História Novo amor - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Carinha de Anjo
Personagens Cecilia Santos de Larios "Irmã Cecília", Dulce María Larios Valle
Visualizações 49
Palavras 996
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Quero agradecer os comentários amores. Mais um capítulo pra vocês. Beijos!!!

Capítulo 3 - Capítulo 3


- Fátima, eu acho que esse vestido está muito curto. – Cecília reclamou, enquanto tentava abaixar o tecido com as mãos.

 

- Deixa de frescura, Cecília. – Fátima disse. – não tem nada de curto.

 

Cecília bufou mais uma vez, estava se arrumando pra jantar com André.

 

- Anda Cecília, desfaz essa cara, você está linda. 

 

Cecília revirou os olhos pra Fátima, se olhou no espelho e se sentiu estranha. Vestia um vestido tubinho preto, de mangas curtas, ia acima dos seus joelhos, nos pés um salto não tão alto, também preto, uma leve maquiagem, os cabelos presos de lado e um bolsa pra completar o visual.

 

- Fátima eu não sei, eu...

 

- Cecília, confia em mim. – Fátima disse, a interrompendo.

 

- Tá bom, tenho que me acostumar com isso. 

 

Nesse momento o barulho da campainha soou, Cecília sentiu um arrepio percorrer seu corpo e o coração acelerar.

 

- Eu vou atender. – Fátima disse.

 

- Não, eu vou. – Cecília afirmou. 

 

- Vai lá então, boa sorte minha irmã.

 

Cecília deu um meio sorriso e desceu. A cada passo que dava, sentia as mãos suarem e o coração bater mais forte, Cecília caminhou até a porta e a abriu. O perfume de André invadiu o local em segundos, e ela quase perdeu o fôlego. O médico estava muito bonito, André vestia uma calça jeans, uma camiseta azul escura e os cabelos bem alinhados, bem diferente do que Cecília costumava ver, quando ele estava no hospital.

- Cecília, esta maravilhosa.

 

- Obrigada doutor. – ela sorriu, tímida.

 

- Só André, por favor. – ele deu uma piscadela, Cecília sorriu e assentiu. – Vamos?

 

- Vamos.

 

Cecília saiu com André, e os dois caminharam até o carro do médico. André gentilmente abriu a porta e Cecília agradeceu, o caminho até o restaurante foi de pouca conversa, falaram apenas sobre como andava a nova vida da ex noviça. Quando chegaram ao restaurante, Cecília se sentiu encantada, era tudo muito bonito, parecia ser um lugar chique e Cecília se sentiu incomodada, achou que não estava com vestimentas adequada.

 

- Tá tudo bem? – André perguntou, percebendo o desconforto da jovem.

 

- Eu...esse lugar é muito chique André, acho que não estou bem vestida.

 

- Você está perfeita Cecília, com certeza será a mulher mais linda desse restaurante.

 

Cecília enrubesceu com o comentário, André continuou ali a encarando e sorrindo, em um determinado momento ele lhe estendeu a mão, sabia que era tudo novo pra ela e queria lhe passar segurança. Cecília hesitou um momento, mas em seguida depositou sua mãos sobre a do médico, André entrelaçou os dedos na delicada mão dela, e juntos adentraram ao restaurante, foram recepcionados por uma simpática moça que lhes levaram até a mesa reservada, André puxou a cadeira para que Cecília sentasse e em seguida fez o mesmo. Pegou o cardápio sobre a mesa e olhou, viu a indecisão nos olhos de Cecília e decidiu ajuda-la.

 

- A massa daqui é uma delícia. – ele disse.

 

- Acho que vou pedir uma. – Cecília disse.

 

- Já veio aqui? Nesse restaurante? 

 

Não. – Cecília negou. – no tempo em que namorei o Gustavo, ele me levou apenas no restaurante favorito da Teresa, lá era lindo também, bem agradável.

 

André apenas assentiu, fez os pedidos dos pratos e um vinho, que mesmo Cecília dizendo que não bebia, ele insistiu para que provasse um pouco.

 

- Cecília, não quero ser inconveniente mas...eu tenho uma dívida.

 

- Dúvida? – Cecília perguntou, confusa.

 

- É eu...porque você e o Gustavo terminaram? 

 

Cecília ficou em silêncio, não queria tocar no nome de Gustavo, não naquela noite que lhe parecia tão agradável.

 

- Não, não precisa falar. – André disse, não queria estragar aquele momento. 

 

Rapidamente ele mudou de assunto, falaram sobre tudo, e quando a comida chegou, Cecília se deliciou com a perfeita comida daquele lugar, ela também experimentou o vinho, disse que era forte mas muito bom. André achava graça daquilo tudo, Cecília tinha uma inocência que mexia com sua mente, por vezes imaginou a beijando e até mesmo, fazendo outras coisas, céus, Cecília era uma mulher linda. Quando o jantar acabou, André levou-a de volta pra casa, Cecília estava mais falante no caminho, deixou a timidez de lado e falava abertamente sobre a decisão de deixar o hábito. André estacionou o carro em frente a casa dela, se sentiu frustrado, afinal não queria que aquela noite acabasse, ter Cecília ao seu lado era tudo que André queria.

 

- Bom, infelizmente chegamos. – André disse. 

 

- Porque infelizmente? – Cecília perguntou.

 

- Porque eu não queria que essa noite acabasse, por mim eu ficaria horas e mais horas conversando com você.

 

- Assim eu fico sem graça. – Cecília disse, deixando que a timidez retornasse.

- Não fique, é a verdade. – André sorriu.

 

Um silêncio tomou conta do carro, a noite estava iluminada e na rua quase ninguém passava, naquele momento Cecília se sentiu a vontade, a vontade para contar tudo para André, o porquê do término.

 

- Foi por causa da Verônica.

 

- Não entendi. – ele ergueu uma sobrancelha, sem saber do que a jovem falava.

 

- Eu terminei com o Gustavo, por causa da Verônica.

 

- Como assim?

 

- Eu percebi, que além da amizade existia algo a mais, o Gustavo dizia que amava, mas seus olhos não brilhavam por mim. – Cecília sentiu um aperto no peito ao lembrar de tudo.

 

- Mas ele te traiu? – André perguntou, incrédulo.

 

- Não que eu saiba. Mas pouco tempo depois que terminamos, eles começaram a namorar, ou seja, eu estava certa.

 

- Como o Gustavo é burro. – André falou, sem pensar. – Desculpa Cecília, eu não quis...

 

- Tudo bem. – Cecília deu de ombros. 

 

- Eu nunca deixaria uma mulher igual você, ah Cecília se você fosse minha...

 

André deixou a frase morrer antes de completar, Cecília arregalou os olhos surpresa, sentiu a pele queimar e abaixou a cabeça tímida.

 

- Melhor eu entrar. – ela disse pegando sua bolsa.

 

Antes que Cecília pudesse sair, André a puxou pelo braço e colou os lábios nos dela.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...