História New Secret Avengers - The Legacy - Capítulo 26


Escrita por: ~

Postado
Categorias Capitão América, Os Vingadores (The Avengers)
Personagens Natasha Romanoff, Steve Rogers
Tags Pepperony, Romanogers, Vingadores
Visualizações 245
Palavras 5.729
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Ficção, Romance e Novela, Saga, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 26 - Capítulo 26


Fanfic / Fanfiction New Secret Avengers - The Legacy - Capítulo 26 - Capítulo 26

- Há-há.

Lina disse enquanto mexia no celular.

James: O que, mô?

James olhou para Lina.

L: Sua amiga... Torunn...

Lina mostrou a foto que Torunn postou no Instagram com a Charlotte. James olhou a foto e sorriu.

J: O que que tem?

L: O que tem? Olha as tags que ela usa...

J: Jarunn...

James riu, achando graça.

L: Você acha engraçado?

J: Ela está brincando.

L: Hum...

Lina leu os comentários na foto de Torunn.

L: Olha só isso...

Lina sorriu.

Lina mostrou para James de novo.

J: Jamli pisa...

James começou a rir.

L: Eu vou comentar.

J: Não, Lina.

L: Vou sim, ela começou.

Lina comentou “#JamliForever” apenas e imediatamente recebeu diversas notificações sobre pessoas curtindo o comentário dela.

J: Isso sempre causa discórdia entre os fãs.

L: Eu odeio os fãs da Torunn, eles sempre comentam nas minhas fotos que você devia estar com ela. Ainda disseram que esse bebê não é seu.

J: Ainda bem que a gente sabe que é.

L: Hum...

James sorriu e roubou um beijo de Lina.

J: Amo você.

L: Amo você também, cabeça de tomate.

Lina sorriu e deu um selinho em James.

...

Barbara: Eu sabia que você tinha uma quedinha pelo Azari, assim como nós temos no seu pai e no seu irmão, mas você está chorando, Sara... tipo, desesperadamente, então isso é sério mesmo.

Já era a terceira frase de Barb para Sara desde que ela subiu para tentar animar Sara, só que ela ainda não arrancou uma só palavra de Sara, o que é raro de acontecer.

Sara estava deitada na cama de bruços, agarrada no travesseiro.

Barb: Estamos perdendo o show, está ouvindo? Não acredito que está perdendo o desfile.

Sara: E eu não acredito que você está perdendo a sua festa!

Sara finalmente se pronunciou e olhou para Barbara.

Sara: Você não queria ir pra festa dos garotos lá da escola? Tá fazendo o que aqui?

Barbara ergueu as sobrancelhas com a resposta de Sara e depois começou a rir.

Barb: Uau...

Barbara bateu palmas.

Barb: Quer dizer que coração partido faz você ficar grossa e ter algum tipo de atitude? Eu adorei isso, Sara.

Sara bufou e apoiou o queixo no travesseiro, olhando para a cabeceira.

Barb: Muito bom ver essa reação sua na verdade. Você sempre parece tão boba, tão fácil de atingir.

Sara revirou os olhos.

Sara: Ótimo, eu estou mal e você quer ficar aqui me insultando... muito bom, Barbara, parabéns. Grande amiga.

Barbara estava sorrindo.

Barb: Eu sempre achei que você parecia uma boba e idiota, dessas que eu posso pisar a vontade que não vai reagir, vai apenas aceitar o que vier.

Sara: É. Eu sou uma fraca e idiota.

Barb: E burra, não entende ironia?

Barbara suspirou ao ver que Sara continuava na mesma, ela pausou por alguns segundos depois tentou retomar a conversa..

Barb: Desculpe, eu não tenho muita paciência com drama...

Barbara revirou os olhos.

Barb: Eu quis dizer que você parece fraca, só parece mesmo e você parecia muito mais fraca quando a gente começou a andar juntas, você chorava por tudo. Muito irritante.

Sara: Vocês me faziam chorar. Você me fazia chorar.

Barb: A verdade machuca, mas é com você a parte de se sentir atacada com a verdade. Você evoluiu muito, eu sempre acreditei em você.

Sara franziu a testa e olhou com raiva para Barb.

Sara: Eu sempre tive que te agradar, Barb. Eu ainda faço isso, você é um veneno.

Barbara riu de novo.

Barb: A verdade está saindo? O que mais tem a dizer?

Sara: Eu me sinto idiota por me esforçar para ser sua amiga.

Sara ainda olhava zangada para Barbara, que não parecia se abalar com nada.

Barb: E você acha que eu não me esforço pra ser sua amiga?

Sara: Você não se esforça por ninguém, você sempre foi popular, as pessoas que querem sempre ser como você, eu estou cansada disso! Você não é melhor do que ninguém.

Barb: Nem você.

Sara: Mas eu sei disso!

Barb: Eu não acho que esteja magoada comigo de verdade, eu não tenho culpa que você não era popular, mas nós ficamos amigas e você evoluiu andando com a gente.

Sara: Você quer um prêmio? Ou uma chuva de agradecimentos??? Não vai rolar, amiga...

Sara disse de forma irônica, revirando os olhos.

Barb: Não, eu estou tentando mostrar a você que você cresceu e você não é dependente de mim como acha que é... Os caipiras novatos... eu não falo com eles e se você quisesse me agradar, não falaria também, mas o que você fez? Começou a falar com eles, está saindo com eles... sendo amiga deles e ainda tem me ignorado por causa dos seus novos amigos.

Sara suspirou e revirou os olhos de novo.

Barb: Você não age mais pensando em me agradar, Sara. Você faz o que você acha melhor pra você mesma e isso é evolução.

Sara franziu a testa de novo, surpresa com essa última frase de Barbara.

Barb: Eu sou quem eu sou, talvez eu seja fútil demais, talvez mesquinha e malvada um pouco, mas é quem eu sou, eu nunca mudei por ninguém, as pessoas que mudam por mim, porque eu me sinto confiante e bem comigo mesma. Só o fato de você sair da sua concha e conseguir falar com as pessoas sem abaixar a cabeça ou o tom da voz, principalmente comigo, me deixa orgulhosa de você.

Sara franziu a testa de novo.

Barb: Eu não ligo se lá no fundo você me odeia, mas eu ficaria desapontada, só um pouco também porque eu tenho mais com o que me preocupar e você devia ser assim. Sofrer por alguém é perda total de tempo. Sempre invista em você.

Sara desviou o olhar de volta para a cabeceira da cama.

Barb: Esse cara Azari... você vai chorar hoje e talvez amanhã e talvez depois de amanhã, mas isso vai passar, eu já vi você terminar namoros e nunca vi você chorar desse jeito, se bem que foi você quem terminou, é bem diferente quando terminam com a gente...

Barbara suspirou.

Barb: A gente cansa de chorar uma hora, sabe?

Sara estava ouvindo Barbara mas ficou fitando a cabeceira da cama.

Barb: E só para você saber, eu não ia vir aqui hoje. Festa de pirralhos??? Fala sério! O time de futebol inteiro da escola está reunido em outra festa e eu deixei de ir para estar aqui pra você, para te ajudar e essa não sou eu, eu sequer gosto da sua irmã, ela é muito irritante.

Sara: Então vai para sua festa estúpida, Barbara. Vai ser venerada, vai.

Barb: Eu vou mesmo, Sara. Você é uma ingrata.

Sara: Eu sou ingrata??

Sara olhou revoltada para Barbara.

Barbara e Sara ouviram batidas na porta, em seguida viram Natasha abrir a porta.

N: Sara?

Sara passou a mão no rosto secando as poucas lágrimas que tinham caído antes de Natasha chegar.

Natasha franziu a testa ao ver Sara limpando o rosto e depois olhou para Barbara que ficou de pé.

Barb: Eu estou indo embora... obrigada pela festa, Sra. Rogers.

N: Obrigada você pela ajuda hoje, Barbara.

Sara virou o rosto para o lado da parede, ignorando Barbara que passou por Natasha e saiu do quarto.

Natasha se aproximou da cama.

N: O que houve? Vocês brigaram de novo?

Sara continuou com o rosto para a parede e permaneceu em silêncio.

N: Essa Barbara heim... eu não sei se você gosta dela mesmo ou não... mas ela veio ajudar na festa, ela não deve ser tão ruim quanto aparenta ser...

Natasha aguardou alguma reação de Sara e como ela não respondeu, Natasha sentou na beira da cama de Sara.

N: O que ela fez? Ela disse alguma coisa pra você que te magoou?

Sara: Não...

Sara disse num tom baixo e fungando o nariz.

Sara: Não foi ela. Eu estou chateada com a minha vida.

N: Por que?

Sara olhou para cima, tentando impedir que mais lágrimas rolassem pelo rosto dela.

N: É sobre o lance da sua profissão? Hoje não é dia pra isso.

Sara: Não, mãe!

N: O que é então?

Sara fechou os olhos e ela não conseguia parar de chorar, o peito dela estava doendo e o pouco orgulho que ela tinha, estava ferido, ela deitou a testa contra a travesseiro e apenas chorou mais.

De primeira Natasha achou que era apenas algum drama rotineiro e desnecessário de Sara, mas esse choro é real, ela está passando por alguma dor de verdade, o que preocupo Natasha.

Natasha encostou a mão nas costas de Sara.

N: Sara?

Sara: Mamãe...

Sara virou para se deitar de lado e moveu a cabeça para o colo de Natasha e abraçou as pernas dela, enquanto ainda chorava. Natasha passou a mão no rosto de Sara e agora ela estava sofrendo de ver Sara sofrer desse jeito também.

N: O que foi? Fala comigo, eu quero ajudar.

Sara: Você não pode.

N: Me deixa tentar.

Sara: Dói demais, mãe...

N: Foi o Ed? Ele não veio na festa... vocês estão bem? Ele fez alguma coisa com você ou pra você?

Sara fechou os olhos e mais lágrimas caíram, ela fez negativo com a cabeça.

N: Então o que é?

Sara: Eu sinto como se fosse morrer porque meu peito não para de doer.

N: Sh... o que está fazendo seu peito doer? Algo aconteceu aqui na festa?

Sara: Sim...eu contei a ele o que eu sinto por ele...

Sara teve que parar de falar para recuperar o fôlego e fungar o nariz de novo.

N: A ele? Quer dizer o Azari? Você se declarou pra ele?

Sara: Ele... ele disse que nada pode acontecer entre a gente, que ele não me vê como eu vejo ele, ele não sente nada por mim, mãe e isso dói demais!!!

Sara começou a chorar mais forte ainda e Natasha respirou fundo ao saber o motivo, ela acariciou o cabelo de Sara e em seguida ouviu batidas na porta do quarto, dessa vez era Steve.

S: Nat, você está com a...

Steve parou de falar quando viu Sara com a cabeça no colo de Natasha, chorando muito. Steve congelou e ficou muito preocupado, ele franziu a testa.

S: O que está acontecendo?

Steve se aproximou das duas.

S: Sara? O que houve, meu amor? Por que está assim?

Sara ouviu Steve e apenas virou o rosto para Natasha e enterrou a cara na barriga dela.

Steve olhou para Natasha.

S: O que houve?

N: Ela está um pouco chateada, será que você pode deixar a gente sozinha aqui um pouco?

S: O desfile está pra terminar, eu achei que...

Natasha fez negativo com a cabeça para Steve e ele entendeu que agora não era hora.

Steve ficou ofendido por ser excluído, ele odeia ver Sara chorar e é sempre pra ele que ela corre quando está triste, porque quem protege ela é ele então quem tem que sair é a Natasha e não ele.

Steve demorou a responder e reagir, achando que Sara ia pedir por ele, mas ela ficou em silêncio.

S: Okay...

Steve disse, decepcionado e preocupado.

S: Me chama qualquer coisa, tá?

N: Okay...

Steve saiu do quarto e Natasha ficou com Sara até ela parar de chorar por faltas de lágrimas mesmo.

Demorou quase uma hora para Sara parar de chorar.

N: Está melhor?

Sara: Não.

N: Olha...

Natasha empurrou os ombros de Sara para fazer ela se sentar e olhar pra ela.

N: Eu estou um pouco zangada com você, porque o Azari é casado, nós já conversamos sobre isso, você não tinha o direito de se declarar pra ele, mas eu sei que você estava desabafando sobre o que sente por ele e eu também acho o Azari um bom rapaz, eu ficaria muito feliz se vocês namorassem, mas ele é comprometido, ele não está disponível.

Sara: Eu já entendi isso, mãe. Ele deixou claro.

N: Que bom e foi bom você ouvir diretamente dele, assim você fica mais convencida. Se ele fosse um canalha podia apenas se aproveitar e usar você e Dawa ao mesmo tempo, mas ele agiu de forma decente.

Sara: Eu sei!

N: Agora você sabe que tem que superar e seguir em frente. Eu não acho saudável você ficar desse jeito por alguém que nunca retribuiu o que você sente, isso é coisa que você criou quando pequena.

Sara: Você não acredita que eu ame ele? Acha que eu criei esse sentimento??

N: Eu acho que você acredita que ama ele, ou talvez você ame, eu não sei, Sara. Parece uma obsessão, já tem muito tempo. Eu não quero ver você indo atrás dele, não quero que pareça uma louca e que dê forças para egos masculinos.

Natasha pausou, desviou o olhar e voltar a olhar para Sara.

N: É hora de você saber como ser mulher, Sara. Você tem algo que eles querem. Eu também tenho. Toda mulher tem. Mas se você é fácil demais, isso não instiga eles em nada e se você for difícil demais também, eles ainda vão querer, mas cientes de que você é uma megera e uma vez que conseguirem o que querem, eles somem assim...

Natasha estalou os dedos.

Sara: Eu estou confusa.

N: Eu sei...

Natasha suspirou.

N: Você é tão bonita, Sara. Você tem um corpo lindo, você só não tem noção de que o possui ainda, você não se conhece. Você tem um namorado que é apaixonado por você e ele é um cara legal também.

Sara desviou o olhar e franziu a testa.

N: Agora que você teve o seu coração partido pela primeira vez, você consegue se imaginar no lugar do Edward?

Sara olhou de novo para Natasha e parecia mais confusa agora.

Sara: O que? Eu não quebrei o coração dele.

N: Você se declarou pra outro homem.

Sara: Mas ele não sabe.

N: Mas percebe.

Sara franziu a testa, chocada.

N: Todo mundo percebe quando tem algo de errado no relacionamento, ele sabe que tem algo de errado no de vocês, mas ele ama você o suficiente para ignorar o que você faz. Talvez por desespero, talvez por orgulho ferido ou por amor... Você ainda o quer? Você tem que decidir o que você quer. Ou você se dedica, ou você deixa livre.

Sara concordou com a cabeça.

- Gente...

Sara e Natasha olharam para Maggie na porta do quarto.

M: Já está na hora dos parabéns, só falta vocês pra gente começar.

Natasha se levantou.

N: Eu ainda tenho que trocar o Nick. Sara refaça essa maquiagem e desça.

Sara: Eu não, não tenho mais motivo pra ficar arrumada.

N: Não seja burra, você tem mais motivos pra ficar arrumada agora. Mostre a ele que você vale mais que ele e mais que a Dawa e que você não é uma menininha, que você não ficou destruída porque ele não a quis...

M: Uhum.

Maggie concordou.

N: Você é uma mulher agora e sabe lidar com suas emoções. Vai lavar esse rosto, passar uma maquiagem e vai descer e aproveitar o restante da festa que você trabalhou tanto pra fazer. É uma ordem.

Natasha disse com a sobrancelha arqueada e Sara sorriu, assim como Maggie.

N: Vamos, Maggie.

Maggie desceu junto com Natasha e Sara ficou para se recompor.

...

Francis: Eu fiz uma playlist pra você.

Leziel: Uma o quê?

Francis riu e tirou o celular do bolso.

F: Naquele dia você queria ouvir música comigo e eu atrapalhei seus planos.

Leziel: Não, eu me diverti na piscina também.

J: Vocês foram nadar?

Lina: Hum... rolou diversos amassos na piscina...

Lina brincou apenas, mas a forma como Leziel corou, confirmou que eles estavam mesmo de amasso na água.

Leziel: O que tem nessa playlist?

F: Várias músicas, algumas eu já tinha separado há quase um ano pra você.

Lezi: Mesmo?

F: Sim.

Lina: Gente, Francis romântico...

Lina franziu o nariz e a testa e riu de um jeito irônico.

Lina: Olha o que a Leziel faz...

Torunn: É. Só é uma pena que ela esteja noiva...

Torunn estava ouvindo a conversa e revirando os olhos toda vez que Francis e Leziel começavam a conversar na festa e agora no final dela, toda essa conversa e melação entre eles já estavam consumindo ela de ciúmes e a deixou muito impaciente.

Todos os jovens vingadores ficaram estarrecidos com o comentário de Torunn, ninguém disse mais nada, e eles não conseguiam olhar para nenhum dos três, ficou um clima muito tenso.

T: Desculpe, eu... eu achei que soubesse...

Leziel era a mais chocada de todos, ela ficou olhando para Torunn, muito incrédula por ela dizer isso na frente de todos.

T: Vocês estão juntos há alguns dias, eu achei que ela tinha mencionado que vai se casar... mas não parece importante, eu tenho certeza que o Francis não se importa com isso...

Francis estava tão chocado que ele não sabia o que dizer ou fazer, ele ficou olhando para o vazio, tentando processar a informação.

Por que Leziel esconderia algo assim dele? Ele tem cara de idiota? Esperou por ela todo esse tempo e enquanto isso ela estava lá, namorando e noivando de outro cara? Como pôde?

Francis piscou os olhos algumas vezes e depois olhou para Leziel.

F: Isso é verdade?

Leziel olhou para Francis e abaixou um pouco a cabeça.

Leziel: Sim.

F: E você... você não disse nada... eu beijei você...

Francis suspirou e fez negativo com a cabeça.

F: Está muito cheio aqui, nem consigo respirar, eu preciso sair.

Leziel: Francis...

F: Desculpa não ficar para os parabéns, James.

James concordou com a cabeça.

Lezi: Francis!

Francis saiu da sala de estar, aonde todos estavam reunidos, aguardando para cantar os parabéns.

Leziel olhou para Torunn e ela ergueu os ombros.

T: Desculpe, achei que você teria falado sobre isso.

Leziel respirou fundo e saiu correndo da casa, atrás de Francis para tentar justificar que ela não comentou porque esqueceu, porque ela sequer conhece o noivo ainda, e porque ele não significa nada pra ela, ela só queria estar com ele e curtir ele, sem esses assuntos chatos que iam deixar os dois desanimados.

T: Que droga, não é?

Torunn franziu a testa e ficou observando Leziel correr atrás de Francis.

Lina: Sabe o que é uma droga, Torunn? Jogar o ex contra sua melhor amiga...

Torunn franziu a testa mais ainda e olhou para James.

T: Contou a ela? Você prometeu.

Lina: Ele não contou nada.

T: Leu minha mente?

Lina sorriu.

T: Fique fora da minha cabeça, bruxa.

J: Gente, por favor...

T: Isso é pura invasão de privacidade!

Lina: Relaxa Torunn, continue fingindo que não sabia o que ia provocar e...

Lina botou a mão na barriga.

Lina: Com licença, preciso usar o banheiro.

Lina se afastou para ir ao banheiro e James olhou para Torunn, que revirou os olhos.

T: Já sei o que vai dizer!

J: Então nem vou gastar saliva. Ou você começa a ser sincera sobre o que sente, ou para de instigar discórdia entre eles dois. Toda vez que você parece estar superando essa coisa de ser infantil, você vai e faz uma burrada. Foi a maior mancada ter falado do noivado da Lezi, Torunn.

Torunn bufou e revirou os olhos.

T: Eu sei!

J: Eu sei que sabe, a questão é por que você faz, mesmo sabendo?

T: Porque eu não penso exatamente na hora, eu penso no momento que estou soltando a asneira, mas eu não consigo parar, além do que é verdade, ela está noiva e devia ter contado ao Francis.

J: Sim, ela devia contar, não você. Ainda bem que o Howie não está aqui perto, aliás...

James olhou para os convidados na sala.

J: Acho que ele até já foi embora.

T: Deve ter ido.

J: Brigaram?

T: Não, terminamos.

James ergueu as sobrancelhas surpreso, só que mais surpreso com a calma que Torunn anunciou isso.

J: Sério?? Como você está?

James franziu a testa e encostou a mão no ombro de Torunn.

J: Você tá legal?

Torunn suspirou e fez positivo com a cabeça.

T: Já tinha terminado há muito tempo na verdade, só que... eu não sei, eu lamento não ter dado certo e eu gosto dele demais, ele me fazia rir, mas também me irritava muito.

J: Eu achei ele bem quieto hoje.

T: É... é compreensível, mas nós terminamos bem, não tem mágoas ou feridas abertas.

J: Eu não sei como é a sensação.

T: É. Você teve sorte de achar na sua primeira namorada a mulher da sua vida.

...

Lina tinha ido ao banheiro e quando retornou ela parou perto da escada da casa e franziu a testa de leve, ela olhou na direção da janela e viu seus pais chegando na festa só agora no final.

Lina foi até a porta da casa e depois foi para o jardim, aonde tinham poucos convidados, ela foi até a calçada e Wanda sorriu ao vê-la.

W: Filha...

L: Mãe...

Lina sorriu de uma forma estranha para Wanda.

Visão: Como você está, Lina?

L: Bem.

Lina respondeu ao pai.

W: Desculpe o atraso, tivemos alguns assuntos para resolver antes de chegar.

V: Mas eu espero que não seja tarde demais. Pelo horário, eu acredito que a festa esteja no fim, apesar que vejo muitas pessoas dentro da casa ainda.

L: Não terminou não, pai. Teve um atraso, ainda há tempo de pegar os parabéns.

V: Ótimo! Eu vejo Tony Stark lá, vou falar com ele.

W: Eu preciso falar com a Pepper também, ela me pediu para trazer uma encomenda do Uruguai pra ela, mas eu esqueci em casa.

Wanda tentou caminhar para a casa, mas Lina entrou na frente dela, o que fez Visão parar também.

L: Vai você na frente, pai, porque eu preciso falar com a mamãe a sós.

V: Tá legal.

Visão deixou as duas sozinhas lá fora e entrou dentro de casa.

...

N: Nicholas!

Natasha agarrou o braço de Nick que estava correndo pela sala com os amigos de um lado para o outro.

N: Precisamos trocar de roupa para cantar parabéns.

Nick tentou se soltar e apontou na direção dos amigos, ele estava todo vermelho e suado, não parou de brincar por nenhum segundo desde o início da festa.

N: Eu sei que quer brincar mais, mas tá na hora da festa acabar.

Nick fez uma expressão triste.

N: Eu sei... você está curtindo a festa, mas tudo tem um fim. Vamos trocar logo de roupa pra você poder aproveitar um pouco mais, já vi que a Charlotte ainda está inteirinha e impecável, o que é um milagre...

Natasha subiu as escadas com Nick e o levou até o banheiro, ela queria mesmo era dar banho nele, porque ele está imundo, mas os parabéns já estão atrasados em quase uma hora, então ela achou melhor apenas lavar as mãos e o rosto dele.

N: Vamos arrumar uma outra camisa pra você. Vem...

Natasha caminhou para o quarto dos gêmeos e Nick a seguiu.

N: O que você vai vestir? Eu aposto que seu pai estava esperando algum momento para tirar uma foto usando a mesma camisa que você, mas agora que ela está imunda, não será possível, mas até que é bom por um lado... camisa xadrez ninguém merece...

Nick ficou esperando Natasha escolher outra blusa camisa pra ele vestir, ele se aproximou dela e ficou olhando pra cara dela, enquanto mantinha os braços para trás como se estivesse escondendo algo e isso incomodou Natasha, ela franziu a testa e olhar para Nick.

N: O que?

Nick fechou os olhos por alguns segundos e depois colocou os braços pra frente, segurando uma camisa xadrez idêntica à que ele usou na festa.

Natasha olhou para a camisa e franziu mais a testa, ela ficou confusa se aquela era uma nova camisa ou a camisa suja, que ela lembra bem de ter botado no cesto de roupa suja. Natasha não considerou a possibilidade do Nick ter usado seus poderes para duplicar a camisa, porque Charlotte não está por perto.

Natasha saiu do quarto, foi até o banheiro e pegou a camisa suja da festa na cesta de roupa suja, o que confirmava não ser a mesma camisa, então como ele criou uma nova sem a Charlotte?

Natasha voltou no quarto e olhou para Nick.

N: Nick??

Nick olhou para a mãe, que começou a vasculhar o quarto dele, ela olhou em volta do quarto e embaixo das camas dos gêmeos, depois ela foi até o corredor e voltou até Nick.

N: Nick, você... você duplicou a camisa sozinho??

Nick não respondeu.

N: Nick? Charlotte não está aqui junto com você, como você...?

Natasha semicerrou os olhos e ficou confusa.

N: Você consegue usar seus dons sem ela?

Nick fez positivo com a cabeça e Natasha ficou boquiaberta.

N: Ela pode usar os dela também sem você?

Nick fez negativo com a cabeça.

Natasha franziu a testa de novo.

N: Você sempre soube disso?

Nick fez positivo com a cabeça.

N: E Charlotte sabe disso também?

Nick fez negativo com a cabeça.

N: Ela não sabe?

Nick apontou para Natasha e depois para ele mesmo, depois ele tampou a boca de Natasha e a dele.

N: O que quer dizer? É segredo? Você está me contando um segredo, é isso?

Nick fez positivo com a cabeça.

N: Você não quer que a Lotte saiba?

Nick fez negativo com a cabeça.

Natasha suspirou e ainda estava muito espantada com essa novidade, mas ela estava feliz de Nick contar dividir esse segredo com ela, deve ser uma forma de recompensar pelo dia que ele quase falou e ela surtou por ele não conseguir falar.

N: Obrigada por compartilhar comigo, eu não vou contar a ninguém...

Nick deu um pequeno sorriso e abraçou a cintura de Natasha.

N: Vamos colocar essa camisa e descer, estão esperando por nós.

Nick concordou com a cabeça e vestiu a camisa com a ajuda de Natasha, em seguida os dois desceram e se juntaram aos convidados.

Tony: Olha aqui o meu sucessor chegou, finalmente. Vamos cortar logo esse bolo.

Natasha caminhou com Nick até a mesa do bolo, ela o posicionou atrás da mesa e Steve olhou entre os convidados procurando Charlotte.

S: LOTTE!

James: Charlotte, é hora do bolo, olha lá o pai te chamando.

Charlotte estava conversando com Gina e algumas amiguinhas num canto da sala, ela ouviu James e chamou as meninas para irem para a mesa do bolo.

S: Lotte você tem que vim pra cá, filha. Vem logo.

Charlotte foi até Steve e ele fez cócegas nela, antes de a deixar ficar atrás da mesa do bolo com o Nick.

S: James! Maggie! Venham pra cá.

Maggie estava conversando com Bucky perto da porta de vidro de acesso para o quintal, ela revirou os olhos e respirou fundo quando Steve a chamou.

Bucky: Seu pai está chamando.

Maggie olhou para Bucky e fez negativo com a cabeça.

M: Para tirar fotos e ficar atrás de bolo... eu não quero.

B: Achei que fotos fossem o seu forte...

M: Quando eu estou sendo paga pra isso.

Maggie sorriu.

B: É assim que é?

M: Devia ser diferente?

B: Não...

Bucky achou graça e riu.

B: Vai, melhor você ir.

M: Aff... você vai embora depois dos parabéns?

B: Sim, todo mundo vai.

M: Sam e Maria sempre ficam um pouco mais, você podia ficar também.

B: Mas não vou, já atingi minha cota de interação social por hoje e talvez por uma semana inteira.

M: É, eu entendo, eu também, eu só quero a minha cama... bem...

Maggie deu alguns passos pra trás e ergueu uma sobrancelha.

M: Não vá sem se despedir.

B: Não farei nenhuma promessa.

M: Você é um bad boy.

Maggie sorriu e Bucky sorriu de volta, ela finalmente se virou e foi para a mesa dos bolos.

J: Vamos começar. PARAB...

Charlotte: NÃO! Cadê a Sara???

J: Ih é, cadê ela?

Steve olhou para Natasha.

S: Ela vai descer?

Sara: Sim, eu estou aqui.

Natasha abriu a boca para responder, mas parou quando ouviu a voz de Sara. Ela e Steve olharam para o topo da escada e viram Sara descer e ela estava maquiada novamente e sorrindo como antes, nem parecia que esteve chorando desesperadamente.

Sara nem olhou para ninguém em específico ao descer as escadas, ela foi até a mesa do bolo, mas ela tinha uma sensação, ou melhor dizendo, um instinto de que Azari estava lá na sala e estava olhando pra ela e ela sabe que ele deve estar surpreso em ver ela bem e bonita, porque sim, ela está bonita e o melhor é que ela sabe o quanto está bonita.

Natasha estava surpresa e ao mesmo tempo orgulhosa de Sara, ela parecia mais confiante agora, podia até ser apenas fachada, mas não importa, o que importa é o que ela está transmitindo e está transmitindo que está bem e que está confiante.

Sara se aproximou de Charlotte na mesa.

Ch: Aonde você estava??

Sara agachou perto dela e a olhou nos olhos.

Sara: Desculpe ter perdido o seu desfile, eu não estava muito bem.

Ch: Por que?

Sara: Outra hora eu te conto tudo, mas eu estou bem agora.

Charlotte franziu a testa um pouco confusa.

Ch: Você vai me contar?

Sara: Sim.

Ch: Mas você sempre diz que não é da minha conta.

Sara: É, mas... eu acho que com dez anos de idade você pode saber mais da minha vida, mas só um pouco mesmo, não se anime muito.

Charlotte sorriu, contente com essa nova “posição” de amizade com Sara.

Sara se levantou quando James puxou os parabéns e todos começaram a bater palmas e cantar.

Charlotte e Nick estavam muito felizes com a festa, dava para notar nos sorrisos deles e na animação que estiveram durante todo o evento e isso acabou levantando os ânimos de Steve e Natasha também, aqueles sorrisos faziam sumir qualquer estresse e qualquer preocupação que eles tinham.

No final dos parabéns, todos ainda aplaudiam ainda, os gêmeos estavam tão empolgados que até esqueceram o que tinham que fazer.

N: Vamos... façam um pedido e assoprem as velas.

Natasha incentivou sorrindo e os dois apagaram as velas dos bolos.

Charlotte pediu colo para Steve e abraçou o pescoço dele depois de apagar as velas, ela deu um beijo no rosto dele, depois pediu para ir para o chão para ficar com as amigas.

S: Vamos cortar o bolo pra servir, Natasha?

Sara: Não, pai, deixa isso comigo e com a Maggie.

S: Okay... você está bem?

Sara sorriu.

Sara: Estou ótima.

Steve concordou com a cabeça e foi cumprimentar Visão junto com a Natasha.

Sara cortou o bolo de Charlotte e Maggie estava cortando o de Nick.

Maggie olhou brevemente para a porta do quintal e já não viu mais Bucky por lá, sinal de que ele foi embora e isso significa então que a festa estava oficialmente terminada pra ela.

Maggie olhou para Sara.

M: Está melhor mesmo?

Sara: Sim, bem melhor. Eu decidi que não posso mais ter medo de tudo. Eu me declarei para o Azari...

Maggie olhou surpresa para Sara.

Sara: Ele me rejeitou, do jeito super educado dele...

Sara revirou os olhos.

Sara: E eu chorei, chorei esse tempo todo e minha mãe disse algumas coisas que acredito que sejam verdade e isso me fez me sentir bem melhor.

M: Isso é bom, Sara.

Sara: Uhum e eu tomei uma decisão.

M: Que decisão?

Sara: Gostar de quem gosta de mim.

Maggie observou Sara.

Sara: Eu estou falando do Ed...

M: Ah...

Sara se aproximou mais de Maggie e sussurrou só pra ela ouvir.

Sara: Eu vou fazer uma surpresa pra ele. Ele tem um jogo amanhã e ele queria que eu fosse, só que eu não pedi ao meu pai direito, então dificilmente ele vai permitir que eu vá agora em cima da hora, e eu já disse isso ao Ed então ele acha que eu não vou. Ele está até chateado comigo.

M: Então...?

Sara: Eu vou de qualquer jeito, vou dizer para o papai que vou sair com a Barb.

M: Mas você não ia levar os gêmeos nesse jogo?

Sara: Ia, mas não vou mais, eu quero ficar sozinha com ele.

Sara sorriu e ergueu as sobrancelhas.

M: Sozinha com ele?

Maggie franziu a testa de leve, ainda mais que Sara ainda estava sorrindo e erguendo as sobrancelhas como se tivesse sendo muito óbvia.

M: Por que está sorrindo assim? Está dizendo que... você vai... transar com o Ed?

Sara: Não... quer dizer, talvez... eu não sei, mas... eu quero ver ele e eu quero estar com ele, ele merece...

M: Bem... apenas tome cuidado.

Sara: Eu irei.

Sara sorriu animada.

...

Wanda olhou para Lina e semicerrou os olhos de leve, tentando entender o comportamento dela.

L: Mãe, já passamos por isso tantas vezes... você ainda está tentando entrar na minha cabeça?

Lina tocou a lateral da própria testa.

W: Eu não preciso ler sua mente para saber que tem algo de errado, Lina. É o que significa ser mãe...

L: Ser mãe...

Lina deu um pequeno sorriso e era um sorriso irônico. Desde que Lina veio cumprimentar Wanda, ela está sendo irônica.

L: Engraçado você dizer isso...

Wanda cruzou os braços, aguardando Lina dizer o que está incomodando tanto ela dessa vez e com certeza é algo relacionado a ela.

L: É sobre isso que quero falar com você... deve ter sido muito animador quando você me criou...

Wanda não respondeu.

L: Eu nunca questionei antes se você tentou algo similar antes de mim? Talvez para testar... você testou?

Wanda piscou os olhos algumas vezes e gaguejou para responder.

W: Ham... eu... eu... por que está perguntando isso agora?

L: Nós enfrentamos um garoto há alguns dias atrás... ele parecia ter a mesma idade que eu, ou próximo disso e o mais intrigante sobre esse garoto é que eu não consegui sentir ele, ele poderia estar aqui, agora mesmo, que nem eu ou você sentiria a presença dele...

Wanda franziu a testa e seus olhos indicaram pânico.

W: O que?

L: Ele me chamou de irmã... por que ele me chamaria de irmã, mãe?? Me responda... eu tenho um irmão?


Notas Finais


Okay né, festa dos filhos de steve e natasha, sem treta, não é festa!
Mais gifs no meu tt => @ daredevilosa


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...