História Nowhere, Now Here - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias Lana Parrilla
Personagens Lana Parrilla
Tags Família, Flana, Fred Di Blasio, Lana Parrilla, Once Upon A Time
Visualizações 72
Palavras 3.910
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Heeeyyy gente!
Era pra eu ter aparecido bem mais cedo, a ideia era um cap pós enem e, realmente foi, pós enem 2018 pq né?
Mas está aí... Desculpem os erros, está sem revisão porque escrevi tudo hoje praticamente, então deve estar cheio de erros, perdão por isso...

Capítulo 18 - Família Parrilla - Parte I


Olho todas as pessoas saindo pelo portão de desembarque e fico na expectativa de ver minha família. Minha mãe, Deena e Alix estão vindo para me visitar. Como é terça feira, as crianças ficaram por causa da escola e elas ficarão apenas dois dias. Logo avisto Deena vindo na frente, procurando por mim, aceno para ela que sorri ao me ver.

- Hey sis - ela fala quando chega perto o suficiente de mim - que saudades de você - Deena me abraça apertado.

- Eu também estava com saudades de você - retribuo o abraço - MAMÃE - praticamente grito por vê-la e já sinto meus olhos umedecerem.

- Oi filha - nos abraçamos e sinto uma paz sem igual, por sentir seu cheiro e sentir seu toque - que saudades, Lana, como está?

- Estou bem melhor agora - falo e não tenho a mínima intenção de me soltar de seu abraço.

- OWW - Sinto um tapinha no topo da minha cabeça - E eu? Nem um oi? - Alix reclama.

- OI ALIX!! – Falo alto e me jogo em seus braços – Eu estava com saudades – uso um tom baixo, quase um sussurro parar ela.

-Eu também, estava – ela me aperta mais contra si mesmas – quero saber tudo depois, tudinho – ela sussurra de volta, pois sabe que não terei receio algum de contar qualquer coisa que seja para ela, não escondemos nada uma da outra.

- Então, vamos? – Solto Alix e sorrio para as três que confirmam – por aqui – mostro o caminho até meu carro e as ajudo com algumas malas.

- E então, onde você está ficando? – Deena pergunta quando já estamos cruzando as ruas de Vancouver.

- Estou na casa de Alfredo, por enquanto – falo – ainda não me mudei, porque meu antigo apartamento não foi liberado e preciso ver o que conseguirei usar e o que não.

- Alfredo? – Alix pergunta rapidamente – aquele Alfredo?

- Qual Alfredo? – Minha mãe pergunta e percebo que nem conversamos direito sobre tudo.

- Alfredo é meu namorado – falo e logo sou interrompida por Alix.

- Eu sabia! – Ela praticamente grita batendo palmas no banco de trás – eu sabia, Lana!! Não te falei, Deena? – Minha irmã apenas concorda com a cabeça, também sorrindo.

- Ok, quem é Alfredo que todo mundo conhece, menos eu? – Minha mãe pede, cruzando os braços.

- Desculpe, mãe, não tive tempo de te contar todos os detalhes – paro o carro em um semáforo vermelho e olho para ela – conheci Alfredo por intermédio de uma das primeiras amigas que fiz aqui em Vancouver – explico – e agora estamos namorando – sorrio – desde sexta, oficialmente – rio, pois com tudo que aconteceu, nem pudemos comemorar direito. Mas a festa que os meninos fizeram foi linda.

FLASHBACK ON

- Pai!! Chegamos - Escuto a voz de Jack vinda da sala e sorrio para Fred, nos estávamos preparando um lanche da tarde, justamente para quando os meninos chegassem. Fred ligou para eles e disse para virem mais cedo para casa, que já estaríamos lá. Não contamos para eles o que aconteceu no apartamento e nem sobre estarmos namorando.

- Estou na cozinha - Fred responde e ouço os passos dos três - prepare-se - Fred fala para mim.

- Pai, que... - eles param na porta e me olham surpresos - LANA! - Matt fala e vem me abraçar, seguidos pelos outros dois - que bom te ver.

- É muito bom te ver também, querido - o beijo na bochecha e o abraço. Repito o processo com Jack e Pat.

- O que estão fazendo? - Pat pergunta olhando para a bagunça que estava na mesa.

- Um lanche para nós - respondo - estão com fome?

- Muita - Jack responde rápido e os outros dois concordam.

- Vão guardar suas coisas e depois desçam pra comermos - Fred fala e eles saem correndo - Devagar na escada - Fred grita, mas eles nem ligam.

- Vamos contar pra eles? - Pergunto ansiosa e um pouco receosa da reação deles.

- Com certeza - ele fala convicto, mas sente minha insegurança - por quê? O que foi?

- Nada - falo voltando a fazer os lanches - só estou um pouco insegura com a reação deles.

- Por quê? - Fred repete - eles te adoram, se fosse por eles eu tinha te pedido em namoro já no primeiro dia que veio aqui.

- Sim, eu sei, mas imaginar uma coisa e ver essa coisa acontecer é diferente - falo focada no que estou fazendo - tenho medo deles , ahn, acharem que é demais, se sentirem pressionados ou desconfortáveis, com a notícia e com a minha presença aqui nos próximos dias - falo tudo de uma vez para me livrar do peso. Fred não fala nada por um tempo e eu penso que ele pode achar que os meninos vão, de fato, ficar desconfortáveis com algo. Mas logo sinto suas mãos em minha cintura e ele me abraça forte, apoia a cabeça em meu ombro e pega minhas mãos me fazendo largar as coisas na mesa.

 - Vai ficar tudo bem, como eu disse, eles te adoram... E acredite em mim, se não gostassem ou não quisessem isso, eles me falariam - Fred deixa um beijinho no meu ombro - não se preocupe com eles, a única coisa que vão fazer é abusar da sua paciência, querendo que os assista ensaiar, que jogue vídeo game com eles, vão querer te ensinar um monte de coisas e que você os ensine - ele fala no meu ouvido com um tom de voz cheio de cuidado e amor - relaxa, babe - ele me vira de frente para ele - todos os di Blasios foram encantados por você - ele sela nossos lábios carinhosamente.

- Cadê a comida? - Jack chega perguntando e eu sorrio para Fred antes dele voltar para o que estava fazendo.

- Quase pronta, filhão - Fred responde - arruma a mesa, por favor? - O menino assente e começa a pegar copos, pratos e o suco na geladeira. Eu termino minha parte e logo preenchemos os pães e colocamos na chapa.

- E aí, como foi o final de semana, pai? - Jack pergunta de repente.

- Foi bom - Fred me olha de soslaio e eu começo a ficar insegura de novo. Os outros dois chegam na cozinha e se sentam à mesa para esperar os lanches - Lana e eu temos uma coisa para contar - os três meninos ficam atentos olhando para Fred - nós estamos namorando- Fred fala e eu prendo a respiração.

- Você pediu pra ela, pai? - Matt pergunta e eu sorrio com a reação, Fred fala que sim com a cabeça - até que enfim - ele termina e eu rio, realmente não esperava essa reação.

- Ele ficou ensaiando na frente do espelho, Lana - Jack comenta e eu olho para Fred - falando sozinho todo nervoso.

- Sério? - Pergunto para eles e olho para Fred rindo.

- Sério! - Matt confirma a história - eu vi - ele pensa um pouco - ainda bem que você aceitou - Matt conclui rindo.

- E tem mais uma coisa - Fred toma a palavra - Lana ficará uns dias conosco.

- Oba - Pat fala pela primeira vez - vai tocar bateria comigo?

- Claro - pisco para ele, que sorri para mim.

- E esses lanches, hein? - Jack pergunta - tô morrendo de fome!!

- Já vai sair, Jack - me levanto e vou até a chapa e, realmente já estão bons, tiro todos e coloco a mesa. Cada um pega um e comemos conversando.

- Sua cachorra vai ficar aqui também, Lana? - Matt pergunta e sinto u aperto ao lembrar de Lola.

- Não, Matt - respondo e prevejo o 'por quê' vindo, então Fred toma a frente.

- A Lola está tirando umas férias, Matt - Fred fala antes de mim - está em local com outros animais para se divertir e interagir com eles - Matt fala que entendeu.

- Que delícia - Pat comenta atacando terceiro lanche.

- Vai com calma, garotão - Fred fala - não quero que você passe mal depois.

- Relaxa, pai - Pat fala de boca cheia - não tem como passar mal com essas delícias.

Continuamos comendo e rindo todos juntos e depois que terminamos, os meninos saem da cozinha e eu Fred ficamos para arrumar tudo.

- Estava uma delícia - Fred fala se sentando em uma cadeira e me puxando para perto dele - obrigado.

- Que bom que gostou - falo envolvendo seu pescoço os braços e sentando em seu colo - mas não precisa agradecer, eu faço isso porque amo cuidar de vocês - imito suas frases toda vez que eu agradeço e apoio minha cabeça em seu ombro.

- O PAI!! - A voz de Jack invade nossos ouvidos - VEM AQUI NO SEU QUARTO, POR FAVOR - ele continua gritando lá de cima - E TRAZ A LANA - ele finaliza e eu olho para Fred com uma interrogação no rosto.

- Também não faço ideia - ele sela nossos lábios rapidamente e eu me levanto de seu colo para subirmos. Quando chegamos no fim da escada tudo está silencioso e eu estranho, mas continuamos o caminho até a porta do quarto de Fred - Jack? - Fred chama abrindo a porta devagar e logo para, não consigo ver nada, pois estou atrás dele. Ele me olha por cima do ombro sorrindo - eu te disse - ele sussurra pra mim e abre a porta de vez revelando o quarto aos meus olhos.

Os meninos fizeram um cartaz enorme escrito "Bem-vinda, Lana!" e colaram em uma parede, com fita. Espalharam ursos de pelúcia pelo quarto para enfeitar e na cama tinha uma montanha de doces com várias almofadas e travesseiros espelhados. A TV estava preparada para alguma série ou filme e os três estavam parados um do lado do outro, cada um com uma trufa na mão. Abro um sorriso enorme no rosto e me emociono na hora, olho para Fred que também sorri.

- Humm, bem vinda, Lana - Jack fala tímido.

- Estamos felizes por você fazer parte da nossa família - Matt continua.

- E para ofili... ofica... - Pat olha para os irmãos confuso - ofilac... - ele coça a cabeça e fica vermelho de vergonha - ahn... - Ele olha para Fred com uma cara de socorro que eu acho linda, mas não rio para não o deixar mais embaraçado. Fred caminha até ele e se abaixa para alcançar o ouvido do menino e sussurra alguma coisa, logo Pat abre um sorriso e acena para o pai com a cabeça - e para oficializar, queremos que você participe da nossa tradicional reunião - ele completa orgulhoso.

- Todos os domingos nós assistimos um filme todos juntos - Fred me explica - deitados na cama comendo doce - ele ri tímido.

- É nossa tradição - Jack fala orgulhoso - e você pode participar, se quiser.

- Claro que eu quero - falo e os quatro sorriem pra mim ao mesmo tempo - e eu adorei a decoração, meninos, obrigada.

- De nada - Matt responde rápido - e como é sua primeira vez na nossa reunião, você pode escolher o filme de hoje - ele sorri e os outros dois concordam com a cabeça.

- Puxa, eu não sei o que escolher - falo indo até os três - o que vocês sugerem? Quais são opções?

- Não, você que tem que escolher - Jack fala e me entrega o controle da TV - olha tem todos ali - ele me mostra o catálogo da Netflix.

- Humm - passo pelos filmes - que tal pequenos espiões 4? Vocês gostam?

- Sim - eles falam juntos.

- Então é esse - sorrio para eles entrego o controle para Jack. Os três meninos sobrem na cama, colocam os doces que estavam espalhados, dentro de um pote no meio da cama e me chamam para acompanhá-los, olho para Fred, que faz um gesto com as mãos indicando para que eu vá primeiro e eu tiro os sapatos e me junto a eles, Fred me segue e se recosta do meu lado. Depois de todos se ajeitarem, eu e Fred ficamos no meio da cama, encostados na cabeceira com Jack no nosso meio. Matt fica entre minhas pernas, encostado em meu peito e Pat coloca uma almofada apoiada nas pernas de Fred e se deita de travessado na cama. Jack dá o play.

Ficamos ali abraçados assistindo e comendo os doces, rindo de vez em quando e comentando sobre a história do filme. Me sinto muito feliz de sido convidada para sua 'tradição'. De vez em quando sinto o olhar de Fred em mim e o olho de volta, com um sorriso, outras vezes ele segura minha mão e deixa um carinho gostoso nela. Matt vez ou outra cochicha comigo sobre o filme, me passa um doce dizendo que é o mais gostoso e que eu tenho que provar. Jack me oferece água constantemente e Pat deixa, propositalmente, seu pé esbarrar em minha perna. Lá pelo meio do filme, sinto o peso de Matt aumentar e sei que está dormindo, assim como Jack largado no colo de Fred. O único acordado é Pat, mas também está com os olhinhos pesados. Alfredo cuidadosamente se aproxima de mim e passa um braço em volta do meu ombro.

- Eles sempre dormem? - Pergunto num sussurro, pois eles estavam tão animados em assistir ao filme juntos.

- Sim - ele responde também sussurrando - esse é o objetivo, na verdade - ele sorri para mim - toda vez que eles ficavam com medo ou tinham problemas para dormir, eu fazia isso, colocava um filme e algo pra comer e logo eles dormiam. Depois os levava um por um para o quarto - ele me explica e eu o admiro ainda mais depois de saber disso.

- Shiiu - Pat pede sem nem olhar para nós e sorrio para Fred, selo nossos lábios e encosto a cabeça em seu ombro, para terminar o filme.

FLASHBACK OFF

- Olha só – Alix começa a contar nos dedos – já são quatro dias, dona Dolores! Respeita esse relacionamento sério – ela faz todas rirem.

- Sem graça – olho pelo retrovisor e mostro a língua pra ela – vocês vão gostar dele – olho para minha mãe – ele está nervoso para te conhecer.

- Ora, por quê? – Ela pergunta estranhando – vocês são adultos, não é como se eu fosse te proibir ou querer conversar com os pais dele – ela ri – mas tenho certeza que ele é um bom homem. Agora, vocês estão namorando a quatro dias e nós vamos ficar na casa dele? Não acha meio cedo para isso?

- Acho, pra falar a verdade, mas ele insistiu – respondo olhando pra ela – e como eu realmente não tenho uma casa apropriada agora, não queria que vocês ficassem em hotel... quero vocês pertinho de mim.

- Também queremos ficar com você, filha – minha mãe responde – só não queremos atrapalhar e nem dar trabalho.

- Não vão, pode ficar tranquila - paro por um segundo e depois completo - e tem outra coisa - olho para minha mãe - Fred tem três filhos - minha mãe levanta as sobrancelhas em surpresa.

- Três? - Ela pergunta e eu afirmo - crianças?

- 9, 12 e 14 anos - respondo - são uns amores, você vai adorá-los - ela concorda com a cabeça e volta sua atenção para a cidade lá fora, enquanto eu foco no trânsito. Não demora e eu estaciono em frente à casa de Fred.

- Uau, que casão hein – Alix fala dando um assovio para enfatizar o tamanho da casa – se deu bem, dona Lana – ela comenta rindo. Eu apenas rolo os olhos para ela, enquanto espero o portão abrir para guardar o carro na garagem.

- Chegamos – declaro quando desligo o motor do carro e logo vejo Fred saindo da casa para nos receber.

- Caprichou hein, Laninha – Deena comenta antes de descer do carro.

Todas descemos e Alfredo vem até nós com um sorriso no rosto, mas sinto que está nervoso e acho extremamente fofo.

- Olá, sejam bem-vindas – ele fala e se dirige primeiro a minha mãe – dona Dolores, não é? É um prazer conhece-la, sou Fred.

- O prazer é todo meu, mas pode me chamar apenas de Dolores – eles trocam um abraço rápido.

- Essa é a minha irmã, Deena – falo para Fred que logo a cumprimenta – e essa é Alix, minha amiga – Fred novamente a cumprimenta.

- A famosa Alix – ele brinca - Lana fala muito de você.

- Ah é? - Ela me olha desconfiada - bem ou mal?

- Sempre bem - Fred responde - é um prazer conhecê-las e recebê-las aqui, por favor, fiquem à vontade - ele fala com um sorriso lindo no rosto - deixa eu ajudar com as malas - Fred pega tudo o que pode para nos ajudar e vamos todos para dentro, direto para os quartos - como vocês preferem? - Ele pergunta quando chegamos no topo da escada - cada uma em um quarto, juntas? Tem um quarto com duas camas e outros dois com uma só - ele explica rapidamente.

- Como for mais fácil - minha mãe fala modesta.

- A visita manda - Fred rebate - vamos fazer assim, eu vou deixar essas malas aqui e a Lana ajuda vocês a se acomodarem... assim ficam mais à vontade, depois eu as levo para onde quiserem - ele fala - depois desçam para comermos, ok? - Ele fala e desce as escadas novamente.

-Então, o que querem fazer? - Pergunto me dirigindo as três.

- Se quiserem ficar no mesmo quarto, tudo bem pra mim - Alix fala para minha irmã e minha mãe.

- Ahnn eu não sei - minha mãe responde.

- Vamos ficar todas no mesmo quarto - sugiro - são duas camas de casal, então podemos todas juntas, o que acham?

- E você vai deixar o gostosão sozinho pra dormir com três mulheres? - Alix pergunta cruzando os braços.

- O que eu não faço pelas três mulheres da minha vida, não é? - Cruzo os bruços também - então, o que acham?

- Por mim pode ser - Deena responde primeiro - eu iria adorar matar as saudades de você.

- Por mim também, faz tempo que não temos momentos assim - minha mãe concorda.

- Eu faço esse sacrifício de dormir com você - Alix fala fazendo careta - então onde é o quarto?

- Por aqui - vou na frente para mostrar o caminho e as ajudo a acomodar todas as malas - então, vamos descer?

- Vamos, que eu tô faminta - Alix fala enganchando em meu braço e descemos as escadas, logo vejo os meninos arrumando a mesa para o almoço. Quando nos veem eles se cutucam e assumem a postura de anfitriões, ficam enfileirados ao lado da mesa - que lindinhos - Alix sussurra pra mim.

- Olá - Jack fala primeiro e vem ao nosso encontro - eu sou o Jack - ele estende a mão para cumprimentar Alix que prontamente aperta a mão do garoto.

- Oi, Jack, meu nome é Alix - ela se abaixa levemente - como vai?

- Tudo bem e você - ele responde.

- Com fome - ela sussurra pra ele que sorri.

- Eu também - ele devolve no mesmo tom - mas o almoço já deve estar pronto - Alix pisca para ele e endireita o corpo.

- Jack, essa é minha mãe, Dolores - falo e ele sorri pra ela que se abaixa para abraçá-lo.

- Você é tão lindo quanto Lana falou - minha mãe fala e ele sorri, levemente envergonhado.

- E eu sou Deena, irmã da Lana - eles se cumprimentam com um abraço.

- Esses são meus irmãos, Matt e Pat - Assim que são apresentados, os dois se aproximam e cumprimentam uma a uma com um abraço, assim como Jack fez e eu acho que combinaram aquilo - fiquem à vontade, sentem-se, vou avisar o papai que já desceram - ele completa e eu tenho certeza que combinaram.

- Não precisa, filho, já estou aqui - Fred entra na sala de jantar com uma bandeja nas mãos e a coloca sobre a mesa - por favor, sentem-se - ele aponta para as cadeiras e nós fazemos o que ele pede. Fred fica na ponta de mesa e eu fico do lado direito, seguida de minha mãe, Deena e Alix. Do outro lado, Jack, Pat e Matt tomam os lugares ao lado do pai respectivamente - espero que gostem de massa - Fred fala gentil, já que eu fiz lasanha.

- Elas adoram, Fred - falo rindo - principalmente essa aí.

- É a lasanha da Lana? - Alix pergunta e eu assinto - ah que saudade dessa delícia - todos riem do comentário.

- Você já comeu a torta de maçã dela? - Matt pergunta e Alix fala que sim - é uma delícia, né? - Alix sorri para ele, concordando - vai ser a sobremesa - ele cochicha para ela, mas todo escutam.

- Sério? - Alix sussurra de volta e ele move a cabeça freneticamente dizendo que sim - mal posso esperar - eles trocam um sorriso e Alix pisca para ele.

- Por favor, sirvam-se à vontade - Fred fala e começamos a pegar comida - e como foi a viagem? Tranquila? - Ele pergunta cordial.

- Foi sim - Deena responde - ainda bem.

- Ela morre de medo de aviões - explico.

- Por quê? - Jack pergunta curioso.

- Porque tenho medo que eles caiam - ela fala para ele - você não tem medo?

- Não - Jack fala tranquilo - e você também não precisa ter, eles não caem fácil, né pai? - Ele procura afirmação com Fred, que apenas balança a cabeça.

- Eu sei, mas ainda assim fico com medo - Deena fala - qual sua dica para perder o medo?

- Não tenho uma - ele pensa um pouco - pensar que não vai cair?

- É uma possibilidade, vou usar no vôo de volta - ela responde e ele assente.

- Lana me disse que vão ficar apenas dois dias? - Fred fala e leva um bocado a boca.

- Sim - minha mãe responde - está no meio da semana, as crianças ficaram em casa, não podemos ficar muito - Fred assente com a cabeça -só viemos realmente para vê-la.

- Entendo - Fred responde - mas espero vocês logo para ficar mais tempo e podemos fazer algo todos juntos.

- Nós viremos - Deena fala cordial.

Continuamos comendo e conversando tranquilamente, os meninos ajudam muito na interação das famílias, perguntando e comentando coisas vez ou outra. Logo todos limparam os pratos e não tem mais lasanha.

- Vou pegar a torta para nós - anuncio e me levanto.

- Quer ajuda? - Fred pergunta e eu agradeço, mas nego. Os deixo sozinhos e vou até a cozinha, pego a torta e antes de entrar na sala paro para ouvir a conversa. Escuto a voz de minha mãe perguntando algo a Fred. A danada esperou eu sair para perguntar as coisas.


Notas Finais


E aí? O que será que Dona Dolores vai querer saber?
Me contem tudo!!
Bjos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...