História O imperdível amanhã - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Sou Luna, The Originals, The Vampire Diaries
Personagens Alaric Saltzman, Andie Star, Bill Forbes, Bonnie Bennett, Camille O'Connell, Carol Lockwood, Caroline Forbes, Damon Salvatore, Elena Gilbert, Elijah Mikaelson, Elizabeth "Liz" Forbes, Enzo, Esther Mikaelson, Finn Mikaelson, Freya Mikaelson, Hayley Marshall, Hope Mikaelson, Isobel Flemming, Jackson Kenner, Jenna Sommers, Jeremy Gilbert, John Gilbert II, Joshua "Josh" Rosza, Kaleb Westphall, Katherine Pierce, Kelly Donovan, Kieran O'Connell, Klaus Mikaelson, Kol Mikaelson, Lexi Branson, Marcellus "Marcel" Gerard, Mason Lockwood, Matt Donovan, Meredith Fell, Mikael Mikaelson, Personagens Originais, Rebekah Mikaelson, Sean O'Connell, Stefan Salvatore, Tyler Lockwood, Vicki Donovan
Tags Sou Luna, The Originals, The Vampire Diaries
Visualizações 20
Palavras 834
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 2 - Segredos


Faz um ano que minha mãe foi diagnosticada com leucemia. Desde então, nossa vida mudou drasticamente. Todos foram pegos de surpresa, inclusive ela mesma.

Depois da minha mãe, meu pai foi o que mais sofreu. Ver a esposa definhando dia após dia e não pode fazer nada para evitar não é fácil.

O câncer se espalhou rápido demais. Os médicos falaram que ela não teria chances de viver, que em menos de um ano iria falecer.

Mas mamãe superou todas as espectativas e continua forte ou, pelo menos, tentando ser.

Hoje é seu aniversário e iremos fazer de tudo para que seja o mais agradável possível. É horrível vê-la assim, destruída por dentro.

- Pegue o bolo, Kelly. Por favor-pediu papai, despertando-me de meus pensamentos.

- Claro.

Segui para a geladeira e peguei o enorme bolo de brigadeiro, o preferido de mamãe.

Justin logo se juntou a nós, ajundando nos últimos detalhes.

Não sei como faremos para convencê-la a sair do quarto, já que não tem força, e nem vontade, para realizar tal ato.

Me parte o coração olhá-la ir ao meu médico todos os dias para realizar o tratamento e voltar ainda pior.

- Acho que já está na hora de chamá-la- falei.

- Eu vou falar com ela- afirmou Justin e subiu as escadas. Espero que consiga. Afinal, meu irmão sempre teve um incrível poder de persuasão.

Meia hora depois, voltou com nossa mãe, completamente acabada. Estava mais magra que na semana passada e mais pálida que hoje de manhã.

O vestido que trajava parecia vento sobre seu corpo desnutrido, os cabelos castanhos, como os de Justin, outrora cheios e sedosos, agora não esbanjavam aquele espírito confiante e cheio de vida que era Taylor Foster.

E os olhos. Os olhos eram a pior parte. Antigamente, brilhavam como duas pedras azuis. Agora só refletem o sofrimento e angústia dessa pobre mulher tão boa.

Mesmo tentando ser delicado, Justin apertava o braço de mamãe com força demais, pelo menos para ela estava assim. Se estivesse em condições normais, não sentiria nada.

Podia ver na face dela, que se contorcia de dor algumas vezes.

- Amor- começou meu pai- Feliz aniversário.

Peter a agarrou delicadamente e deu-lhe um beijo em sua testa. Acendi as velinhas e cantamos o parabéns.

Mamãe parecia começar a se animar e isso aliviou a todos nós. O que menos queríamos era que ela se aborrecesse.

Mas tudo mudou quando Taylor tociu desesperada, como se não conseguisse respirar, soltando sangue escarlate pela boca.

- O remédio, Kelly!- exigiu meu pai, acudindo a esposa e limapando o sangue que escorria com a manga da camisa social.

Arquejei descontroladamente, correndo até o armário de remédios e procurando o certo. Fiz uma bagunça, porém não me importei.

A vida da minha mãe é muito mais importante que mantê-los em organizados.

Voltei apressadamente para a sala, onde mamãe se debatia no colo de papai. Meu irmão estava tão assustado quanto eu. Entreguei o remédio a Peter.

- É o último- avisei.

Ele assentiu. Eu e Justin demos as mãos. Papai deu a pílula a mamãe e ela se acalmou.

- Vou comprar mais na farmácia- anunciou o matriarca dos Foster.

- Irei com o senhor, papai- disse Justin

Após deixar Taylor no quarto, os dois saíram pelas ruas iluminadas de New Orleans.

Subi para o quarto de meus pais, visando fazer companhia a minha mãe. Ela estava deitada na cama, com uma toalha sobre a testa.

- Desculpe ter estragado a festa- lamentou, com os olhos marejados.

- Não foi sua culpa, mamãe- tranquilizei.

Sentei na beirada da cama e segurei sua mão com convicção, como se pudesse protegê-la de todo mal que existe.

Ela virou minha mão, de forma que a palma ficasse para cima, e fitou a marca de nascença em meu pulso.

- Sempre adorei essa marca, sabia?- perguntou, sorrindo levemente.

- E por quê?

- Além de ser uma lua?- ela riu um pouco e com esforço-  Te torna única, Kelly. Não esqueça disso.

- Não vou esquecer.

Ficamos em um silêncio confortável, apenas encarando uma a outra.

- Me perdoe por ter aceitado seu namoro com Anthony- desculpou-se. Abri a boca, mas nada saiu- Sei que ele lhe fez muito mal.

E como. Afastei as terríveis lembranças daquele namoro da minha cabeça.

-  Isso aconteceu a dois anos, mãe- lembrei- Eu tinha quinze anos e era imatura. Não sabíamos quem Anthony Sanders era de verdade- retruquei, sem querem prolongar o assunto- Não vale a pena voltar com esse assunto.

Ela respeitou minha vontade. Sabia que falar sobre aquilo me deixava inquieta.

- Tenho uma coisa para contar- adimitu, mudando drasticamente de categoria.

- E o que se trata?

- Filha, eu e seu pai...

Mamãe não conseguiu terminar, pois papai adentrara no quarto, percebendo que atrapalhara uma conversa.

- Algo errado?- ele quis saber.

- Não, querido- mentiu ela- Está tudo ótimo.

Acabou que mamãe não contara o queria e nem tocou no assunto pelo resto da noite.

Pelo jeito que  ficara, deve ser alguma coisa realmente importante.

Mas o que será?

Provavelmente não saberei tão cedo, já que papai não pode saber, levando em conta o fato de mamãe ter parado de falar quando ele entrou no recinto.

O que quer que seja, vou descobrir do que se trata. Só espero não me arrepender.








 




Notas Finais


O que será que Taylor queria falar para Kelly?
Hahahaha
A história vai se desenrolar melhor nos próximos capítulos, com muitas surpresas. Logo iremos ver nossos personagens.
Beijos!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...