História My Sweet Girl - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Jazmyn Bieber, Justin Bieber, Personagens Originais
Tags Amor, Camila Queiroz, Drama, Justin Bieber, Loucura, Possessão, Sexo, Tragedia, Violencia
Visualizações 338
Palavras 2.452
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Ficção, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


socorro

Capítulo 12 - Wonderful


Fanfic / Fanfiction My Sweet Girl - Capítulo 12 - Wonderful

Toronto - Ontário - Canadá

28 de setembro, 2017.

Samantha Burton's Point Of View



O grande dia chegou, e eu não falo isso com nenhum pouco de alegria. Eu já estava provando o vestido, e devo dizer, ele é maravilhoso, não posso negar. A pior parte do dia, foi a manhã. Justin mandou algumas mulheres cuidarem de mim, fazendo massagens, spa, e o pior de tudo depilação. Não que eu não fizesse, por que eu quase sempre faço, mas são pessoas totalmente desconhecidas vendo você sem roupas, e não tinha pena de mim. 


Eu não tinha nada para tirar "lá em baixo" e mesmo assim aquelas malucas não me deixaram sair. Eu me senti como se tivessem arrancado minha vagina, foi terrível! Mas tirando essa parte, o resto foi excepcional. 


Dei uma volta, me olhando no espelho do quarto, enquanto duas mulheres ajustavam meu vestido.


ー Acho que já está bom. ー falei pra elas, forçando um sorriso, e elas assentiram, se retirando no quarto. 


Minha maquiagem e cabelos já estavam prontos, tinha um véu em minha cabeça, mas eu não ia o por no rosto, encomodava. 


ー Você está uma princesa! ー tremi quando ouvi a voz de meu padrasto, e eu virei para trás, o vendo todo arrumado e se aproximando de mim. 


ー O que você faz aqui? ー perguntei grossa, cruzando os braços. 


ー Como assim, querida? Vim festejar o casamento de minha filha. ーdisse sarcástico. ー Eu irei te levar ao altar como deve ser. 


ー Justin sabe disso?


ー Ele que me pediu para vir. ー disse tocando meu rosto, mas eu afastei sua mão com brutalidade. ー Vamos, as pessoas aguardam você. 



Bufei, e eu sai do quarto com ele. Quando chegamos lá em baixo, as mesmas duas mulheres que estavam comigo, se aproximaram, e seguraram o vestido parra que não arrastasse no chão enquanto eu ia lá pra fora e entrava na limousine com Edward. Todo o caminho, eu tentava formular planos em minha cabeça, tentando achar uma maneira desse casamento não acontecer, mas nenhum acabava certo. 



Engoli seco ao ver a limousine se aproximar da igreja, e muitas pessoas ao lado de fora, tanto convidados, como fotográfos, jornalistas. Meu peito começou a bater forte, assim que o carro parou, e o motorista abriu a porta. Edward saiu primeiro e estendeu a mão para mim, após alguns segundos, eu segurei em sua mão, e quando eu já tinha saído do carro, ele entrelaçou seu braço no meu, e sorriu para as câmeras.



Eu só queria sair correndo dali até minhas pernas ficarem dormentes. O choro ficou preso na garganta e eu apenas forçei um sorriso para as pessoas. As portas da igreja se abriram, e começou a tocar a tipica música quando a noiva entrar. Chegamos a entrada, e vi os convidados que antes estavam sentados, ficarem de pé e olharem para mim. 



Andamos sobre o tapete vermelho, e a cada passo uma lágrima caia de meus olhos, por que isso de fato está acontecendo. Justin me olhava sorrindo no altar, e parecia um sorriso tão verdadeiro, que eu até desviei o olhar, e olhei para os lados enquanto andava. Minha família...estava todos ali... Arregalei os olhos e eles sorriram pra mim.


Chegamos ao altar, e meu padrasto "me entregou" a Justin, e falou algo pra Justin o fazendo rir. Ele segurou em minha mão, e nos viramos para o padre a nossa frente. A mão de Justin estava suando, e eu fiquei me perguntando se ele estava realmente levando tudo aquilo a sério. Após alguns minutos com o padre falando, Jazmyn entrou como dama de honra e trouxe as alianças. Ela estava a coisa mais linda! 


Pegamos as alianças e fizemos nossos votos, os mais dificeis pra mim. Assim que o padre disse "pode beijar a noiva", vi um sorriso ainda maior nascer nos lábios de Justin, e ele se virou pra mim, me agarrando pela cintura, e me beijando de uma forma tão diferente. Tudo parecia tão real, ele parecia tão apaixonado, mas que droga!


Pude ouvir as pessoas gritarem e aplaudirem. Justin se separou de mim, e olhou para as pessoas sorrindo. Segurou minha mão novamente, e caminhamos entre as pessoas. Eu me sentia tão estranha agora...


Voltamos para a limousine, e quase fiquei cega com tantas fotos que eram tiradas. Assim que Justin fechou aporta do carro, eu suspirei aliviada. 


ー O que foi? ー ele perguntou ao meu lado.


ー Tudo é tão estranho…ー falei sem o olhar, perdida e o carro começou a se movimentar. ー Eu não sei, é como se você estivesse apaixonado, como se tudo isso fosse real, eu...


ー Mas eu amo você. ー falou, e meu coração bateu forte.


ー Eu estou falando sério! ー o encarei séria.


ー Acha que eu estou brincando? ー perguntou arqueando uma sobrancelha. ー Você está linda, sabia que esse vestido ia ficar perfeito em você. 



•••



A festa estava boa, as pessoas dançando, bebendo, nos parabenizando, e o sorriso não saia do rosto de Justin, eu já estava vendo a hora da cara dele se rasgar. Já estava cansada de sorrir pra todos, que nem ao menos conheço. 


Senti a mão se Justin apertar a minha, mas de foram forte como se ele estivesse com raiva. Levantei o olhar, vendo seu maxilar travado, olhando para algum lugar. Segui seu olhar, e vi Oliver e sua irmã entrando no local.


Droga, eu tinha me esquecido disso…


ー Não me diga que você o convidou? ー olhou pra mim, com os olhos queimando. 


ー Então…ー sorri sem graça ー eu não sabia que…


ー SAMANTHA! ー ouvi gritos, e eu sorri, sabendo que era Mia e Ashley. 


ー Meninas! ー me soltei de Justin, e me aproximei delas, lhes dando um abraço forte. ー Me tirem daqui, me meti em uma enrascada. 


ー PARA TUDO! TÁ TOCANDO CRY ME A RIVER? ー Ashley gritou, e nós caímos na gargalhada. ー Meu Deus! Quem fez a Playlist da festa, está de parabéns! 


Demos risadas, e fomos para o banheiro, junto com Ashley feito uma maluca cantando e dançando, sacudindo o corpo todo. Ela realmente adora esse cantor. 


ー Vocês não sentem isso? Essa música, meu deus…ー disse, parecendo viajar pra outro mundo quando chegamos ao banheiro. 


ー Já entendemos que você o ama! ー Mia reclamou. ー E menina, que casamento em? Eu adorei seu vestido! ー disse e eu sorri. 


ー Justin está maravilhoso naquele terno! ー Ashley chamou nossa atenção, se abanando ー Meu Deus! 


ー Ashley, como você diz isso na frente da esposa disse? ー Mia cruzou os bracos, falando num tom brincalhão. 


ー Ela sabe que é brincadeira. Mas confesse Samantha! Você quer se agarrar nele, tirar aquele terno e…


ー Ashley! ー a parei e nós rimos, chegando em frente ao espelho e ajeitando a maquiagem. 


ー Mas nos conta, qual foi a enrascada que você se meteu? ー Mia perguntou, e eu suspirei, pegando o batom de Ashley.



ー Convidei o Oliver. E bem...o Justin não gostou nada disso. ー falei e elas riram. 


ー Não fico supresa dele ter ciúmes, por que até ele viu que Oliver é caidinho por você! 


ー Mia, isso não é verdade. ー revirei os olhos, e passei o batom, devolvendo a Ashley. 


ー É sim, não negue, garota! Agora vamos voltar, daqui a pouco tem a valsa, né? Vai ter valsa de casais? 


ー Acho que sim, vamos então. ー esperei elas terminarem de se arrumar e saímos, voltando para o lugar o eu estava.



Comemos algumas coisas, e vi que Justin conversava com dois casais, enquanto bebia algo em uma taça. Assim que me viu, me chamou com a mão, e eu me aproximei deles, os cumprimentando. 


ー Vamos para o salão. ー disse e eu dei de ombros, vendo as meninas logo atrás de mim. 

ー Cadê a Jazmyn? 

ー Brincando com seu pai. 


Era como eu pensava, tocou Perfect do Ed Sheeran, e Justin e eu fomos para o centro do salão, junto com outros casais, e começamos a dançar lentamente, como o ritmo da música. Ele ficava me encarando fixamente, e eu sentia meu rosto esquentar. A música era linda, e meu peito batia forte.


Olhei para o lado, vendo alguns casais dançando, mas nenhum sinal da minha família. Ao menos vinheram pra cá.


Apenas sorri de lado olhando pra Justin agora, e ele apertou minha cintura. 


ー Não aguento mais esse lugar, daqui a pouco iremos. ー disse eu quase falei um “amém”. 


Coloquei as minhas mãos ao redor de seus ombros, e nossos corpos ficaram mais próximos ainda, enquanto nos balançavamos de um lado pra o outro. Ele se inclinou e beijou minha boca, em uma ritmo calmo, me deixando nas nuvens, e com um tremendo frio na barriga.


Eu odeio admitir isso, mas eu estou me apaixonando por esse miserável. 


•••

Hawaii - 18h31 da noite.



A brisa fresca tornava o clima maravilhoso. Após um pôr do sol sensacional à beira-mar, eu e Justin voltamos para o hotel onde estávamos hospedados para nossa lua-de-mel, é até engraçado dizer isso “nossa lua-de-mel”. Eu esperava me casar com uns 24 anos, já trabalhando. 


Assim que entrei no quarto, tirei minha roupa e a dobrei em cima da cama. Eu estava apenas de roupas íntimas, quando voltei para ir à mala pegar outra peça de roupa. Levei um susto e tanto ao ver que Justin me observava, encostado ao lado porta.


— O que foi? — perguntei, envergonhada e querendo cavar um buraco no chão. 



— Você é maravilhosa. — ele falou, andando até mim. 


Ah não, não, não...


Passou sua mão suavemente pelo meu braço e me beijou. De súbito, o singelo beijo se transformou em um beijo ardente, aflorando os hormônios. Justin despiu sua camisa e continuamos o beijo. Passei a mão por seu abdome esculpido. Ele alternava suas mãos na minha nuca, puxando meus cabelos, controlando o beijo e apertando minha bunda com força. 


Eu nunca vou tomar jeito.


— Samantha, eu quero que você me chupe gostoso. Quero me derramar na sua boca. — ele murmurou, ofegante. 


PORRA! O clima ficou mais quente ainda.


Sorri de forma sugestiva enquanto acariciava seu pau. Latejando, duro, quente, pulsando de tesão. Ao mesmo tempo que o acariciava, eu olhava dentro de seus olhos. Não precisava de nenhuma palavra dita por ele, eu sabia que era aquilo que queríamos naquela noite. 


— Eu quero chupar você até sentir seu gosto quente em minha boca... — sussurrei em seu ouvido. 


Pude observar o sorriso de Justin antes de me ajoelhar perante ele e desabotoar o fecho de sua calça e abaixar sua roupa íntima. O seu membro estava duro, pronto. 



Coloquei uma mão em seu pau, fazendo movimentos de vai e vem, suavemente. Com a ponta da língua, subi pela extremidade dele, até chegar em cima e então, beijei sua glande e desci com meus lábios, minha boca, ensalivando seu membro. Para cima, para baixo. 


Quem sou eu, e onde está a Samantha?



Justin segurava meus cabelos, ao passo que os acariciava enquanto arfava, gemia, sentindo o prazer que eu estava lhe proporcionando. 


— Isso, Sam, chupe. — ele murmurou entre um gemido e outro. Por mais alguns segundos, o chupei e então ele gozou um bocado em minha boca. — Você é maravilhosa, Sam... — ele falou em meu ouvido, quando me levantei. 



Voltou a beijar-me e conseguiu desabotoar meu sutiã, o mesmo caiu ao chão segundos depois. A mão de Justin subiu por minha cintura e apertou um seio meu. Depois com mais força. Desviou seu rosto e sua atenção para meu seio e o beijou, em seguida o chupou vigorosamente e o massageou. 



Quando parou, sua mão foi para minha vagina, onde, com seu dedo do meio, dentro da calcinha, acariciou com vontade meu clitóris e minha vagina. Eu queria gritar! 



— Como você está molhada, tão úmida para mim... — ele falou, sorrindo maliciosamente. 



Justin empurrou-me na cama e passou a mão por minha barriga. Enquanto continuava tocando meu clitóris, olhava sério para mim me deixando maluca. Por fim, deu um sorriso e despiu minha calcinha. Voltou sua atenção para minha vagina e, com a ponta da língua, começou a fazer movimentos circulos em meu clitóris, fazendo-me arfar alto.


— Você gosta, Samantha? — ele indagou, olhando para mim. 



Afirmei com a cabeça, sentindo novamente sua língua em minha intimidade. Sua língua movimentou-se rápido em minha intimidade, fazendo-me contorcer sobre a cama. Então, Justin inseriu um dedo em minha vagina, tirando e colocando lentamente. Colocou outro dedo, alargando um pouco mais a minha entrada. Colocou rapidamente, enquanto eu gemia alto em suas investidas. Quando cheguei ao meu clímax, Justin murmurou em meu ouvido: 


— De quatro, agora! 



Com prazer, obedeci ao seu pedido e fiquei de quatro. Lentamente, Justin inseriu a cabeça de seu pau na beirada da minha vagina, aos poucos, colocou tudo e foi fazendo movimentos lentos de vai e vem dentro de mim. 


— Isso, me fode gostoso. — pedi, empinando a bunda. 


Ele começou a dar investidas mais rápidas, enquanto segurava minha cintura com força. De repente, senti dois estalos secos e dolorosos — porém prazerosos — em minha nádega. Em seguida, ele segurou meus cabelos e os puxou, segurando-os em um rabo de cavalo. 



Enquanto eu gemia alto, Justin, ofegante, continuava me fodendo com força. Quando saiu de dentro de mim, beijou e mordiscou minha cintura de leve e eu deitei-me de lado. Quando Justin deitou-se atrás de mim, ele informou: 


— Quero foder você assim, nessa posição, de ladinho. 


Sorri maliciosamente ao escutar aquilo e novamente, senti a sensação gostosa de ter o pau dele dentro de mim novamente, me fodendo. Gemi juntamente com Justin, sentindo seu arfar descontrolado em meu pescoço. Segurou meu pescoço e meus cabelos da nuca. 


— Quero que você me implore para foder você. — ele pediu. 



— Me fode, fode! Por favor! — pedi. 



Novamente, Justin saiu de dentro de mim e se posicionou por cima de mim. Nossos corpos suados em puro êxtase, ofegantes. Rapidamente, ele me fodeu naquele posição. Colocou uma mão em meu pescoço, como se fosse me enforcar, mas não o fez com força. Gemi alto e Justin apertou um seio meu, com força. 


— Gostosa. — ele sussurrou em meu ouvido. 


Logo, eu estava chegando ao meu ápice e pela minha percepção, Justin também estava quase lá, pelos seus gemidos e sua respiração cada vez mais ofegante. 



— Quero gozar na sua boca. — ele falou — Agora. 


Justin tirou seu pau de dentro de mim e se masturbou rapidamente, enquanto eu me sentava e ele gozou em minha boca e nos arredores de meus lábios. 


— Você é sensacional, Samantha. — ele murmurou, rindo levemente. ー e olha que pra quem não queria nada. 


ー Eu retiro o que eu disse! 



Notas Finais


CABUM! O momento tão esperado por alguns finalmente está aí! Eu escrevi tudo ouvindo a música do Ed, é tão linda, por mais que não combine tantooo com o capítulo, mas né...
A parte hot foi feita pela minha amora @UK não sei se ela vai ver isso mas muito obrigada DE NOVO meu amor! <3
555 favoritos? gente, o que é isso, eu tô GRITANDO VIADO!

Amo vocês de todo coração! <3
Mas, enfim, é isso. No próximo capítulo, eu libero a playlist da fanfic pra vocês! ;)

Até o próximo! <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...