História O Despertar de Jin: Ressonância Geno-PX8 - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Aventura, Ficção, Luta, Magia, Mistério, Original, Revelaçoes, Romance, Shonen-ai, Shoujo-ai, Slash, Sobrenatural, Yaoi, Yuri
Visualizações 40
Palavras 3.025
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Ficção, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo-Ai, Slash, Sobrenatural, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


demorou, mas chegou~
desculpem o atraso (novamente jnsakjslkj)
espero que gostem :3

Capítulo 8 - Vamos começar a festa


… “Koutaro tira as mãos de seu rosto e passa a olhar para Jin.

- Jin?

- Vão nos ignorar, é isso mesmo? Fiz um convite tão educado! - Nagai continua a gritar, debochando dos dois.

- Koutaro, precisará confiar em mim. Okay?

O loiro assentiu para Jin.

- Eu já confiava."

-

- Então precisa me ouvir. Você fica aqui em cima, escondido. - Jin sussurra rapidamente, pois sabe que estão sem tempo. - Vou enrolá-los. Na primeira oportunidade que tiver, vá até Yume, solte-a, e saiam dali seja como for.

- Façam como quiserem! - Nagai continua gritando, mesmo sem obter resposta das pessoas presentes no teto da casa.

- Que!? O que vai fazer? Você não vai lá sozinho. - É perceptível o tom de preocupação e medo na voz de Koutaro, mesmo que sussurrando. - Fomos descobertos. Vamos embora, Jin, por favor. - Ele vira seu corpo para Jin, ainda deitado, e segura na camiseta cinza dele com sua mão direita, com força. - Eu vou tirar a gent- Koutaro se interrompe ao sentir a mão esquerda de Jin que segurou seu pulso de repente.

- Não. - Diz Jin enquanto balança a cabeça em negação. - Tem algo de estranho aqui, posso sentir.

- É perigoso.

- Escuta! Vou abrir caminho pra você. Quando estiverem longe de Yume, pegue-a. E fugimos nós tr- Jin para de falar com o susto do som forte de um tiro. O som alto do qual fez Koutaro e Jin reagirem da mesma forma, pondo as mãos em seus ouvidos.

- Você é cego ou o quê!? Já falei pra fazer desse jeito... Aqui, olha. - Era a voz de Katyusha.

- Trevor é um pouco ruim de mira, desculpem por isso! - Diz Nagai com uma risada.

- Você esperava o quê!? Não consigo vê-lo daqui. - Trevor retruca.

- O som é alto mesmo com o supressor, não acha, Nagai? - Trevor comenta.

- Estamos esperando vocês pararem de se esconder! Ou querem que a gente faça a festa aí em cima!? - Nagai fala em um tom de voz sarcástico.

Jin nega para Koutaro tanto com seu olhar quanto com sua cabeça, que ele balançava enquanto em silêncio, rejeitando novamente o pedido de Koutaro de ir embora. Mesmo que ambos não estivessem falando nada, ele sabia que essa teria sido a próxima ação do loiro.

Aos poucos, Jin tira as mãos de seus ouvidos, e se levanta. Koutaro permanece deitado. Jin aproveita para visualizar atentamente o local novamente. Enquanto que Nagai o encara em conjunto dos outros três. Pareciam estar sem reação.

Certo... Eu forço um movimento para lá, posso usar a cadeira, então Katyusha virá até mim por estar mais perto. O Nagai reagirá andando até...

Não posso arriscar isso. Aquele revólver muda muita coisa e não sei até onde eles iriam.

Jin suspira fundo, e então acena para Nagai e os outros meninos, como se fosse apenas um simples cumprimento em uma típica situação. - E aí, pessoal.

Os quatro ficam estáticos por um momento. Até que Nagai esboça um sorriso de lado, que logo se transforma em uma breve risada. É mulato, da mesma idade e altura que Jin, de cabelo “espetado” e preto, olhos castanho escuro.

- Tinha que ser você, não é? - Nagai, que estava do lado da ferida e atormentada Yume, se vira para ela e gesticula enquanto fala sarcasticamente. - Olha só quem chegou, docinho. Justo de quem estávamos falando. - Ele se inclina e põe a faca que tem em sua mão direita na bochecha esquerda de Yume, e a pressiona levemente, sem cortá-la. - Você falou alguma coisa pra ele, não foi? Pode contar, não tem problema! - E ele passa a pressionar mais a faca, enquanto ela tenta afastar seu rosto estando sentada na cadeira. Com os olhos marejados, o rosto de Yume expressava terror e aflição.

- Ela não falou comigo, Nagai, não se preocupe com isso. - Jin interrompe, e Nagai ergue seu corpo, afastando a faca do rosto de Yume. - Se o motivo dela estar aqui, sou eu, então vamos acabar com isso.

A energia dele está realmente pesada, parece que mais do que eu normalmente sinto quando estou perto dele.

- Sim, é você! - Ele sorri de má intenção. - Quando você e seu amigo descerem, poderemos resolver o que quiser resolver.

- Estou sozinho, mas vou descer. - Jin fala enquanto começa a se mover, mas Nagai o manda parar, então ele para.

- Trevor.

- Sim?

- Entregue a arma para Katyusha. - Katyusha então foi até Trevor e pegou a arma. - Se o seu amiguinho não aparecer, ele atirará em você. - Então Katyusha aponta a arma para Jin, que não reagiu de maneira alguma, continuou tranquilo.

Não saia daí, Koutaro, não saia.

O loiro se levanta em silêncio, mostrando sua face a todos.

Merda.

- Agora sim podemos voltar com a festa. - Nagai falava como um adolescente infantil qualquer. - Vocês dois vão descer, mas não juntos, porque não quero nenhuma gracinha. O esquisito desce por aquela ponta ali. - Nagai aponta para a beirada à esquerda de Jin. - E o amigo do esquisitão desce por aquela ponta ali, ou atiraremos em um de vocês. - Nagai aponta para a beirada à direita de Koutaro.

Koutaro olha para Jin com receio. E então os dois descem, se segurando do jeito que podem nas paredes da casa e no muro que cerca a varanda (não que Koutaro tivesse tido dificuldade em descer, já que apenas saltou para cima do muro, e depois saltou para o chão). Jin acaba por ficar em um lado da varanda, Koutaro no lado oposto, e Yume no centro, ainda amordaçada e com os pulsos e tornozelos presos à fitas adesivas. Katyusha se aproximou de Jin, ficando a dois metros de distância aproximadamente, e com a arma na mão. Nagai continuou perto de Yume e os dois restantes cercaram Koutaro e o seguraram pelos braços com força. O silêncio se manteve por uns 2 minutos.

Agora estando mais perto dele, eu acho que me enganei. Essa energia negativa... Essa sensação não é a mesma de quando ele me maltratava. É diferente, é uma sensação mais como alguém... cruel, verdadeiramente cruel.

- Então, leite ninho, o que faz aqui? Aliás, como nos achou? - Nagai trocou a mão da faca, passando-a da mão direita para a esquerda, e também começa a dialogar com Jin enquanto acaricia o cabelo de Yume, que virou o rosto da maneira que pôde.

- Bem... - Ele olha para cima brevemente enquanto pensa no que responder. - … Eu não sei.

- Não sabe?

- Foi fácil te achar, você mora perto da escola, todo esse barulho chamati-

- A casa não é minha, está mentindo. - Ele faz um corte rápido e leve na bochecha esquerda de Yume.

Não importa o que eu fale, ele não vai aceitar sendo verdade ou não. É o jeito dele. Desinteressante, como sempre.

Jin suspira fundo.

- O que foi? Nervoso? Preocupado?

- Hm... Na verdade, não.

- Por que não?

- Por que necessariamente deveria existir um por quê?

- E se eu machucá-la? E se eu machucar seu amiguinho? Não vai fazer nada? Não vai reagir?

Jin olha ao redor enquanto mexe a cabeça para um lado e para o outro, como se estivesse alongando o pescoço.

- Não sei. Acredito que seja algo normal você fazer isso com as pessoas que não dão a mínima para você... - Ele coça o rosto um pouco distraído, aleatoriamente reparando no chão de piso quadriculado. - Então o certo deveria ser eu aceitar essa sua espécie de autodefesa. Mas provavelmente eu também deveria fazer algo a respeito pois se trata de pessoas que eu conh-

- Calado. - Nagai interrompe com uma expressão séria.

Certo. Calado. Esqueci por um momento que é melhor eu dizer o que ele quer ouvir. Porém... Se eu quiser tirar ela dali, é só com algum tipo de distração.

Nagai encara Jin por alguns segundos, e dá alguns passos a frente na direção dele. Ainda perto de Yume. Ele inspira fundo, e depois expira em conjunto de um sorriso.

- Tive uma ideia! Que tal todos nós jogarmos juntos?

- Jogar?

- É o seguinte: farei algumas perguntas. Se você errar, o docinho aqui leva um tiro. Se você demorar para dar a resposta, o de olhos bugados leva um tiro. E se você acertar... Eu levo um tiro.

Koutaro, Yume e os amigos de Nagai ficam desconcertados olhando a atitude doentia dele. Jin não reage, apenas aceita o que ele disse como um fato que precisa impedir se quiser descobrir o que está acontecendo. Ele acredita que entender o que levou ele até aqui tem relação com tudo o que passou nos últimos dias (de alguma forma). Uma sensação anormal e opressora dessas não passaria dentro dele do nada. Ou passaria?

- Eu não vou atirar em você! - Katyusha reage surpreso com Nagai.

- Me dê a arma.

- O que?

- Eu mesmo faço. - Nagai se aproxima de Katyusha e estende a mão direita.

- Eu acho que já estamos indo longe demais, não é melhor pararmos enquanto ainda... - Katyusha sussurra para Nagai. Ele se sentia preocupado e relutante em entregar a arma (até mesmo um idiota pode identificar uma situação saindo de seu controle). Porém, ele para de falar ao ter o olhar sério de Nagai tão próximo dele, pois o fez ficar com medo.

- Já disse pra m... Argh. - Nagai põe uma das mãos na cabeça e aparenta tontura. Mas acaba por se recompor e repetir o que havia dito, e Katyusha acabou entregando. Que depois disso voltou a vigiar Jin. Nagai voltou para perto de Yume.

- O que achou do jogo? Legal, né? - Ele encara Jin até que ele responda. Porém Jin se mantém quieto. - Não vai dizer nada?

Koutaro, inquieto, começou a ficar assustado e nervoso, e tentou se soltar dos outros dois. Porém tudo o que conseguiu foi levar alguns socos no rosto.

- Vamos lá, diga alguma coisa!

- É um jogo diferente e cruel, eu acho. Mas deve ser divertido, se você diz. - Jin responde com um tom de voz brando e um olhar inexpressivo. - Quando Jin termina sua fala, Nagai o encara por alguns segundos. Até que ele fica tonto novamente, seguido de um baixo gemido de dor, enquanto passava uma de suas mãos pelo rosto.

É isso, essa será minha chance. Nagai não tá bem e parece que falta quase nada pro Katyusha começar a se tremer.

Nagai se recompõe, e aparenta estar mais aborrecido pela indiferença de Jin.

- Você nunca muda, não é? É isso que eu não posso aguentar em você. - Nagai fala apontando a faca para Jin, em sua mão esquerda. - Você é sempre assim, sério e esquisito, não percebe!? Todos esses anos... SEMPRE foi assim. Você não tem ideia de como eu odeio esse seu ar arrogante, como se fosse superior o suficiente para não precisar falar com ninguém. - Ele abaixa a mão da faca e passa a apontar a arma com sua mão direita. - Nem quando eu te espancava, nem assim parecia que se importava. - Ele dá três passos rápidos na direção de Jin, se afastando pouquíssimo de Yume, ainda apontando a arma. - POR QUÊ!?

Jin ficou em silêncio por alguns segundos, como se estivesse pensando no que ele deveria dizer, pensando no que Nagai gostaria de ouvir.

O que ele quer? Não parece ele, na verdade.

- O que quer que eu fale?

- Katyusha. - Nagai chama por seu amigo e em seguida olha para Jin. Katyusha entendeu o sinal e deu um soco no estômago de Jin, que reage apenas inclinando o corpo para frente e pondo as mãos na região da barriga.

Okay, era melhor que eu não reagisse a isso, foi o certo deixá-lo me bater.

- E então? O que acha que eu quero que você responda?

- Por que eu não me importo? - Jin fala olhando para o piso quadriculado, observando a linearidade e molde em que foi feito, na medida de que acaba por pensar que aquilo é sempre da mesma maneira, do mesmo jeito, sem razão agradável o suficiente para ele. Na opinião dele, é desinteressante. Ele inspira fundo, e expira lentamente, então ajeita sua postura e olha nos olhos de Nagai. - Eu não me importo com as coisas que você já fez comigo porque acredito que você não vale o meu tempo, nem o de ninguém. Não tenho paciência e nem quero me esforçar para lidar com você porque é irrelevante, você não irá mudar.

Nagai o encara em silêncio por alguns segundos, e então sorri. Ele diz:

- Trevor, vá por uma música. Vamos começar a festa. - Então Trevor se afasta de Koutaro, indo mexer no aparelho de som, e depois volta para onde estava. Novamente começou a tocar música eletrônica, um dubstep.

- Então... - Nagai para de falar ao escutar o desespero de Yume, que começou uma tentativa de gritar, mesmo que não pudesse falar. Ela se revira pouco na cadeira enquanto visualiza Jin de olhos marejados. Ela o olhava de uma maneira que estivesse tentando dizer que ele deveria fugir.

- Cala a boca! - Diz Nagai se aproximando de Yume e dando-lhe um forte tapa em seu rosto. Yume começou a descarregar suas lágrimas enquanto olhava para baixo. Koutaro têm seus olhos também se enchendo de lágrimas, pois dói dentro de si ver Yume sofrer tanto sem que possa fazer nada.

- Então, vamos começar o jogo! - Diz Nagai empolgado.

Nagai realiza a primeira pergunta, uma pergunta confusa porém possuía um teor de raciocínio lógico. Jin acerta.

- Certo, certo, certo. São as regras, são as regras. - Diz Nagai sorrindo. - Você acertou então é minha vez. - Nagai estava tranquilo, não se importava. Quando ele ameaça atirar, apontando de maneira torta para sua panturrilha direita. Ele retrai seu corpo seguido de um grito de dor, pondo as mãos na cabeça mesmo segurando a arma e a faca. Ele gira aleatoriamente no mesmo eixo enquanto grita.

- Saia... da minha... cabeça... Argh. - Ele se contorcia enquanto em pé. Trevor foi correndo ajudar Nagai estando bastante preocupado com ele. Enquanto o outro ainda vigiava Koutaro. Katyusha ficou estático sem saber o que fazer.

Jin aproveita que a atenção de todos estava voltada para Nagai. Ele puxa a camisa de Katyusha com a mão esquerda e dá dois socos de direita no rosto dele. Katyusha cambaleia e reage tentando socá-lo de volta, Jin defende e torce o braço do soco. Quando Trevor percebe o confronto na sua frente, ele entra na luta dos dois na tentativa de ajudar Katyusha. Jin tenta apenas desviar dos dois ao mesmo tempo, e seus reflexos estavam bons o suficiente para conseguir reagir com um pouco de facilidade.

Nagai gritava sem parar como se estivesse lutando contra si mesmo, andando desorientado com as mãos na cabeça, e nesse processo, ele deixou a faca cair no chão, e dois tiros foram acidentalmente disparados ao alto. Ele se ajoelha, estando de frente a visão do confronto, e permanece ali em uma demonstração de agonia.

Yume vê a faca cair no chão e se joga da cadeira, se arrastando do jeito que consegue, mesmo amarrada e amordaçada. Seu objetivo era tentar cortar as fitas adesivas para se soltar. Koutaro enxerga uma chance de buscar a garota, e empurra o outro que estava distraído. O garoto reage tentando atacá-lo mas o loiro desvia e começa a correr até ela. O garoto se joga em cima de Koutaro, o pegando pelas pernas e derrubando os dois.

- Me solta! - Koutaro grita tentando chutar o rosto dele na tentativa de se soltar. Até que ele olha em volta a situação, e percebe que não tem escolha. Ele se translada dali com o garoto, e imediatamente volta sem ele. E agora ele tem espaço para se levantar e correr até Yume.

Nagai que estava de costas pra direção de Koutaro, apenas vira o braço da arma na direção dele como se soubesse exatamente onde ele estaria. Ele acompanhava a sua corrida, mesmo que não estivesse olhando para lá.

- KOUTARO! - Jin vê a cena e avisa Koutaro, que translada para o teto para desviar do tiro. Com tal perda de foco, Katyusha e Trevor tentam acertar Jin juntos em lados diferentes, no entanto ele desvia dos dois ataques em um único movimento e derruba Trevor, que fica inconsciente ao bater a cabeça no chão. Katyusha se afasta assustado, parece estar desistindo.

- Chega, chega! Isso já foi longe demais... - Diz Katyusha arfando e gesticulando com as mãos como um sinal de “pare”.

Meu corpo... Meus reflexos estão... Me sinto tão...

- Tão bem... - Jin tão pouco piscava.

- KOUTARO, HORA DE IR!

O loiro translada de volta para a varanda, e pega a faca da mão de Yume que já estava tentando se soltar, e a ajuda. Quando Jin se move para ir até Yume, Nagai se levanta, aparentando ter voltado ao controle de si. Jin muda o percurso indo até Nagai rapidamente para o impedir.

Ele dispara mais um tiro na direção dele. Durante o deslocamento da bala, era como se tudo estivesse em uma velocidade insignificante para seu nível de percepção. Jin podia desviar de mais um ataque. Enquanto corria, ele gira do seus ombros à sua cabeça, de maneira que a bala passasse no espaço ao lado direito de seu corpo.

Jin chega em Nagai e segura o pulso da mão da arma com suas duas mãos, e tenta tirar da mão dele. Nagai dá um soco em seu rosto com sua outra mão e o revólver cai no chão. Imediatamente Jin o empurra para conseguir por as mãos na arma. Ele a pega primeiro e aponta para Nagai, que imediatamente para de se mover.

- O jogo acabou: você perdeu.


Notas Finais


não vou falar "envio até dia tal" porque provavelmente eu vou atrasar jnaklajklsjnsad
mas sabem como é, vou tentar enviar o quanto antes, lindjos e lindjas <3
e aí, gostaram? o que estão achando?
sintam-se livres para comentar x)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...