História O Menino e o Sapo - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Aventura, Fantasia, Fluffy, Jikook, Jimin, Jimin!bottom, Jungkook, Jungkook!top, Kookmin, Lemon, Magia, Mandynhaw, Namjin, Shortfic, Universo Alternativo, Vkook, Yoonseok
Visualizações 129
Palavras 2.668
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Fantasia, Fluffy, Lemon, Magia, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


eae kkkjjjj
sim,brasil,eu to viva ainda e essa fanfic também q
eu não atualizava a 84 anos
desculpa aaa
já deixo vocês me baterem

eu tava bem desanimada pra atualizar,não só essa,mas todas as minhas fanfics
mas,decidi voltar a atualizar,por puro capricho mesmo
eu gosto das minhas histórias,isso basta rs
agora vou voltar a rotina e atualizar ao menos uma vez por semana,tirando a semana de provas,claro q

ainda mudei a capa,olhe só
dêem muito amor pro pessoal do capas club,viu? sz
elas fizeram um trabalho maravilhoso e eu amei minha capa jão
dá até vontade de guardar e proteger do mundo

enfim,esse capítulo é a explicação lógica da história
e vai ajudar muito na compreensão de vocês pros capítulos mais a frente q
se liguem aí

enfim²,
não vou enrolar
boa ou má leitura pra vocês sz

Capítulo 2 - O tal do sapo bonitão



As vezes,ou quase sempre,eu costumo dormir feito pedra. Então,dificilmente eu tenho sonhos,daqueles que me fazem ficar empolgado. Isso acontece porque na maioria das vezes eu apenas durmo,por estar cansado demais,não tirando tempo pra organizar minha mente. Quando eu consigo sonhar,eu tento ao máximo aproveitar,seja dormindo até o final do sonho,ou tentando me lembrar de tudo que consigo quando acordo. 

Eu deveria estar,neste momento,tendo um sonho maravilhoso com atores coreanos famosos,na minha cama,vestidos de duendes de natal. Mas,meu sonho digno de filme acabou,quando alguém folgado – vulgo Nina – se sentou na minha cara,me sufocando com aquela bunda gorda. Quase morro? Imagina. 

— Aish,sai de cima,sua gorda! —murmurei. 

Por mais que meus esforços fossem grandes,ela só saiu de cima de mim quando eu me arrastei e me joguei no chão,pra me livrar daquele peso todo. Eu estava parecendo uma largatixa,estirado no chão. Quando olhei pra cama,a Nina me olhava,como se estivesse me julgando em silêncio. 

Eu mostrei a língua pra ela,sendo super maduro e me sentei na cama de novo,vendo a folgadona se deitar no meu travesseiro e começar a lamber sua pata,cem por cento nem aí. Eu estalei a língua,coçando a nuca. 

Quando fechei meus olhos brevemente,imagens se passaram na minha cabeça,como um slide lento,daqueles que eu faço na faculdade e sempre buga na metade e acaba trocando toda a ordem das imagens. Eu apoiei a mão no queixo,repassando tudo o que me lembrei e,sorri. Sim,eu tive um sonho muito louco.

 Quando olhei pra Nina,ela ainda estava fazendo uma limpeza na sua pata e,percebeu quando eu passei a encará-la,me olhando pelo canto do olho. 

 — Nina... Você nem sabe o que aconteceu! 

Sim,eu estava conversando com minha cachorra. Quando se mora só,você aprende a lidar com sua solidão momentânea,até trocando ideias com a parede da sua casa. Eu não era diferente dos outros,afinal. Sempre que tinha algo importante a dizer,mas não tinha os meus amigos por perto,sempre falava com Nina. Ela,a baronesa do vácuo,sempre saía no meio das minhas conversas paralelas,mostrando estar zero vírgula zero um por cento interessada nas minhas divagações. Doía muito,mas como dizia minha avó:

...

Eu não lembro do que ela dizia,mas ok. 

Voltando ao meu raciocínio rápido,eu não tinha pra quem falar,então ela ia ter que me aturar. 

— Eu tava tendo um sonho muito louco com atores coreanos,né. — comecei,especulando com as mãos também. — Aí,do nada o sonho mudou e eu fui parar em um piquinique com meus amigos. Até aí tudo bem,né. Só que a gente começou a brincar e eu fui desafiado a beijar um sapo. E,quando eu beijei,o sapo virou um garoto,estilo A Princesa e o Sapo mesmo,entende? E ele era um gato! Eu daria vários beijos nele,se precisasse. Uns beijos e até mesmo outras cois– 

— Até o cu,senhor Park? Tsc,que deselegante. 

Fui cortado de modo super educado,que me fez até engasgar com a própria saliva. Quando olhei pra porta do meu quarto,o senhor Min Yoongi estava me olhando com aquela cara de doente malicioso,que só ele tem. Eu franzi o celho,o olhando dos pés a cabeça. Era estranho a presença daquela ameba albina no meu quarto,já que eu havia acabado de acordar e,não me lembro de ter permitido a entrada de membros do terceiro estado das bichas em minha nobre e colorida residência. 

Aquilo agitou tanto meu cérebro,que me fez pensar em três hipóteses: 

Primeira: Ele estaria lá por ter arrombado minha porta. 

Segunda: Ele tirou uma cópia da minha chave sem eu saber. 

Terceira: Eu fumei maconha e estou alucinando até agora. 

De todas,eu acharia mais provável a terceira. Yoongi não era um cara que se daria o trabalho de vir na minha casa,só pra me perturbar. Até porque,só de pensar em andar pra cá,ele entra em estado crítico do famoso “chilique”,igual um velho rabugento. Então,o que diabos esse ser está fazendo aqui? 

 — Dá pra parar de me encarar? Eu sei que sou bonito,mas chega. — ele disse,cruzando os braços. 

Eu pisquei algumas vezes,imitando o movimento dele,com a cara mais paisagem que consegui fazer. 

 — Yoongi,meu amor... Pode me dizer o você faz aqui? 

Soltei,tombando a cabeça pro lado. Ele me olhou visivelmente confuso e eu arqueei as sobrancelhas,cobrando respostas. E,quando o bastardo ia falar alguma coisa,Hoseok brota atrás dele,correndo. É a reunião das viadas anônimas de Seoul? 

 — Amor,por que você... Jiminnie! — berrou,me fazendo tampar os ouvidos. — Aigoo,que bom que você acordou! Eu estava quase virando religioso,pra interceder pela sua alma. Seu idiota! Não faça mais isso,entendeu? 

Ele veio pra cima de mim e,me abraçou. Juro que pensei que a qualquer momento eu iria me fundir no corpo dele,de tanto que o menino me apertou. Eu apenas sorri,sem reação. Aquilo tudo dava estranho demais pra mim e meu raciocínio lento. 

 — Hoseok,se você pisar na igreja,você queima. — Yoongi murmurou,suspirando. 

Finalmente,o Jung me largou,fazendo uma cara de paisagem,apoiando os braços em torno da cintura. Quando olhou pra Yoongi,eu até cogitei de sair correndo,pra não ser cúmplice e testemunha de um assassinato. 

 — Min Yoongi... — começou. — Eu sou o ser humano mais puro que existe. Como pode ir contra isso? Huh? 

 — Você? Puro? Tá,e eu sou a Virgem Maria da Coréia. — ironizou,gesticulando com as mãos. 

 — Você? — riu. — E eu sou um anjo colorido.

Eu até iria prestar mais atenção naquela briga super santa e,se pudesse,pegava até uma pipoca. Mas,o que ponderou na minha mente,foi o fato de eu estar em casa com meus amigos,quando deveria estar na faculdade ou no trabalho. Não é como se eu não tivesse vida social,claro. Mas,nos dias de semana eu costumo me ocupar bastante e,quando saio da rotina,passa a ser estranho. 

Passei meus olhos pelo quarto,procurando algo pra tomar como referência de hora. O ruim é que eu não costumo ter relógio em casa,por preguiça de comprar. O último que tinha quebrou e,desde então,eu não comprava mais. 

Então,suspirei tedioso. Me levantei de modo lento,o que despertou a atenção do casal de pombinhos,que até então,estavam discutindo de forma incessante,pra ver quem era o mais puro da relação. Na minha opinião,até o Lúcifer era mais puro que esses dois. 

 — Que horas são? — Murmurei,tedioso. 

Yoongi puxou o celular do bolso e,desbloqueou a tela,me olhando em seguida.

— São sete e dois da noite. Por quê?

Eu em um movimento involuntário,virei minha cabeça rapidamente,quase torcendo meu pescoço. Não era possível! Eu deveria estar no trabalho neste momento,não? Como pude dormir tanto,a ponto de perder um dia inteiro de atividades? E o pior,como esses dois bastardos permitiram isso,estando aqui?

— Por que não me acordaram? — disse,soando mais frio que o esperado. — Já era pra eu estar voltando de casa. Puta merda,vocês só servem pra me atrapalhar! 

Cuspi as palavras,cravando minhas unhas no punho. Eu estava nervoso e,isso era evidente até pra Nina,que se encolheu na cama ao ouvir meu tom de voz. Yoongi riu,olhando para Hoseok em seguida. Eles,então,me olharam sorrindo maliciosos e eu fiz a maior cara de macho estressado que consegui. Não entendia o porque desses dois sádicos estarem rindo assim,da minha desgraça,na maior cara de pau. Ninguém me leva a sério,qualquer dia desses eu vou sumir!

Eu estava ferrado. Claro que,meus professores,chefe e até meu paquera da cafeteria que ia não iam se importar tanto,já que não era com eles. Mas,mano... Eu consigo até imaginar o tanto de tarefas e sermões eu irei levar. 

 — O que foi,caralho? Parem de me olhar assim!

Com os braços cruzados,eu fiquei de pé. Hoseok chegou novamente perto de mim,passando um de seus braços envolta do meu ombro,ainda sorrindo. 

— Alguém está de TPM e não sou eu.

— Porque não é com você. — Me desvencilhiei dos apertos do maior,fazendo uma careta desgostosa. 

— Jimin? — Yoongi chamou. — Que dia é hoje? 

— Segunda,ué. — respondi como se fosse óbvio. 

Os dois riram da minha cara e eu,o ingênuo,continuei sem entender,com para de pastel passado do ponto. Yoongi girou os calcanhares e fez um sinal com as mãos,indicando para que eu o seguisse. Eu hesitei,olhando de solaio para ele. Nunca se sabe quando a naja – vulgo Min Yoongi – vai surtar e tentar afogar você com o veneno dela,né. 

O segui de forma lenta,vendo que o mesmo caminhava tranquilamente até a sala. No meio do caminho,outras vozes além da de Hoseok cantando alguma música infantil se fizeram presentes,me fazendo franzir o celho. Eles fizeram uma social na minha própria casa e eu não sei? 

Quando cheguei na sala,notei que não havia nada fora do normal,ao não ser a companhia desconhecida de Namjoon. Era um garoto,mas estava virado de costas pra mim. E que costas. 

Eles riam por alguma piada boba e,assim que eu cheguei,Namjoon me olhou,deixando de rir. Ele cutucou o menino e indicou,com a cabeça,que era pra ele olhar na minha direção e,assim que o fez,eu só faltei cair pra trás. 

Então,o choque de realidade me atingiu em cheio,me fazendo ter calafrios por todo corpo. Eu não estava dormindo... E,aquilo não foi um sonho. Eu realmente encontrei com aquele menino e,ele estava agora aqui,na minha frente. Os mesmos olhos,os mesmos traços e a mesma beleza quase infantil. Até a mesma roupa meio suja,de quando eu o encontrei. 

Ele estava ali,me olhando com um sorriso enorme no rosto,que me esquentou por completo,a ponto de sentir meu rosto queimar. 

 — Jimin! — ele me chamou,rindo de maneira gostosa de ouvir. 

A voz dele era bonita,tanto quanto ele próprio. Ele parecia ser um pacote completo. 

— Então,Jimin. — Namjoon levantou,vindo em minha direção. — Quero que conheça Jeon JungKook,seu não-príncipe sapo. 

Eu segurava a barra do meu moletom,que continuava meio úmido,mordendo o lábio inferior em pleno desespero. Eu não estava alucinando. E,aquele sapo – vulgo Jeon Jungkook – estava ali,como na literatura infantil.

Eu realmente,não sabia o que pensar em relação a isso. Tanto prova que,fiquei em um silêncio mórbido,enquanto todos me olhavam com ansiedade,principalmente Jeon,com suas órbes brilhantes. Ele parecia o mais desesperado dali,tanto que,seus pezinhos descalços balançavam freneticamente no sofá. 

 — Terra chamando Jimin. — murmurou Hoseok,me fazendo suspirar. 

 — Eu... Acho que ainda estou sonhando ou devo estar sobre efeitos de drogas. Mas,minha mãe sempre dizia que eu não poderia usar nada que me fizesse brisar,não estou entendendo mais nada. Porque eu não me lembro de encostar em nada disso,porque,sei que Papai do Céu ia me castig–

— Jimin! — me cortou Yoongi. — Você não tá ficando louco,cara. Calma aí. 

 — Como? Você quer que eu tenha calma,quando eu vi,com meus próprios olhos,um sapo se transformar em alguém,tipo,real? Ai,meu santo,alguém me interna! 

Resmunguei,cravando as mãos nos meus fios já bagunçados. Era loucura demais pra um dia só. Sabe o transtorno de bipolaridade? Talvez eu tenha. Em momentos atrás parecia mais fácil aceitar que eu beijei um sapo e ele se transformou em um bonitão.

Agora,parando pra pensar,tudo consta que isso é uma tremenda loucura. 

 — Eu sabia que ele ia reagir assim. — disse Hoseok,cruzando os braços. 

— Jimin,olhe pra mim. — pediu Namjoon e,de contragosto,eu o olhei. — Jeon vai te explicar o que aconteceu com ele e,peço que seja mente aberta,ok? 

Eu fiz uma careta,mas maneei a cabeça,em afirmação. Logo,JungKook se abaixou perto de mim,me fazendo afastar o corpo um pouco pra trás. Ele sorriu minimamente,sentando em posição de índio. 

— Então,senta que lá vem história. — murmurou Yoongi.

Eu só estava soando frio,a ponto de minha mão estar mais lisa que sabão. Masisso mesmo. 


‹ [♡] ›


 Já beirava quase as dez da noite,quando todos resolveram se levantar e organizar a bagunça da janta improvisada que fizemos. O que mais comeu ali foi Jeon,comendo mais de quatro pratos cheios de Doenjang¹. Pelo que soube,ele havia passado por muita coisa pra chegar até aqui. Então,nada mais justo deixar comida a vontade pra ele.

Jeon Jungkook era antes um menino como outro qualquer. Pra mim,sua história ficou muito vaga,porque ele pouco se lembrava de sua vida antes do seu sequestro. Nem mesmo sua idade e,localização antes disso ele sabia.

Ele havia sido sequestrado por um jovem encapuzado e,passado três noites seguidas só,em cativeiro. Mas,ele disse que não se lembra o motivo de tudo aquilo e,muito menos se alguém se preocupou com ele. 

Ele relembrou com um pesar no olhar,o que me fez interromper a história várias vezes,só pra perguntar se ele estava bem em contar aquilo. Ele sorria e,prosseguia. Ele estava relutante,mas parecia disposto a me contar tudo,para que eu pudesse o entender. 

Disse que,em quase uma semana preso,ele passou por um experimento,no qual marcou a vida dele,desde então. No meio da noite,ele foi obrigado a tomar um líquido fluorescente,que cheirava muito mal e tinha um gosto amargo,pelo jovem encapuzado. Nada mudou e,o jovem frustado,pôs Jeon pra dormir. 

Só que,ele sentiu uma dor aguda no peito e,assim como quando eu vi na sua transformação,luzes saíram de seu corpo. E,quando menos se esperou,Jeon se transformou em um sapo. 

Aquilo,para ele,foi a sua válvula de escape. Pois,enquanto o jovem tentava pegar ele no chão,o mesmo se jogou no bueiro do porão que estava,passando a viver no esgoto por dois dias. Ele disse que foi muita luta desde então. 

Jungkook vivia escondido,fugindo das pessoas,dos sapatos delas e do sal. Ele disse que sal queimava muito e,quando eu perguntei o porquê,ele me mostrou uma cicatriz de queimadura no tronco. Eu engoli seco. 

Era pra olhar a queimadura,mas eu me permiti olhar outras coisas mais definidas,digamos assim. 

Por fim,ele disse que estava passeando pelo parque e me viu,passando a observar tudo desde então. Desde quando eu desafiei Yoongi e,quando passei a encará-lo. 

Era tudo surreal demais pra mim. Tanto que,cogitei a ideia de ser alguma pegadinha dos meninos. Mas,estava tudo detalhado demais pra ser mentira. Então,mesmo que fosse difícil,uma hora eu ia me acostumar,não? 

Por fim,eu o entendi e,resolvi aceitar o fato de que tinha beijado ele,com a cara vermelha igual de uma pimenta. 

Jeon era dócil e carinhoso demais,maduro de menos. Parecia uma criança,tinha dúvidas sobre tudo e parecia ingênuo demais. Tinha um sorriso infantil e dentinhos que me lembrava demais os de um coelho. Além de ser birrento e alto demais. Enfim,uma criança em corpo de adulto,ou quase adulto

Era quase impossível imaginar que alguém seria capaz de o machucar. Ou,pra ser mais exato,jogar uma maldição nele. 

Agora,ele estava todo contente enquanto ajudava os meninos,limpando a mesa e ao mesmo tempo brincando com Nina. Os dois haviam se amigado rápido demais. Ciúmes? Meu nome do meio.

— Acabamos. — comemorou Hoseok,jogando o resto de comida que havia sobrado no lixo.

— Até que enfim. — soltei um muxoxo,massageando meu pescoço. 

— Precisamos ir,Jimin. — disse Namjoon,olhando pro seu relógio de pulso.

Eu apenas acenei com a cabeça,caminhando em direção a porta,pra abrir. Estava exausto! Ainda mais porque eu tive que cozinhar,enquanto os burgueses jogavam video-game na sala.

Jungkook soltou um pigarro,fazendo toda atenção se voltar pra ele,na sala.

— Bem... E-eu não tenho pra onde ir. — confessou,abaixando a cabeça. Pude notar um rubor em suas bochechas,o que fez meu coração mole quase parar. 

— Você fica com o Jimin. — ditou Yoongi,dando de ombros. 

QUÊ? — soltei um grito,nervoso. 

— É,ué. Foi você que transformou ele,não é? Lide com isso,então.

— M-mas... 

— Boa sorte pra vocês! Kookie,foi um prazer te conhecer,figthing! — se despediu Hoseok,já abrindo a porta,deixando Yoongi sair. 

— Relaxa,amanhã a gente volta pra ver se você não matou o Jeon de fome. — foi a vez de Namjoon falar,dando um aceno breve com a mão. 

Eu ia protestar,mas,os desgraçados já tinham ido embora,fechando a porta na minha cara. Então,eu fiquei parado no meio da sala,olhando pra porta com a maior cara de égua.

— Jiminnie! Fico feliz que estou com você,vamos se divertir muito! Tudo bem se eu chamar você assim,né? É que você é tão pequenininho,parece  um ursinho e,ficaria legal tratar você no dimimutivo. — disse Jeon,com um tom animado na voz,me abraçando por trás. 

Eu senti meu coração pular pela boca e,ao sentir seu cheiro natural,junto com seu corpo bem definido me cercando por cima do ombro,além de sua respiração quente em minha nuca,pude constar algo mais que óbvio: 

Do jeito que as coisas andam,eu ia é morrer do coração antes de me divertir com ele.


Notas Finais


doenjang¹: uma pasta tradicional coreana.

aaaa
é isso
até semana que vem pra vocês
espero que tenham gostado e me desculpem se tem algum erro
ainda não revisei rs

provavelmente eu diminua o tamanho dos capítulos e vou variar entre grandes e médios
quero ser mais presente e sair da onda do hiatus que eu mesma coloquei

então,não desistam de mim
um bejo q
até~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...