História My Triton (Mark) - Capítulo 16


Escrita por: ~ e ~Park_Seungjang

Postado
Categorias Got7
Personagens BamBam, Jackson, JB, Jinyoung, Mark, Personagens Originais, Youngjae, Yugyeom
Tags Got7, Imagine Mark, Mark, Sobrenatural
Visualizações 139
Palavras 832
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Científica, Hentai, Lírica, Magia, Misticismo, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 16 - Como?


Yugy: -Tem alguma possibilidade, dele ser o Mark?

Eu: -Se fosse....ele já teria falado conosco, né?

Yugy: -Não sei.

Eu suspirei. 

Eu: -Vamos esquecer isso, não tem como ele ser o Tuan.

2 Dias Depois

Eu estava em casa, sendo mimada, isso é bom, isso é ótimo! Johnson paga tudo que eu preciso, mas a distância, por conta bancária, e a possibilidade dele ser, o meu irmão, só aumenta, a cada coisa que ele fala.

Mas Tuan está morto, e eu tento aceitar isso.

Nesse exato momento, estou conversando com meu pai, ele estava falando comigo, sobre uma equipe de Oceanógrafos, que iriam fazer uma "Expedição", no nordeste de Seuol, esqueci o nome, da praia, mas Ok.

Meu pai não quer deixar eu ir, por causa do gesso, sim, eu tô usando a merda do gesso, porque quebrei o pé, mas Ok.

Eu: -Paiiiiii, eu quero ir, eu quero.

S/p: -Depois vemos isso. -sai andando, deixando eu que nem louca gritando ele.

Eu desisto e cruzo os braço. 

Logo Yugy aparece na sala, com cara de sono.

Eu: -Tava dormindo? -ele assente,e deita no sofá, pondo a cabeça  em meu colo. -Deita na almofada Yugy. 

Yugy: -Prefiro suas coxas. 

Eu: -Hum.

Ele se ajeita no meu colo, e aos poucos cai no sono. Eu achei a cena fofa. Pego o controle e ligo a televisão, e passava um filme qualquer.

Minutos assistindo o filme, e a Luiza aparece na sala.

Luiza: -Você e Yugy, trocam muitos carinhos em? -senta no outro sofá. 

Eu: -Ué, somos primos. 

Olho pra Yugy, que dormia como um anjo. Sua franja estava grudada em sua testa, ele estava soando, e seu pescoço também estava encharcado. Tava fazendo um calor dos infernos, e provavelmente estava incomodando, meu Yugyeom.

Luiza: -Não são, não têm o mesmo sangue. 

Eu: -Fomos criados juntos, tenho o Yugy como um irmão.

Luiza: -Não é oque parece. S/n, me diga, vocês namoram?

Eu: -Não!

Passo a mão, pelos cabelos de Yugy, segurando os mesmos, deixando sua testa descoberta, e Yugy parece agradecer por isso. O mesmo se ajeita no meu colo, e abraça minha cintura. 

Luiza: -Viu?

Eu: -Ele está dormindo!

Luiza: -S/n, eu não vou contar a ninguém, pode me contar. 

Eu: -Argh, estou falando a verdade!

Ela me olha e sai da sala.

Eu: -Yugy, acorda. -balanço ele de vagar, e ele resmunga algo. Balanço ele de novo, e ele acorda, logo direcionando seu olhar a mim. -Quero falar com você.

 Yugy: -Fale. -responde manhoso. 

Eu: -Primeiro levanta, você tá encharcado. -faço cara de nojo, e ele revira os olhos.

Yugy: -Você, já me viu pior. -coça os olhos.

Eu: -Cala a boca. -pego as muletas que estavam próximas, e me apoio no sofá, me levantando. 

Yugy: -Oque foi?

Eu: -Sua irmã, a Luiza, acha que estamos namorando. -falo assim, por que desconfio que ela esteja por ali, ouvindo. 

Yugy: -Ué, e não estamos? -eu levanto uma muleta e miro em sua direção, como se fosse o bater, e na mesmq hora ele se encolhe todo. -Que?Ela tá ficando louca.

Ouço a voz de Luiza.

Luiza: -Opa! Acho que descobri tudo. 

Eu: -Vai te ferrar! -olho pra Luiza.

Luiza: -Por que nunca me disseram?

Yugy: -Você está paranóica. -levanta do sofá, passando por mim.

Eu: -Yugyeom. -ele me olha. -Volta. -ele suspira, e volta, virando de costas pra mim, e se abaixando um pouco. Na mesma hora pulo em suas costas. 

Eu: -Me leva pra perto da piscina. 

Luiza: -Olha a namorafinha mandona.

Eu: -Luiza, não namoramos, na minha vida toda, só amei um garoto de verdade, amor de irmãos, e agora, ele está a 7 palmos da terra. 

Ela se cala, e Yugy sai andando comigo.

Eu: -Yugy....-ele me interrompe. 

Yugy: -Não precisa falar nada.

Eu: -Olha, eu te amo tá? E muito. Eu só disse aquilo, pra ela parar. -ele assente. 

Fomos andando, ao chegar lá, ele me deixa sentada em uma cadeira, e sai dali. Eu vou pulando, de um pé só, e chego na borda da piscina, sento na borda, e boto o pé sã, na água. 

Eu: -Mark Tuan, Mark Tuan. Por que não consigo aceitar, que você está morto? E chego a pensar que um mero desconhecido é você? -falo olhando pro meu reflexo na água. -Por que, você me abandonou? Se você voltasse, eu juro, que largaria tudo, e todos, pra viver apenas com você. -sinto uma lágrima solitária descer pelo meu rosto.

Eu: -Yugy é um bom namorado, eu o amo, mais......Argh, S/n, esqueça isso. -levantei bruscamente, e acabei escorregando, pra dentro da piscina. 

Na mesma hora, seguro o ar. Mas eu estava descendo pro fundo da piscina, o Gesso, piorava a situação. 

Eu já não conseguia mais segurar o ar, e acabo o soltando, já esperava minha morte, mas ela não vinha, abro os olhos, e vejo que......consigo respirar, olho pra minhas mãos, e elas tinham algo, que pareciam...

Eu: -Escamas?

Eu estava apavorada, tento subir, mais o gesso me impedia.

Quando percebo, que minha pulseira, soltava algo, em uma coloração verde, assim como sua cor. A pulseira que Mark havia me dado de aniversário, de 13 anos, ele que tinha feito.

Me debato entre a substância verde, e acabo desmaiando. 

Continua...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...