História Night Shadow: The soul of a dragon - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Como Treinar o seu Dragão
Tags Astrid, Banguela, Hiccstrid, Hiccup
Visualizações 156
Palavras 1.568
Terminada Não
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi! Quem quer me bater? Acho que todo mundo né? Ainda mais depois que eu me explicar! Bom, quem tá chateado de mais, pode ir lendo , então já vou dar uma boa leitura! Quem quer ouvir a minha explicação, esse texto é pra você:

Então, eu estava de boas, quinta feira, pensando: Eu já postei? Já sim! Então só semana que vem! Mas o problema era: eu tinha postado um extra, e era pra postar outro quarta! Mas eu esqueci completamente! Então, sábado à noite, minha irmã chegou pra mim dizendo: MC, (é assim que ela me chama, pros preguiçosos que tem até preguiça de me chamar pelo apelido, podem me chamar assim) você já postou essa semana?
Eu respondi: Já sim! Você leu e disse que tinha ficado com pena, lembra? (Ela lê os capítulos quando saem! Não deixo ler antes que vocês)
Aí ela botou a mão na testa e respondeu: Aquele foi o bônus, criatura! Você esqueceu de postar quarta! Então, eu me lembrei e sai correndo pra postar! Tentei entrar no spirit mas disse que estava fora de ar! Tentei de 15 em 15 minutos até dar 11h, mas nada! Então, na manhã seguinte adivinha o que aconteceu? Eu esqueci! Quando eu tava no carro junto com minha irmã pra levá-la no Enem, que ela me disse: Iai? Já postou? Então eu não respondi nada e sai correndo pra postar! E cá estou eu!

Bom, foi isso! Sinto muito MESMO pela demora! Um beijo e boa leitura!

Capítulo 13 - Capitulo 11- A Matter of Trust


Fanfic / Fanfiction Night Shadow: The soul of a dragon - Capítulo 13 - Capitulo 11- A Matter of Trust

POV Narradora (euzinha):

 

No dia seguinte do episódio na ferraria, Astrid e Soluço estavam saindo do treino de hoje que havia sido com um Terror Terrível. Eles caminhavam rindo e sorrindo, recebendo olhares feios das garotas da vila. Mas, só eram percebidos por Astrid, que cada vez que via uma viking, se agarrava mais ainda no braço de seu... Na verdade, não sei a definição, mas por enquanto será "amigo".

-Astrid, o que acha de irmos na clareira? -Perguntou- Quero te mostrar algo.

-Tudo bem- disse curiosa.

-Ok! Vamos lá então! -Disse e mudaram seu curso.

Antes de saírem da vila, Soluço, com sua audição de dragão, ouviu uma movimentação no Porto de Berk.

-Tem algo acontecendo no porto. -Afirmou e a loira o olhou.

-Como tem tanta certeza disso? -Disse com uma sobrancelha levantada.

-Eu estou ouvindo- Apontou para a sua orelha e ela assentiu. Eles continuaram caminhando, mas dessa vez aflitos- Você quer saber o que está acontecendo tanto quanto eu, não é? -Ela assentiu- Depois vamos na Clareira, acho que isso não pode esperar.

Eles foram em direção ao cás.

Depois de algum tempo, chegaram lá e viram um barco atracado. Astrid o reconheceu e sorriu. Até que Soluço viu seu pai na frente da multidão que impedia a passagem.

-PAI! -Gritou mas o ruivo não o ouviu, então, passou dificilmente pelos Vikings. Quando já estava atrás de seu pai, o mesmo se virou e sorriu.

-Soluço! Que bom que está aqui! Quero que conheça alguém! -Gritou.

O mais velho empurrou seu filho pela prancha que levava ao navio. Assim que entraram, o garoto viu que era um navio de carga, pois estava cheio de entulho.

-Johhan! -Gritou- Quero que conheça alguém! -Disse a mesma frase de segundos atrás.

Do meio das pilhas de objetos, um homem ruivo com seus cinquenta anos, mais baixo que Soluço, apareceu. Ele abriu seus braços em um cumprimento.

-Stoico! Como é bom estar de volta a Berk! -Disse- E quem seria esse? -Perguntou se referindo a Soluço.

-Comerciante Johann, este é o meu filho Soluço. -Explicou com as mãos nos ombros do garoto ruivo.

-Vejamos se não é ele mesmo! Está tão mudado. Me lembro de você, mestre Soluço! -Abraçou o garoto- Da última vez que te vi, há onze anos atrás, estava indo para os Mares Negros em busca do dente de Hamenvaz, um monstro cruel que assombrava os meus pesadelos e... -Começou uma história longa, mas foi interrompido pelo chefe.

-Talvez depois Johhan. Trouxe o que te pedi? -Perguntou mudando de assunto. 

-Ah sim! Claro que trouxe- Disse enquanto procurava algo no convés do navio.

-O que é? -Perguntou Soluço, curioso.

Depois de segundos sem resposta, o comerciante voltou com uma caixa em mãos.

-Foi difícil de conseguir, mas eu encontrei. -Disse e deu a caixa a Soluço.

Com receio, o garoto abriu a caixa e viu um lindo emblema em prata. Ele o retirou do seu lugar e o admirou. 

-Pertencia a sua mãe, Soluço. -Explicou Stoico para o filho, que se surpreendeu- Foi um presente de noivado a ela. Ela disse que queria que você desde a sua noiva. Ele agora é seu.

O garoto olhou para o seu pai, emocionado.

-Obrigado pai. Eu nunca vou soltar. Prometo a você e a mamãe. -Disse firme e o viking mais velho assentiu. O garoto saiu do barco e guardou o botton.

Ele passou pelas pessoas e avisou a loira novamente. 

-Vamos para a Clareira, milady? -Perguntou.

-Vamos. Estou doida pra saber o que quer me mostrar.

 

~Quebra de tempo~

 

Depois de algum tempo caminhando, finalmente chegaram no lugar desejado, mas não haviam encontrado o Fúria da Noite e Soluço começou a se preocupar.

-Banguela? Amigão? Banguela! -Gritava com medo de algo ter acontecido, mas, de repente sentiu um peso sobre ele e foi de encontro com chão de barriga para cima. Abriu seus olhos e viu seu dragão sorrindo- Que susto, Banguela! Pensei que tivesse sido capturado ou algo assim! Nunca mais faça isso -Repreendeu- Dragão idiota... -Disse baixinho.

O Fúria da Noite, ao ouvir o insulto, começou a lamber seu piloto, que se debatia.

-Soluço! Não consegue nem controlar seu dragão! -Disse Astrid rindo alto.

Finalmente, depois de um tempo, o garoto conseguiu se soltar se levantar. Ele estava inundado de baba e pensava em como iria tirar isso enquanto sua amiga ria. Ele olhou feio pra ela e a viking controlou seu riso ficando com uma cara séria. O garoto foi andando até o lago para lavar sua camisa e rosto.

-O que vai fazer? -Perguntou enquanto via o viking tirar sua camisa. "Por que, Banguela?" Pensava a garota.

-Vou me lavar, o que acha que eu faria? -Falou como se fosse ótimo.

Ela não falou nada enquanto via seu amigo lavar sua blusa e seu rosto. Ele se levantou e torceu a blusa, fazendo algumas veias de seus braços aparecerem. A viking mordeu seus lábios. "Que Thor me ajude!" Pensava ela enquanto Soluço se concentrava em limpar-se. 

-Pronto! -Disse e pôs sua camisa de volta, mas ela ainda estava meio molhada e transparente.

-O-ok! -Disse gaguejando- O que q-queria me mostrar? -Perguntou.

-Isso- Disse e fez um barulho estranho com a boca, que se assemelhava com o rugido de um dragão. Segundos depois, um Nadder Mortal azul e amarelo pousou ao lado de Soluço. Astrid ficou com medo e segurou seu machado pronta pra atacar, mas seu amigo levantou a mão e gritou para que ela não fizesse isso, enquanto o dragão se escondia atrás do garoto.

-Astrid, quero te apresentar a Tempestade. -Disse o "Menino dos Dragões" enquanto a Nadder botava o focinho em sua mão e o empurrava para o mesmo fazer carinho- Ela foi um dos poucos que gostava de nós. Era um grande amiga pro Banguela.-Disse e apontou para os dois dragões que começaram a brincar- Queria te apresentar pra ela por que eu soube que gosta de Nadders- Disse e chamou o dragão novamente.

-Como sabe que gosto? -Perguntou arqueando as sobrancelhas.

-Tenho meus contatos- Disse dando de ombros.

-Sei... -Disse desconfiada enquanto admirava Tempestade- Posso tocar nela? -Perguntou.

-Claro! -Disse- Venha até aqui. -Ela o fez- Agora faça assim- Ele falou e estendeu sua mão para Banguela, ele virou sua cabeça e fechou os olhos, então, o Fúria da Noite encostou seu focinho na mão de Soluço (N/A: #ChorandoEnquantoEscrevoIsso) e eles pararam o "tutorial"-Entendeu? Ela só vai deixar você tocar nela se sentir que você confia nela. E você só vai conseguir montar nela se tiver uma confiança mútua.

-Ok! Entendi! -Disse por fim. Soluço pegou a mão de Astrid, o que causou um "choque" para os dois lados. Ele botou a mão de sua amiga para cima e a mesma virou seu rosto então, a Nadder azul encostou seu focinho na mão de Astrid, que seu virou e olhou admirada.

Soluço retirou sua mão, enquanto a loira acariciava a nova amiga. Ele se afastou para olhar melhor para a linda cena. O viking se virou para o seu dragão que se encontrava ao seu lado e o "abraçou" de lado.

-Isso muda tudo... -Disse para seu melhor amigo.

E ele estava certo...

 

~Quebra de tempo~

 

Depois das apresentações e carícias, Tempestade foi embora e os dois jovens e o Fúria da Noite sentaram no chão de grama. Soluço pegou um graveto e começou a desenhar algo, que no final, virou o rosto de seu melhor amigo. Astrid olhava admirada o talento para desenho do garoto ao seu lado.

-Nossa... -Disse a loira chamando a atenção de Soluço- Você desenha muito bem. 

-Obrigado- Disse coçando a nuca, e Astrid sabia que significava que estava sem-jeito.

-Então... Quando vou poder voar com a Tempestade? -Perguntou ansiosa.

-Não sei ainda. Depende de quando ela vai conseguir confiar totalmente em você. -Disse explicando.

-Quanto demorou para você e Banguela? -Perguntou.

-Na verdade, demorou um pouco por causa da cauda dele, mas eu tenho certeza que se não houvesse esse empecilho já estávamos voando no dia seguinte de nos conhecermos -Disse nostálgico- Nos encontramos e ele estava preso na rede, eu ia matá-lo, mas eu não consegui e o soltei por que quando eu olhei para ele eu vi a mim mesmo. Ele pulou em cima de mim, mas não me matou e fugiu. -Contou.

-Sabe por que esse lugar é tão importante pra mim? -Perguntou e Astrid negou- Um dia depois eu encontrei ele, aqui, na Clareira. Nossa conexão foi instantânea e muito forte. -Disse e enxugou seus olhos que estavam um pouco molhados, se virando para acariciar seu amigo- Acho que nunca agradeci a ele -Disse e o dragão se virou para ele- Obrigado. -O menino o abraçou forte e depois se afastou, dando tapinhas amigáveis em Banguela- Desculpe, estávamos falando de você- Se virou para a viking que olhava admirada. Um silêncio desconfortável se formou- Mas acho melhor tomar cuidado, Astrid. -Disse e riu.

-Por que?- Perguntou sem entender.

-Acho bom não ficar muito perto de outros dragões e nem do Banguela, por que se ela for tão ciumenta quanto você... Vamos ter churrasco de dragão no palito-Disse achando graça enquanto sua amiga estava "ofendida".

-Está me chamando de ciumenta? -Perguntou.

-Sim! -Disse desafiador olhando nos olhos dela com uma cara de deboche- Você não concorda comigo? -Perguntou.

-Você vai saber o que é ciúme, Strondus.-Disse do mesmo jeito que ele.

-Vamos ver, Hofferson -Disse estreitando os olhos.


Notas Finais


Comentem qualquer coisa! Críticas, xingamentos, pudim... Qualquer coisa! E espalhem pros migos que daqui a pouco temos 100 favoritos! Nem eu acredito nisso!
Beijossssss


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...