História O Que Eu Sou? - Capítulo 8


Escrita por: ~ e ~TheEscriber2

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Acnologia, Cana Alberona, Carla (Charle), Erza Scarlet, Gajeel Redfox, Gildartz, Grandeeney, Gray Fullbuster, Happy, Igneel, Jellal Fernandes, Laxus Dreyar, Levy McGarden, Lisanna Strauss, Lucy Heartfilia, Makarov Dreyar, Metalicana, Mirajane Strauss, Natsu Dragneel, Rogue Cheney, Sting Eucliffe, Wendy Marvell
Visualizações 139
Palavras 2.720
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Fantasia, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shounen, Suspense
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Yo.
Capitulo novo.

A partir de agora as coisas começão a ficar interessantes.
Lucy Heartfilia está na história agora.
Talvez o time mais forte já esteje pronto para as missões.

Quero agradecer a todos por estarem acompanhando.
No mais é só isso.
Nos vemos lá embaixo.

Boa Leitura

Capítulo 8 - Maga Celestial


Fanfic / Fanfiction O Que Eu Sou? - Capítulo 8 - Maga Celestial

Natsu ON:

 

Eu odeio o despertador.

Definitivamente a pior invenção, foi criada apenas para apitar e jogar água em seus doces sonhos os fazendo derreter.

Bati nele parando aquele som infernal, abri lentamente os olhos e ergui a cabeça, minha visão estava um pouco embaçada, esfreguei os olhos e piscando algumas vezes.

Sentei-me na cama e olhei ao redor, dei um pequeno sorriso enquanto olhava para o meu mais novo quarto.

Era totalmente diferente do meu antigo quarto, as paredes eram de mármore branco com detalhes dourado nos cantos ao invés de tijolos velhos e cinzas, dois lustres no teto e algumas lâmpadas ao redor presas nas paredes, um local bem iluminado.

Dois grandes guarda-roupas de canto em cor preto e branco, no meio deles, a porta para o banheiro. Havia duas camas grandes com dois travesseiros cada, um criado mudo ao lado das camas com um abajur dourado em cima. Havia uma mesa (Provavelmente para estudo) ao lado de uma das camas encostada na parede com estantes pregadas em cima, enquanto do lado da outra cama, havia um pequeno canto com algumas almofadas e um grande Puff amarelo claro.

Bocejei me espreguiçando e levantei da cama, segui em direção ao banheiro para tomar meu banho, se Erza e Mira souberem que dormi sem me lavar, eu serei morto.

Havia um chuveiro do lado direito com alguns produtos, e do esquerdo uma grande banheira branca, no meio deles, um espelho médio com uma pia e ao lado dela um vaso sanitário.

Liguei o chuveiro, para apenas tomar um banho rápido, dormi um pouco demais e não estou com vontade de escutar reclamações sobre meu atraso.

Após terminar, vesti o uniforme, que ainda acho bizarro, e caminhei para a porta da saída.

Fui pras escadas em desci já ficando zonzo, ao pé dela, encontrei Gray e Erza conversando. Ao me verem abriram um sorriso e me cumprimentaram, a ruiva parecia estar um pouco mais animada que o normal, e como sou curioso, decidi perguntar:

 

– Você parece feliz, aconteceu algo Erza? – Perguntei com uma sobrancelha levantada.

 

– Sim, parece que teremos uma aluna nova – Respondeu.

 

– Hum, legal – Respondi sem muito humor, sinceramente, não me importo muito com novos alunos, são mais pessoas para me olhar estranho.

 

– Vamos lá, animação – Disse Gray tocando meu ombro – É sempre bom conhecer pessoas nova.

 

– Para vocês apenas.

 

– Ah, qual é. Quem quer que seja provavelmente não sabe quem é você, mostre esse idiota interior e conquiste-a – Bateu nas minhas costas de modo animado.

 

– Tem razão – Sorri maleficamente – Vou dar um pequeno susto nele, assim talvez eu tenha alguma diversão.

 

Esfreguei as mãos e ri maleficamente enquanto armava um plano para assustar o novo aluno, Erza e Gray me olharam com uma gota na cabeça.

 

– Vamos, não podemos nos atrasar – Erza disse de forma autoritária.

 

Mudança de humor é um ponto forte nela.

Eu e Gray demos de ombros e começamos a caminhar ao seu lado, os corredores da escola estavam como sempre. Cheio de alunos, conversando animados e comentando sobre o novo aluno. Dentre esses comentários, consegui informações interessantes.

 

– Parece que é uma garota linda – Um estudante de cabelos azuis disse com os olhos brilhando – Ela vai estar na Fairy Tail, é uma pena.

 

– Sim, uma grande beldade acabou de entrar na nossa escola, será que ela tem namorado? – Perguntou outro com longos cabelos vermelhos.

 

– Se tiver, só precisamos separá-los, após isso, poderei ter uma chance com ela – Um aluno mais baixo com óculos disse.

 

Isso está começando a ficar estranho.

 

– Até parece que ela vai querer alguém como você – O azulado debochou.

 

– Tem razão, ela irá querer alguém perfeito igual a mim – O Ruivo falou se vangloriando.

 

E logo começaram a brigar pelo título de “Futuro namorado” da nova aluna.

Espero nunca me apaixonar, pelo menos não a esse ponto.

Bem, agora sei que é uma garota. E estará na Fairy Tail. Interessante.

Enquanto caminhávamos, senti os olhares pesarem sobre mim novamente, já estava até sentindo falta disso. Adiantei-me deixando Erza e Gray para trás e fui direto para a sala.

Ninguém havia chegado ainda, a sala estava um completo silêncio. Parece que não sou o único atrasado. Dirigi-me até minha mesa e sentei na cadeira, olhei para trás e notei que as correntes não estavam mais lá. Liberdade.

Desviei o olhar a janela ao meu lado, o dia parecia estar como qualquer outro, ensolarado com algumas nuvens, folhas das árvores dançando ao se desgrudarem de seus galhos e sendo carregadas pelo vento fresco, a grama brilhando em um verde vivo e o lindo canto dos pássaros para deixar aquele ambiente um tanto solitário um pouco mais alegre.

Escutei vários passos, olhei para a porta e vi os alunos entrando e conversando animadamente e se dirigindo aos seus devidos assentos. Notei que o velhote havia entrado também, esperou todos se acomodarem e para, enfim, pronunciar:

 

– Quero pedir a atenção de todos – Disse elevando o tom – Como já devem saber, temos uma aluna nova na escola. Ela estará, a partir de hoje, estudando na Fairy Tail. Tomem conta dela e a ajudem caso ela precise – Olhou para a porta – Venha, apresente-se aos seus novos colegas.

 

Segui seu olhar até encontrar a garota. É eles estavam certos.

Ela era linda.

Tinha cabelos loiros presos com um lenço azul escuro em um rabo de cavalo no lado direito da cabeça. Olhos caramelos hipnotizantes, o rosto levemente ruborizado (Provavelmente pela vergonha) a tornando fofa, em suas orelhas brincos em formato de coração. Devo admitir, ela tinha um belo corpo, com seios volumosos. Vestia uma saia branca, o casaco azul claro com alguns detalhes dourados, o sapato preto e a meia calça branca com uma tira dourada na parte da coxa. Também usava uma espécie de pano branco nos cotovelos que iam até um pouco antes de seus pulsos com partes douradas. Notei que na parte de trás de sua mão direita, havia a marca da Fairy Tail em rosa. Presa a sua cintura, um cinto de couro com um suporte para guardar alguma coisa.

 

– Eu sou Lucy Heartfilia, é um prazer – Disse fazendo uma pequena reverência e depois sorrindo feliz. O pessoal ficou encantado com ela, olhei para o lado e vi alguns garotos com corações nos olhos, um Alzack com um galo na cabeça e Bisca com os braços cruzados e com sua expressão nada amigável, Gray mantinha um olhar neutro e Erza parecia animada em conhecê-la, Levy por outro lado, olhava-a intrigada, como se tivesse tentando se lembrar de algo. A nova aluna olhou para todos com uma expressão animada, até seu olhar cair sobre mim. Assim que me viu, desviou o olhar um pouco... Envergonhada?

Ri nasalado pela sua ação, acho que estava encarando de modo intenso demais.

Porém, algo nela me chamou a atenção.

Seu cheiro.

Farejei um pouco o ar de modo discreto tentando reconhecer.

Espera, esse cheiro é...

 

– AH! – Levy gritou espantada – Agora lembrei, a família Heartfilia é bem famosa. Eles não são...

 

– Sim – O velhote a interrompeu sorrindo – Lucy Heartfilia. Filha de Layla e Jude Heartfilia, os atuais rei e rainha do país dos anjos. Ela é a princesa herdeira do trono real.

 

Escutei todos gritando surpresos, então era isso, o cheiro de um anjo.

Os anjos eram criaturas celestiais, considerada a raça mais linda e pura, raramente saiam de seu país, apenas para tratar de assuntos mundiais ou da guerra contra os demônios. Eles eram muitas vezes adorados pelos humanos, diziam que eles conseguiam curar feridas e dar bênçãos divinas para proteção e coisas parecidas. Tinham belas asas de penas brancas e uma aréola dourada em cima de suas cabeças.

Mas ela não tinha nada desse tipo, deve estar escondidos para não atrair muita atenção.

 

– Certo, agora precisamos ver onde será seu lugar – O velhote disse pensativo.

 

– Eu posso me sentar ali – A loira disse apontando para o lugar ao meu lado, acho que isso vai dar problema depois.

 

Tive uma ideia.

 

– É melhor não pegar esse lugar – Anunciei com a foz fria e um sorriso maldoso – Não ficou sabendo que nessa escola tem o filhote de um dragão? – Ela me olhou de relance, ainda um pouco corada, será que já coloquei medo nela? – E sou a cria de um dragão, sou considerado a coisa mais perigosa daqui – Senti o olhar fuzilante de Erza, mas apenas ignorei – Se ficar perto de mim, eu posso acabar te matando.

 

A sala ficou em total silêncio, todos estavam espantados pelo que eu disse, o velhote me olhava com a cara de “O que você está fazendo?” enquanto Gildarts tinha um pequeno sorriso de canto. Ela agora me olhava com seriedade.

 

– Não acho que você faria algo desse tipo – Lucy disse.

 

– Oh, e por que não?

 

– Bem, se quisesse você já teria feito isso com alguém daqui não é? – Perguntou me deixando espantado – Mas vejo que ninguém aqui tem medo de você, então devem considerá-lo como um amigo, certo?

 

Agora, a tensão da sala havia sumido, e o espanto tomou conta. Ela havia sido a primeira a me responder, os outros novatos ficavam com medo e mudavam de sala.

Após um tempo a encarando, comecei a rir. Todos olhavam para mim confusos, a garota loira também.

Levantei-me e andei até a mesa ao meu lado. Puxei a cadeira, que até agora nunca havia sido usada, e olhei para a novata.

 

– Madame – Disse de modo educado, ela me analisou por um tempo e depois abriu um sorriso, veio até minha direção e se sentou na cadeira, me direcionei até o meu lugar e antes de me sentar, fiz uma reverência e disse – É um prazer, sou Natsu Dragneel, o Dragon Slayer de Fogo.

 

– O prazer é meu – Respondeu sorrindo, me sentei e olhei para o velhote.

 

– Nunca achei que viveria para ver isso – O velhote assim como Gildarts estavam perplexos – Alguém enfrentou o Natsu, eu preciso me acalmar. Qualquer coisa estou na enfermaria.

 

Saiu cambaleando, dei uma pequena risada com sua reação.

 

– Bem, vamos começar – Gildarts chamou atenção de todos – Abram o livro de Criaturas Míticas.

 

E lá vamos nós.

 

 

(...)

 

 

Gildarts havia encerrado as aulas mais cedo para que todos pudessem conhecer a Lucy que no momento, está rodeada pelas garotas e sendo admirada pelos garotos, Gray estava encostado na minha mesa enquanto escutávamos a loira ser bombardeada por varias perguntas.

 

– Então, você é mesmo um anjo? – Levy perguntou com os olhos brilhando de emoção, recebeu apenas um aceno envergonhado como resposta – Você pode me mostrar?

 

Lucy pareceu hesitar um pouco, mas cedeu ao ver a cara da baixinha. Afastou-se um pouco dos demais e fechou os olhos. Logo, um grande par de asas brancas como neve haviam surgido em suas costas, juntamente com uma aréola dourada brilhante em sua cabeça. Ficamos maravilhados com sua aparência, ela abriu os olhos e nos olhou. Ela deve ter ficado envergonhada com muitas pessoas a encarando, pois assim que percebeu, fechou suas asas rapidamente e fazendo sua argola dourada desaparecer.

 

– Que linda – Levy ficou admirada com a visão.

 

– Realmente muito linda – Mira concordou – Então Lucy, com sua beleza, você já deve ter um namorado não é? – Perguntou abafando uma risada maliciosa.

 

– Er, eu... – Lucy havia ficado sem palavras, ela estava vermelha pela pergunta, baixou sua cabeça e disse – Eu não tenho.

 

– Serio? Então o que acha de procurarmos alguns meninos bonitos depois?

 

Rimos com sua proposta enquanto Elfman começou a resmungar.

 

– Que tipo de magia você usa Lucy? – Agora Erza perguntou.

 

– Eu sou uma maga de Espíritos Celestiais – Respondeu normalmente, mas aquilo surpreendeu todo mundo, principalmente eu – O que foi?

 

– A magia dos Espíritos Celestiais é algo bem raro – Levy disse – Até onde sei apenas a princesa Hisui usa essa magia.

 

– Hisui E. Fiore?

 

– Sim, a princesa do reino dos humanos, você a conhece?

 

– Mas é claro – Lucy disse animada – Ela é minha prima.

 

.

 

.

 

.

 

– OQUE?! – Todos gritaram.

 

O que diabos está acontecendo? Estamos tendo revelações demais por um dia.

 

– Ela é filha da minha tia, por isso ela pode usar a magia dos Espíritos – Explicou – Apenas a família real tem essa capacidade.

 

– Espera, como ela é parente da família real e é a princesa do reino humano? – Mira perguntou confusa.

 

– Bem, é uma historia um pouco complicada – Respondeu sorrindo sem graça.

 

– Conta, por favor – Levy pediu.

 

– Bem acho que não tem problema, mas eu vou contar as partes mais importantes – Suspirou – Há muito tempo atrás, o príncipe dos humanos se apaixonou por um anjo. Porém, naquela época era proibido um relacionamento entre diferentes raças e com isso, eles se encontravam as escondidas. Com o tempo, o amor deles foi crescendo cada vez mais, até que não pudessem mais ficar longe um do outro. E então, eles fizeram uma grande idiotice e tiveram uma filha contra as leis – Ela estava brava. Parece que os anjos não eram tão puros assim.

 

– Não sabia que o rei era tão sem vergonha a esse ponto fufufu – Mira disse rindo.

 

– Continue – Pediu Levy.

 

– Após as duas raças terem descoberto sobre a criança, tiverem uma grande discussão, foi um grande alvoroço. Com isso, o príncipe decidiu criar uma lei permitindo esse tipo de relacionamento. Essa foi à parte mais difícil, ele teve que lutar muito por isso. Um mês antes do parto, ele conseguiu, com ajuda de outras raças que apoiavam a ideia, firmar a nova lei. Ele pediu minha tia em casamento, e logo, Hisui nasceu.

 

– Vocês são próximas? – Erza perguntou.

 

– Sim, somos como irmãs. Quando crianças, sempre brincávamos e praticávamos juntas. Minha tia é como uma segunda mãe, sempre cuidou de mim quando eu era criança, principalmente quando eu aprontava demais e minha mãe ficava brava. Ela me ensinou muitas coisas. E meu tio, o rei humano, me ensinou sobre a cultura humana, eu até que conheço bastante. Mas, algo aconteceu.

 

– O que?

 

– Bem – ela parou um pouco, seu semblante se tornou triste – Quando nós tínhamos cinco anos, minha tia teve uma doença desconhecida e não conseguiram achar uma cura. Ela suportou por um ano, mas um dia antes do aniversário de seis anos da Hisui, ela acabou morrendo. Hisui odeia seu aniversário por se lembrar da morte de sua mãe. Nós a acolhemos, mas ela ficou chorando por dias pela perda, eu tive que ser forte e não chorar, para mostrar que estava tudo bem e que ela sempre teria a mim. Aquilo foi... A pior coisa que já me aconteceu.

 

Fiquei chocado quando ela disse, nunca achei que uma historia linda de superação por amor pudesse ter um final tão triste.

Quando olhei para o lado, todos estavam pasmos, algumas garotas estavam derramando finas lagrimas.

Lucy tinha um pequeno sorriso triste, parecia quere chorar a qualquer hora, mas tentava se manter firme.

Levantei-me e andei em sua direção, peguei delicadamente sua mão e disse:

 

– Se importa de vir comigo? – Ela pareceu surpresa, mas aceitou.

 

Levei-a até o alto de umas das quatro torres do castelo, lá sempre tinha uma vista linda. Por sorte, os alunos ainda estavam nas salas, então não teriam como pensar coisa errada dela.

Ao chegarmos, vi que ela ainda parecia triste, então apenas disse algo, que sempre quis escutar:

 

– Se quiser, pode chorar – Falei gentilmente – Não tem ninguém aqui e não vou contar nada sobre isso.

 

Após ouvir minhas palavras, ela me abraçou com força, fiquei surpreso com seu ato repentino, mas a abracei de volta de modo reconfortante, para que ela se sentisse segura. Ela chorava e soluçava igual uma pequena criança que havia se perdido de sua mãe.

Sei que não a conheço, mas sei a dor de perder alguém. Ela confiou em mim mesmo sem saber quem eu sou. Tudo para poder se afundar em sua tristeza há tanto tempo guardada em seu coração. Ela foi forte por tempo demais.

Isso acabou me lembrando de algo.

Algo que eu queria.

Que eu sempre quis.

Queria que alguém fizesse isso por mim.

Que me abraçasse.

Que me dissesse:

Vai ficar tudo bem”.

Ou.

Estou aqui por você”.

Que me fizesse sentir segurança.

Sentir conforto.

Sentir que eu pudesse contar com alguém nessas horas.

Poder chorar todas as minhas mágoas.

Todas as minhas dores.

Tudo que eu tinha direito.

Mas eu prometi.

Que nunca choraria.

Que seria forte.

Mas.

Mesmo assim.

Eu queria ter alguém.

Que me escutasse.

Para que eu possa chorar.

Para que eu possa sentir.

Sentir, que ainda sou...

 

 

 

 

 

 

Humano.


Notas Finais


Clichê?
Clichê
Mas não quer dizer que eles já estão pra se pegar.
Nossa que rude falar assim.

Como eu disse, minhas aulas voltaram.
Mas a Lucy chegou.
Então estou bem empolgado pra fazer os novos capítulos.

Enfim, espero que tenha gostado.
Diga-me o que achou e se preciso mudar alguma coisa, mande sugestões ou apenas de um oi.
Isso é tudo.
Até a próxima.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...