História Neos END - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Visualizações 5
Palavras 2.474
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ficção Científica, Luta, Romance e Novela, Sci-Fi, Survival, Terror e Horror, Violência
Avisos: Canibalismo, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Olá pessoal! Tudo bem com vocês? Passando para deixar mais um capítulo e espero que gostem ^^

Capítulo 16 - Interceptação


Fanfic / Fanfiction Neos END - Capítulo 16 - Interceptação

–––– ALICIA ––––

 

       Uma explosão eclodiu ao exterior do edifício, uma tão grande que abalou a estrutura já danificada do edifício partido. Eu e os dois abissais nos dirigimos para o gabinete central, a sala de Zeke, passando por vários cadáveres moribundos dos guarda-costas do algoz pelo caminho e cruzando um jardim japonês. Chegando lá, encontramos o início da fissura que dividiu o prédio em dois, como se algo enorme tivesse se chocado com o chão. A parede atrás do gabinete de seu balcão não existia mais – uma ventania quente e misturada com fumaça e enxofre perpassava a cratera, castigado nossos rostos calejados. Nenhum sinal de Ciara até ali, mas sabíamos que uma batalha estava acontecendo do lado de fora, uma que talvez não pudéssemos intervir. Algo além nossas forças e o grisalho estava ciente daquilo.

       – Onde ela está? – Ace estava com seu olhar longe e fixo no Millenium Park.

       – Eles estão ali – comenta o grisalho. – São sete contra um!

       – Sete?! – Espantou-se Koulla. – Isso quer dizer...

       – Eles vieram... como a senhorita Luana havia previsto.

       – Ace. Você citou um plano anteriormente – resgatei o assunto novamente. – Que plano é esse?

       Ace desenhou um sorriso enigmático em sua face.

       – Será melhor de entender se você assistir. – Respondeu ele.

       Eu suspirei, voltando minha atenção para o parque que agora estava em ruínas, cercado por vários pilares de fogo e decorado com crateras e pilhas de destroços por todos os lugares.

       – Alicia – a voz de Deneve reboou na minha cabeça. – Eu sinto uma energia monstruosa vindo daquela direção. – Ela apontava na direção do Millenium Park, onde a batalha estava acontecendo.

       – Ciara?!

       – Seja lá o que for... não é desse mundo! – Deneve parecia temerosa com aquela energia que ela sentia.

       Um clarão crepitou em meio à fumaça, culminando em uma explosão que liberou uma onda de pressão e calor, quebrando várias janelas dos prédios próximos. O uníssono de várias janelas se espatifando vibrou por toda a extensão do quarteirão, em meio delas o som de golpes sendo trocados podia ser ouvido ao longe. Nós protegemos nossos rostos do impacto da onda, que me derrubou para trás. Ace e Koulla permaneceram em pé, assistindo ao embate violento e bestial –, especialmente o grisalho que parecia incomodado.

       Ciara trocava golpes rápidos e invisíveis com Testament e Zeke, liberando ondas de impacto que danificavam cada vez mais a estrutura da praça e do ambiente em volta, erodindo o solo e destruindo tudo que estava perto. Depois de muito tempo trocando golpes, Ciara toma distância, mas é pega pelo solo congelado do monstro armadura de Milia.

       – O que? – Ciara estava presa e sua perna, congelada.

       Milia surgiu por cima, preparando uma bola de fogo gigante contra ela.

       – Cruel Sun! – Berrou a Criadora desferindo uma esfera massiva de fogo contra Ciara.

       O ataque acerta, mas rapidamente a esfera se dissipa com a pressão formada no ar por um golpe de Ciara. Isso deu uma janela de tempo para ela se soltar e voar na direção da doutora para desfechar um potente soco contra ela. Porém, Milia é mais rápida e escapa do golpe dela desfazendo seu corpo em brasas que levitaram pelo ar, reaparecendo abaixo dela.

       – Phoenix Storm! – Milia fez uma posição de mãos e saiu três pássaros de fogo gigantes que acertam Ciara em cheio e explodem no ar.

       – Ciara! – Grito automaticamente.

       Um tentáculo escarlate vívido e pulsante surge pela nuvem de fumaça, empalando Milia sem chance para ela revidar. Os outros algozes assistem aquela cena, espantados.

       Ciara e Milia caem, produzindo uma explosão no solo. O Tentáculo de Ciara permanecia transpassando a doutora, que vomitava sangue pungentemente. Ciara estava montada em cima dela, enquanto tinha sua garra dilacerando o corpo da ruiva.

       – Isso doeu... um pouco, sua idiota! – Birrou a menina remexendo sua garra dentro do corpo da Criadora. Ela grunhia e gritava com a dor de sua carne sendo lacerada por Ciara. – Você gosta de fogo, não é? Que tal isso?

       A garra de Ciara começa a fumegar e a ficar cada vez mais vermelho até se incendiar em algumas partes. Milia soltou um berro terrível e agonizante, fazendo seu guarda-costas voar em direção à Ciara.

       – Fogo?! – Disseram eles em uníssono.

       – Aquela... é a habilidade de Milia? O Gear dela? – Teoriza Zeke, estupefato.

       – Não pode ser... será que ela...?

       – Ela copiou a habilidade de Milia – afirmou o ceifeiro, preparando sua lâmina.

Ela libera outro tentáculo, expulsando o monstro de armadura gélida, mas Testament reaparece atrás dela e decepa o tentáculo que torturava Milia, afasta Ciara com um chute que a arremessa longe e resgata sua companheira. Depois daquele golpe, Milia estava fora de combate, pelo menos por enquanto.

       Ciara se recompõe do golpe, mas antes que pudesse se mover, Annie surge com seus dedos elásticos e perfura ela em vários cantos, a prendendo ao solo. Com a outra mão, ela forma uma lâmina negra ao qual ela usa para atacar Ciara, desferindo um corte no ar.

       – Morra logo, seu monstro! – Annie gritou desferindo vários cortes que rasgam o corpo de Ciara, decepando seu braço direito, cortando sua garganta e tórax, bem como suas pernas. Ela permanece imobilizada por Annie, com a cabeça baixa e prostrada perante a algoz.

       – Ciara! Não aguento mais! – Eu ameacei pular pela cratera do edifício, quando Ace me detém.

       – O que pensa que está fazendo? – Pergunta ele, sério.

       – O que você acha? Eu vou ajuda-la!

       – Você vai ficar aqui, Alicia. – Contesta. – Se formos, só vamos atrapalhar.

       – Você quer que eu fique aqui parada, vendo ela ser destruída? Eu já a perdi uma vez e não vou suportar se a perder de...

       – Alicia! – Ace segura meus ombros, olhando firme nos meus olhos. – Se acalme... tudo isso já está programado.

       – Programado?

       – Sim. Tudo já foi previsto por Luana, antes mesmo dessa batalha acontecer. – Conforta ele. – Além do mais, Ciara está longe de usar sua real força...

       Aquelas palavras fizeram meu corpo arrepiar.

       – Como assim?!

       – Alguma coisa me diz que Ciara está apenas brincando com esses caras. – Dava para sentir o medo estampado nos olhos do grisalho e meu coração palpita ao me dar conta da seriedade com que ele falava.

       – Ele tem razão. Ela não vai perder tão fácil! – Concorda Koulla cerrando o punho.

       – Pessoal... – Minhas pernas amolecem e eu caí sentada, com meu coração à mil. Eu sentia uma terrível energia tomar conta do espaço e ela crescia cada vez mais. Eu congelei de medo e minhas pernas só tremiam – e dava para perceber que os outros também estavam da mesma forma.

       Ciara se levanta, regenerando suas feridas em instantes e seus membros amputados voltam para seus lugares. Annie petrifica, com seus olhos grandes de medo encarando Ciara enquanto ela ria.

       – Que divertido! Eu não me lembro da última vez que me diverti tanto assim! Que demais! – Os olhos de Ciara estavam vermelhos e sua expressão estava louca e aterradora.

       – Você... é um monstro! – Diz a Executora, rindo mas mantendo a postura séria.

       – Eu quero mais! Me divirtam mais! – Ciara arrebenta os dedos da menina e estica seu próprio braço, agarrando o pescoço de Annie daquela distância que deveria ser uns 10 metros.

       Annie começa a engasgar enquanto Ciara apertava seu pescoço, a estrangulando lentamente. A menina começa a espernear enquanto tentava se soltar, mas era em vão. Ciara ria, apertando o pescoço dela cada vez mais forte e andando em sua direção.

       – A habilidade de Annie?! – Aponta Koulla, estupefata.

       – Ela pode copiar as habilidades deles? Não... – Ace coçou a cabeça, confuso. – Não pode ser isso...

       – Ciara... você... é incrível...

       – Como é?! Não vai reagir? Não vai usar seus membros para me atacar?! Hein?! – Ela apertava cada vez mais forte e Annie já convulsionava, tossindo e babando.

       Logo, algo brota do chão e perfura as costas de Ciara, que paralisa e espirra sangue de sua boca.

       – Que raios é isso?!

       Outra Annie brota do chão, com sua mão atravessada no corpo de Ciara. Ela emergiu do solo rindo e com um semblante psicótico.

       – Cuidado com o que deseja, seu monstro! – Diz Annie, puxando sua mão de volta.

       Logo outros tentáculos brotam de uma vez das costas de Ciara, perfurando Annie na cabeça e no dorso, destruindo toda sua caixa torácica e seu coração. O corpo fica pendurado nos tentáculos e estava inerte, jorrando um chafariz de sangue do buraco que Ciara havia aberto.

       – Annie! – Gritou Zeke.

       – Ela conseguiu! – Exclamou Ace.

       O gigante avançou rapidamente, causando pequenos tremores de terra na região do parque e desfecha um soco que devasta toda aquela área, até o prédio atrás, o colocando abaixo. A demolição do prédio levantou uma grande nuvem de poeira que encobriu todos eles da nossa visão.

       – Essa não! Ciara! – Gritei.

       – Atingiu em cheio!

       Para a nossa surpresa, o gigante sai voando com seu peito estufado para dentro e sai derrubando pelo menos três lances de prédios na direção oposta. Outra figura sai do meio da poeira voando: era Annie, com metade do seu corpo destruído e definhando lentamente, mas ainda estava viva. A menina aterrissou em uma viga suspensa das pilhas de destroços, restos de monumentos que sobraram do Millenium Park, ofegante e tossindo sangue em excesso enquanto segurava seu ombro direito que estava desgrudado de seu corpo. A poeira abaixava lentamente, mostrando aos poucos a silhueta aterradora de algo serpenteando em meio aos escombros e à poeira.

       Testament e Milia estavam de uma distância segura, enquanto ela regenerava seus ferimentos e Zeke e outro mascarado com um sobretudo assistiam da avenida. O nível de radiação estava em um novo patamar... Algo que até mesmo fatal para um ser humano normal. Depois que a poeira baixa, Ciara jazia parada em cima de um pedregulho gigante, com suas roupas rasgadas, mas seus cabelos enfim estavam brancos e armados, seus olhos estavam em rubro negro – ela enfim havia ativado seu Gear! Os tentáculos estavam maiores e mais robustos e agora eram quatro, como os de seu Avatar. Suas unhas cresceram e seus caninos pareciam maiores, em um aspecto feral singular e que eu nunca havia presenciado antes.

       – Ela... você... é um verdadeiro monstro...! – Diz Annie com meias palavras.

       – Essa energia... – A lâmina de Testament vibrava com a radiação latente que tomou conta da praça.

       Milia sofria com aquela energia e caiu novamente, sentindo dores terríveis.

       – É um demônio! – Exclama Zeke, aterrorizado. – O chefe tinha esse monstro dormindo debaixo do gelo esse tempo todo?!

       O mascarado permanece calado.

       ... Os tentáculos se revolvem...

       – Acabou... a brincadeira! – Ciara abre lentamente seus olhos cerrados, e uma onda de pressão assola a praça, quase derrubando Annie da viga onde estava. – Já perdi muito do meu tempo com vocês!

       Logo o barulho de vários homens marchando juntos pode ser ouvido ao longe, pela avenida central que cortava Millenium Park. Testament inclina a cabeça para trás e avista um batalhão vindo pelo Leste, munidos com armamentos antimutante. Pelo leste, mais um pelotão vinha marchando, e este sendo liderado por Karma e outro por Luana. Em alguns instantes, toda a praça e os algozes estavam cercados!

       – De onde vieram essas tropas?! – Indaguei, surpresa.

       Ace sorriu.

       – Eu disse que a senhorita Luana tinha um plano, não é? Agora eles estão encurralados como ratos na parede!

       – Luana estava posicionando seus homens junto com Karma para cercar toda essa praça quando nós déssemos o sinal. – Complementa Koulla. – Apenas usamos vocês de isca para atraí-los para cá e funcionou!

       – “Usamos vocês de isca”?! Como pode dizer isso dessa forma?! Eu quase morri, sabia?!

       Koulla soltou uma piscadela, rindo.

       – Ah! Eu sabia que você não iria morrer. Hehehehe!

       – Vai se catar! Foi sorte de o Ace ter aparecido naquela hora! – rugi, socando o ar.

       – Agora é o fim para eles! – O grisalho cerra o punho. – Com seus algozes eliminados, vamos ter que nos preocupar apenas com Yomungarde!

       A praça foi cercada rapidamente e os algozes se reagrupam rapidamente, a maioria em péssimo estado. Milia e Annie conseguiam andar ainda, mas estavam fora de combate há tempos. Testament estava com seu Gear ativo, junto com Zeke e o gigante voltava a sua forma normal.

       – Fiquem parados onde estão, ou abriremos fogo! – Bradou Luana através de um megafone. – Vocês estão cercados e não tem para onde correrem! Podemos resolver isso do jeito fácil, ou do jeito difícil!

       – Não brinque com a gente, moça! – Afronta Testament. –Vocês não sabem com quem estão... – As palavras de Testament são cortadas por um tiro da arma da General, bem no meio da testa e que derruba o ceifeiro.

       – Desista logo... Testament... – Diz Karma, impaciente. Os planos de vocês, o mundo de vocês... terminam aqui!

       Testament se levanta com a ajuda de Zeke e com sua testa sangrando, enquanto ria de forma insana.

       – Karma... vejo que você... não mudou nada desde aqueles tempos! Continua o mesmo idiota ingênuo de sempre!

       Karma cerrou os olhos, dando de ombros.

       – Está enganado Testament. Eu mudei o suficiente... para ter enxergado o caminho correto! – Rebate Karma.

       – Quanta conversa fiada! Quanta besteira! – Testament brandiu sua foice. – Esse mundo vai ser purificado pelas mãos do nosso “deus”! E vocês também serão! É só uma questão de tempo até o ultimo humano imundo sumir da face da terra e restar apenas nós, para formamos um novo mundo! Um mundo perfeito!

       – Ele enlouqueceu – diz Ciara, suspirando.

       – Estou acostumado já. – Diz Karma franzindo a testa.

       – Vocês todos serão exterminados! Por ele! – Diz Testament soltando uma gargalhada.

       De relance, eu percebo que Zeke sorria ao fundo, enquanto todos prestavam atenção no discurso insano do ceifeiro. Aquilo me deu um mal pressentimento.

       – Pessoal! Cuidado! – Gritei para os que estavam na praça. Apenas Karma e Ciara me ouviram.

       – Alicia?!

       De repente algo bem pesado cai no centro do parque, explodindo em uma explosão de fumaça que cobriu toda a Millenium Park. Ciara, Karma e os algozes se perderam de nossas vistas, um barulho de vários tiros começaram a soar em meio ao campo aberto.

       Também só era possível ver o lume dos tiros sendo disparados em meio à confusão. Naquele momento eu percebi que um helicóptero sobrevoava a cortina de fumaça projetada, lançando uma espécie de escada para baixo. Eles estavam fugindo!

– Eles estão fugindo! Não os deixem escapar! – Berrou Luana, atirando às cegas.

– Ali! – Apontei na direção do helicóptero.

– Não vão escapar! – Ace sacou seu arco, mas algo estava protegendo o helicóptero. – Droga! Por que meus tiros não acertam?!

– O que está acontecendo aqui?! – Koulla saltou em direção à praça, tentando dissipar a fumaça com suas vinhas, mas foi em vão. A fumaça era muito densa, até mesmo para as vinhas da mutante.

O helicóptero lentamente começa a subir, revelando os algozes da NEOS já embarcados. Testament soltou uma gargalhada insana, agarrado à escada e a fumaça já se dissipava gradualmente, mas era tarde demais para alcança-los no ar.

– Maldição! Derrubem aquele helicóptero! – Pragueja Luana e todos miram suas armas para o helicóptero e que já estava bem alto.

Nosso momento de detê-los era ali. Tínhamos que derrubar aquele helicóptero de qualquer jeito!     


Notas Finais


Ciara supera os algozes da NEOS em um confronto "fácil", e pareceu que enfim seriam capturados, mas Luana não contava com um elemento surpresa. Será que eles conseguiram capturá-los? Será que Ciara realmente mostrou toda a sua força naquela luta? E qual será a real estratégia da General Luana? Descubra tudo isso no próximo capítulo!
Espero que tenham gostado e obrigado para quem leu. Até o próximo pessoal ^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...