História O Diário - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 3
Palavras 1.127
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 10 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Romance e Novela

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 6 - Capítulo 6 Pagamento de dívida


O trabalho de Pedro, que era um tanto quanto mistério a todos, estaria prestes a ser revelado.

Um dia, Marieta estava passando pelo escritório do marido e percebeu que ele falava ao telefone e que estava nervoso, ele falava uma algo sobre um pagamento de dívida. O que Marieta ouviu era assim: “ Como não tem outra forma de pagar?” E depois: “ Eu não vou fazer isso, jamais”. Logo que percebeu que poderia se tratar de algo perigoso, Marieta bateu na porta e entrou. Na mesma hora ele disligou e telefone e parecia assustado, ele disse:

— O que faz aqui?

Ela respondeu, surpresa com a atitude do marido:

— Como assim o que faço aqui? Eu estava passando ouvi você falando no telefone, você parecia nervoso, vim ver se estava tudo bem.

Meio chateado ele falou:

— Desculpa querida, é por causa do trabalho, está me deixando maluco.

— Mas e sobre aquilo que você estava falando sobre não ter outra forma de pagamento, de você não fazer alguma coisa. Não entendi. — ela perguntou curiosa.

Nessa hora ele começou a suar e a engolir seco. Então disse:

— Como já disse querida, é coisa do trabalho, compradores que só aceitam uma forma de pagamento, essas coisas, e não vou pagar de jeito que eles querem.

Então a esposa, não convencida da versão da história, saiu do escritório sem falar nada e voltou a fazer o que ia fazer.

Os tempos se passaram até que um dia, Pedro pediu para que Marieta preparar um boa comida para um jantar, que seria muito especial, e pediu para convidar todos os filhos.

A noite todos chegaram. Gabriela, Carmen com o namorado Fernando, Lúcio, com a atual esposa Marisa e as filhas Raquel e Talia, esta filha de Marisa, Antonieta, com o namorado Diego.

Enfim começaram a comer, porém todos estavam meio curiosos para saber qual é o motivo do qual Pedro, pediu para fazer o jantar. E então chegou a hora, todos já tinham comido a sobremesa, ele começou:

— Bom, sei que todos estão curiosos para saber porque eu quis esse jantar, e bom, essa notícia é muito interessante para a nossa querida, Gabriela…

Nesse momento todos olharam para a Gabriela. Ela estava com uma expressão séria. Então ela perguntou:

— Que notícia é essa?

Então o pai da menina continuou:

— Minha filha, você já tem 36 anos e ainda não se casou. Por isso quero que você conheça Leopoldo.

Nesse instante, um homem de aparência estranha entrou na sala, se aproximando de Pedro, que disse a filha:

— Esse é seu pretendente, minha filha.

— Como assim meu pretendente, pai? Já disse que ainda não estou preparada para me casar. — disse ela falando alto.

Dona Marieta leventou-se e foi falar com o marido em particular. E disse:

— Que história é essa de pretendente? Você nem muito consultou.

— Já está tudo resolvido nossa filha irá se casar com ele. Já até comprei uma casa para os dois. — disse ele, e se retirou voltando a sala.

Lá, o tal Leopoldo, colocou um anel no dedo de Gabriela. Mas ela não estava feliz. Ela passou a noite no quarto chorando e ninguém conseguiu falar com ela. Durante dias ela não falou com o pai.

Dias e dias se passaram, até que enfim chegou o momento do casamento. Foi uma cerimônia simples e rápida. Gabriela passou o dia inteiro de cara fechada, não queria falar com o pai e não ouve beijo na boca entre os noivos. A família do noivo era estranha e Pedro sempre cochichava com uns caras estranhos da família do Leopoldo.

À noite, quando a festa acabou, Gabriela e Leopoldo foram para a casa que o pai da moça comprou para eles, mas antes dona Marieta teve uma conversa coma filha em particular. E disse:

— Filha, eu sei que você não está feliz com isso, eu também não estou. Mas te digo uma coisa, tome cuidado com esse homem, ele pode te fazer algo de ruim. E aliás, hoje acordei como uma sensação ruim, não sei explicar.

A filha então disse, chorando:

— Mãe, eu quero que saiba que sou forte e que se algo acontecer comigo cuide de mim, por favor. Sempre vou te amar, mãe.

As estavam chorando e se abraçaram por um bom tempo.

No dia seguinte, ocorreu a primeira briga entre o casal, mas não foi nada leve. Tudo começou porque, na noite passada, Grabriela não quis ter relação com Leopoldo, por livre o espontânea vontade, então o homem foi logo dizendo:

— Eu sou seu marido, seu dono agora, é sua obrigação satisfazer as minhas vontades.

— Eu não sou nada sua, nem objeto. Porque da forma com que você está falando comigo, parece que sou um objeto, uma coisa. — retrucou ela.

Ele foi tentar bater nela, mas ela foi para trás, chegando bem perto da escada da casa. Ele foi dizendo de forma grossa:

— Você acha que pode fazer alguma coisa? Mas não pode, o homem é que manda e a mulher, obedece.

Ele disse, no mesmo tom de voz:

— Seu machista, canalha, eu te odeio.

Na mesma hora ele empurrou ela e ela desceu escada a baixo. Assim que caiu no chão, uma empregada que estava lá ligou para o hospital e depois para a mãe, que veio correndo. A jovem estava inconsciente quando foi resgatada e o homem, havia desaparecido.

Dona Marieta exigiu que a filha fosse tratada no melhor hospital de São Paulo. A jovem ficou internada lá por duas semanas e quando saiu o médico disse a mãe:

— Ela está grávida.

— Meu Deus, mas o bebê está bem? — disse a mãe em choque.

— Sim, ele está bem. Fique tranquila. — disse o médico, tentando acalmar Marieta.

Então o médico deu uma péssima notícia à mãe.

— Porém, como ela bateu a cabeça, uma parte da coluna foi afetada. E por isso,ela ficará paralisada, mas ela vai passar por esse processo de forma lenta.

A mãe caiu em prantos com a notícia é o médico foi dize-la:

— Cuide de sua filha, aproveite ao máximo ela. — após dizer isso ele deu um abraço nela.

Lúcio pegou a mãe, deu um abraço nela e levou-a para a casa. Quando chegou ele disse a ela:

— Fique calma mamãe, eu vou trazer a Gabriela para cá e vou contratar uma ajudante. E você vai poder ficar babando em cima dela.

A mãe deu uma risada que deixou o filho feliz. E foi mais um dia em que Dona Marieta, apesar de um pouco mais velha, escreveu em seu diário, escreveu tudo o que aconteceu e também escreveu uma coisa que ninguém sabia.

Cinco meses depois, Dr. Pedro veio a falecer. E a cada dia que se passava, Gabriela ia ficando cada fez mais paralisada. E assim se inicia uma nova fase na vida daquela família.


Notas Finais


Mais alguém quer matar esse Leopoldo?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...