História Olhar para trás é perda de tempo - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Ambre, Armin, Castiel, Debrah, Kentin, Lysandre, Melody, Nathaniel, Nina, Peggy, Rosalya
Tags Amor De Amigos, Enforcamento, Gravidez, Traições
Visualizações 36
Palavras 1.476
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Festa, Hentai, Luta, Romance e Novela, Violência
Avisos: Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Gente eu não quero que vocês me xinguem pelo o que a Eva está fazendo com o Castiel.
POR FAVOR ME PERDOEM !!
MUAHUAMUAHUA (risos do mal)

Capítulo 14 - Traição da minha parte


Fanfic / Fanfiction Olhar para trás é perda de tempo - Capítulo 14 - Traição da minha parte

O tempo parece não passar nunca.É como se Nathallya nunca fosse sair daquele banheiro,eu nunca sairia dessa casa e no fim acabaria vivendo sozinha nesse quarto.

Mas logo após esse pensamento invadir minha cabeça,Nathallya sai do banheiro e se senta ao meu lado.

Me aproximo de seu braço machucado e digo:

-Essa merda não vai melhorar tão cedo...

-É isso que eu ganho por se uma grande idiota- ela diz rindo um pouco.

Tiro os cabelos castanhos da frentes de seus olhos ,que refletidos na luz parecem brancos e, pergunto:

-Por que se cortou ? Tipo,no que isso ajuda ?

-Alivia a dor emocional.

- Han ? - pergunto confusa - Como assim ?

-Quando eu sentia a dor física, a dor emocional parava de fazer efeito por um segundo, mas mesmo sendo poucos momentos de paz, era o bastante para mim- ela explica - É tudo questão de alívio em um determinado momento em que você acha que precisa disso.Vemos toda hora esses adolescentes locões estilhaçando os braços e pernas para postar fotos e escrever legendas toscas.Mas em uma noite dessas, eu vi uma imagem de uma garota com os braços fodidos e me perguntei como ela podia ser tão idiota.Até que embaixo li a seguinte legenda:"Não ajuda, mas alivia", e eu tambem queria sentir um pouco desse alívio.

-Isso tudo é por culpa minha- digo encarando o chão- Eu sou tão escrota!

-Você não fez nada-diz Nathallya tentando me acalmar-Você só está tentando ser feliz , e eu vou aprender a ser feliz junto com você , mesmo que voce acabe nao gostando de mim como eu gosto de voce.

Aquilo me deixou sem chão. Eram muitas emoções pra uma noite só e minha cabeça estava quase explodindo.

Ela me amava tanto assim? Me ama ao chegar no ponto de preferir minha felicidade do que a dela?

Pessoas assim a gente nao acha em qualquer lugar.

Como um cãozinho assustado vou de encontro aos braços de Nathallya e coloco minha cabeça em seus seios, tentando fazer com que tudo aquilo que eu estava sentindo sumisse.

Minha mente pousa lentamente no Castiel ... Não. Na real de repente parece que para o Castiel , não tem lugar nessa história.

Me afasto da Nathallya, a encaro nos olhos e por própria vontade, a beijo.

Ela nao pensa duas vezes em retribuir e começamos com beijos calmos, lentos e depois de um tempo eles começam a ficar mais quentes.

As maos de Nathallya alternam entre meus seios e minha bunda. As vezes ela faz uma leve massagem em minha calcinha , para me provocar.

Ela começa a tirar minha blusa, minha saia e me deixa apenas com as peças intimas. Eu trato de fazer o mesmo com ela.

Nos encaramos por um tempo , analizando o corpo uma da outra.

O corpo de  Nathallya é bem bonito , seios não tao grandes quanto os meus , mas uniformes e uma bunda razoavel.

Nos beijamos novamente e ela vai descendo meu sutiã, enquanto removo lentamente sua calcinha.

Quando ela começa a chupar e mordiscar meus seios eu coloco um dedo em sua buceta e a penetro fazendo o vai e volta.

Assim que ela começa a soltar gemidos abafados entre meus peitos, fico mais animada e vou colocando mais um dedo , depois mais outro e mais outro...

Agora entendo a impolgaçao do Castiel quando quase enfiou a mao inteira dentro de mim na sala de aula.

Ela não é virgem obviamente, mas a buceta dela é tao apertadinha que parece que é impossivel acreditar que qualquer coisa maior que um lápis passou por aqui.

Ela para de lamber os bicos dos meus peitos e me deita na cama abrindo minhas pernas.

Se põe entre elas e retira minha calcinha. Nathallya indica seu dedo indicador e diz:

-Vamos conferir.

Ela coloca um dedo, que eu quase nao sinto e nao me faz soltar nem se quer um gemido.

-Nossa , aquele cara deve ter um pau grosso em - ela diz me encarando - Ele te arrombou toda.

- Oque ? - pergunto indignada - Eu não sou arrombada !

- Claro que é , minha mão cabe fácil aqui dentro.

- Isso nao tem nexo. - digo bufando.

- Aé ? Voce duvida? - ela pergunta - Ok, entao vo te mostrar.

Ela coloca de uma vez só sua mao inteira.

Aquilo me retira um gemido SUPER MEGA IPER GIGA alto.

Ela começa a fazer o vai e volta e cada vez ia mais rápido.

Eu estava ficando cada vez mais excitada e estava sentindo tanto prazer que nao consiguia controlar meus gemidos e parecia uma cadela gritando.

Nathallya retirou sua mao de dentro de mim , assim que gozei pela primeira vez e pôs sua cabeça no meio de minhas pernas para me chupar.

A lingua dela era macia e nao aspera como a do Castiel.

Ela sabia exatamente o local aonde eu sentia prazer e me chupava com tanta intensidade que eu sempre queria mais e mais dela.

Era diferente do que tranzar com o Castiel. Com ele eu senti que estava fazendo aquilo por amor.Aqui sinto que estou fazendo isso por pena e para usar minha amiga que está indefesa por gostar de mim.

Enquanto Nathallya me chupa , pego disfarçadamente meu celular e em meio aos meus gemidos vejo que Castiel deixou 20 mensagens e há 7 ligaçoes perdidas de minha mãe.

O que estou fazendo da minha vida ?

Levanto a cabeça de Nathallya,  afastando ela da minha buceta , me lavanto da cama e começo a me vestir.

- Já cansou ? - ela pergunta me olhando com aqueles olhos azuis. Confesso que são sedutores.

- Vou embora , isso é errado.
- Por quê ? - ela pergunta me encarando e colocando um dedo sobre os lábios úmidos.

- Porque minha mãe deve achar que eu fui sequestrada e meu namorado deve estar preocupada comigo - digo meio irritada - Vou ter que inventar desculpas para eles.

- Ah se preocupar com sua mãe tudo bem , mas pra que ligar pra esse cara?

- Ele é meu namorado e eu o amo.Não tem ninguem com que eu me importe mais que ele.

- Se amasse tanto assim, por que trairia ele comigo ? - ela pergunta dando um sorriso.

Um sentimento de culpa me consome.Mas ele some assim que a raiva entra no lugar dele.

Ela .. ela nao tem direito de falar assim! Ela acha que eu duvido dos meus sentimentos pelo Castiel ? Ela esta enganada ! Eu o amo e vou deixar isso claro de uma vez por todas !

- Eu estava apenas com pena de voce. - digo por fim e me encaminho até a porta frustrada.

Nao me viro para olhar a expressao dela , pois sei que acabei de quebrar um coraçao novamente.

Quando estou quase fechando a porta ela diz em meio a um choramingo abafado:

- Nao adianta ficar com raiva de mim ... Foi voce que me beijou primeiro.

- Se voce nao fosse tão chorona e rídicula , eu nao te beijaria por dó.

Eu simplesmente fecho a porta com toda a força que possuo e vou embora.

Ligo para minha mãe e digo que Nathallya estava machucada e que eu estava cuidando dela , o que de fato aconteceu , mas mesmo assim eu menti nao contando o restante.

No meio do caminho Castiel me liga.

Meu coraçao aperta , me sinto culpada por ter traido ele (OBVIAMENTE)

- A-alô ? -digo mesmo sabendo que é ele no outro lado da linha.

- Voce esta bem ? Por que nao me respondeu ? Por que nao atendeu minhas ligaçoes ? Se machucou ? Algum tarado te pegou ? - ele pergunta rapidamente.

- Está tudo bem , eu estava ajudando minha amiga - digo.

- A lésbica ?

- Sim - digo com o CU TRANCADO - Ela se machucou e eu tentei ajudar um pouco nas feridas , mas já estou indo para casa.

- Hum ... - ele murmura.

Talvez ele suspeite de algo. Castiel nunca foi burro.

- Só me diz uma coisa - falo por fim - Você me ama tanto quanto eu te amo ?

- Ainda mais - ele responde. - Por que a dúvida ?

- Nada.Apenas queria ter a opurtunidade de te dizer mais uma vez isso.

- Voce está estranha - Castiel diz.

- Eu te amo Castiel. - falo pronta para desligar.

- Tambem te amo Eva.

Em seguida desligo o celular e pulo a janela para entrar em meu quarto. Fico lá sentada na beira da janela vendo o ceu  e , minhas lágrimas se misturam com a chuva recém-chegada.Na calada dessa noite, totalmente escura , observando a lua , sussurro:

- Eu sou uma vadia...


Notas Finais


Ok , eu admito ...
EU SOU UMA VADIAAA !


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...