross corre! – Cross não questionou, apenas começou a correr e seu pai veio logo atrás. Cross por um estante olhou para atrás  vendo homens começarem a tacar fogo pelo o campo. 

– "Cross o quê está acontecendo?!" – Perguntou o fantasma. 

– E-Eu não sei. – Respondeu. Seu pai vendo o nevorsismo de Cross,  o pegou pelo o colo começando a correr mais rápido ate chegar a vila. 

– Ah vila está sendo atacada! – Alermou, os moradores logo entraram em suas casas com os jovens, soldados preparavam suas armas,  e logo veios os bandidos tantacando fogo tudo quanto é canto. O pai de Cross os leveu em sua casa, abrindo a porta e a fechou logo em seguida. 

– Marido, o quê ouve? – Perguntou uma esqueleto de cabelos negros. 

– A vila está sendo atacada, fiquem aqui e não saim de casa. – Falou o homem pegando uma espada que estava no canto da casa. 

– Aonde você vai? – Perguntou a mulher preocupado com o marido. 

– São poucos guardas, e muitos bandidos. Não vou demorar,  prometo. – Se preparou para sair, mas antes deu um beijo na testa de sua amada. – Volto logo, e Cross, cuide de sua mãe. – Logo ele passou pela a porta a trancando pela parte de fora, a mulher fez o mesmo de trancar pela a parte de dentro. 

– "Cross eu estou com medo." – Disse Cecy, era normal para ele esta com medo,  afinal estava em um só corpo,  se Cross morresse o fantasma também "morreria". Davam para escutar os sons de armas de fogos sendo desparados,  pessoas gritando em desespero. 

– Vai ficar tudo bem Cecy.  – Sussurrou. A mulher que escutava tudo, se dirigiu a cozinha, abrindo uma porta ao chão que levava ao porão. Logo chamou o filho. 

– Cross, venha aqui. – Cross caminhou em direção a sua mãe ficando ao seu lado. A mesma empurrou o filho para baixo onde havia escadas e trancou rapidamente, Cross confuso tentou abrir a porta de madeira, já que o chão da casa era o mesmo. – Calma filho, não quero te perder se arrombarem a casa. 

– Mas mã---

– Cross,  me prometa que não vai sair dai. – Cortou o menor, Cross nao queria sair de perto de sua mãe, a mesma era orgulhosa, pois uma vez já foi da guarda real. – Me prometa Cross! 

–... Prometo... 


Notas Finais


Continua...

Cap curto pq eh Prólogo
Mas vai ser postado maior os cap, tenha certeza, e eu vou postar toda a madrugada de sexta :')
Ate a próxima


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...