História O secretário (Namjin) - Capítulo 30


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO, Girls' Generation, TWICE
Personagens Chanyeol, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Sooyoung, Suga, Taeyeon, Tiffany, Tzuyu, V, Yoona
Tags Bangtan Boys, Bts, Exo, Girls' Generation, Hot, Jikook, Namjin, Taegi, Twice, Yaoi
Visualizações 246
Palavras 4.091
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Festa, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Segurem os corações (e otras cositas más), porque o capítulo ta top!

Capítulo 30 - Pedido de desculpas


Fanfic / Fanfiction O secretário (Namjin) - Capítulo 30 - Pedido de desculpas

— Hyung? – Namjoon diz. – Posso dizer uma coisa?

— É claro. – Jin responde.

— Jin hyung, sinto muito por não parecer estar feliz por você sobre o anúncio do... do meu pai. Eu estava em choque, o que sem sombra de dúvidas era a intenção dele. Mas, por favor, saiba que eu estou muito orgulhoso de você e que eu estou... – ele tenta reprimir a próxima palavra, como se ela o ferisse simplesmente por dizê-la – realmente feliz por você ter ganhado essa bolsa de estudos.

— Obrigado. – o moreno responde vagamente, não esperava que o loiro dissesse uma coisa daquelas.

— De nada. – Namjoon diz. Ele limpa sua garganta, e as próximas palavras saem de seus lábios em uma enxurrada. – Mas eu quero deixar bem claro que não estou desistindo de você. Eu te quero por quanto tempo possa te ter, independentemente se isso for um mês ou...

— Eu terei um jantar com, hum, Hoseok no sábado para acertar as coisas, mas aparentemente nós estaremos partindo dentro de um mês, contando a partir de ontem.

Hoseok havia mandado uma mensagem mais cedo para o moreno, soando alegrinho demais e dizendo que eles deveriam "discutir" todos os detalhes da viagem juntos.

— Eu vou com você. – o loiro diz com uma autoridade abrupta em sua voz. – E você vai ficar na minha casa amanhã?

 

 

 

 

 

Namjoon está de ressaca. Parece que há um exército dentro da sua cabeça, marchando e brandindo espadas e o enlouquecendo. Antes mesmo dele tentar abrir seus olhos, passa uns bons dez minutos analisando por que o exército na sua cabeça tem espadas ao invés de armas. Finalmente chega à conclusão de que eles são um tipo antiquado de guerreiros Espartanos, então não tinham descoberto ainda o poder das armas de fogo e essas coisas.

Os dez minutos depois disso Namjoon gasta pensando em como foi bom sonhar com o Jin. Ou com os lábios dele. O loiro também passou toda a noite pensando nele.

Uma vez que se liberta dos seus pensamentos, se levanta do chão (ele tem plena certeza de que havia apagado no sofá, mas aparentemente rolou de lá em algum momento) e marcha até o chuveiro.

A clareza dos seus pensamentos provocados pelo tempo, pela generosa dose de whisky e pela raiva do Jin no telefone noite passada, fez o loiro perceber que talvez ele tenha exagerado um pouquinho ontem. Ou tenha sido grosso demais, depende do ponto de vista. O que ele deveria ter feito era ter dado a Jin um falso sorriso animado, felicitando-o pela viagem, e então abraçá-lo daquela forma bem clichê, tipo levantá-lo-do-chão-e-girar-sem-parar. E só então poderia passar os 28 dias seguintes convencendo Jin que ele não conseguiria viver sem sua companhia.

Mas ao invés de ter feito isso, o loiro logo de cara implorou para que seu hyung ficasse e depois simplesmente o abandonou no escritório como um verdadeiro menino mau.

O loiro saí do banho quente e da uma boa olhada em si mesmo através do espelho embaçado. O homem que o encara de volta parece que tinha ido ao Inferno e retornado. Há uma sombra em seu maxilar trincado, sua pele está pálida, isso sem falar nas olheiras sob seus olhos.

Isso é loucura. Namjoon amou Jin por muito tempo, por meses, mas sempre se manteve distante para não o magoar. Agora ele finalmente compreende o que Taehyung quer dizer sempre que fala sobre a "epicamente dramática reação exagerada" do irmão mais velho para às coisas. Quando chegou em casa ontem depois que Jin deixou o escritório sem si, rumou diretamente para a biblioteca (seu porto seguro) com uma garrafa de whisky de malte e os olhos marejados.

É sério. Um homem com seus quase vinte e quatro anos, valendo bilhões de wones, sentado em seu apartamento, entornando um uísque de 600 pratas e com os olhos marejando. O loiro não chorava desde que tinha seis anos, quando sua mãe e seu pai saíram de viagem um final de semana e ele sem motivo algum se convenceu de que eles não voltariam mais pra casa.

Apenas o pensamento de Jin partindo dentro de um mês o fez cair em um estupor miserável. Então, quando o moreno ligou, foi como se alguém tivesse dado uma sobrevida no loiro na última hora. Até aquele momento Namjoon estava tão desesperado para ouvir a voz de seu hyung, para se desculpar, que parecia que Jin estava respondendo à sua prece silenciosa.

Enquanto escova os dentes, traça um plano de ação. Nas últimas semanas havia feito tantas resoluções em relação à Jin que elas estão começando a ficar redundantes; mas desta vez o loiro irá englobar todas elas no seu futuro comportamento.

Jin e Namjoon ainda tem que pôr em pratos limpos o que está se passando entre os dois; digo, além da casual definição de namorados. Na cabeça de Namjoon, ele já está planejando onde irão passar a lua­-de­-mel, mas na realidade o status deles é muito menos oficial que isso. Este é mais um tópico com o qual Namjoon deverá lidar assim que estiver um pouco mais controlado.

Namjoon vai logo dizer que o ama. Ele não está mais preocupado em ter certeza de que Jin sente o mesmo, ele sabe que não tem mais tempo a perder.

As horas estão passando, o prazo está se aproximando e seu tempo com Jin irá se esgotar.

Jin havia mandado uma mensagem para o loiro antes de sair de sua casa, avisando que Jimin está o levando para o trabalho e que os dois irão passar em um lugar no caminho.

 

 

 

 

 

Quando o loiro saí do seu elevador, Taehyung, Jungkook e Jin estão ao redor da mesa do terceiro, os dois irmãos de Namjoon um de cada lado de Jin. Jungkook tem uma mão esfregando calmamente o ombro do moreno, e Taehyung está batendo em suas costas com tanto vigor que é certeza de que Jin teria caído se não tivesse os sapatos firmemente plantados no carpete.

Namjoon está acostumado com o calor que explode em seu corpo com a visão do moreno, e com o ciúme automático e desmedido ao ver qualquer outra pessoa que não seja si mesmo o tocando. Mas não está acostumado com o novo aperto doloroso em seu peito, que vem para lembrar que seu tempo é limitado.

Os três se viram quando Namjoon casualmente pigarreia, todos o dando sorrisos distraídos de boas vindas. É então que o loiro percebe que havia chegado em um momento de... conforto, onde seus irmãos estavam dando uma força e Jin estava sendo o consolado.

— Namjoon hyung! — Taehyung fala alto demais, erguendo suas sobrancelhas para o loiro. — Um passarinho me contou que você
estava bêbado noite passada, irmão!

Ok, o caso nem é tão extraordinário assim. Aparentemente Jin só confidenciou aos irmãos de Namjoon sobre algumas coisas. E o loiro se pergunta há quanto tempo isto vem acontecendo, e decidi que descobrir isto irá para a sua listinha de afazeres.

Em resposta a Taehyung, o loiro ergue suas sobrancelhas tão alto que elas provavelmente estão alcançando o seu cabelo bagunçado. Jin tem a decência de parecer ligeiramente envergonhado de si mesmo, embora haja um pequeno sorriso em seus lábios rosados. Jugnkook olhava para Namjoon daquele seu jeito calmo e sério, e o loiro sabe que ele entendeu – embora não tenha sido dito – o que havia me deixado naquele estado.

— Aigo, não fique bravinho, hyung! — Taehyung sorri perversamente, adorando o fato de estar conseguindo aborrecer o irmão mais velho.

O loiro apenas  lhe lança um breve olhar e se aproxima de Jin.

Por trás dele e afundei seu rosto nos cabelos castanhos, inalando o seu perfume de limão e suspirando em contentamento. Tê-­lo em seus braços, com a sua cabeça encaixando perfeitamente sobre seu queixo, o da um lembrete tangível e físico de pelo que está lutando.

— Bom dia, hyung. — Namjoon sussurra, passando de leve sua boca pelo pescoço dele, mal registrando os sons de ânsia que Taehyung e Jungkook fazem brincando. — Você está bem?

Jin se vira, se inclinando para esfregar o seu doce narizinho no do loiro.

— Eu estou feliz que vou dormir com você hoje — o moreno desce sua cabeça para poder falar próximo aos lábios umedecidos do loiro. — Você tem medo do escuro?

Namjoon não faz ideia de que linha de pensamento Jin está seguindo, então sacode sua cabeça enquanto beija a ponta do nariz do moreno, franzindo a testa em confusão.

— Não. — Responde. — Por que?

— Hmm. É bom saber disso.— Jin murmura antes de passar a língua sobre os lábios do loiro, enviando uma corrente elétrica diretamente para o meio das pernas dele. — Então eu não irei me sentir tão mal quando vendar você mais tarde.

— Hyungs! — A voz alta de Jungkook invade de repente a bolha deles, e Namjoon pode ver pelo rubor das bochechas de Jin e pela maneira que ele se afastou às pressas, que ele havia se esquecido da presença dos seus irmãos, também.

— Arranjem. Um. Quarto! Ou ao menos vão dar conta dessa tensão sexual toda em um dos cubículos do banheiro!

Jin se encaminha até a porta. Quando ele está a meio caminho para fora da sala, olha para seus dongsaengs e sorri.

— Talvez eu faça isso mesmo.

Os três mais novos ficam parados depois que ele sai, com suas bocas abertas, e Taehyung se vira para Namjoon com aquela expressão fixa em seu rosto.

— Hyung. — Ele diz seriamente, balançando sua cabeça. — Você criou um monstro.

E Namjoon não pode discordar.

 

 

 

 

— Nam!! — A voz alegre de Jin ecoa pelo apartamento do loiro.

— Na cozinha, hyung. — o outro chama, tentando arrumar seus cabelos para disfarçar seu nervosismo. Jungkook havia o ajudado a cozinhar, e Namjoon diz à Jin para esperar na biblioteca enquanto esquenta tudo. Felizmente Jungkook tinha deixado instruções detalhadas de como fazer isso, já que Namjoon não tem nem a mais vaga ideia sobre como mexer no forno – um fato que fez Jungkook dar boas risadas.

O loiro passa os últimos dez minutos zanzando pela cozinha, tão nervoso e impaciente quanto estava na última vez que teve Jin esperando por si na biblioteca. Naquela época ele teve a desculpa de que era a primeira vez deles juntos; mas agora ele está surtando por não ser capaz de nem pensar em Jin indo para longe daqui a algumas semanas.

Jin e ele passaram o dia inteiro flertando, tanto que Taehyung e Jungkook os abandonaram no almoço com olhares nauseantes nos rostos, resmungando consigo mesmos sobre a excessiva demonstração de carinho em público deles.

O loiro só consegue pensar em como vai sentir falta disso. E como se os seus nervos não estivessem alados o suficiente, Jin entra na cozinha parecendo muito presunçoso e segurando um livro.

E o pior é o fato que, enquanto Namjoon surtava psicologicamente, Jin tinha aparentemente vasculhado seu closet e agora usa a sua camiseta de basquete e até que ficou legal.

— H-hyung — o loiro gagueja, mas não entende o porque. — Que livro você está lendo?

A capa está debaixo do seu braço, e Namjoon realmente queria que ele permanecesse desse jeito, porque um segundo mais tarde o moreno joga o livro no balcão entre eles dois e sorri, enquanto solta um muxoxo.

O loiro olha para o livro. E é claro, descansando lá bem lindo e bem belo, está "O Sequestro da Bela Adormecida" de A. Q. Roquelaure.

Quando Jin o contou que estava lendo este há algumas semanas, o loiro não pôde evitar e fingiu que não o conhecia, só porque queria ouvir Jin falando.

Mas agora, ele tem o leve pressentimento de que irá pagar por esse erro.

Com juros.

Lutando para evitar o que está por vir, Namjoon rapidamente mente através dos seus dentes cerrados.

— Eu comprei esse livro depois que você despertou a minha curiosidade umas semanas atrás... Sabe, para ver o porquê de todo o alvoroço. Eu nem mesmo comecei a ler.

Jin sorri amplamente e, sem dizer uma palavra, abre o livro em uma página qualquer, coberta com sublinhes e anotações nas margens. Até mesmo Namjoon pode reconhecer a sua caligrafia, e está rezando pra que Jin não tivesse se dado conta disso enquanto pensa em algo para se defender, porque ele está realmente desesperado;

— Nós podemos ir até onde eu comprei no final de semana. E eu posso reservar algumas prateleiras aqui da biblioteca e você pode começar a sua própria coleção.

Aparentemente aquilo soou ainda mais descabido, porque Jin deixa escapar uma risada perversa e pega o livro mais uma vez. Então ele abre a contracapa, onde está escrito "Kim Namjoon" juntamente com um carimbo de identificação da livraria da faculdade onde ele estudava.

— Er... — Namjoon suspira simplesmente, derrotado. – Eu queria ouvir você me contar essas coisas sobre o livro.

— Namjoon — Jin ri, subindo em uma banquetinha e se apoiando sobre o balcão. — Você não pode mentir para mim.

O loiro se inclina sobre o balcão também, fazendo sua melhor cara de cachorro-­que­-foi­-chutado­-do-­caminhão-­da-­mudança. Esperando que seus pequenos olhos pidões estejam transmitindo um tipo de recado qualquer de desculpas.

— Acho que eu mereço um pedido de desculpas melhor.

E foi por isso que Namjoon se encontrou, uma hora mais tarde, deitado de costas na sua cama e com seu coração batendo tão rápido que suspeitou estar à beira de um ataque cardíaco. Sua ereção renasce das cinzas enquanto está numa batalha olhos-­nos­-olhos com Jin – que está parado aos pés da cama com o mesmo sorriso que exibiu durante todo o jantar.

— Você quer que eu o quê? — o loiro sussurra sem fôlego.

Jin revira seus olhos como se Namjoon fosse mentalmente retardado e repete lentamente:

— Eu quero que você erga as mãos sobre a cabeça, eu vou te amarrar junto à cabeceira. Namjoon, isso não é muito difícil.

O cérebro do loiro para enquanto se arrasta até a cabeceira, sua cabeça deitando no travesseiro, mas sem manter contato visual com Jin. Mostrando para o moreno que será um bom menino, humildemente ergue seus braços acima da sua cabeça, prendendo­-os em torno das barras de metal da cama.

— Eu sou todo seu, hyung — o loiro diz sob sua respiração, esperando que a sua melhor voz­-de-­orgasmo­-espontâneo o faça esquecer isso tudo e agarrar a si.

Mas, não. Jin vai para o lado da cama, cuidadosamente sem tocar nada além dos pulsos do loiro enquanto usa duas gravatas para o manter atado no lugar. Mesmo o menor contato faz a respiração do loiro falhar, e Jin ri baixinho.

— Você não vai mais mentir para mim, não é, meu querido? — Jin sorri, enrolando uma terceira gravata em seus dedos. O loiro tem uma sensação gostosa e estranhamente romântica em seu coração quando o moreno adicionou o "meu" antes de "querido". Namjoon sabe que o moreno poderia colocar "meu" antes de qualquer coisa e ele teria amado o sentido de posse que aquilo implicava.

— Nem sonharei com isso. — o loiro responde com uma voz profunda, sem qualquer propósito desta vez. Seus olhos estão fitando intensamente os dele, tentando transmitir "Eu te amo" sem as palavras reais. Deus sabe que Namjoon não conseguirá dizê­-las neste momento sem que seu hyung pensasse que ele só está incrivelmente excitado. E tudo bem, ele está.

Em retaliação ao seu olhar, Jin levanta a terceira gravata e a segura em volta dos seus olhos, mergulhando­ o loiro na escuridão e imediatamente aumentando-o todos os seus outros sentidos.

O loiro sente um movimento ao seu lado na cama e o quadril de Jin deslizando ao longo do seu, e o loiro está fazendo exercícios mentais de respiração, então Jin está sentado em seu colo e seus lábios se juntam aos do loiro, e esse ergue cegamente sua cabeça de encontro ao beijo, grunhindo quando sente o gosto bom dos lábios de seu hyung.

O loiro arfa no intervalo dos beijos violentos.

Ele não deveria ter feito isso, pois no segundo seguinte Jin está afastando sua cabeça da dele, ignorando os lábios que o loiro está procurando. Em sua defesa há o fato de que faz apenas algumas semanas desde o primeiro beijo deles – então é perfeitamente compreensível que ele não queira nada mais do que colar seu rosto junto ao do moreno.

Porém, até mesmo uma pequena e honesta parte de si sabe que não terá fim ao seu desejo desesperado em nenhum futuro próximo.

 A sensação dos dedos e mãos quentes serpenteando pelo corpo do loiro enquanto o moreno se mexe é insuportavelmente erótica sem a visão do loiro como guia.

Ele ouve o som de tecido e sabe que o moreno está tirando sua camiseta.

Um som não identificável escapa do fundo da garganta do loiro, e ele cerra seus dentes para impedir que qualquer outro saia. Sente a respiração quente de Jin próximo a seu mamilo, e antes que eu possa fazer qualquer coisa o moreno está chupando e mordendo, fazendo o loiro jogar a cabeça para trás e esticar o pescoço de prazer.

Depois o moreno pressiona seu corpo no do loiro, seu pequeno queixo se apoiando no peito do outro.

— Entããão — Jin fala lentamente, como se ele não estivesse deitado em cima de um homem vendado e totalmente fora de si — Eu aposto que você estava se perguntando por que peguei carona com o Jimin para o trabalho hoje.

Felizmente a resposta do loiro não está sendo esperada, e ele ouve seu hyung pegar algo e o som de uma tampa sendo tirada de uma garrafa. A expectativa de não saber o que é o deixa inquieto.

— Nós tivemos que parar em uma loja... especial que o Jimin conhecia... — Jin está descendo pelo corpo do loiro novamente. — Depois que eu expliquei a ela que queria lamber cada parte do seu corpo... — As suas pernas estão em volta das coxas do outro, puxando a calça junto das boxers dele e criando uma dolorosa barreira sobre sua ereção. — Ele sugeriu que eu comprasse um óleo, para massagem...

Ok.

Aí está o ataque cardíaco de Kim Namjoon.

O loiro sente uma coisa morna e pegajosa cair sobre seu peito, abdômen, clavícula e braços. Então as suas mãos estão esfregando o óleo por cada centímetro da pele do loiro, colocando apenas pressão suficiente para o fazer contorcer em êxtase.

— Agora eu tenho que te limpar... com a minha língua.

Namjoon estava prendendo todo e qualquer ruído antes disso, mas quando sente a língua do moreno nos seus braços, começa a arfar ruidosamente. Seokjin mordisca e chupa cada centímetro do braço do loiro. Namjoon sabe que estará coberto de marcas amanhã... e nada nunca o deixou mais feliz e mais enlouquecido do que isso.

Depois Seokjin começa um passeio em toda a clavícula e pescoço do loiro, parando propositalmente em alguns lugares para o dar chupões.

A ideia de ter uma prova física da atenção de Jin sobre seu coração faz o loiro sorrir largo.

Ele sente os dedos do moreno tocarem a parte de baixo de suas coxas, e o ouve levantar para que conseguir tirar suas próprias boxers. Depois ele sente ereção de seu hyung na sua barriga, e grunhi ao mesmo tempo em que ouve um pequeno gemido vindo de Jin.

Um orgulho cruel toma conta do loiro com aquele pequeno som, e ele pode praticamente sentir o olhar do moreno o queimando.

Não demora muito para Jin agarrar a base do seu membro, e colocar a boca, o loiro pode sentir os cabelos castanhos caindo em volta da sua ereção. E não está mais lhe dando gemidos submissos... Agora ele está praticamente implorando para que ele faça logo.

E então, como se não tivesse deixado o loiro em um estado suficiente de agonia, quanto mais se aproxima da ereção dele, mais pausa respirar ou para falar algo.

Quando sua boca propositalmente circunda a área mais necessitada, o loiro começa a empurrar seus quadris contra ela e a lutar brutalmente contra as amarras, fazendo a cama balançar com os seus movimentos agressivos e desesperados.

Graças a Deus Jin teve a presença de espírito de o amarrar corretamente.

Mas, porra, ele não sabe quanto mais disto conseguirá aguentar, e faz apenas meia hora que a massagem/tortura havia começado.

— Eu preciso de você... por favor... já chega... — Namjoon finalmente diz quando as mãos do moreno começam a esfregar os músculos retesados das suas coxas.

— Você promete não mentir mais para mim? — Jin pergunta, mas na verdade ele não liga para isso, só está gostando muito de ver Namjoon assim.

— Sim. — o loiro diz sob seus dentes cerrados. — Eu prometo o que você quiser... Só, por favor, chega.

Ele sente o moreno plantar um beijo na ponta da sua ereção, fazendo-o choramingar.

Depois disso o peso e o calor e o corpo suave de Jin se vão, e o loiro o ouve se afastando da cama. O desejo insano e uma insegurança irracional explodem dentro dele.

— Jin hyung!

— Shh, Namjoon. — a voz vem do pé da cama, e então Namjoon sente a seda suave envolvendo seus tornozelos, e só quando está firmemente preso é que percebe que ele tinha amarrado suas pernas também.

E logo o moreno está sobre o loiro de novo. Esse pode sentir a pele quente do outro em contato com a sua, e até mesmo com todas as amarras Namjoon consegue se virar e se remexer. Tudo o que ele quer é se aliviar, e então começa a choramingar novamente, porque seu hyung está sendo muito mau consigo.

Mas antes que possa reclamar sente a entrada apertada do moreno o envolvendo, e fica sem ar. As outras vezes em que esteve dentro dele não haviam sido tão fundas como agora, e o movimento aconteceu rápido demais.

Felizmente Jin teve que permanecer parada para que seu corpo se acostumasse com a intrusão – porque tudo foi tão intenso, que se ele se movesse antes que Namjoon recuperasse o mínimo de controle que seja, ele iria explodir cedo demais.

Depois de um minuto o loiro sente Jin se mexendo, e então o ouve se inclinar sobre si, suas mãos na cabeceira da cama. A barriga branquinha do moreno está diante do seu rosto tentadoramente, e Namjoon abre sua boca e começa a procurar pela pele do moreno com seu queixo, Jin da uma risada sem fôlego e se abaixa até a boca do loiro em aprovação.

Agora Namjoon está chupando e mordendo tão forte a pele dele enquanto ele inicia um ritmo calmo, erguendo-­se e se abaixando sobre a extensão do loiro.

A cama está rangendo com o ritmo lento de Jin e porque Namjoon está puxando com força as ataduras em seus tornozelos, tentando encaixar seu quadril no do moreno e fazê-­lo ir mais rápido.

O loiro grita aliviado quando sente o moreno embalar­-se de forma mais agressiva em si. Namjoon pode sentir o calor apertado do moreno o envolvendo e a maneira que ele se contraí ao seu redor, também pode ouvir a pele do moreno contra a sua e como ele recupera o fôlego apenas para perdê-­lo quando Namjoon está totalmente dentro do seu corpo.

O loiro libertar a pele da barriga de Jin por medo de acabar machucando-o, e então suspira, não sabe como conseguir se conter se Jin não estiver preparado ainda para que ele gozar.

Então Jin toca com seus dedos seu próprio membro, estimulando sua carne e deslizando sua mão suavemente a cada estocada. Namjoon está se encolhendo de agonia, resistindo com todas as suas forças e suspirando pensamentos incoerentes.

O loiro sente a respiração de seu hyung acima da sua cabeça, e esse se atrapalha enquanto tira a venda do outro.

E a imagem mais perfeita é revelada no brilho da luz de cabeceira; Jin o olhando intensamente, uma camada fina de suor cobrindo seu corpo e o seu rosto. Seus dedos ainda esfregam seu membro, e seus cabelos balançam a cada impulso que ele da, e seus pequenos olhos castanhos continuam fazendo contato com os do loiro.

— Goza comigo - o moreno geme.

O loiro grita seu nome enquanto se liberta dentro dele, Namjoon acha que deve ter apagado por um minuto, porque a próxima coisa que percebe é Jin deitado ao seu lado e seus pulsos e tornozelos livres.


Notas Finais


Vocês gostaram? (aquela carinha)

Ó, eu quero me desculpar com quem comentou no último capítulo e eu não respondi. Com o Enem e essas coisas a minha cabeça acabou ficando meio corrida ­mas fiquem sabendo que eu leio todos os comentários e elogios, e fico MUITO FELIZ por todos estarem gostando tanto da minha história!

Muito obrigada também àqueles que também acompanham minhas outras fanfics, só quem tem histórias postadas por aqui entende o quanto esse carinho significa!

E pra quem ainda não lê eu vou deixar os links delas aqui em baixo:

https://spiritfanfics.com/historia/love-song-10851580
https://spiritfanfics.com/historia/por-onde-flor-floresca-taegi-7531204
https://spiritfanfics.com/historia/alma-gemea-taegi-10804321
https://spiritfanfics.com/historia/ponto-final-taegi-10801812
https://spiritfanfics.com/historia/nos-jikook-taegi-namjin-8999873
https://spiritfanfics.com/historia/runaways-6751578

E pra quem mais quiser entrar no grupo do wpp:

https://chat.whatsapp.com/D7rlHkivuNQ0fUTqE3udlJ

Obrigada mais uma vez, pessoas!
Beeeijos.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...