História O Pequeno Tritão ( TaeKook ▪ VKook ) - Capítulo 4


Escrita por: ~

Visualizações 168
Palavras 3.037
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Slash, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Não usem drogas, AMÉM HGDUDHSIFIKXDJHAUSU

Capítulo 4 - Até um canudo tem mais sorte


Taehyung estava empolgadíssimo para aquele passeio que mais poderia ser considerado um encontro com seu adorado príncipe.

Enfim teriam um momento só deles fora dos portões do castelo, e rodopiava - literalmente - de alegria até chegarem à charrete que os levaria até o centro da cidade.

“Até a charrete é da Gucci!” O ruivo pensou, entusiasmado, agachando para ver mais de perto as enormes rodas de ouro.

- O transporte é do seu agrado? - Jungkook perguntou, receoso - Temos veículos mais modernos, mas acho que essas charretes possuem seu próprio charme. Por isso, pedi para fabricarem uma para mim. - confessou, sorrindo envergonhado.

“Ah, monamour, pode até ser um triciclo que vai ser do meu agrado se tiver você comigo!” Respondeu mentalmente, lambendo os lábios ao fitá-lo de cima a baixo, parando o olhar sobre a calça do rapaz. “Que mala… Seria meu sonho pegar nela e nunca mais soltar.”

- Er… - Jungkook pigarreou, e Taehyung saiu de seus devaneios eróticos, tocando a mão que o moreno estendeu para ajudá-lo a levantar.

“Um pervertido como eu talvez não seja digno de tamanha gentileza.” Ergueu o pé para conseguir sentar no estofado do veículo, e Jungkook deu a volta para sentar ao seu lado. “Ah, príncipe… Se não fosse esse motorista com cara de bunda aqui de vela, eu te pegava de jeito agora mesmo. Gostoso da porra.”

- Seus olhos estão brilhando de um jeito estranho, V. - ele disse, ruborizado, apesar dos risos, e colocou um dos braços atrás do rapaz antes de sussurrar em seu ouvido - Mas adoro te ver tão animadinho assim… Você é muito bonito, sabia?

“PUTA QUE PARIU! Assim, meu coração dispara, tropeça e quase para, SEU DEMÔNIO COM CARA DE ANJO! Ai que ódio desse cretino me seduzindo com essa voz doce… Meu pau até se mexeu sozinho!”

Taehyung, então, deitou a cabeça no ombro de Jungkook, que sorriu, apreciando o gesto, deixando um beijo ali antes de acariciar seu braço com a ponta dos dedos.

Após meia-hora com Jungkook entoando todas as músicas possíveis do Justin Bieber numa versão acústica improvisada, chegaram ao seu destino.

“É AGORA! ESSE É MEU MOMENTO!” O ruivo literalmente pulou da charrete enquanto Jungkook agradecia o motorista e o cavalo antes de descer também.

- Mesmo que os animais não entendam a fala humana, devem entender gratidão. - explicou ao se virar para Taehyung, colocando as mãos atrás do corpo numa postura solene.

“Sabe de nada, inocente.” Riu para ele, pois sabia que o relinchar que o outro recebera significava “Você não é cavalo, mas é um garanhão!”, até que começaram a andar sem rumo.

Era irritante quando as pessoas paravam para cumprimentar o príncipe o tempo todo, mas Taehyung sabia que não dava para evitar; afinal, não era todo dia que um príncipe andava entre os plebeus, ainda que Jungkook fizesse isso com mais frequência do que o esperado e por isso sua presença não era tão surpreendente assim.

- Estou só mostrando a cidade ao meu novo amigo. - contou para um grupo de adolescentes à sua volta - O V não é daqui.

- E daonde ele é? - uma das meninas enrolava uma mecha de cabelo nos dedos, com um olhar insinuante, levando Taehyung a se segurar para não mostrar uma cara de ânsia.

- Ah… - não queria dizer que “não sabia”, pois soaria estranho - É segredo. - sorriu, enigmático.

- Eu gostaria muito de saber. - um garoto baixinho respondeu, piscando descaradamente para o ruivo com um dos olhos.

“Sai fora! Não sou São Jorge pra pegar dragão!” Franziu o cenho.

- Bom… - Jungkook desviou o olhar, disfarçando o incômodo - Ainda temos muito o que ver, então… Até mais!

O grupo se despediu do príncipe, com as vozes se atropelando para ver quem chamava mais atenção, e enfim conseguiram se afastar.

“Não aguentava mais aqueles embustes!” Taehyung bufou, lutando para não puxar Jungkook pela cintura em público.

- Ei, V… - o mencionado o fitou - Não fica chateado, tá? Essas coisas acontecem porque… Bem… Sou um príncipe e…!

Taehyung tampou sua boca com o indicador, sorrindo para ele ao concordar com a cabeça, mostrando que o entendia.

- Obrigado. - sorriu daquele jeito que fazia Taehyung sentir como se fosse uma gelatina derretendo por dentro.

Assim, a tarde corria normalmente - pelo menos quando se tratava de andar com Taehyung: após almoçarem no restaurante mais chique do local e o ruivo se sujar todo de molho, tiveram que ir até uma loja próxima comprar roupas novas para o ruivo, já que as demais ficariam na lavanderia, e o rapaz chorou de emoção por ganhar mais coisas da Gucci.

Porém, de propósito, escolheu uma calça preta de couro bem colada às pernas e uma blusa florida de gola v que dava uma belíssima amostra de seu peitoral, além de botas pretas de cano baixo, e sorriu satisfeito ao notar o quanto o príncipe precisava de um babador ao vê-lo sair do provador.

"Minhas vinganças tardam, mas não falham.” Mordeu o lábio inferior, fingindo um olhar inocente sobre Jungkook, que apenas balançou a cabeça ao pagar tudo no caixa, dando-se por vencido.

Saindo dali, mal deram alguns passos e Taehyung arrastou Jungkook para uma sex shop, fazendo questão de tocar em todos os brinquedos e acessórios para descobrir como funcionavam, e o príncipe ria no melhor estilo “tô rindo mas é de desespero”, querendo cavar um buraco para esconder a cabeça, principalmente quando o mais velho pegou um dos consolos de borracha e começou a bater na própria cara para imitar uma cena que havia visto em “As Branquelas” junto com o moreno.

Acabou que levaram o tal do consolo e, após Taehyung correr em volta de uma fonte de água que havia na praça pela qual passaram, jogando algumas gotas no príncipe, mostrou um sorriso enorme ao avistar uma casa de strip-tease que ficava aberta vinte e quatro horas.

Segurou a mão de Jungkook, apontando freneticamente para o local, e o outro hesitou, mas acabou acompanhando o rapaz que mais parecia ligado na eletricidade.

Taehyung aplaudia cada performance, dançando mesmo sentado na cadeira, e Jungkook lutava para não gargalhar.

Porém, seu semblante mudou para o espanto total quando começou a tocar aquele funk que Taehyung estava dançando mais cedo e o ruivo, sem pensar duas vezes, se levantou para invadir o palco, aonde esfregou as costas em um dos postes e tirou a blusa, girando no ar enquanto rebolava até o chão sob os olhares incrédulos dos demais dançarinos semi-nus.

Obviamente, foram expulsos do local, e Jungkook segurou Taehyung pelo pulso para correrem para o mais longe possível dali, e o mais velho permitiu, já que não conhecia nada e só estava sendo um abusado mesmo.

Quando pararam próximos a um lago, Taehyung recostou em uma das árvores ali perto, e Jungkook em um dos postes, ambos recuperando o fôlego.

O ruivo, subitamente, ficou com medo de ganhar uma bronca e o príncipe nunca mais querer saber dele.

“Que merda… Será que fudi com tudo antes de foder com ele? É muito azar pra uma pessoa só, misericórdia…”

- V? - Jungkook andou até ele, com a expressão séria, fazendo-o estremecer - Temos que conversar sobre suas atitudes de hoje.

“Ai cacete… é agora que levo um fora e adeus pernas!”

O mais novo suspirou, como se fosse um assunto difícil de falar, e apoiou a destra no tronco, perto da cabeça de Taehyung, fazendo o ruivo arrepiar cada pelo do corpo com a proximidade repentina.

- Você foi tão inconsequente… Não tem a mínima noção de etiqueta… Perturba a ordem pública… Me deixa aflito quando age fora de qualquer padrão normal pra viver em sociedade… - observou Taehyung fechar os olhos e abaixar a cabeça, envergonhado - Mas, caralho, é justamente por isso que você é tão foda!

“Ok, que plot twist é esse???” Taehyung arregalou os olhos, encontrando o sorriso radiante do príncipe com cada saliência dos dentinhos de coelho à mostra. “Rosana, eu tô tremendo!”

- Ah, V… Não sei até que ponto é certo ou se só estou louco mesmo, mas… A-acho que posso estar mesmo gostando de você.

“AI MEU CU!”

- Minha vida era tão monótona antes de você aparecer… Só seguindo as rotinas da realeza e exaltando o Justin Bieber… - alisou seu rosto com a ponta dos dedos da mão livre - Às vezes, me pergunto que tipo de voz você teria… Há poucos dias, um cara me salvou de um naufrágio e cantou com uma voz grave tão impressionante que, por algum motivo, associo a você. - riu soprado, corando de repente - Estranho, né? Mas eu gosto de você assim, do jeitinho que você é.

Antes que chorasse pelos olhos o que sempre chorava por baixo quando estava perto do príncipe, Taehyung puxou seu rosto para um beijo arrebatador, numa mistura curiosa de luxúria e carinho que mexia com todos os seus sentidos.

E, antes que pudesse se controlar, ergueu uma das coxas entre as pernas de Jungkook, roçando a ereção crescente do rapaz, que gemeu sofrido contra sua boca e deixou Taehyung mais excitado ainda, até que o moreno se afastou rapidamente, olhando para os lados.

- E-esqueci que estávamos na rua. - comentou, buscando ar, com as mãos na cintura - Ainda bem que aqui é mais vazio. - tornou a fitar Taehyung - Você quer beber alguma coisa? Tem um quiosque lá atrás.

O mais velho assentiu, escorregando para sentar em frente à àrvore, cruzando os joelhos perto do peito.

“Cacete… que beijo dos deuses foi esse… eu podia gozar só com isso.” Taehyung suspirou, recostando a cabeça no tronco, até que uma pedrinha foi jogada em sua canela. “Que porra é essa?!”

Ao olhar para a direita, lá estava Namjoon, furioso, tacando mais e mais pedras.

“Já entendi, ô desgraça!” Tacou uma de volta, acertando sua cabeça.

- O que eu falei sobre prestar atenção no Hoseok?!

“Tá, tá… Me distraí por estar felizinho perto do príncipe e esqueci.”

- Não me olha com essa cara de desprezo, seu moleque!

- Calma, hyung… - Jimin tentava acalmá-lo, passando a barbatana em seu casco.

- “Calma” é meu rabo! Esse imbecil parece que só pensa com a cabeça de baixo agora e quase perdeu a chance de ficar humano pra sempre!

“Ei! Deixa meu pau fora disso! Mal conheci e já considero pacas!” Fez um bico, apalpando o dito cujo como se quisesse consolá-lo.

- Para de fazer essas merdas em público ou vão te acusar de atentado ao pudor DE NOVO! - o siri vociferou, perdendo a paciência - Porra, eu podia tá de boas vendo meus pornôs quietinho nos meus aposentos, mas nããão… Olha onde fui me meter…

- Mas hyung… A ideia foi sua e…!

- Deixa eu dar meus ataques de pelanca em paz, Jimin!

- T-tá bom…

Taehyung revirou os olhos antes de engatinhar até eles, ficando na beira do lago, até que Hoseok pousou em sua cabeça.

- Vocês não cansam de se pegar não?

“Puta merda, não acredito que esse bicho fica dando uma de voyeur…”

- Trouxe o bagulho, Hoseok?

- Sim, Namjoon-hyung! Deixei amarrado ali no canto.

- Aaah, vai ser tão legal! - Jimin pulou, animado.

Hoseok saiu de cima do ruivo, sobrevoando os outros dois, e Taehyung encarou um por um, confuso.

- Arrumamos um barco de madeira, só para dois, que você vai encontrar “por acaso” e fazer o príncipe te levar num desses passeios românticos clichês da vida. - Namjoon explicou.

- Vocês podem ir pra muito longe, e aí tu seduz mais o príncipe. - Hoseok sorriu sacana - Faz o lance da perna de novo!

“Vai se foder!” Taehyung, tão vermelho quanto seu cabelo, tentou estapear a gaivota, que voou longe, rindo.

- Estaremos por perto. - Namjoon garantiu - Vê se não estraga tudo!

Antes que pudesse pensar em alguma coisa, Taehyung ouviu a voz melodiosa ressoar atrás de si.

- Trouxe uma Coca bem gelada.

O mais velho levantou e sorriu como forma de agradecimento, colocando o canudo em sua latinha, mas quase teve um ataque do coração ao ver Jungkook contemplando o lago com a boca no próprio canudo.

“Bem que tu podia me beber também…” Desviou o olhar, tristonho, até que lembrou do plano não exatamente planejado que deveria seguir.

Enlaçou o braço do príncipe, como se quisesse explorar mais aquela área arborizada, e em poucos passos lá estava o tal barco de madeira próximo à relva, com uma corda o prendendo um cotoquinho de madeira.

Apontou para o objeto, suplicando com o olhar para que Jungkook aceitasse andar com ele ali, e o rapaz sorriu, mordiscando o canudo, o que só fez Taehyung se segurar para não socá-lo por aquele ataque gratuito à sua sanidade mental.

- Melhor terminarmos de tomar o refrigerante primeiro, né?

Taehyung concordou, e logo havia tomado tudo na velocidade da luz, pois já começava a escurecer e não queria perder aquela oportunidade.

Logo, ele e Jungkook estavam no modesto barquinho, e Taehyung parecia hipnotizado aos movimentos daqueles braços fortes do príncipe movendo os remos com tanta precisão.

- Ah… Nem acredito que vamos poder ficar sozinhos, assim, passeando de barco e vendo as estrelas!

Taehyung sorriu, maravilhado pelo príncipe realmente apreciar sua companhia, mas logo lembrou das tais “condições” que precisava cumprir.

Então, ao inclinar o corpo para trás e apoiar os braços no barco, fitou o céu e abriu as pernas lentamente, com seu volume já despontando sobre a calça.

Segurou a risada quando, pela visão periférica, percebeu a secada que ganhou de Jungkook antes do mesmo desviar o olhar, remando em silêncio pelos minutos seguintes.

Taehyung, então, apelou para a tática do “está calor aqui”, segurando o meio da blusa e puxando para a frente, se abanando, permitindo que mais de seu peitoral aparecesse para o príncipe.

Jungkook engoliu em seco, repentinamente sentindo calor também, mas se manteve firme.

Taehyung resolveu alisar as próprias coxas, bem devagar, encarando o rosto do príncipe o tempo todo, e este não sabia para onde olhava, até que o ruivo subiu as mãos pela frente do corpo, fazendo sua blusa erguer minimamente e revelar seu abdômen liso, até pousar as mãos na nuca e entreabrir os lábios grossos, circulando-os com a língua.

Jungkook chegou a esquecer de remar por alguns instantes, e sabia que estava ereto lá embaixo, mas precisava se afastar um pouco mais até ficar numa distância segura de possíveis olhos alheios.

Então, do nada, vagalumes cercaram os dois, como num redemoinho de luzes, e batuques advindos sabe-se lá de onde ecoaram pelo lago, juntamente com uma voz que nunca ouvira antes.


Aí está ele

Tão doidinho para dar

Nada, nada vai prestar

Esse é o fundo do poço

Dentro de você

O tesão vai dizer agora

“Chupe o moço!”


- Mas que merda é es…?


É verdade

Sua tara só vai crescer

E a dele por você

Sua cueca mela

Mas se quer provar

Tu tem que chegar

E aí, só chupar


- Vambora, rapaziada! - Namjoon convocou os demais bichos para cantar, fossem peixes, sapos, pássaros ou insetos, formando um coral improvisado enquanto Jungkook olhava em volta, assustado, e Taehyung apenas o observava, achando-o uma gracinha.


Shalalalalala

Vai, não vai

Esse trouxa não vai

Não vai chupar o moço


Shalalalalala

Essa não

Não cai de boca, não

E vai perder o moço


- V… Me diz que não sou só eu que estou ouvindo isso…

“Olha, meu anjo, eu só não protesto porque tô no cio mesmo e não posso negar.”

- Te chupar… Que coisa aleatória… - riu, sem-graça, coçando o pescoço - M-mas, já que as “vozes” estão falando disso… Não me sinto bem sem saber suas posições favoritas na cama. - encarou Taehyung, sério, apesar do rubor em sua face - Que tal… De frente? De lado? Por trás?

- De quatro! - Namjoon sussurrou em seu ouvido, sendo segurado pelas patas de Hoseok, voando juntos - Ele prefere de quatro!

- De quatro? - indagou, e Taehyung assentiu, feliz da vida, mordendo o lábio inferior - Então… Quando chegar a hora… Você vai ficar de quatro pra mim?

“Faço o kama sutra inteiro por você, delícia…” Taehyung mostrou a língua e torceu para trás, como se o chamasse, e Jungkook, como se estivesse preso num feitiço, começou a andar de joelhos até ele, parando entre as pernas do ruivo e apertando seus quadris ao se encararem fixamente.


Essa é a hora

Um boquete na lagoa

A bunda também vai ser boa

É sua grande chance

Pois nunca trepou

Mas pode começar

Se você for lá chupar


Logo se beijaram numa volúpia que Jungkook nunca havia experimentado antes, e Taehyung puxava seus fios castanhos conforme a intensidade aumentava.


Shalalalala

Sua boca é

De veludo e mel

É só você chupar


Shalalalala

Olha os dentes

Não vai tão forte e tente

Você tem que chupar


As mãos de Jungkook escorregaram até o botão da calça de Taehyung, soltando antes de abrir o zíper e tocar seu membro duro por cima do tecido da cueca, ainda aos beijos.


Shalalalala

Use a mão

Pra sentir o pauzão

E chupe logo o moço


Shalalalala

Vai pedir bis

Tu já tá por um triz

Só chupe logo o moço


O príncipe, deslumbrado com o tamanho de Taehyung, olhou em seus olhos, ofegante, antes de deslizar a mão para dentro da cueca do rapaz.


Chupe o moço…


- Chupa, chupa! - um peixe aleatório gritou.


Chupe o moço…


- Eu quero garganta profunda! - um pássaro pediu.


Chupe o moço…


Jungkook, então, colocou o membro duro e melado para fora, se aproximando da glande rosada ao abrir a boca.


Chupe o moço…


- É agora, porra! - Namjoon exclamou, pulando em cima de Hoseok, enquanto Jimin tampava os olhos com as barbatanas.

E então, quando a boca de Jungkook estava a centímetros do pau necessitado de Taehyung…

O barco virou bruscamente.

- O quê?! NÃOOOOOOO! - Namjoon lamentou, desmaiando de desgosto, e Jimin o apoiou em suas costas, choramingando.

- M-mas… Por que…? - o peixinho amarelo estava frustrado, assim como os outros animais, que aguardavam ansiosamente o grande momento.

Nisso, Suga e Agust D nadaram rapidamente de volta para o mar, diretamente para a caverna de Yoongi, após cumprirem a missão de vigiarem os dois e evitar qualquer aproximação mais perigosa.

O bruxo-do-mar jogava dardos sobre um pôster enorme do rei Jin que havia na porta de seu quarto, furioso, enquanto as outras barbatanas batiam no chão.

- EU NÃO ACREDITO que quase rolou uma chupetinha MESMO! - um dos dardos acertou o olho do rei - PUTA QUE PARIU, AQUELE TAEHYUNG É MAIS PIRANHA DO QUE EU PENSAVA! Como conseguiu seduzir o príncipe em tão pouco tempo?! - outro dardo, dessa vez no saco do rei - Argh… Já que é assim, vou ter que tomar medidas drásticas. - com um olhar maligno estampado no rosto sombrio, apertou o pingente do colar em seu pescoço, aquele com o grito esganiçado de Taehyung trancafiado - Você vai aprender a não mexer comigo, seu tritãozinho de merda!


Notas Finais


Sim, a paródia é de minha autoria, e não, não me responsabilizo por quem começar a cantar aquilo em vez da música original HAHAHAHAHAHAHA


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...