História Não vivo sem você! - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias A Feia Mais Bela
Personagens Aldo Domenzaín, Alicia Ferreira, Erasmo Padilla, Fernando Mendiola, Julieta Solís de Padilla, Letícia "Lety" Padilha Solís, Márcia Vilarroel, Omar Carvarral, Tomás Moura Gutiérrez
Tags Ferlety
Visualizações 303
Palavras 1.046
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Mais um capítulo, espero que gostem

- Ary

Capítulo 6 - Primeira tentativa deu errado



A ligação havia tomado outro rumo e isso a abalou. Ainda bem que Fernando não percebeu. Pelo menos isso. Ele tinha que falar aquilo?... Não poderia negar, Fernando sempre colocaria de ponta a cabeça seus conceitos e até mesmo princípios, se não fosse assim não estaria se prestando a tudo isso.

- Bom dia... – A viu passar ainda boquiaberto, era uma verdadeira escultura humana aquela que passara

Conhecia aqueles caminhos muito bem, não teve problemas quanto a isso, a não ser os olhares que a si eram dirigidos, não olhou ou cumprimentou ninguém em seu trajeto, a pose autoritária distanciaria ainda mais qualquer semelhança entre Aurora e Lety, se bem que ninguém ligaria Lety, a feia, a Aurora, a diva misteriosa. Riu sozinha. Talvez isso se torne divertido, tirando a parte em que eu duplico o sofrimento. Bufou se entristecendo.

- Entra... Olha só! Bom dia – Riu, um riso visivelmente maligno

- Bom dia – Devolveu cínica, para me acordar de madrugada ela não sabe ser educada. Mulher estranha...

- Conseguiu seguir as instruções de Sabrina...

- Eu sei que debaixo dessas roupas eu sou feia mas não precisa esfregar na minha cara

- Tudo bem, vamos ao que interessa... Lembra de tudo?

- Sim – Revirou os olhos, ela pensa que eu tenho o quê? 6 anos ou demência? – Não seja atirada nem difícil. Dominadora, mostre uma mulher confiante. Deixe brechas, mas não deixe a entender que quer ir para a cama no primeiro encontro – Repetiu as palavras que tinha ouvido. Blá blá blá, em resumo, seja uma pessoa que você não é.

- Ótimo, então vamos

- Entra – Anunciou a voz grave

- Fernando amor!

- Bom dia Márcia, Aurora – Respondeu voltando a atenção aos papéis

- Preciso que assine isso – Entregou uns papéis

Ele leu e logo assinou, pegando os papéis de volta, Márcia conversou um pouco e na primeira oportunidade deixou Aurora e Fernando sós.

- É você quem escolhe as modelos? – Perguntou para cortar o clima

- Antes sim, agora, quase nunca, o Carvarral ajuda o Luigi com isso

- Eu sou boa para os comerciais da Conceitos?

- Não se preocupe com isso, você é muito bonita, só tome cuidado com o Luigi, ele costuma exigir muito das modelos – Riu tímido

- O que houve Fernando? Você parece... triste

- Uma pessoa importante me faz falta agora – Suspirou cabisbaixo

Sou eu? Não. Pare de pensar besteiras Letícia. Aurora. Foca na Aurora.

- Posso fazer algo para te ajudar? – Falou de um modo um tanto estranho fazendo com que ele levantasse o olhar espantado e ela também. Droga. Fácil demais.

Pigarreou se ajeitando na cadeira – Na-Não, obrigado

Respira Letícia, respira. Agora não tem mais volta.

- Tem certeza? – Pôs a mão em cima da sua sobre a mesa – Seria um segredo...

- Não – Retirou a mão rapidamente – Amo outra e sou fiel a ela

- A Márcia nunca saberá... Como disse, seria um segredo...

- Não é a... – Calou-se por um instante – Aurora, você é uma mulher belíssima, mas eu amo perdidamente outra mulher, e ela, só ela, tem meu corpo, alma e coração.

- Mas Fernando... – Omar entrou na sala como sempre fazia. Sem bater. E pela primeira vez Fernando ficou feliz com os maus hábitos dele

- Fernandinho... Aurora! – Seus olhos brilharam – Como é bom revê-la!

- Olá Omar...

- Como vai? Nem parece que foi ontem que nos vimos – Riu galanteador

- Bem, obrigado por perguntar

- Aproveitando a oportunidade... – Beijou sua mão – Aceitaria meu convite para almoçar comigo hoje?

- Desculpe – Puxou a mão – Vou sair com a Márcia, outro dia quem sabe – Levantou-se – Fernando, com licença

- Tem toda – Graças a Deus!

- Que mulher! – Acompanhou com o olhar até que a mesma saísse

- Que mulher estranha você quer dizer, acredita que ela estava se insinuando para mim? – Perguntou ainda estupefato

- E você? O que fez?

- Eu neguei! – Respondeu como se não fosse evidente

- Você só pode estra delirando Fernando! Tudo bem que eu quero sair com a Aurora mas... Fernando! Se ela estava na sua... Não! – Levantou-se – Eu me recuso a acreditar que você rejeitou uma modelo, e ainda mais a Aurora! Aquela escultura... – Babou – Me recuso a acreditar que meu amigo de festas está mudando de lado! Você está ficando igual ao Luigi! Olha só! Até a gravata é rosa, daqui a pouco vai ser o terno, não... Isso é mal... – Começou a andar em círculos

Animal. – Omar – O chamou mais para perto e lhe deu um cascudo na cabeça – Sabe por que eu rejeitei a Aurora? – O amigo negou com a cabeça - Por que eu amo a Lety!

- A feiosa?

- Eu te parto em dois se chama-la disso novamente!

- Calma Fernandinho...

- Me disse que eu era gay mas quem me chama de “Fernandinho” e fica se doendo por causa de um cascudinho é você

- Não dá mais para ter uma conversa séria com você Fernando

- Quando parar de chamar a Lety daquilo voltaremos a ter uma “conversa séria”

Omar saiu emburrado, segundo ele, Fernando estava muito estranho, mas não deixaria isso desviar seus planos, queria ao menos uma noite com a diva misteriosa e faria tudo que estivesse ao seu alcance para conseguir.

***

- Abortar plano! – Entrou de supetão

- Ai meu Deus! O que foi agora Letícia? Outro ataque de consciência e sentimentalismo? Quer que eu repita o que o Fernando fez?

- Não precisa remexer no assunto. Disse isso por que a primeira tentativa deu errado

- O que você fez?

- Digamos que eu me insinuei para ele

Tonta – E ele? – Respirou tentando não perder a calma

- Negou, disse que ama outra e é fiel a ela

Ponderou. Sou eu? Não, aquele canalha não me toca a um tempo – Tudo bem, mas eu disse a você que não fosse atirada

- Eu sei! Mas se ele tivesse aceitado? A senhora sabe que eu e ele... Bom, ele me conhece por debaixo das roupas – Envergonhou-se – Ele iria perceber! Vai dar errado!

- Aurora precisa ter uma marca característica

- Como assim?

- Uma tatuagem, uma coisa que a diferencie da Letícia

- Nem morta, eu não vou marcar meu corpo, procure outra solução ou eu desisto de vez desse plano ridículo!


Notas Finais


“Eu te amo e esse é o problema. Se não tivesses roubado meu coração.... Nada disso teria acontecido e eu não saberia o que é amor. Te amar então foi meu pecado.” – Aryana Estevão


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...