História Never Be Alone - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Alexis Ren, Gabriel Jesus, Justin Bieber, Lewis Hamilton, Neymar
Personagens Alexis Ren, Lewis Hamilton
Tags Alexis Ren, Fórmula 1, Guilherme Arana, Lewis Hamilton, Seleção Brasileira
Visualizações 506
Palavras 1.931
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Festa, Ficção, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi! Ontem eu pedi a opnião de vocês sobre essa idéia de fanfic com o Lewis e fico feliz de saber que gostaram ❤
O título da fanfic é uma música do Shawn Mendes, que eu recomendo vocês escutaram porque é maravilhosa.
Boa leitura e me desculpem por qualquer erro!!

Capítulo 1 - Capítulo 1


Fanfic / Fanfiction Never Be Alone - Capítulo 1 - Capítulo 1

14 de setembro, 2017.

                                                   ​Clara

 

Coloco minha mão trêmula em cima da boca quando soluço alto, sentindo as lágrimas descerem sem controle pelo meu rosto. Olho novamente para a tela do celular e não consigo acreditar no que estou vendo.

- Clara? - escuto minha irmã murmurar do outro lado da porta. - Abre a porta, por favor. Acabei de saber o quê aconteceu. 

Eu estou tão desnorteada que não consigo prestar atenção no que Gabriele dizia. Jogo o celular na cama e cubro meu rosto com as mãos, deixando o forte choro tomar conta de mim.

- Clara, abre essa porta agora se não vou pedir para arrombarem ela. - escuto Gabriele pedir mais uma vez. - Você está me escutando? - grita do outro lado, batendo na mesma.

- Ele não tinha o direito de fazer isso. - murmuro depois de segundos e esfrego as mãos fortemente no rosto, tentando me acalmar. - Ele não tinha esse direito. - digo novamente e gritando, não me importando se já é de madrugada e os vizinhos estão dormindo. 

A partir de agora eu não estou me importando com mais nada e ninguém. Meu namorado ou era até alguns minutos atrás, me traiu e eu não poderia estar me sentindo mais humilhada. Além de me trair, ele postou as provas da traição no stories do instagram e agora todo mundo já sabia a corna que eu era.

- Porque você fez isso comigo, Guilherme Arana. - respiro fundo e olho para nossa foto em cima da escrivaninha, eu estava tão feliz e agora só me resta a decepção de ter confiado demais. 

Desvio o olhar, engolindo seco quando à vontade de chorar se faz ainda mais presente.

- Eu sei que está me escutando e sei também  que quer ficar sozinha, mas eu estou preocupada sem saber o quê fazer. - escuto o suplício de Gabriele, depois de algum tempo em silêncio. 

Fungo limpando as lágrimas que ainda escorriam e me levanto destranco a porta, vendo minha irmã encostada na parede.

- Graças a Deus guria, eu estava quase ligando para os nossos pais. - me encara com preocupação e vem em minha direção. 

Fecho a porta atrás de mim e me encosto na mesma encarando minha irmã que imediatamente me abraça, tentando me confortar.

- Não consigo acreditar que isso está acontecendo. 

- Eu também não. - coloco minha cabeça no seu ombro e fecho minhas pálpebras. - Estou aqui chorando igual uma idiota enquanto ele provavelmente está com a menina agora. - murmuro com raiva de mim mesma.

Puxa meus ombros e me encara seriamente. 

- Presta atenção no que vou te dizer. Não se chame de idiota porque você não é, a única pessoa que pode se nominar assim é ele porque está perdendo uma mulher maravilhosa e nunca vai achar ninguém tão incrível que nem você. 

Solto o ar pela boca e novamente meus olhos se enchem de água. 

- Eu não gosto de me sentir assim. - balanço a cabeça e abano meu rosto tentando fazer essa sensação passar. - Estou me sentindo ridícula. - rio falsamente. 

- E eu não gosto de te ver dessa maneira. Eu sei que está doendo mas vai passar, pode demorar mas tenha certeza que vai. - segura minha mão e me puxa para seu quarto. - E se tu não parar de se chamar de ridícula vou bater na sua cara, pare já com isso. - me sento na ponta de sua cama. - Você quer conversar? - encosta a porta e se ajeita do outro lado.

- Não, pelo menos agora. Preciso esvaziar minha mente mesmo que seja quase impossível. - meu olhos automaticamente param no relógio em cima da mesinha. - Além de que é quase três horas da manhã, vai dormir e mais tarde conversamos. 

- Como eu posso dormir sabendo que está aqui sofrendo desse jeito? Meu medo de você fazer alguma coisa é maior do qualquer sono.

- Fica tranquila que eu não vou fazer nenhuma besteira, ele não merece que eu faça nada. - sorrio fracamente e me deito do seu lado. - Eu não vou conseguir dormir agora, então vou fazer o quê todo mundo faz quando termina um relacionamento.

- Apagar as fotos das redes sociais? - solto uma fraca risada e sinto que vai ser difícil isso acontecer de novo.

- Exatamente, sei que vou chorar muito mas vou ficar bem. - assente e me observa durante segundos.

- Eu amo você. 

- Eu também amo você, durma bem. - sorri e eu faço o mesmo. 

Se vira de costas para mim e eu pego seu celular, logando minha conta do instagram nele. Suspiro pesadamente quando aparece centenas de notificações e eu tento achar coragem para ve-lás. 

Vai ser difícil ver nossas fotos e ainda mais difícil apaga-lás, mas tenho que fazer isso para tentar me sentir menos humilhada com todas essas pessoas deixando seus comentários nelas.

 

Minhas pálpebras são forçadas a se abrirem e eu encaro o teto branco, lembrando da minha terrível madrugada. Eu queria que tudo tivesse sido um pesadelo mas infelizmente não foi.

Forço minha audição e escuto vozes vindo de fora do quarto, de Gabriele provavelmente com Beatriz, minha melhor amiga. Vou descer para conversar com elas porque assim como eu mesma devem ter muitas perguntas para fazer, só que antes preciso ir ao banheiro e ver o meu rosto de derrotada.

E era exatamente como eu estava, encarando meu reflexo eu me via com o rosto inchado, olheiras e nariz vermelho, ninguém deve imaginar o tamanho do estrago que o Guilherme me causou. Fecho os olhos fortemente tentando deixar esses pensamentos de lado e faço minha higiene matinal.

- Ei, como você está? Aí, que pergunta idiota, é claro que não está bem. - Beatriz pergunta assim que me vê chegar na cozinha e corre para me abraçar. 

- Realmente não estou bem, amiga. Mas tenho certeza que vou me recuperar logo. - minha voz sai abafada por seu cabelo e depois de um longo tempo nos separo. - Faz muito tempo que está aqui?

- Quando vi o quê tinha acontecido corri para cá e já faz muitas horas. Então, sim.

- Eu dormi tanto tempo assim? - pergunto para Gabi que me entrega um copo com suco e eu me sento em uma das cadeiras, em frente ao balcão. 

- Sim, imagino que deve ter sido um pouco difícil para ti dormir porque se mexia muito, estava inquieta.

- Achei que não ia conseguir, toda vez que fechava meus olhos aquelas imagens vinham na cabeça e me dava uma vontade imensa de chorar.

As duas me encaram com pesar e eu engulo minha vontade de manda-lás pararem pois não quero ser grossa com quem está do meu lado nesse momento.

- A minha vontade é de ir na casa dele agora e fazê-lo se ajoelhar no milho, implorando pelo seu perdão. - Gabriele gargalha e eu balanço a cabeça. 

- Não vai ser necessário fazer isso, ele por si só já vai se arrepender muito.

- Ele esteve aqui hoje. - Gabriele solta e eu rapidamente olho para ela.

- Aqui? Que horas?

- Antes de ir para o treino, obviamente não o deixei entrar então só ficou na portaria. 

- O quê ele disse?

- Disse que queria conversar com você, ai eu respondi que estava dormindo e você realmente estava. Ele parecia desesperado. - bufo revirando os olhos. 

Quanta gentileza da parte dele.

- Na hora de colocar uma qualquer para se ajoelhar na frente dele ele não parecia desesperado, pelo contrário, parecia estar adorando. - Beatriz explode e eu abaixo meus olhos para o copo.

- Apesar de eu estar surpresa com o jeito que você falou, concordo. - Gabriele diz e eu as encaro.

- Não se estressem com isso, eu sou a única que tenho que ter todos esses sentimentos, vocês não.

- Como não? Eu deveria me preocupar com essa serenidade?

- Serenidade? Só se for agora, a Clara passou a madrugada chorando.

- Depois de eu ter visto o stories dele, fui apagar nossas fotos do meu instagram e foi nessa hora que eu chorei mais ainda.

- E eu fingia que estava dormindo porque não queria chorar junto com ela. 

- Estou com tanta raiva dele que mesmo que você me fale para ficar calma, eu não consigo.

- Então fica porque não vai valer a pena, como eu já disse, vocês não. 

- Se preparam porque ele disse que assim que saísse do treino iria vir aqui. 

- O quê? - eu e Bia perguntamos ao mesmo.

- Isso mesmo que ouviram. Ah, e a mamãe disse que ia comprar um passagem o mais rápido possível, também para vir pra cá.

- E pra quê? Já tínhamos combinado de ir para lá amanhã e eu não vou mudar meus planos.

- Releva Clara, ela está preocupada e mesmo que o nosso pai insista para ela não vir de cabeça quente, não tem outro jeito.

- Seu Adenor sempre sensato, vocês tinham que ter puxado isso dele. - Gabriele encara ela que dá de ombros. 

- Eu vou para o Rio de Janeiro ainda hoje. Assim nossa mãe não tem que vir para cá e eu não tenho que ver o Arana.

- Você não está falando sério, está? O nosso vôo é só amanhã. - minha irmã pergunta incrédula. 

- Talvez poderíamos conversar com a companhia aérea e tentar trocar as datas. 

- Acho um pouco difícil de acontecer e se não der certo podemos ir de carro. Só não quero ficar aqui em São Paulo, onde qualquer lugar que eu for me lembrar ele.

- Complicado sair da cidade quando todos ligados à ele estão me mandando mensagens. - Beatriz enfia o celular no meu rosto e eu o afasto vendo os amigos e a família dele perguntando sobre mim. Meu ex cunhado era o quê mais queria saber, com certeza à pedido do irmão. 

- É por isso mesmo que preciso me afastar, vão ficar me fazendo perguntas e eu vou ser obrigada a socar a cara do Guilherme por me fazer passar por isso. - me levanto. - Vou arrumar minhas coisas e já aviso que tenho um plano para quando chegar lá. - digo fazendo o caminho para meu quarto.

Empurro cautelosamente a porta e mordo o lábio quando nossas fotos é a primeira coisa que eu vejo. Encaro elas no mural e tiro uma por uma, as rasgando e jogando em cima da mesinha. 

Sento na cama pegando meu celular e  desbloqueio a tela, vendo incontáveis mensagens e ligações. As ignoro e sigo direto para o aplicativo do twitter para saber o quê estavam comentando sobre o assunto.

Meu nome está nos Trending Topics, além do nome de Guilherme e o meu pai. Clico em seu nome e o primeiro tweet que aparece, dizia. "Será que o Tite está pouco puto?"

Provalvemente sim. Primeiro comigo porque ele avisou inúmeras vezes para eu nunca me envolver com jogadores de futebol, que como vivia nesse mundo conhecia os vestiários e sabia o quê acontecia dentro deles. E obviamente com o Guilherme, porque mesmo com todos os avisos que me deu, ele sempre coloca a família em primeiro lugar e sei que deve estar muito puto, assim como disseram no tweet. 

De todas as coisas que rondavam minha mente a que mais se fazia presente e que me deixava com mais culpa era justamente a que eu deveria ter escutado meu pai.

 


Notas Finais


Eai? Ficou bom? Ruim? Por favor, me digam o quê acharam 💞

Como podem perceber eu sempre tenho que colocar ela como filha de alguém importante, mas sempre tem um motivo. E estou curiosa para saber como acham que ela e o Hamilton vão se "conhecer", pensem bemmm que o pai da Clara é o Tite e tem alguns jogadores da seleção..
Eu queria muito escrever uma fanfic com o Arana mas eu também queria uma com o Lewis, então juntei os dois e espero sair uma coisa boa hahaah
A Clara é gaúcha mas eu não sou, então fica um pouco complicado eu colocar o sotaque nos diálogos porque eu não quero errar nada.

E como já era de se esperar eu criei um instagram para a Clara também hahahahah https://www.instagram.com/clarabachi/


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...