História O Proibido - Capítulo 44


Escrita por: ~

Visualizações 310
Palavras 3.267
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Científica, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Saga, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Pansexualidade, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 44 - Pestes


POV ANNABETH (PS: esse cap vai ter muitos pulos no tempo, não fiquem chocadas)

 

— O que você vai fazer? – Thalia perguntou sentando do meu lado – Independente da sua decisão estaremos com você

 

Piper assentiu

 

— Vou ter esse filho – Falei e elas se entreolharam 

 

— Annie... são demônios, não se alimentam de sangue, terá que comer comida normal – Thalia disse passando a mão no meu ombro

 

— Temos que chamar Apolo – Piper disse – Agora. 

 

Eu ainda estava tão chocada com a notícia que eu apenas concordei. 

 

Dois dias depois, Apolo chegou. 

 

 

— Sinceramente, quando elas me contaram que você estava grávida, eu não acreditei – Apolo falou e eu bufei 

 

— Precisamos de ajuda – Thalia falou sentando do meu lado na cama 

 

— Como ela vai alimentar o bebê? Afinal, é um demônio – Piper perguntou 

 

— Bom, como o bebê não tem a malícia de sugar os sentimentos de alguém ainda e os demônios conseguem enganar a fome com comida normal então, você vai comer comida de gente e humanos – Apolo disse e eu fiz uma careta – E você vai ficar um pouco mais, digamos, fria

 

— Ah não – Piper e Thalia murmuraram 

 

— Me contradizendo, o bebê não tem a malícia, ou seja, não sugaria seus sentimentos propositalmente e completamente mas, é um demônio, então instintivamente vai sugar um pouquinho dos seus sentimentos 

 

Bufei de novo

 

— Alguma chance dela morrer? – Thalia perguntou

 

— Ah, várias – Apolo disse como se não fosse nada – Mas você será cuidada e observada por mim, estará em boas mãos. Mudando de assunto, já contou para o papai?

 

O clima ficou tenso e silencioso. Ninguém ali sabia mas eu já tinha tomado minha decisão

 

— Não vou contar pra ele e você também vai ficar de bico calado – Olhei para Apolo e ele assentiu

 

— Annie, tem certeza? É direito dele – Piper disse

 

— Não vou contar. Vou criar esse bebê sozinha 

 

— Sozinha não – Thalia disse 

 

— Bom, evita fazer esforço porque de esforço você vai precisar de muito quando essa barriguinha chapada começar a crescer, já que você só tem um mês de gravidez – Apolo disse – E lembre-se, comida de gente normal. 

 

— Bico fechado – Ameacei e ele assentiu. Se curvou e foi embora 

 

— Annie, Percy precisa saber – Piper me olhou receosa 

 

— Nem uma palavrinha com Silena, ouviu? – Ignorei o comentário dela. Contar pra Percy seria te-lo de novo na minha vida e eu ainda não estava prepara pra isso

 

 

5 MESES DEPOIS

 

 

— Piper, me ajuda a levantar! – Piper entrou no quarto bufando e pegou minhas mãos me ajudando 

 

— Vê se sossega – Ela disse e Thalia entrou no quarto.

 

— Vai a merda – Retruquei. Minha barriga estava enorme e isso me deixava incapacitada de tudo e pior, me deixava com ódio e era o único sentimento que eu andava tendo, já que de amor a criatura dentro de mim sugava. Quando o clã soube, fizeram um estardalhaço. Mal sabiam eles que era de um demônio mas tirando isso, ficaram mais felizes do que nunca. Eu sentia falta de comemorar a festa mais aguardada de todo o mês que era quando todos saíam do clã e quem caçava mais humanos, ganhava alguma coisa em troca. Mas minha barriga me incapacitava até de levantar 

 

— Apolo já está chegando – Thalia falou e eu bufei. Era a coisa que eu mais fazia nos últimos meses

 

— Aquele feiticeiro dos araque – Resmunguei. Ultimamente, eu sentia raiva de todo mundo – Me da isso 

 

Peguei o prato de lasanha que Piper preparou muito mal e comi. 

 

— Argh! Isso ta horrível 

 

— Meu deus, alguém tira essa criança da Annabeth logo – Ouvi Piper resmungar para Thalia que riu

 

— Eu ouvi isso. 

 

— Que bom – Piper retrucou

 

— Majestade. Thalia. Piper – Apolo abriu a porta 

 

— Bater pra que – Resmunguei e Apolo revirou os olhos 

 

— Sente na cama, Annabeth 

 

Sentei na cadeira que tinha perto da janela que dava vista para todas as casas do clã. Olhar pro meu reino me acalmava. Apolo se ajoelhou ficando de cara pra minha barriga e colocou as duas mãos nela, de repente, uma luz vermelha começou a emanar de suas mãos

 

— O que está fazendo? – Perguntei indignada por ele não ter me avisado nada

 

— Não quer descobrir o sexo do bebê? – Ele perguntou e eu olhei pra Thalia e Piper que tinham caras chocadas, pela primeira vez em semanas, eu esbocei um sorriso. Assenti. Ele continuou focado mas começou a franzir as sobrancelhas 

 

— O que foi? Aconteceu alguma coisa com ele?

 

— Não... é que...

 

— Fala logo! – Resmunguei. Thalia e Piper estavam do meu lado preocupadas

 

— Estou sentindo duas vidas dentro de você 

 

— O que?! – Eu, Thalia e Piper falamos tão alto que Apolo deu um pulinho 

 

— Ah, que legal! Dois demoniozinhos – Thalia riu. Seu cabelo já estava preto novamente mas aquilo não me incomodava mais

 

— Um menino e uma menina – Apolo soltou e eu olhei para as meninas que tinham enormes sorrisos no rosto. Elas se abaixaram e me abraçaram, eu sorri

 

 

— Dois demoniozinhos! Ótimo! – Piper disse abrindo uma garrafa d’agua como se fosse champanhe 

 

— Dois? Ah não, só um. – Parei de sorri imediatamente, ele deve ter percebido pois logou se adiantou em explicar – Tirando os humanos, se duas pessoas de dois clãs tiverem gêmeos, cada gêmeo nasce de um clã

 

— Então...

 

— Bem, ou vocês terão uma menina sugadora de sangue e um garoto sugador de sentimentos ou vice-versa 

 

Eu olhei para as meninas que eram uma mistura de felicidade e ri. Eu estava surpresa demais pra falar alguma coisa então eu só sorri 

 

3 MESES DEPOIS 

 

Eu berrei

 

— APOLO, TIRA ESSES TROÇOS DE MIM AGORA – Berrei

 

— Então faz força – Ele falou tão calmo que eu tive vontade de socar a cara dele. Apertei a mão de Thalia com força enquanto Piper colocava um pano úmido na minha testa 

 

— EU TÔ FAZENDO! 

 

— Não o suficiente – Ele respondeu com a calmaria irritante 

 

— VAI A MERDA – Gritei

 

— Pense em alguma coisa que te dê forças

 

Imagens de mim e Percy no internato vieram na minha na minha mente. Nosso primeiro beijo, quando eu o vi pela primeira vez, nós rindo das palhaçadas de Piper e Leo. Berrei. Senti um alívio momentâneo, minha respiração estava ofegante. Choro. Sorri

 

— É a menina! – Piper berrou. Fechei os olhos ainda com a respiração pesada, comecei a ficar zonza 

 

— Annabeth, precisa aguentar – Ele disse e eu assenti. O suor escorria pela minha testa – Mais uma vez

 

Forcei ao mesmo tempo em que gritava

 

— MAIS FORTE – Apolo gritou dessa vez mas eu estava tonta demais – Annabeth! Agora! 

 

Gritei mais uma vez com a dor e agora, eu ouvia dois choros ao mesmo. Então, eu apaguei 

 

xxxx

 

Abri os olhos devagar e depois os arregalei

 

— Onde eles estão? Quanto tempo eu apaguei? 

 

— Calma Annie – Thalia disse segurando um embrulhinho – Piper ta babando na bebê ali atrás. Piper vem aqui

 

Ela colocou no meu colo. Ele era o ser mais minúsculo que eu já tinha visto. Sorri e beijei a testa dele. O cabelo que tinha era tão escuro quanto os de Percy, iguais a petróleo, o que me impressionou foi quando ele abriu os olhos, eram verdes esmeraldas 

 

— Você podia se parecer menos com Percy, não podia? – Falei brincando e Thalia riu. Piper chegou e colocou no meu colo com cuidado a menina. Segurei as lágrimas, o pouco de cabelo que ela tinha era preto que nem os do irmão mas diferente dele, seus olhos eram extremamente cinzas. 

 

 

— Ela parece com a... – Piper começou a falar

 

— Minha mãe, é, parece mesmo – Falei 

 

— Já sabe os nomes? – Thalia perguntou e eu troquei olhares com Piper que sorriu. Thalia percebeu

 

— O que?! Decidiram o nome sem mim?

 

— Bom, do menino, eu e Percy já tínhamos conversado uma vez então eu já sabia. Luke. O nome dele é Luke

 

Thalia e Piper sorriram, as duas limparam as lágrimas escondidas mas eu percebi

 

— E bom... da menina – Falei sorrindo – Eu queria que ela tivesse o nome de uma pessoa que conseguisse suportar e superar tudo. Que fosse forte o suficiente pra tomar suas próprias decisões e que servisse de inspiração pra qualquer um, então Piper falou e eu concordei que o nome dela é Thalia

 

Thalia tossiu engasgada e me olhou com os olhos marejados e logo depois começou a chorar

 

— Annabeth... você tem certeza? – Ela perguntou e eu assenti. As duas me abraçaram e nós três choramos 

 

— Annie, você tem certeza que não vai contar a Percy? 

 

Pensei durante alguns segundos. Eu estava bem. Ele também já que havia parado de me mandar cartas. Nós estávamos bem. Tudo estava bem. 

 

— Tenho, eu tenho certeza 

 

 

10 ANOS DEPOIS (N/A: qnd eu falei que iria ter pulão no tempo, eu não estava brincando) 

 

 

— Luke, cadê sua irmã? – Perguntei e olhei para o garotinho que era literalmente e completamente, Percy.  Luke e Thalia já estavam com 10 anos e se eu achava que eu era rebelde com meus pais, eles eram trinta vezes pior. Luke, na verdade, era um anjo na maior parte do tempo, agora Thalia...

 

Ouvi um gritinho e olhei para a enorme escadaria, Thalia vinha escorregando pelo corrimão. Revirei os olhos enquanto Thalia mais velha e Piper riam na mesa de jantar. Thalia colocou sua espada em cima e sentou pegando um copo de suco com brutalidade

 

— Sem armas em cima da mesa – Luke reclamou

 

— Sem armas em cima da mesa – Thalia imitou falhamente a voz de Luke. Luke chutou a canela de Thalia que ameaçou revidar

 

— Chega. – Falei – Thalia, come. Luke, amanha nós vamos sair pra caçar, ok? 

 

— Eu vou? – Thalia mais nova perguntou e eu assenti

 

— Mãe, quando o tio Apolo vem? – Luke perguntou e Thalia bateu com o garfo na mesa 

 

— Eu disse pra você não lembra a mamãe disso! – Thalia reclamou. Thalia mais velha me olhou como se falasse “essas são suas crias” 

 

— Eu não esqueci, meu amor – Eu disse olhando pra Thalia que fez bico – Filha, eu já te expliquei

 

— Qual a explicação mesmo? – Luke perguntou pra implicar com a irmã que cruzou os braços e o olhou com os enormes olhos cinzas 

 

— Luke, agora não – Falei. A verdade era que Thalia foi a nascida demônio e como o clã jamais aceitaria isso, Apolo disse que podia fazer uma poção que confundiria o cheiro de demônio da pequena mas ela odiava, já que, segundo ela, a poção tinha um gosto péssimo mas para seu azar, ela tinha que tomar todo mês – Thalia, come.

 

Thalia começou a comer o frango enquanto Luke fazia cara de nojo

 

— Cheira a animal morto – Ele disse e na mesma hora eu troquei olhares com Piper e Thalia e começamos a rir. Há doze anos, Piper tinha falado a mesma coisa quando eu peguei o sanduíche de frango do internato 

 

— Claro, é sanduíche de frango – Thalia retrucou o irmão de boca cheia e eu, Thalia e Piper gargalhamos

 

— Mamãe, posso ler uma carta que eu achei hoje? – Luke perguntou e eu assenti enquanto admirava a beleza do pequeno, eu na maioria das vezes não tinha palavras pra descrever o quanto eu amava os dois

 

— Claro – As duas Thalias prestavam atenção junto comigo e com Piper

 

— Annabeth, Piper e Thalia, não sei onde vocês estão mas são três vacas por não darem notícias... – Eu, Thalia e Piper arregalamos os olhos e eu tirei a carta tão rápido da mão dele que ele até se assustou 

 

— Luke, você mexeu nas minhas coisas? – Perguntei amassando a carta. Ele abaixou o olhar e assentiu – O que mais você achou?

 

— Eu li uma carta de um cara chamado Percy falando que te amava – Thalia pequena deixou o frango que estava na boca cair. Um raio foi ouvido lá fora e imediatamente eu olhei pra Thalia que tinha o olhar preocupado. 

 

— Ta bom, ta bom – Piper disse nervosa – Por que vocês crianças não vão treinar o com Nolan? Já ta na hora

 

Ela usava o charme, na mesma hora eu tive vontade de ir treinar com o Nolan mas como Piper estava usando nas crianças, não havia me afetado tanto. O charme de Piper tinha ficado tão forte na última década que só alguém muito poderoso conseguia resistir. Eu e Thalia nunca havíamos testado já que não houve necessidade de Piper usar em nós 

 

— Mas eu não quero treinar com o tio Nolan – Thalia cruzou os braços. Eu, Thalia e Piper arqueamos as sobrancelhas 

 

— É, nem eu – Luke concordou. Eu estava boquiaberta junto com Piper e Thalia. As crianças estavam resistindo ao charme

 

— Levantem-se – Na mesma hora, eu e Thalia mais velha nos levantamos mas Thalia e Luke não – O que...?

 

— Thalia. Luke. Treino, agora – Falei e eles levantaram emburrados 

 

— Mas mamãe quem te ama? – Thalia perguntou mas eu já estava empurrando os dois pra fora, abri a porta e sai do castelo indo de encontro a Nolan. Ele se curvou e eu assenti. Ele entendeu e levou Thalia e Luke para treinar. Voltei pro castelo sentando na mesa com as meninas 

 

— Eles... – Thalia falou

 

— Resistiram ao meu charme – Piper falou quase ofendida

 

Peguei a carta de Silena nos xingando e amassei jogando no lixo. A Rainha das Fadas descobriu que Piper não estava com Jason quando ele voltou pro clã dos demônios. Rachel, mesmo depois de dez anos, nunca foi encontrada mas quando dava, eu saía, sozinha em busca dela. Snow não era mais meu e sim, dos gêmeos. Eles gostavam tanto do Snow que infernizavam a vida do lobo que por um lado eu sabia que gostava, até de cavalinho Snow já foi feito. O lobo não me seguia mais e sim, Luke e Thalia. Ele tinha virado protetor dos gêmeos. Os gêmeos... já sabiam lutar melhor do que Piper e também sabiam da existência dos outros clãs, até mesmo por causa de Thalia, o pequeno demônio, era assim que Thalia mais velha e Piper a chamavam. Inclusive, sabiam que o pai deles era demônio mas não sabiam quem era. Todo ano, tinha a reunião anual dos clãs, onde todos os líderes de todos os clã se reuniam onde eu fazia questão de não aparecer. Era quase como se nós nunca tivéssemos existido por mais que todo ano, eu ainda receba o chamado para ir à reunião

 

xxxx

 

— Mamãe, eu não me pareço como você – Luke disse se olhando no espelho do banheiro do meu quarto no castelo. Thalia que tomava banho falou

 

— Verdade mamãe, nem eu 

 

— E vocês não sabem o quão frustrante isso é – Ri 

 

Tirei Thalia do banheiro e Luke entrou. Coloquei o pijama em Thalia e a deitei na cama, logo depois deitei Luke também e deitei do lado deles enquanto Snow estava deitado perto dos meus pés 

 

— Tentem dormir dessa vez, ok? – Falei – Vocês treinaram muito hoje

 

— Na verdade, a gente treinou o tio Nolan – Thalia falou. Seus olhos cinzas refletiam a luz do luar que entrava no quarto – A gente ta ganhado dele mamãe, ele é fraco

 

Ri e assenti.

 

— Amanhã eu vou treinar com vocês então – Falei e eles comemoraram – Agora dormir

 

— Eu vou treinar com a mamãe primeiro – Thalia disse e Luke chutou ela

 

— Não vai – Ela revidou o chute e os dois começaram a se chutar e enquanto eu ria. 

 

— Ok, chega de se chutar – Falei e Luke me chutou sem querer. Os dois ficaram quietos na hora com medo da minha reação que foi dar um peteleco na testa dos dois. Eles riram e subiram em cima de mim, me mordendo ou beijando, eu gargalhei e quando eles finalmente dormiram, eu dormi também

 

xxxx

 

 

— Ah há – Falei quando a espada de Thalia caiu no chão. Eu limpei o suor da testa – Ganhei

 

Luke ria

 

— Ela também ganhou de você, bocó – Thalia mandou língua pro irmão que emburrou a cara

 

— Com muito custo – Falei. E não era mentira, eu nunca havia suado tanto treinando como eu tinha suado hoje. Realmente, eu tinha gerado dois prodígios. Ri com esse pensamento 

 

De longe, vi Nolan se aproximando

 

— Majestades – Nolan nos cumprimentou e se ajoelhou. Eu assenti mas Thalia e Luke correram pra cima de Nolan puxando os cabelos dele e tentando derruba-lo. Nolan riu e segurou os dois no colo pra falar comigo – Annie, a reunião dos líderes é daqui a dois dias, a Rainha das Fadas quer saber se você vai? 

 

Eu teria dado um soco em Nolan mas teria sido injusto. Ele não sabia que eu não queria que falassem esse tipo de coisa perto dos gêmeos

 

— Até o clã das fadas vai? – Thalia perguntou mexendo nos cabelos de Nolan que assentiu

 

— VAMOS MAMÃE, POR FAVOR, POR FAVOR – Thalia e Luke falaram. Eles tinham noção das questões políticas do nosso clã e dos outros pois estudavam, só não sabia que os líderes já foram meus amigos e que não sabem da existência deles 

 

— Sem condições – Falei e fui sai em direção a varanda real deixando Thalia e Luke brincando com Nolan. Encontrei com Thalia e Piper conversando, elas pararam imediatamente quando me viram 

 

— Annie – Thalia me cumprimentou formalmente demais

 

— O que houve? – Olhei pra Thalia que nem fez esforço pra tentar mentir pois ela sabia que eu descobriria 

 

— Eu e Piper estávamos conversando... e... 

 

— Desembucha – Falei

 

— Annie, é que... foram doze anos longe de Silena e ela longe de Jason – Piper falou e um peso caiu sobre minha cabeça. Eu nunca havia pensando no lado delas, pra mim, falar por cartas já estava bom, mas com elas falando, eu percebi o quão egoísta era meu pensamento – E nós sentimos falta deles as vezes

 

— Estão dispostas a ver Jason e Nico? – Elas me olharam depois sorriram 

 

— Nolan não deve ter falado porque provavelmente não achou importante mas esse ano, o clã dos demônios não vai – Piper disse sorrindo – Vamos ser só nós

 

Suspirei

 

— Annie, nos deixe ir, por favor – Piper disse

 

— Você não precisa me pedir nada, vocês duas não precisam, vocês sabem disso – Falei e elas sorriram – Mas, eu vou com vocês

 

Elas ficaram boquiabertas 

 

— O-o que? – Thalia perguntou

 

— Vamos voltar? – Piper sorriu e Thalia também. Aquilo me incomodou

 

— Se estavam com tantas saudades por que não... – Bufei – Façam as malas 

 

— Thalia e Luke? – Thalia perguntou e eu assenti

 

— Ta na hora das pessoas conhecerem as pestes – Falei e sai da varanda. Ia contra a minha vontade mas era Thalia e Piper né, fazer o que?

 

 

xxxxx

 

 

— Já pegaram suas coisas? – Falei olhando para Luke e Thalia que não paravam de falar sobre isso a manhã inteira. Eles assentiram – Espadas? – Assentiram – Brinquedos? – Assentiram – Livros? – Assentiram 

 

 

Thalia e Piper entraram na sala do trono com apenas uma mochila 

 

— Eles vão correr com a gente? – Piper perguntou e eu assenti – Então tá

 

 

Algumas horas depois, eu vi a tão familiar floresta dos mortos e mais a frente, a mansão

 

— Cansados? – Perguntei pra Thalia e Luke e eles negaram ofegantes – Sei

 

Olhei pra Piper e Thalia que pareciam mais do que nervosas. 10 anos não era muito para nós mas Calipso estava com 29 anos agora. Chegamos na porta e eu toquei a campainha. Nós três respiramos fundo. Snow abanava o rabo, outro que devia estar feliz. Depois de alguns minutos ninguém que ninguém atendeu, Piper abriu a porta e nós entramos. Um falatório alto vinha da cozinha, não era a toa que não tinham escutado. Deixamos as malas na sala e antes que aparecêssemos na cozinha, paramos. Ela olharam para mim, eu ajeitei o bracelete e assenti. Eu segurei a mão de Luke enquanto Piper segurava a de Thalia. Respiramos fundo e entramos na cozinha. O falatório parou na hora quase que brutalmente e a única coisa que eu consegui pensar foi: Fudeu. Me encarando estavam: Silena que segurava um copo de água na mão quase caindo no chão pois ela nos olhava completamente sem reação, o que era uma coisa rara, Leo, Calipso, Frank, Hazel, Charles, Katie, Jason, Nico e Percy

 

— A-Annabeth? – Percy gaguejou  


Notas Finais


NAO DEMOREI AAAAAAAAAA
PRA VCS N SOFREREM HAHAHA
EAI SERA Q DEVO CONTINUAR?
cap meio longo ne


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...