História O Diário Hentai de Duas Garotas - Capítulo 9


Escrita por: ~ e ~Yukawaiishy

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Agatha, Alexy, Armin, Castiel, Dakota, Jade, Kentin, Kim, Lysandre, Nathaniel, Personagens Originais, Rosalya
Tags Amor Doce, Armin, Aventura, Castiel, Comedia, Drama, Escolar, Hentai, Kentin, Lysandre, Nathaniel, Sexo, Suspense, Yaoi, Yuri
Visualizações 63
Palavras 938
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Famí­lia, Festa, Harem, Hentai, Mistério, Orange, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa leitura pessoas!

Capítulo 9 - Maldito seja toda essa porra


Fanfic / Fanfiction O Diário Hentai de Duas Garotas - Capítulo 9 - Maldito seja toda essa porra

Toquei a campainha daquela casa várias vezes, meu sangue está fervendo! O que aquele cara pensa que é? Coitada da Herry, eu deveria estar lá por ela, mas sai daquela casa correndo, eu só pensei naqueles deuses gregos da escola estes dias, falando nisso, nunca mais quero voltar na escola, estou simplesmente de saco cheio e hoje quase ninguém foi, só dá eu de idiota lá. 

MAS MINHA TIA ME OBRIGA A IR!

Atenderam! Sorria para a sua sogra, certo?

—Aonde está a Herry? Posso falar com ela? —Perguntei meio ansiosa. 

—Não é uma boa hora. —Disse a mãe dela, ela tem olheiras grandes e seu rosto está vermelho, ela chorou?

—E-Está tudo bem? —Tentei olhar o movimento lá dentro, mas eu só ouvia gritos. —Por favor, eu preciso falar com ela! 

—Não posso te deixar entrar, volte outro dia. —Então ela fechou a porta na minha cara.

VAI SE FUDER! AAAH!

Comecei a voltar para casa e avistei o Armin do outro lado da rua, vou falar com ele...Talvez ele consiga resolver este problema.

—Armin a ruiva tá com problemas, vá falar com ela. —Merda eu travei, tentei sorrir para o garoto que me olhava confusa e respirei fundo.

—Eu estava indo comprar jogos...

—Só vá até ela, eu sei que vocês são amigos! —Falei pouco antes de sair correndo, corri até o parque.

Fiquei sentada no bando debaixo da árvore e observei o céu escuro, suspirei meio cansada e sorri, acho que vou deixar ela nas mãos dele daqui para frente, afinal até poderia dar certo. Eu tenho a leve impressão que a mãe dela não gosta de haha, Jesus. Então eu levantei e comecei a ir embora, está muito tarde, muito muito. Andei distraída até a saída do parque e foi quando avistei oi Castiel com o Lysandre, aí que frio na barriga MEU DEUS, eu finjo que não vi eles? Será meu Deus? Comecei a andar de cabeça baixa mexendo na minha blusa, fingindo limpar alguma coisa nela, mas senti uma mão puxar meu braço, ah que merda.

—Não pense que vai sair correndo. —Disse Castiel ainda me segurando.

—Eu pretendia...—Sorri me sentindo derrotada e cruzei os braços. —O que vocês estão fazendo aqui?

—Estamos apenas apreciando a noite. —Respondeu Lysandre. —E a senhorita?

—Resolvendo uns problemas, não posso falar já que não é um segredo meu.

—Certo, tábua, precisamos conversar. —Castiel finalmente soltou meu braço.

—Tábua?! -Foi a única coisa que eu consegui ouvir.

—Seja mais educado, Castiel. —Pediu Lysandre.

—Sim, você é reta. —Falou com um sorriso cinico.

—Querido você que não está prestando atenção nas coisas! Não sou peituda mesmo não, mas reta, garoto...—Eu ri e levantei minha blusa exibindo meu sutiã verde e branco preenchido por meus seios, que sinceramente estavam puxados já que é um pro Oeste e outro pro Leste. —A blusa que não mostra nada demais e sinceramente, eu tenho mais bunda que vocês dois duplicados e juntos se for reclamar também. —Então eu mandei um beijo para os meninos corados e sai andando.

Eu não olhei para trás por mais que quisesse, eu estou morta de vergonha, mas o gosto da vitória é a única coisa que não me faz desmaiar aqui e agora, quando eles não poderiam mais me ver eu desandei a rir, entrei em uma loja qualquer e comprei um picolé de uva com casca de chocolate, sai chupando ele até chegar no palito, parece que eu não ganhei nada como dizia na embalagem, de qualquer jeito eu sou azarada, senti meu celular vibrar no meu bolso e o peguei...Mensagem do tomate? Eu dei meu número para ele?

Horas sua maluca, depois daquilo deveria ter me deixado pelo menos pegar neles.” -Castiel

Ahahahaha, antes ou depois de você ficar coradinho? Meu filho se você quer alguma coisa que venha até mim.” -Eu

E então a bateria acabou, suspirei e joguei o celular no bolso da calça, finalmente cheguei em casa e tava a maior comoção com todo mundo chorando, eu nem fiz nada, já que sou terrível em consolar as pessoas. Tomei um banho e fui dormir, afinal estou cansada. 

Acordei cedo, ave tem escola amanhã...Vamos logo então. Coloquei um moletom e um jeans como sempre, arrumei os cabelos e fui, tentei entrar quase na hora da aula, pois não queria ficar encarando os garotos, eu ainda vou me arrepender de um monte de coisas, mas eu não consegui fazer isso, então me escondi no porão até dar a hora e fiquei jogando no celular, sempre que eu perco o jogo eu tenho vontade de jogar o celular na parede, eu que estava atrás das caixas comecei a sentir cheiro de cigarro e espiei os arredores, droga o tomate está aqui! E agora?! Ele vai cabular com certeza, este delinquente! Respira vamos RESPIRA, PORRA QUE CARALHAS! Esse garoto precisa mesmo melhorar seus abitos kkkkk, para com isso, Sakura, para de ser má!

—Ei, seu idiota! Vá fumar em outro lugar, me poupe de ver você acabando com sua vida. —Gritei e voltei a me esconder.

—Sakura? —Ele olhou em volta procurando da onde vinha minha voz. Até que ele fez uma Poker face” e me achou, eu apenas sorri e acenei. —Está preocupada comigo agora?

—C-Como..? Não! Claro que não! —Desviei o olhar e sai do meu cantinho, depois peguei o cigarro da mão dele. —Seja mais responsável. 

—Eu tenho outro aqui...—Ele deu de ombros e pegou a caixa de cigarro.

—Idiota, desisto. —Deixei minha cabeça cair.

—Calma aí, temos assuntos inacabados. —Ele avançou em minha direção e eu recuei até bater na parede. —Quer levantar a blusa de novo?


Notas Finais


Comenta aí gente, pfvr, eu adoro comentários e eles me deixam mais feliz ao escrever!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...