História O Padeiro - Yoonmin - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Suga
Tags Bts, Jimin, Suga, Yoonmin
Visualizações 43
Palavras 2.030
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia)

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 3 - Agora ele iria saber como é sentir


Fanfic / Fanfiction O Padeiro - Yoonmin - Capítulo 3 - Agora ele iria saber como é sentir

O sorriso de Jimin foi se esvaindo, até que sumiu por completo, dando lugar a uma face meio boba e incrédula. O que era aquilo? Algum tipo de anomalia? Jimin nem ao menos sabia se um tipo de anomalia desse tipo era possível. - o que deixou Jimin plausivelmente triste. Ele se sentia entristecido de mais ao não saber de certas coisas humanas. Ou até mesmo no mundo dele, o...

Jimin achava que Yoongi era um vampirinho.

Ao menos isso, ele sabia que seria possível.

Agora tudo se encaixava... A magreza quase extrema... A pele pálida.

Yoongi ainda estava com aquele mesmo sorrisinho doce e bobo. Até que franziu o cenho, ainda na mesma posição.

— O que foi, tio?

Tio.

Jimin riu, achando fofo.

O pequenino estranho conseguia deixá-lo totalmente livre de certas tensões. Tipo do nada.

Não podia ser assim.

Jimin também sabia disso.


Jimin prontamente-o pegou no colo, preocupado, porém logo suas mãos foram checar o que era aquilio na boca do pequeno e esverdeado Yoongi.

— O que é isso no seu dente, Yoongi? - seu cenho estava franzido.

— Ow! - gritou Namjoon, interronpendo absolutamente tudo, também com o cenho franzido. — Vão ficar aí na chuva mesmo? Pra ficarem doentes?

O recém a vermelhado alternou o olhar entre Yoongi e o restante da família lá dentro. Ainda estava confuso. Mas mesmo assim resolver ir.

— Não é chuva que faz a gente ficar doente. São aspartículas de bacterias que ficam soltas no frio... - disse ele baixo, enquanto entrava.

— Essa sua lógica está totalmente errada. - Ju ngkook revirou os olhos e cruzou os braços. Ainda estava com os braços sujos de farinha e seu avental branco, com um pano também branco na mão.

Porém, de relance, Yoongi, que já estava no chão, pôde ver um desenho bordado da face mascarada do homem-de-ferro no pano meio incardido. Jungkook percebeu.

— O que foi hein? - ameaçou ir pra cima de Yoongi, que se assustou. Mas logo mostrou a língua e correu para trás do pai Taehyung.

Assim que pôs os olhos em Yoongi novamente, ele desviou o olhar.

— Eu... vou pegar uma camisa para o Yoongi. - Jimin disse meio baixo, ainda pensando sobre aquilo... saiu, ainda pensando no machucado no rosto e depois nos dentinhos, que, eram perfeitas presas de vampiro.

— Yaahh, Yoongi. Seu danadinho - escutou o pai Namjoon brincar com o pequenino, depois uma gargalhada. Jimin pegava uma camisa por lá. — Deu um banho no Jimin é? - Namjoon colocou a mão do lado da boca, como se fosse contar um segredo: — Ele não toma banho mesmo...

— YAH! EU AINDA POSSO OUVIR VOCÊS AÍ! - gritou Jimin, rindo.

Já no carro, Jimin estava com seus fios de cabelo molhados e  secava os de Yoongi de um jeito desenconçado com uma toalha.

A camisa preta tinha ficado como um vestido bem longo para o pequeno Yoongi. Na gola, o que era mais visível - e agora, depois de tudo, preocupante - era os ossinhos da clavícula bem expostos de Yoongi.

Seu corpo todo já era magro, sem contar que ele era muito pálido.

Ao terminar, jogou a toalha do mickey no rosto de Yoongi e deu um meio sorriso, ligando o carro.

— Yoongi, você está se sentindo bem?

— Sim. - abria um pacote de fini que havia ganhado de Jimin, junto de vários outros doces.

— Não quer contar para o tio o que é isso no seu rosto? - o tom de Jimin era cauteloso.

Aquilo eram feridas, como bolhas... e...

" Sabe que não pode andar no sol ... "

Jimin abriu a boca ao lembrar, sentido seu coração bater e colocando a mão por cima.

Não está certo. Eu não sinto. Eu nunca senti... por... por que...

Yoongi balançou a cabeça despreocupado, ainda com a atenção nos doces. Jimin abertou o volante, um ruído que passou despercebido por Yoongi. — Isso é muito bom! - falou de boca cheia, enquanto colocava mais.

Toda tensão para Jimin sumiu e ele riu. - o que era muito estranho.

— Gostei dá sua camisa, titio.

Era uma bonita mandala, colorida, destacando-se no fundo preto da camisa de Jimin. 

Mandala

Aquelas flores lindas, mais conhecidas por leigos como "mosaicos" 

Em sânscrito significa círculo.

Símbolo da harmonia.

Harmonia:

Concordância ou concórdia; em que há acordo ou falta de conflitos.

Equilíbrio ou combinação entre elementos que ocasiona uma sensação agradável ou aprazível.

Usadas como instrumentos de concentração e para atingir estados superiores de meditação 



Yoongi esticou o braço na direção de Jimin, com uma bananinha fini para dar na boca do avermelhado. Jimin se inclinou, aceitando. Bagunçou os cabelos de Yoongi e os dois riram.

— Posso te dar uma. Tenho outra... - Jimin disse e Yoongi encarou-o para sorrir-lhe.


— Eu ouvi você cantando aquele dia. - futucar ás sacolas parecia interessante para Yoongi.

— Ahhh - Jimin riu. — Eu canto o tempo todo. Você acha que eu canto bem?

Yoongi assentiu rapidamente e rindo. Jimin sorriu satisfeito.

— A gente podia ser uma dupla. Eu no rap e você no vocal.

Jimin sorriu. — Verdade. Eu ia adorar. Você é muito inteligente, Yoongi.

— Sim. Eu sou um gênio. - falou de boca cheia.

O trânsito estava meio cheio, parecia que havia feito um buraco no asfalto. Eles estavam parados num semáfaro agora, próximo a vizinhança menos movimentada.

— Não tem nada que você pergunte que eu não sei. - completou Yoongi.

— Por que seu dentinho é assim? Afiadinhos? Os dois? - Jimin parecia distraído. Notando a demora pra responder, olhou para o lado e visualizou Yoongi de cabeça baixa e pensativo.

— Eu... eu.. é..  e-...

Dando play no som do seu carro via bluetooth, Jimin sentia seu coração disparando, aquilo não era e não podia ser normal. Não podia acontecer isso. Jimin sabia.

A música era REALLY REALLY - WINNER , e Yoongi estava certo. Eles formavam uma bela dupla.
O pequeno Yoongi mandava muito bem no rap, e o tio Jimin tinha um belo vocal.

Mas isso durou pouco, logo depois eles já estavam na frente da casa de Yoongi. Ele desceu rápido do carro, com dificuldade para carregar as coisas. Logo depois já estava sendo abordado pela mãe na porta.

Jimin tirou o cinto e antes que decesse, seu celular tocou.

Se alguém estiver sozinho e triste

É apenas como quando eu não posso tocá-la.


— Merda... - murmurou, depois de alguns segundos de conversa. Jimin já podia prever um Jungkook chorado - assim como na ligação - e todo cheio de inseguranças. 


Jimin escutou batidas no vidro e, com um sorriso para disfarçar, abaixou.


Rosé estava com Yoongi no colo.


— Tio! Você podia tomar café com a gente! Ah, quer dizer... você é um cozinheiro 

— Tio! Você podia tomar café com a gente! Ah, quer dizer... você é um cozinheiro, então deve comer o tempo todo... - terminou pensativo.


Jimin riu, sentindo o clima tenso se quebrar.


— Tá me chamando de gordo é?


— Você me chama de magrelinho!


— Sabe... Yoongi é uma pessoa muito difícil...-


— Eu não sou difícil.


— Como eu ia dizendo... - Rosé apertou Yoongi em seu colo, para que ele permanecesse calado. — Ele é difícil e é super estranho ele querer tanto contato assim com você. - riu sem graça. — Mas não dá pra ele ficar sumindo assim, como sei que vai acontecer várias vezes. - jimin escutava tudo atentamente. —  Minha esposa já foi até atrás dele na sua confeitaria. É...Ããh... Você podia passar seu número  para é..  sabe...


Jimin sorriu. — Sim, claro, mas.. eu estou meio ocupado agora-


— Não, não. Tá.


— Outro dia a gente faz isso com mais calma, tá? - Jimin já ligava o carro.


Rosé assentiu rapidamente, sorrindo.


Jimin fez uma reverência meio desajeitada e acenou para Yoongi sorrindo,  que fez o mesmo.


Ao chegar no hospital, Jimin se deparou com seu irmão sentado e com a cabeça baixa. Foi comprovado que Jungkook estava chorando quando olhou para o lado, na direção de Jimin.


Os dois caminharam de encotro no grande corredor branco e hospitalar.


Eles colaram a testa, - expressando mais ainda a diferença de altura - o avermelhado colocou a mão na nuca do irmão.


Jungkook fungou e esperou um pouco. — Eu quero ser como você, hyung. 


Jimin riu sem graça nenhuma. — Não diga isso.


Uma careta involuntária se formava no rosto bonito de Jungkook. Esse que afundou a face no pescoço do irmão, derramando ali suas lágrimas e dores, enquanto segurava sua cintura. Jimin não sentia nada. E ele não sentia nada por não sentir nada.


E sabe o que ele pensou com seu pai no hospital? 


Em Yoongi. 


Por que ele pensava tanto no pequeno Yoongi?


— Eu quero tanto ser como você, Hyung. Eu não aguento mais... Eu... Eu não aguento sofrer mais!


— Calma, Jungkook. Lembra do eu te disse? Essas coisas não podem ser sofrimento.


— Como não?! - Jugkook empurrou o peitoral de Jimin com as duas mãos, este que ficou com os olhinhos tremendo e sem reação. Sem saber o que fazer. — Aish... - jogou o pescoço para trás. Passou a mão no cabelo, deixando seu irmão estático para trás.


Segundos depois Jimin o seguiu.


Seu pai, Taehyung, estava deitado em uma cama de hospital.


O seu médico, Kai, fizera mais algumas anotações na prancheta antes de dar um sorriso e sair. 


Namjoon dormia tranquilamente num sofa bege e pequeno no canto do quarto. A jaqueta de couro de Jungkook estava jogada por cima do pai.


Jimin tirou seu moletom verde da Adidas e estendeu para o irmão. — Toma. Você deve tá com frio.


Jungkook demorou alguns segundo para responder. Colocou as mãos no bolso e riu soprado, balançando a cabeça. Mas logo cedeu. — Sempre querendo ajudar os outros...


Eles riram.


— A pressão dele vai melhorar... - Jungkook disse mais pra si mesmo, como um mantra, com as mãos no moletom agora. Ele assentiu pra si mesmo quase, olhando seu pai na cama. 


Uma brexa de sol passava por sob os fios lisos, brilhosos e castanhos de Taehyung. A parede que a cabeceira da cama encostava, era toda de vidro.


Jimin colocou o braço por cima do ombro de Jungkook, com certa dificuldade.


— Vou deixar o carro pra você ir embora a hora que quiser, ta? - apertou o ombro dele.


— Mas como você vai em- 


Jungkook gargalhou de seu próprio questionamento, já se dando conta da responta. Jimin riu.


— Ah, claro. Muito obrigado. Você vai para casa na floresta, né? - Jungkook disse e Jimin assentiu. 


— Se você quiser ir...



Jimin deu um beixo na bochecha de Jungkook e ele fez o mesmo. Depois saiu e desapareceu antes que cruzasse a porta.


Num sobressalto, já estava com os joelhos meio drobados na citada anterior casa na floresta, analisando suas mãos. Deu um meio riso, passou a mão nos cabelos e a primeira coisa que pensou em fazer foi dormir. 

Mas antes que se entregasse de vez ao sono, se forçou a ficar com os olhos fechando lentamente e em pequenos espaço de tempo. 

Ele estava pensando.

Se distraindo...

Pensando em Yoongi.

Pensando que desde que conheceu Yoongi, - mesmo que em pouco tempo - ele passou a sentir - coisas - .

Jimin era um ser desprovido de certas coisas.

Mas por que agora?

Um som agradável da música - Lie - Solo, BTS - ecoava pelo ambiente. 

Jimin abriu seus olhos, se dando conta que já se passava das dez da manhã - mesmo que não tivera olhado no relógio ( e não precisava ) . Já era o outro dia, e como sempre, ele tinha tido um sono maravilhoso.

O som era do toque de seu celular.

— Que saco. - murmurou enquanto se sentava.  Eu não curto essa música. - bagunçou os cabelos.  Vou matar o Jungkook... - ele riu, porque afinal de contas, ele não sentia quase nada.

E pelo visto, a música não era tão agradável assim para ele.

Atendeu o celular e sem ao menos dizer um possível " alô " , veio a bomba dita por Jungkook, que sempre tinha sido direto e nunca enrolava - o que Jimin admirava.

— Hyung, o Yoongi sumiu.









Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...