História O que se podia fazer de errado quando ela era ele? - Capítulo 63


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO, Girls' Generation
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Personagens Originais, Sehun, Taeyeon, Xiumin
Tags Exo, Xiuhun
Visualizações 65
Palavras 533
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Romance e Novela
Avisos: Estupro, Homossexualidade, Sexo, Transsexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


O bônus I, II e III acontecem no início do namoro Baeksoo. É uma cena engraçada que eu não consegui colocar entre as outras lá em cima, porque o Chanyeol estava ganhando destaque e espaço. Por erra razão, ficou mais fofo no final como uma brincadeira.

Capítulo 63 - Bônus I


Fanfic / Fanfiction O que se podia fazer de errado quando ela era ele? - Capítulo 63 - Bônus I

Baekhyun fazia sombra com o livro “O Guia Do Mochileiro Das Galáxias” em seu rosto ao deitar-se no banco contínuo da biblioteca e Kyungsoo mantinha-se sentado ao concluir os seus cálculos de matemática. Uma música calma espalhava-se pelos fones de ouvidos de ambos, a janela fechada fazia barulho com os galhos da árvore seca batendo no vidro. Mas, era comum os dois dividirem o mesmo espaço para leituras e estudos durante as tardes, depois do horário das aulas. Duas latinhas de suco gelado deixavam o suor da bebida acumular em gotinhas na mesa, e as gargantas deles estavam ranhosas por causa da umidade.

Logo, Baekhyun fechou o exemplar número três da série que havia ganhado de presente seus avós e apoiou os braços na mesa de maneira preguiçosa e faceira, “Eu quero ir pra casa”, murmurou ele sem que Kyungsoo lhe desse alguma atenção. “Se você quiser, vá logo, não precisa me esperar para fazer nada. Eu preciso estudar”, Kyungsoo falou após fazer silêncio, "Podemos só dar uma pausa, comprar mais suco...", e Baekhyun ficar devorando-o com os olhos arteiros numa voz melódica que não parava de dançar até ele. O ambiente se prolongou tanto que Baekhyun esfregou a sua perna por de baixo da mesa, pela perna de Kyungsoo, subindo para o meio delas e esfregando para baixo novamente.

Ele levantou a cabeça bem devagar, observando as pessoas ao redor e a biblioteca era o lugar mais seguro que poderiam permanecer na companhia um do outro sem que alguém os perturbasse, pois ninguém com popularidade andava por ali. Kyungsoo dedicou um olhar severo a Baekhyun que parecia expert em disfarçar as suas traquinagens, formando um bico sutil nos lábios, folheando o seu livro com a ponta dos dedinhos enquanto a perna dele fazia estragos por de baixo da mesa. O que deixou Kyungsoo mais constrangido ainda, porque o máximo de contato erótico que já teve foi assistindo a filmes pornôs e masturbando-se no banheiro de madrugada.

Eles faziam praticamente tudo junto desde que Chanyeol não estivesse por perto, coisa que se tornou mais corriqueira depois de uma semana ou de duas. Kyungsoo e Baekhyun estudavam na mesma classe, às vezes almoçavam juntos e noutras tantas voltavam para casa depois da biblioteca passando no café quando Sehun não estava no balcão. O convívio se estendeu tão rapidamente que nem mesmo Baekhyun e Kyungsoo estavam percebendo onde queriam chegar em detalhes. Porque Baekhyun sentia até mesmo saudade do cheirinho da colônia de Kyungsoo enquanto que Kyungsoo tinha que reversar pensamentos matemáticos para encobrir os pensamentos pornográficos.

Eles gostavam de permanecer perto e continuar dentro daqueles momentos, mesmo que significasse apenas estudar e não dizer nada além disso. E sobre beijos? Kyungsoo pensava muito mais neles, porém, a relação com Baekhyun estava indo devagar, num ritmo lento que ele tomou preferência a que atropelar as suas próprias suposições sobre sentimentos que ainda estava conhecendo. Mas nada estava justificando aquele atrevimento. Absolutamente nada. Kyungsoo sentiu o pé de Baekhyun enfiar-se entre suas pernas e de imediato fechou os cadernos, os livros, colocando tudo na mochila e saindo abruptamente da biblioteca com o olhar inesperado de Baekhyun, sem saber exatamente o que havia feito para irritá-lo tanto.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...