História O Peso de uma coroa - Capítulo 5


Escrita por: ~ e ~Pudim0303

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Abo, Jikook, M-preg, Namjin, Vhope
Visualizações 52
Palavras 3.099
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


"Oiê gente, aqui é a Jojo, sim, eu voltei, é aquele ditado que minha vó sempre me diz: "Quem tá vivo sempre aparece" e nois brotou, bem, de qualquer maneira esse é um especial de 50 favoritos,era para lançar quando chegasse em 50? Sim,mas eu sou ansiosa e como só falta dois favoritos, resolvemos soltar o capítulo antes, ah, e outra coisa, esse capítulo tem o link do trailer que também vai ser lançado como especial de 50 favoritos, Obrigado por tudo e boa leitura"

"Olá leitores lindos do kore kore, aqui é a Pudim, eu sei que, provavelmente, vcs querem matar a gente ( podem matar a Jojo, eu deixo hahaha), mas vamos recompensar vcs por todo o tempo sem atualização com esse capítulo super fofo de Namjin, nossos pais!! Espero que aproveitem o capítulo e boa leitura!!"
Ps: Só pra vcs não ficarem perdidos, esse capítulo não têm nada a ver com a história em si, foi algo que aconteceu no passado, ok? Bjinhos

Capítulo 5 - Capítulo Especial - Namjin


Capítulo especial-Namjin

        Jin estava sentado na grande janela da biblioteca real, seu coração estava em pedaços, sua alma chorava,mas ele mantinha o sorriso para todos que ali entravam. Mas como manter o sorriso quando o amor da sua vida está prestes a casar com uma pessoa que te fez tão mal? E ainda por cima eles parecerem tão apaixonados? Ele não queria sorrir mas se obrigava,assim como se obrigou a falar “parabéns” quando Namjoon fora aquela tarde na biblioteca lhe contar sobre o pedido de casamento que havia feito a princesa da China. Claro que ele viria lhe contar, pensava Seokjin, ele era seu melhor amigo de infância, cresceram juntos e a medida que cresciam seu amor pelo príncipe Kim Namjoon crescera junto. Ele não sabia o que tanto lhe chamava atenção no príncipe, talvez fosse seu carisma, sua voz forte e que demonstrava poder, sua gentileza...Seokjin não sabia o que lhe atraía tanto no alfa mais novo, mas, a única coisa que tinha certeza era que seu lobo ansiava pelas tardes que o príncipe ia ler alguns livros em inglês e recitava provérbios japoneses, ansiava pelos momentos como: quando ele lhe pegava de surpresa e depois ria por causa de sua reação, fazendo com que as suas maravilhosas covinhas aparecessem, quando eles andavam a cavalo pelo palácio, quando ia cozinhar e Namjoon estava na cozinha como uma criança em uma loja de doces pedindo para seu hyung cozinhar todas guloseimas que ele tanto amava, quando era praticamente obrigado por um Namjoon manhoso a cozinhar sopa de algas e a dormir na mesma cama que ele. Seokjin não queria pensar que todos aqueles momentos iriam acabar  assim, que nunca mais dormiria nos braços aconchegantes do alfa, que não seria mais o responsável daquele sorriso e do surgimento de suas lindas covinhas. Mas o que ele esperava? Que o príncipe se apaixonaria por um simples bibliotecário, filho de seu professor de matemática? Como fora iludido, ele nunca o veria como um par romântico, alguém para se passar a vida, casar-se, ter filhos e morrer ao lado, Seokjin nunca passaria de ser um simples funcionário real e amigo do príncipe. Preso em sua dor, ele acaba cantarolando uma das músicas (entre muitas) que tinha escrito para Namjoon:

                         Dimple(covinhas)

     Essas covinhas são ilegais

    Não, é perigoso, sim

    Então eu te chamo de garoto ilegal

    Sua existência sozinha é um crime

    Você foi um engano que um anjo deixou para trás?

   Ou foi um beijo profundo?

  Essas covinhas são ilegais

 Mas eu quero de qualquer forma

Acaba se perdendo na música e em seus sentimentos, e nem percebe que um certo alfa estava ouvindo a canção totalmente hipnotizado e encantado com a voz do ômega e, principalmente,  com a letra, quem seria o alfa capaz de fazer Jin cantar de forma tão apaixonada? Namjoon realmente não sabia, mas por alguns minutos sentiu inveja do “alfa misterioso”, mas espera, por que ele estava sentindo inveja? Seria por que ele queria ser o “alfa misterioso”?

- Jin… - Namjoon chama ele um pouco receoso.

- Ah, Joonie, que susto. - Seokjin diz, ficando vermelho assim que percebe que Namjoom o fitava de forma intensa, como se buscasse respostas em suas expressões.

- Joonie? - Jin chama o alfa que logo sai de seu transe.

- Quem é ele? - É a única pergunta que o alfa faz, voltando a encarar o ômega com intensidade.

- E-E-le quem, Joonie? - Jin acaba gaguejando graças aquele olhar do alfa em cima de si.

-O dono do seu canto apaixonado e da letra, quem é o garoto ilegal? - Ele pergunta em um tom sério, mas por que ele estava tão interessado em saber quem era? Era algo normal Seokjin se apaixonar, ele já estava na idade de estar até mesmo casado e esperando o primeiro filho, mas por que quando o alfa pensava nisso seu coração se apertava e seu lobo ficava inquieto?

-Ninguém, é só uma música que eu gosto. - Ele diz ainda incomodado com aquela situação. Namjoon ia perguntar mais uma vez, porém, Yoongi havia entrado na sala.

-Nossa, que climinha tenso, o que você fez para o Jin dessa vez, seu alfa sem coração? - Yoongi diz já bravo, ele sabia dos sentimentos do ômega em relação ao príncipe, e torcia para que o alfa cabeça dura percebesse que a princesa da China não era tudo aquilo que ele pensava, e que ele não estava verdadeiramente apaixonado por ela, mas sim pelo ômega de cabelos castanhos.

- O que está fazendo aqui? Não estavas em uma reunião? - Namjoon pergunta sem muita animação por ver o amigo, ultimamente Yoongi estava passando muito tempo perto de Jin, e graças a isso, Seokjin acabava “esquecendo” Namjoon algumas vezes. - Espera um minuto… Claro,como eu não pensei antes nisso, é você.

- Eu? Eu o quê, Namjoon?

-Você é o garoto ilegal da música do Jin, é por você que ele está apaixonado.

- O quê? - Yoongi começa a rir - Bebeu muito rum na despedida de solteiro ontem e perdeu alguns neurônios que lhe restavam?

-Eu não nasci ontem Yoongi, eu sei que é você. - Namjoon se mantém sério, ainda não conseguia acreditar que aquilo estava acontecendo. Seu melhor amigo alfa e seu melhor amigo ômega estavam tendo um caso e nem o contaram, ele achava que era por isso que estava com aquele sentimento “ruim”. Yoongi pensa um pouco sobre tudo que está acontecendo e a expressão que Namjoon estava carregando, então lhe surge uma idéia, e ele resolve dar um empurrãozinho para o alfa lúpus a sua frente enxergar quem seu lobo interior queria verdadeiramente:

-Me desculpe Namjoon, eu e Jin iríamos contar para você, mas estais tão ocupado com o reino e todas essas coisas chatas, que eu e Jin pensamos que não seria tão importante lhe contar agora. - Ele sorri de forma que fosse mais convincente e puxa Jin pela cintura, a cena era até engraçada, já que Yoongi era um alfa desprovido de altura, já Jin era um ômega com o privilégio de ter seus 1,79 metros de altura:

- Claro que isso era importante, vocês são meus melhores amigos, fico feliz do… seja lá o que for que vocês tenham. - Por algum motivo desconhecido, a mão de Yoongi na cintura de Jin estava o irritando profundamente e ainda mais que estava fazendo um leve carinho, antes de Yoongi chegar na vida deles, era Namjoon quem fazia aquilo, era ele que “protegia” o ômega, ele quem o tranquilizava quando chovia muito forte, ele quem recebia os carinhos do ômega, ele quem tomava o maravilhoso e exclusivo café que o mesmo preparava, enquanto o ouvia  contar as histórias dos camponeses,lembra-se bem de uma que o marcou bastante, era a explicação de Jin de o porque o café ser tão importante, além, de claro, movimentar a economia.

“Tudo é decidido com uma boa xícara de café. Desde de grandes negociações até a profundidade do amor entre duas pessoas.”

“Como assim? Como café define a profundidade do amor entre duas pessoas?”

“Quanto mais doce o café, mais profundo é amor daquele que o fez, mas esqueça isto, são somente histórias de camponeses.”

Era óbvio que Namjoon nunca havia esquecido daquela história, na verdade, foi graças aquela história que encontrou o amor de sua vida, sua noiva, a ômega que marcaria e governaria o império ao seu lado, mal sabia ele que quem tinha feito aquele café bem adocicado não era a pessoa por quem ele tinha se apaixonado, mas sim a pessoa que ele chamava de melhor amigo, aquele que esteve ao seu lado nos melhores e piores momentos, aquele que o ajudou e ajuda até hoje.

“Claro que eu não esquecerei desta história Jin, na verdade, eu só me casarei com alguém que saiba desta história e faça o mais doce café já existente”

Talvez a crueldade do destino realmente exista, já que no dia em que Seokjin resolveu se declarar para pessoa que amava através do café, uma das muitas pretendes de Namjoon estava no castelo e se dispôs a levar o café, Jin não podia fazer nada, não poderia impedir o jogo barato da mulher de tentar impressionar o príncipe. O príncipe tomou o café e sentiu aquela doçura, então logo perguntou quem havia feito, e a mulher com um sorriso ladino prontamente disse que havia sido ela, assim garantindo o “amor” do mais novo dos Kim´s, a criada do castelo até mesmo tentou avisar a ele, mas foi impedida pelo Imperador que estava feliz com aquele acontecimento, e simplesmente ignorou o fato de duas almas gêmeas estarem sendo afastadas, para ele isto não importava, o que importava mesmo era o favorecimento que o país estaria ganhando com aquele casamento tão importante:

- Nam… - Jin chama assim que Yoongi sai.

- Por que ele Jin? - Ele pergunta um pouco sério, assustando o ômega. - Ele é um bom alfa para você? Vocês já conversaram sobre ter filhotes? Quando iram se casar? - Namjoon acaba segurando o garoto a sua frente pelos ombros com um pouco de força.

- Por que está me perguntando isso? - Diz envergonhado e sentindo um pouco de dor pelos apertos do alfa.

- Eu só quero me certificar de que você ficará bem, nunca se sabe o que os alfas de hoje em dia podem fazer.

- Eu sei muito bem me cuidar sozinho, não preciso que cuide de mim, vá cuidar de sua noiva! - Tira as mãos dele com agressividade e sai da biblioteca, não podia se iludir, não podia estar sentindo seu coração batendo forte por uma simples frase,  ele não poderia.

Ainda na biblioteca, Namjoon estava estático, ele não acreditava no que tinha acontecido:

“ Ele nunca recusou minha proteção, nunca recusou meu toque, nunca recusou meu carinho, então… Por que? Mas espera, por que estou me sentindo tão mal, por que parece que perdi um pedaço da minha alma? ”

A perda de uma alma gêmea poderia ser muito dolorosa e era exatamente isso que estava acontecendo, porque no portão do castelo, Seokjin saía desolado, querendo apenas os braços de sua avó querida, que sempre estava a sua disposição, só queria chorar em seus braços e dizer tudo que estava guardando e que agora estava o afogando, o ferindo e o fazendo sofrer, talvez ele não fosse o único ferido em toda esta história.

 

Uma semana depois…

 

Você não teve notícias dele? - E pela quarta vez o alfa perguntava sobre o ômega de pele alva. - Você sabe se ele virá ao meu casamento hoje a noite?

-Eu não sei, Namjoon, para de me encher o saco e vai terminar de se vestir - Yoongi dizia já irritado, Seokjin havia sumido a uma semana somente com a roupa do corpo, seus pertences foram deixados todos para trás, nada foi levado além das noites tranquilas de um certo alfa, dos pensamentos calmos e da despreocupação do mesmo. Desde que Seokjin havia sumido, Namjoon pouco comia, pouco dormia e não sorria, a maior parte do tempo estava tentando se ocupar com coisas do reino ou estava no quarto do mesmo, pois o cheiro dele ainda estava lá e isso o acalmava um pouco:

- Ninguém sabe onde ele pode ter ido? - Diz arrumando a gravata na frente do espelho e vendo o colar que ele e Jin carregavam desde que tinham 5 anos, era uma forma de nunca se esquecerem de sua amizade:

- Não, já procuramos em todos os lugares possíveis, mas nem sinal de vida dele - Suspira, aquilo também estava o matando.

-Precisamos o achar, e se… - Iria continuar sua frase, porém, a porta foi aberta com uma certa pressa.

- Desculpa, senhor Imperador, mas Seokjin está em seus aposentos.

- Como? - Namjoon larga a gravata na mesma hora, nem espera sua pergunta ser respondida e sai correndo até o quarto, abre a porta e lá estava ele, a pessoa em que mais pensou nesta semana, a pessoa que tirou seu sono, sua fome, que tirou sua paz, a pessoa em que percebeu que precisava ter por perto, que precisava passar o resto de sua vida ao lado, a pessoa que fez o café mais doce que ele havia tomado, sim, ele havia descoberto toda a história e percebera o quão burro foi:

- Jin… - Sua voz sai baixa e mansa e logo o ômega se vira, ele tinha olheiras profundas e seu rosto estava mais magro do que da última vez, denunciando que ele não comia e não dormia, assim como o alfa a sua frente.

- Nam… - Sua voz sai um pouco fraca, como se ele estivesse prestes a chorar - Me desculpe, eu só vim buscar minhas coisas, não quero lhe incomodar nesse dia tão especial. - Diz pegando sua mala e parando na frente dele com a cabeça abaixada. - Já ia me esquecendo. - Diz e tira o colar colocando na mão de Namjoon que estava paralisado observando a cena. - Obrigado por tudo, Adeus Kim Namjoon. - Ele diz e sai daquele aposento, Namjoon nada consegue fazer, a não ser cair de joelhos no chão e deixar as lágrimas virem, ele nunca sentiu uma dor tão intensa quanto a dor ao ouvir ele dizer adeus, estava doendo muito, ele queria que parasse, ele queria que Jin fizesse essa dor parar, mas parece que isso não seria possível.

 

Algumas horas depois...

 

A cerimônia estava acontecendo, Namjoon tentava se convencer de que ele amava a princesa da China e que aqueles pensamentos que tivera antes foram “coisas passageiras”, então esbanjava um sorriso falso, enquanto esperava o término do discurso para o firmamento dos votos:

Kim Namjoon, aceita esta ômega como sua futura esposa?

Ele estava perto de responder, quando vê Seokjin sentado em um dos bancos,seus olhos se encontram, e então ele resolve fazer o que seu coração mandava:

Não - Diz firme e começa um falatório entre os convidados. - Eu não posso. - Pega as mãos da garota que estava assustada. - Desculpa, mas não é você que eu amo. - Larga suas mãos e então corre até Jin que estava em um dos últimos bancos, e o puxa o fazendo ficar em pé, colocando as mãos no rosto dele:

Kim Namjoon, eu lhe proíbo de fazer isto. - O pai do alfa carregava um expressão de raiva e autoridade, fazendo muitos ômegas taparem os ouvidos e alguns alfas se sentirem ameaçados:

-Desculpa pai, mas eu tenho que fazer isto, este é o meu destino. - Ele diz, e então beija Jin, que corresponde e deixa as lágrimas caírem pelo seu rosto pálido, se esquecendo que tinham várias pessoas ao redor deles e ficando em seu próprio mundo, o beijo era calmo porém cheio de snetimentos, de angústia do tempo que as duas almas gêmeas ficaram separadas:

- Jin… -Namjoon começa assim que os dois se separam, se ajoelha em sua frente e tira o colar de seu bolso. - Você aceita passar o resto das nossas vidas ao meu lado até que a morte nos separe? - Diz, e um sorriso se instala no rosto do garoto.

- Eu aceito. - Ele diz e vê Namjoon chegando perto de si e colocando o colar em seu pescoço, o colar que selou a promessa dos dois.

 

Alguns anos depois…


- Eu quero uma história como a de vocês. - Diz o mais velho dos Kim enquanto observava o colar que fora colocado em seu pescoço e no de seu irmão, que dormia tranquilamente nos braços de Seokjin.

- Tenho certeza que você terá, meu amor. - Seokjin diz olhando de forma terna para o menino, que agora estava animado e contando para sua ama que iria ter uma história de amor como a de seus pais.

- Ele é igualzinho a você - Diz o alfa chegando por trás e abraçando o ômega que tanto amava.

- Aí que susto, desde de quando você está ouvindo nossa conversa? Eu não disse que essa conversa era de ômega para ômega, seu alfa desobediente? - Diz dando leves tapas nos braços dele.

- Ai, ai, por que eu não posso ficar? O jungkook também é alfa.

- Sim, mas ele é um bebê. - Diz revirando os olhos.

- Mas eu também sou um bebê - Diz sorrindo e fazendo com que suas covinhas aparecessem. - A não ser que você queira ser o bebê, e me chame de daddy - Diz com um sorriso malicioso.

- Para com isso, seu alfa pervetido de meia tigela, ainda me pergunto porque fui me casar com você. - Diz saindo dos braços do alfa, e indo colocar os filhos para dormir ouvindo os risos do marido atrás, porém ignorando.

- Durma bem, meu bebê, espero que quando crescer, você não seja igual aquele alfa pervertido que eu chamo de marido e você chama de pai. - Da um beijo em sua testa e o coloca no berço, indo até o quarto do filho mais velho.

- Quero crescer logo, omma, para eu poder ter um amor igual o appa. - Diz, segurando o seu ursinho.

- Não tenha pressa querido, cada coisa têm seu tempo. - Diz arrumando seu menininho na cama, dando um beijo em sua testa e velando por seu sono, até se assustar com duas mãos em sua cintura.

- Já disse para não me assustar desta maneira. - Diz baixinho, enquanto sentia a respiração calma do mais novo batendo em seu pescoço.

- Você esqueceu de contar certas coisas para ele. - Diz no mesmo tom do seu amado.

- E o que seria?

- Que naquela noite a “cegonha” nos resolveu presentear com ele. - Diz, dando um beijo estalado em cima da marca que havia feito a 4 anos atrás. - A “cegonha” vulgo Namjoon Júnior - Diz de forma maliciosa.

- Aé? , então você e seu “namjoon júnior” vão dormir no sofá.

Era visível por todos o amor que existia entre aquele dois, apesar de todas brincadeiras pervertidas que ele fazia, Seokjin não conseguia deixar de amar aquele alfa, que conseguia ser mais infantil que os próprios filhos às vezes, e Namjoon não conseguia parar de amar Seokjin, mesmo com suas piadas ruins em horas inoportunas ou seu mau humor logo cedo, a verdade é que nenhum dos dois conseguia se ver sem o outro em sua vida, eles se completavam, eles se amavam, eles eram almas gêmeas destinadas a ficarem juntos nessa e nas próximas vidas...


Notas Finais


" Espero que tenham gostado do capítulo, fizemos com muito carinho!
Bjinhos, mv's e pudins pra vcs! Até a próxima!!"

Link do trailer:

https://youtu.be/DvnPzy4mu6k


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...