História O Assassino de Aluguel - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Personagens Originais
Visualizações 7
Palavras 930
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Policial, Violência
Avisos: Adultério, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Obs: ∆ Conterá nudez, linguagem explícita, palavrões, sexo, assassinatos e afins, caso não gostem deste tipo de conteúdo favor não ler ∆

Capítulo 3 - Ela precisa ser minha


Fanfic / Fanfiction O Assassino de Aluguel - Capítulo 3 - Ela precisa ser minha

⊰᯽⊱┈──╌❊╌──┈⊰᯽⊱

Na manhã seguinte acordo e ao olhar para o lado não a vejo na cama, parte de mim pensava que eu apenas teria tido um sonho, o melhor sonho diga-se de passagem, ainda tonto e com preguiça levanto da cama e vou ao banheiro o cheiro dela ainda estava em mim e naquele quarto.

Ao longe sentia um cheiro de café e pães frescos, achei estranho pois não sou de tomar café da manhã em casa, sai ainda com sono do quarto e com a vista embaçada e fui até a cozinha, ao chegar lá me deparo com a mesma com a minha camisa fazendo o nosso café.

Anne: Bom dia, gostoso, senta e toma seu café, acho que fiz do jeito que você gosta.

Jimin: Nossa se eu soubesse como você é incrível tinha te procurado antes.

Anne: Vai se acostumando, em todos nossos encontros faço questão de fazer nosso café.

Jimin: Então faço questão de te encontrar todos os dias.

Sentei a mesa e tomei meu café junto com a mesma, depois de um tempo ela se levanta e vai se arrumar, para minha surpresa ela tinha uma outra roupa na bolsa que trazia consigo, um vestido rosa claro, com uma rasteirinha, amarrou seus cabelos como sempre passou uma maquiagem leve olhou para mim e disse.

Anne: Bom vou indo, quero chegar antes que meu marido tenha acordado.

Jimin: Tudo bem gostosa, até logo.

Anne: Até meu lindo.

A mesma me beija graciosamente, passa seu batom e vai embora, ainda não estava acreditando que tinha passado a noite com a mulher mais linda daquela cidade, fechei a porta e fui fazer meus afazeres de sempre.

~ Enquanto isso ~

Anne chegava em casa e seu marido estava sentado no sofá a lhe esperar, a mesma entra e prontamente ouvi.

Hoseok: Eu poderia saber onde você estava Anne?

Anne: Estava com umas amigas, porquê?

Hoseok: Não minta pra mim.

Anne: Eu não sou você querido marido, estava com umas amigas e tenho como provar, diferente de você que sai e não me avisa onde vai e nem com quem está.

Hoseok: Isso são modos de falar com seu marido?

Anne: Hahaha! Faça me rir Hoseok, não te devo respeito e nem satisfação do que faço a muito tempo, peça pra sua querida Joyce dizer onde vai, não eu.

Hoseok: Joyce?? Quem é Joyce?

Anne: Não lembra? Então olha sua agenda de piranhas, talvez assim você refresca a memória, bom vou tomar meu banho, com licença.

~ Enquanto isso ~

Termino meus afazeres e vou então andar pela rua, ao longe avisto a mulher que Anne queria destruir de todo o jeito, me deu uma vontade enorme e puxar assunto com a mesma, chego perto e digo.

Jimin: Oi, boa tarde eu acho que me lembro de você.

Joyce: Ah, oi, foi você que furou o pneu não é?

Jimin: Isso, sabia que te conhecia de algum lugar, posso me sentar?

Joyce: Ah, por favor, você toma cerveja?

Jimin: Sim, tomo.

Sentei com a mesma a mesa e tomando nossas cervejas, convensa vai, conversa vem e em determinado momento ela já meio alterada devido ao álcool soltou toda a verdade na mesa e eu fiz questão de gravar.

Joyce: Eu me envolvi com um cara casado... Se não bastasse isso, o mesmo é casado com a minha melhor amiga, sou uma pessoa maldita... Eu sei, ela me ajudou quando mais precisei, mas olha a merda que eu fiz.

Jimin: Essas coisas acontecem senhorita, não escolhemos a quem nosso coração se apaixona.

Joyce: Mas eu não sou apaixonada por ele, nem perto disso, só faço isso porque o mesmo é meu chefe e quero subir de cargo, assim como todas as outras com quem ele sai.

Jimin: Não é só você?

Joyce: Não, claro que não, todas naquela empresa já deram pra ele, mas por interesse, não por gostar dele, ele é muito bruto, fala coisas absurdas da própria mulher.

Jimin: O que ele fala dela?

Joyce: Diz que ela é frígida, que não é sexy, não é sensual, que se pudesse batia nela quando a mesma se nega a fazer algo com ele, que ela não o respeita, que só a trai porque obviamente é traído.

Jimin: Nossa que crápula.

Joyce: Eu não deveria ter lhe contado isso.

Jimin: A senhorita pode confiar em mim, lhe dou minha palavra que isso não sairá daqui.

A mesma me pede um abraço e eu não recusando lhe dou, ela estava chorando muito, pelo jeito estava arrependida de ter feito o que fez, a culpada nessa história toda não era essa pobre mulher mas sim o marido de Anne que é um verdadeiro filho da puta.

Uma raiva brotava dentro de mim queria meter um tiro no marido de Anne o mais rápido possível, como pode? O cara tem tudo dentro de casa mas prefere fazer pouco caso da própria esposa, se ele ao menos olhasse direito pra ela, se percebesse a jóia rara que o mesmo possuí dentro de casa.

O tempo passou e então me despedi da tal mulher, disse que teria umas coisas do serviço a fazer, a mesma entendeu e eu fui embora, eu precisava contar tudo isso para Anne, mostrar a ela quem realmente era seu marido, e te-la de uma só vez pra mim.

Chegando em casa, ouço toda a gravação novamente e fico com mais raiva ainda, prontamente mando uma mensagem para ela dizendo que queria falar ugertemente com a mesma, ela então me responde.

Anne: Assim que eu desocupar aqui, vou ai te encontar, também preciso de você.

Aquilo me fez ver que não era só eu que estava afim dela, que a mesma estava bem e feliz em meus braços e se for possível destruir aquele maldito do marido dela, eu destruo sem dó.

⊰᯽⊱┈──╌❊╌──┈⊰᯽⊱


Notas Finais


Espero que tenham gostado, me desculpem os erros e até o próximo capítulo. ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...