História Obscure Pleasures - Imagine : Jungkook - Capítulo 53


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, V
Tags Bts, Jimin, Jin, Jungkook, Submissão
Visualizações 1.198
Palavras 2.405
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 53 - Cry


Fanfic / Fanfiction Obscure Pleasures - Imagine : Jungkook - Capítulo 53 - Cry

Choro, choro, choro...

Minhas lágrimas não conseguem parar de cair, meu corpo não reage a nenhum outro estímulo que não seja botar para fora a raiva e a tristeza que estou sentindo. Tristeza de saber que ele quer me enganar, raiva por quase cair em sua lábia.

Meu coração está em pedaços e meus braços envolvem minha barriga com certa urgência, eu tenha que pensar neles... eu tenha que pensar por 3 agora.

Quatro semanas atrás...

Saio do quarto e vejo Minhee me olhando de lado, eu não contei o motivo de ter brigado com Jungkook, ninguém precisava saber que ele me tratou como uma prostituta querendo pagar para me ter. Passo nervosamente a sua frente e quando estou quase saindo de seu campo de visão escuto sua voz me repreendendo.

-Ele esteve aqui. – paro já imaginando que vou ouvir algum sermão – Não parecia muito contente.

-A gente brigou... – disse sem ter coragem de me virar.

-Isso eu sei, só quero entender vocês. – somos duas, nem eu mesma consigo entender o que se passa entre a gente. É amor? Obsessão? Algum transtorno em que você se apaixona por quem te bate e te trata mal? Eu não sei...

Continuo andando a deixando sem resposta, eu não tenho nada para falar. A casa está vazia e agradeço por não encontrar Jimin, ele não quis me ajudar e, com certeza, ficará uma fera quando descobrir que desmoralizei o nome da família. Acho que Minhee não sabe do que aconteceu...

-Uma semana sem notícias minha?

Suas palavras estão gravadas em minha mente, será que conseguiria ficar uma semana sem saber por onde anda? O que faz? Não sei direito a resposta, mas não deixarei de tentar.

3 semanas atrás...

É quinta-feira e não voltei pra casa. Todos os dias antes de dormir sinto seu cheiro em uma blusa que trouxe, meu coração dispara com as lembranças e acabo sempre sorrindo quando penso em seu toque no meu corpo. Tudo que aconteceu anteriormente não conta em nada, minha cabeça insiste em guardar os momentos bons ampliados em 100x... ele é perfeito do seu modo imperfeito.

Pego meu celular para liga-lo e dizer que estou voltando pra casa. Desde que amanheceu decido que vou lutar por ele e por tudo que está a nossa volta. Não vou deixar mentiras nos separarem, não vou deixar ninguém me distanciar do homem que amo... tolo engano.

Quando estou terminando de discar seu número, meu celular toca. Olho para a chamada e percebo que é o mesmo número que minha mãe já tinha me ligado. Meu coração manda que ignore, mas minha razão acha melhor atender e manda-la ficar o mais longe de mim.

-Sim... – falo seco me sentando na cama.

-Minha filha, como anda? – fala tentando passar por uma mãe doce, coisa que nunca foi.

-Rosa.. – começo – não me ligue mais, não quero saber ouvir seu nome ou qualquer tipo de coisa ligada a você... vocês, na verdade. Me deixem em paz – quando estou prestes a desligar ouço seu grito pedindo para que espere – 5 minutos.

-Estou aqui só para te alertar, é isso que as mães fazem – ela espera que eu diga algo, mas fico calada – Tudo bem... tenho algumas fotos para te mandar. Depois de olhar me ligue.

Rosa desliga na minha cara e fico curiosa em saber que fotos são essas, com certeza é algo ligado a Jungkook. As imagens chegam rapidamente e o vejo com 5 mulheres diferentes... solto meu celular sem acreditar no que estou vendo. Meus olhos estão cobertos por lágrimas que insistem em sair mesmo contra a minha vontade, meus dedos correm por meus cabelos tentando buscar algum conforto que não existe. Fico deitada na cama abraçando meu corpo sem ter coragem para pegar meu aparelho... não pode ser.

[...]

Acordo um pouco atordoada e percebo que dormi por 20 minutos. Minha mente relaxa um pouco e crio coragem para verificar as imagens. Passos as fotos lentamente e vejo Jungkook sorrindo ao lado de várias mulheres: Loiras, ruivas, morena... 5 no total... 5 que facilmente procurou sem pensar em mim. Ele está se divertindo enquanto estou sentindo sua falta, dormindo com sua blusa...

Meu celular toca e vejo que é Rosa. Não quero falar com ela, mas ao mesmo tempo quero. Preciso saber para onde foram... quem são... tudo, preciso saber tudo.

-Quero saber de tudo – falo rapidamente sem dar a chance para que fale um simples 'oi'

-Sabia... – ela ri – Podemos conversar?

-Não estou em casa...

-Isso eu já sei – ri de novo – Porque está na casa da mãe de Jeon?

Meus pais não dão ponto sem nó, será que já sabem que estou grávida? Eles sabem de tudo... já devem saber disso também.

-Por causa da gravidez... – fecho meus olhos quando escuto mais risos do outro lado e um cochicho.

-Hm... – escuto a voz de meu pai ao longe e sinto a comida subir a minha garganta – Seu pai está mandando um oi. – não respondo – Bem, você já viu as fotos. Ele está te traindo enquanto está sozinha e grávida na casa de uma desconhecida. Ele vai pegar seu filho...

-Não vai – elevo minhas voz – NUNCA, NUNCA.

Ela desliga e volto a olhar as fotos.  Grito alto tentando tirar tudo o que sinto do meu coração, jogo com força no chão tudo que vejo pela frente, bato na parede pergunto o porquê... alguém pode me dizer o que fiz para sofrer tanto? Porque quem eu amo não me ama de volta? Sinto dores fortes em minha barriga e caio no chão. Grito sentindo a dor me consumir e vejo tudo preto.

[...] 

 Abro meus olhos lentamente e percebo que estou em um hospital. Seguro minha barriga com força e lágrimas começam a cair ao pensar que posso ter perdido meu filho... a única coisa de Jungkook que me faz bem e que terei pra sempre. 

-Boa tarde – o médico fala assim que entra no quarto acompanhado por Minhee – Como a mamãe se sente?

-Bem... – falo sem saber ao certo se me sinto bem. – Acho que estou bem.

-Mamãe – ele se senta – Você passou por um estresse muito grande e acabou desmaiando. Fiz alguns exames quando chegou ao hospital e tudo está em ordem.

-Amém – falo baixinho fechando meus olhos e agradecendo à Deus.

-Tenho algumas restrições para te fazer. – escuto todas suas recomendações com atenção e percebo que Minhee quase não pisca olhando diretamente pra mim – Você entendeu? Estresse pode causa aborto ou nascimento prematuro do feto, não queremos isso, certo? – ele pergunta e concordo mais uma vez – Está aqui a lista de todas as coisas que tem que tomar e muito... muito repouso.

-Sim, doutor – falo e fico sozinha no quarto com Minhee – Oi.

-Você quase me matou – ela senta e pega em minha mão – Estava caída, com a cara branca... Deus, foi horrível. – Minhee começa a chorar e me vejo fazendo o mesmo – Não deixe que ele morra... Jungkook precisa dele, eu também.

-Eu também preciso – falo por fim.

O resto do dia passa lentamente. Fico no quarto e a noite Minhee me avisa que terei uma consulta com uma ginecologista/obstetra no dia seguinte. Eu ainda não tinha pensando nisso, fico feliz que ela goste tanto de mim e do meu filho.

A manhã de sexta acorda ensolarada. Mal consegui dormir pensando em Jungkook, sua blusa está em meu corpo e me sinto uma sadomasoquista por gostar tanto de sofrer... ele deve estar com outra...

Minha consulta está marcada para 10 horas, mas o horário de 8:30 acaba desmarcando e sou chamada antes. Minhas mãos estão suando frio quando entro no consultório. Doutora Hinn me recebe super bem e responde todas as minhas perguntas de forma simples e completa.

-Vamos fazer uma ultra? – ela pergunta e rapidamente me vejo na maca sentindo um gel gelado em minha barriga.

-Mal dá para ver... – ela ri e me mostra algumas coisas – Vamos ouvir o coração?

Hinn ajeita o aparelho e meus olhos enchem de lágrima ao escuta o barulho, estão quase ritmados com o meu... estão? Opa...estou escutando duas coisas...

-Gêmeos? – ela sorri e volta a olhar a tela – Não está dando para ver o outro, um está tentando esconder o irmãozinho.

-Gêmeos? – arregalo meus olhos e começo a sorrir bobamente.

Saio da consulta segurando alguns papeis quando o vejo andando em minha direção. Meu coração bate violentamente e sinto vontade de me jogar em seus braços e dizer "eu te amo, amo você e nossos 2 filhos".

-O que está fazendo aqui? – é a única coisa que consigo dizer ao me lembrar das fotos.

-Vim te acompanhar na consulta. – ele coça a cabeça um pouco envergonhado - Onde pensa que vai? Temos médico.

-Temos? – rio sem humor - EU E MEU BEBE NÉ? Sai daqui..

-Vou fazer parte dessa consulta... você querendo ou não.

-Eu já tive a consulta, seu babaca. Meu bebe está ótimo, mas nem sei porque estou falando isso se você não liga. – ele arregala os olhos e percebo alguma tipo de desapontamento.

-Como assim já teve?

-Jeon, você não precisa fingir. Eu vou dizer a sua mãe que esteve aqui comigo e tal... agora pode acabar com o teatro.

-Que teatro, está louca? Jimin disse que a consulta era 10 horas... – sabia, só podia ser esse fofoqueiro.

-Pois é, o horário de 8:30 cancelou e acabei vindo substituir. Como já disse, não precisa fingir que se preocupa.

-Eu me preocupo, está louca?

-SE PREOCUPA... – grito e sinto minha voz ficar embargada por causa das lágrimas que querem sair - COM QUANTAS MULHERES SAIU NESSA SEMANA? ME FALA JEON... ME DIZ. – se ele disser os motivos, qualquer desculpa que diga eu acredito... só não mente pra mim, por favor... peço aos céus.

-Nenhuma.

-Tanto faz... – passo por ele soltando o choro. Mais uma vez ele me trata como se eu fosse uma nada... mais mentiras.

2 semanas atrás....

Estou me alimentando cada vez melhor.Minhee fica todo tempo comigo e escuto, de vez em quando, Jimin falar algo de mim para Jungkook. Ele quer passar que está se preocupando, quando na verdade é mentira.

Estou descendo as escadas com a governanta, quando recebo mais uma foto de Jungkook com outra mulher. Meu desespero é tanto que só não caio porque a mulher me salva. Quantos dias eu ainda irei sofrer por ele? Quantos...

Perto do almoço meu celular toca com um número um pouco diferente e meu coração acelera ao perceber quem é.

-Yoongi? – falo baixo para que ninguém me escute – Yoongi?...

-(S/n) – ele suspira – Que bom ouvir sua voz...

-Porque demorou tanto para me ligar? – pergunto voltado ao meu quarto e fechando a porta.

-Estive ocupado... estive ocupado tentando te esquecer.

-Yoongi – começo a chorar e sinto desespero em sua voz quando pergunta o que passa – Estou destruída... sem ninguém.

-O que aconteceu? – decido contar a ele que briguei com Jungkook e ele vem se encontrando com outras mulheres – Eu não acredito.

-Estou grávida – a linha fica muda – de gêmeos.

Passo o resto da semana conversando com Yoongi e sentindo um apoio que nunca recebi de ninguém. Sempre antes de dormir falo com ele e acabo esquecendo um pouco de meus problemas.  Suas palavras de apoio me fazem feliz e, por algumas noites, dormi com um lindo sorriso no rosto. Alguém se importa comigo... pelo menos alguém.

Uma semana atrás...

Minha cabeça lateja com a proposta que Yoongi me fez. Tem horas que percebo que é a única saída, mas meu coração chora e rapidamente esqueço do que pensei. Eu o amo, isso é fato. Ele me ama? Não, se me amasse estaria saindo com outras?

-E ai? – ele pergunta e já é o último dia que me deu para pensar – O que me diz?

-Eu não sei, Yoongi – me deito na cama – Às vezes penso que sim... ai, não sei.

-(S/n), venha tentar. Eu quero muito ser seu amigo, não vou tocar em você se não quiser. Quero apenas o seu bem – ele suspira e suspiro também. – Passe alguns dias.

Morar em Daegu seria um grande novidade pra mim. Yoongi disse que me arranjaria um emprego quando os bebes estivessem maior e até lá me sustentaria sem nenhum incomodo. Penso na distância que iria ficar de meus pais... ponto positivo. Penso na distância que iria ficar de Jungkook... pronto... não sei.

-Mais uns dias? – peço e o ouço rir.

-Tudo bem...

Ontem...

Acordo com o celular tocando e vejo “Rosa” gravado no visor.

-Diga.. – digo com a voz rouca por causa do sono.

-Sabe com quem seu querido marido estava ainda agora?

-Rosa – me sento respirando – Não quero mais saber de Jungkook, será que dá para parar?

-Ele estava com um advogado... – ela diz sem ter me escutado –Falei com ele..

-Falou com ele? – pergunto curiosa.

-Mandei uma amiguinha minha falar com ele e ela descobriu algo bem interessante... não que saber?

-Diz logo.

-Ele estava querendo saber todo o aparato para tomar seu filho de você – me levanto rapidamente da cama e começo a andar de um lado para outro – Não estou mentindo, pode confirmar.

-O que? Não pode... você..

-O advogado falou que irá pegar a criança assim que nascer. O divórcio vai acontecer um pouco antes e ele irá alegar que você não tem emprego fixo, não tem estabilidade... cuidado, filha.

-Não pode ser... é mentira. – lágrimas começam a sair.

-Me escute. – pede –Ele irá mostrar que pode mais que você, que ama a criança... você vai ver.

-Para que ele vai me tirar se não gosta de verdade...

-Só para mostrar que pode mais, te humilhar...  

Caio no chão chorando pela milésima vez em tão pouco tempo. Eu não acredito que irei perder meus dois filhos... isso não, ISSO NÃO!

Grito mais uma vez e desço as escadas correndo sem me preocupar com nada, só quero sumir. Ele não pode tirar meus filhos... não pode, por favor. Meus filhos não, Deus...

Agora...

O quarto... o quarto me faz pensar no que Rosa disse. Jungkook nunca prestaria ao papel de ajeitar tudo sem nenhuma intenção, eu tenho certeza. Quer mostrar para o juiz que fez o quarto com todo amor e carinho, que tem dinheiro para comprar tudo que eles precisarem... Não, NÃO.

O odeio... o odeio mais que tudo na vida. Agora vi a verdade, ele é cruel...

 "Yoongi, eu aceito sua proposta. Quero viajar próxima semana"

Mando e fecho meus olhos ouvindo barulho de coisas quebrando no quarto ao lado.

O que aconteceu agora?


Notas Finais


Uma explicação completa de tudo o que rolou nas semanas anteriores para você que ficou confuso!
Até o proximo! ^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...