História On and On - Capítulo 30


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Jikook, Namjin, Sope, Taekook, Taekookmin, Vmin, Vminkook, Yoonseok
Visualizações 421
Palavras 6.365
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Fluffy, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Slash, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Agradecemos aos 261 favoritos e a todos que comentam!!! :D

Para mais informações ou se quiserem bater um papo com as autoras,
nos sigam no Twitter: @giseledute | @isidoroka ;)

---
AVISO DE GATILHO: Menção a suicídio.
---

Boa leitura.

Capítulo 30 - Capítulo 30


Fanfic / Fanfiction On and On - Capítulo 30 - Capítulo 30

Após sair da escola, Hoseok seguiu diretamente para um pet shop e comprou uma vasilha de ração e uma de água, além de perguntar ao funcionário da loja qual era a melhor ração para um cão de um ano e meio. Depois de todas as indicações, escolheu a que lhe pareceu mais agradável e saiu com um pacote de três quilos do estabelecimento.

O ruivo já havia combinando com o motorista do Uber que levaria um cachorro e o homem falou que estava tudo bem, a não ser que seu carro ficasse sujo e mesmo em dúvida, o professor garantiu que não ficaria.

Não demorou muito para chegar no canil e encontrar Holly, abanando o rabo na sua direção, com um baixo latido, que parecia alegre.

– Oi, Holly! Você se lembra de mim? É claro que lembra, coisinha bonitinha! – Hoseok cumprimentou o cachorro o pegando no colo, tomando todo cuidado para não fazer pressão na patinha enfaixada.

– Você tem certeza de que quer levá-lo, Hoseok? E se Yoongi não aceitar?  – A responsável pelo abrigo comentou em tom preocupado, afinal era seu trabalho garantir que aqueles animais ganhassem lares amorosos e não retornassem para as ruas.

– Eu tenho certeza que Yoongi vai aceitar, mas caso aconteça Holly ficará comigo. Meu colega de apartamento já aceitou.

– Ah, então tudo bem. – falou a mulher, com um sorriso. – Estamos entregando só porque confiamos em você, qualquer outro iríamos fazer todo o processo...

– E eu agradeço demais. – Hoseok afirmou, brincando com Holly, que mordia um dos seus dedos. – Algum remédio específico por causa da patinha?

A mulher falou por mais alguns minutos e o ruivo escutou com atenção, confirmando com a cabeça e pegando a receita com tudo o que o cão precisaria tomar por alguns dias. O professor mais uma vez agradeceu e seguiu para o carro, com Holly no colo, agora lhe lambendo a mão.

Own, o cão é fofo. – comentou o motorista, olhando pelo retrovisor. – Eu tenho cinco! Amo cachorros.

Hoseok e o motorista foram conversando animadamente sobre cachorros e animais em geral e o homem ainda deu algumas dicas ao ruivo, que as escutou com atenção, pois há muito tempo não tinha um cão e algumas coisas ele não se lembrava mais.

 – Senhor, o que é isso?! – questionou o porteiro, assim que o ruivo pisou no saguão do prédio.

– Não avisa pra Yoongi, é uma surpresa. – afirmou o professor, olhando em volta como se estivesse prestes a cometer algum crime. –  E não me chame de senhor. Já disse mil vezes.

O porteiro balançou a cabeça e até manteve a porta do elevador aberta para Hoseok poder subir até o amigo, recebendo um sorriso como agradecimento.

Quando o ruivo chegou na porta do rapper, ficou estagnado no lugar. E se Yoongi gritasse com ele? Ou se o outro ficasse sem graça de dizer ‘não’, aceitasse o cão e depois não soubesse o que fazer? Talvez aquilo tivesse sido uma má ideia.

– Hobi, o que está fazendo? Hoseok o que é isso?! – Yoongi, abriu a porta, mas não encarou ao ruivo de imediato, concentrado em olhar no que Jungkook fazia na cozinha, mas quando se voltou para encará-lo se surpreendeu com a bolinha de pelos castanha nos braços do professor. – Eu não acredito que você pegou o cachorro!

Ali estava o que o ruivo mais temia: Yoongi tinha odiado a surpresa. Hoseok abaixou o olhar, sacudindo Holly no colo.

– É um presente!

– Cachorro?! – Jungkook fora até a porta, já que os outros dois não entraram e ele logo ficou curioso. – Ai, minha divindade! Ele é tão fofo! Ele está machucado?! O que fizeram com você? – O mais novo capturou o animal dos braços do professor e saiu com ele para dentro do apartamento, para desespero de Yoongi.

– Hobi!

– Bebê, você precisa de um animalzinho!

 – Eu já tenho o Jungkook!

Hey! – O caçula do grupo respondeu ofendido.

– Bebê… Você sabe que precisa ficar com Holly. Vocês tiveram uma conexão lá no abrigo. – Hoseok suspirou, projetando o lábio inferior em uma expressão infantil. Ele usaria todas as armas possíveis para convencer o rapper a ficar com o cachorro.

– Não tivemos conexão nenhuma! Eu só fiz carinho nele.

– Bebê! – O ruivo reclamou, batendo um dos pés. – Por favor!

– Por favor nada. Esse troço caga, Hoseok!

– Holly, não escuta ele. – falou o professor, finalmente entrando de vez no apartamento e fechando a porta atrás de si, Yoongi bufou irritado, sumindo no corredor. – Min Yoongi, volta aqui!

Hoseok olhou para o sofá, mas Jungkook parecia se divertir com o cão e por isso o ruivo seguiu sem preocupações atrás de Yoongi, que tentava se trancar no quarto, mas foi surpreendido por uma portada no rosto, que o professor sem querer lhe desferira ao forçar a entrada no local.

– Yoongi! Ai, desculpa! Deixa eu ver. – O ruivo se adiantou, segurando o rosto do moreno entre suas palmas e verificando com cuidado se havia machucado o rapper.

– Não machucou. – O outro reclamou, se desvencilhando do toque e indo para a cama, se sentando na ponta com uma expressão mal-humorada.

– Me desculpa… Você não precisa ficar com Holly se não quiser, mas eu realmente achei que você gostaria.

– E para onde você levaria ele agora?

– De volta para o abrigo?

– Que crueldade! Você tira ele e depois leva de volta?!

Hoseok sorriu com o canto dos lábios da maneira protetora com que o outro se portara em relação ao animal.

– Que diferença faz? Você não quer ficar com ele mesmo. – falou o ruivo, balançando os ombros. – Acontece com muitos cães; muitas famílias adotam, não gostam e devolvem.

– Cruzes! Que monstros!

– Ora, já aconteceu comigo, no orfanato. – brincou Hoseok.

Yoongi encarou o ruivo com a boca aberta e os olhos um pouco arregalados. Hoseok percebeu que não deveria ter soltado aquela informação, naquele momento e ainda de brincadeira.

– Desculpa, eu não deveria ter dito isso.

– Isso… é verdade?

– Sim, mas não importa, foi há muito tempo. – afirmou o professor, balançando uma das mãos. – E Holly? O que você vai fazer sobre ele?

– Você não vai parar de me visitar só por que agora eu terei companhia, certo?

– Que espécie de pergunta é essa? – Hoseok riu, mas ao não ser acompanhado percebeu que aquela pergunta não era uma brincadeira. – Bebê! Meu bebê! É óbvio que não! Quem é que vai cuidar de vocês dois se eu parar de visitar?

– Amy?

Hoseok novamente gargalhou, se jogando em cima do outro em um abraço apertado, levando ambos a se deitarem na cama rindo.

Yoongi sabia que era bobo, mas realmente pensara que Hoseok o havia arranjado um cão para visitá-lo menos e assim parar de aparecer. Não que ele se importasse. A quem estava tentando enganar? Claro que se importava, pois sinceramente o ruivo sempre era a melhor parte do seu dia, por mais meloso e clichê aquilo fosse.

– Mas falando sério agora… – falou o ruivo, voltando a se sentar e sendo seguido pelo o outro. – Se você realmente não quiser ficar com ele, Namjoon já concordou em deixar Holly ir lá para casa.

– Não! Holly é meu, sai! – O moreno afirmou, abanando a cabeça. – Para ser sincero eu já estava pensando em retornar lá e adotá-lo. Sem contar que… Jungkook não iria deixar devolver o cachorro. Você viu a cara dele? Parecia ter cinco anos de idade!

– Como assim parecia? Jungkook tem cinco anos de idade!

– Hoseok, você sabe que ele… já fez sexo, né? –  brincou o moreno.

– Não! Nunca! Meu bebê! –  O professor levou as suas mãos até a bochecha, arregalando os olhos. –  Isso é um absurdo, não aceito.

–  Como assim seu bebê?! – reclamou o rapper.

– Sinceramente, queria que seus first luvs o visse dessa maneira… Amando ser chamado de bebê.

– Só amo ser chamado de bebê se você chamar. – ponderou Yoongi, suspirando.

– Bebê. – disse o ruivo, arrancando um sorriso do outro. – Meu bebê.

E novamente ali estava o momento. Hoseok não sabia explicar, mas era como se todo o ambiente mudasse e atmosfera ficasse mais pesada. O ruivo conseguia ver os olhos do rapper mudando de brincalhões para sérios e depois sentimentais, mas o que seria aquilo? Qual seria aquele sentimento? O professor ainda não conseguia identificar, mas acreditava que era amizade. Ou melhor, ele tentava se enganar dizendo a si mesmo que era apenas amizade.

Yoongi prometera a si mesmo que não tentaria beijar Hoseok outra vez, mas ele queria tanto, que chegava a lhe doer o estômago. O que seria aquilo? Sabia exatamente o que era, mas não podia, pois o outro estava apaixonado pelo melhor amigo e gostar de alguém que não devolveria seus sentimentos era terrível e o rapper não queria aquilo para a sua vida e nem para a sua música, que atualmente estava um monte de melado amontoado, fazendo todos notarem que ele estava apaixonado.

Pronto, ali estava. Min Yoongi estava apaixonado por Jung Hoseok e tudo o que queria fazer naquele momento era beijar aqueles lindos lábios na sua frente e esperar a reação do ruivo, torcendo para que esta fosse a melhor possível.

– Posso… te beijar? – perguntou o moreno, se aproximando do professor, que soltou o ar com força. – Hoseok eu acho qu-

Hey, volta aqui!

Hoseok e Yoongi se assustaram com Holly invadindo o quarto aos latidos e correndo, mesmo com a pata machucada. Jungkook veio logo atrás, às pressas e assim que percebeu os rostos corados dos mais velhos, soube que novamente interrompera algo. “Ótimo! Seu idiota!

 – Hey, Holly! Conhecendo sua casa nova?! – Yoongi não percebeu que estava gritando. Mas ele se afastou com rapidez de Hoseok, pegou o cachorro no colo e praticamente o sacolejou, enquanto tentava não surtar com o que havia feito. O que diabos estava passando na cabeça dele ao fazer aquela pergunta? Pela divindade! Alguém devia dar um tiro na testa dele! – Vem, eu vou mostrar o apartamento tooooooodo para você!

Yoongi então saiu do quarto, ignorando completamente a voz fraca de Hoseok que o chamara.

– Ei… Ele… tá bem? – Jungkook questionou encarnado Hoseok que ainda tinha os olhos arregalados e soube no mesmo instante que nenhum deles estava realmente bem. – Hyung?

– Holly! – disse o ruivo, umedecendo os lábios. – Você sabia que o nome do cãozinho era Holly?

– Eu… meio que descobri. – respondeu Jungkook, tentando encontrar as palavras certas para continuar. – Sabe, hyung, beijar Yoongi deve ser muito bom. Talvez você devesse experimentar.

– Beija você!

Hoseok nem sabia o que estava falando e passou apressadamente pelo moreno, o empurrando no processo. O que ele faria agora? Ia embora? Procurava Yoongi? O beijava? Ah! Ele surtaria naquele ritmo.

Hyung, se beijem logo!

– Peste, me deixa em paz!

– Eu não! Já tem duas bocas que eu quero beijar e a de Yoongi-hyung não é uma delas.

– Vem cá, não está na hora de você ir estudar não? Eu vou contar tudo para os seus professores! Eles me amam, sabia? Conheço todo mundo naquela universidade! Eu vou fazer a tua caveira lá e quero ver tu se formar!

– Cruzes, hyung!

– Me testa para você ver!

– Tá bom, nunca mais falo nada. – disse o mais novo, levantando as mãos. – Mas só uma informação: Jimin já beijou Yoongi e disse que é maravilhoso.

– Mas é o que?!

– Ora essa, você não quer saber… ou quer?!

– Vai se foder.

Hoseok mostrou o dedo médio para o moreno e saiu a passos apressados, sumindo no fim do corredor, sem nem saber para onde estava indo.

Jungkook apenas abanou a cabeça antes de pegar sua mochila que estava por cima do sofá da sala.

– Eu estou saindo! Devo chegar tarde, pois vou visitar Minnie! Vocês terão muuuuuuuuito tempo sozinhos! Okay? Muuuuuuuito tempo!

– Garoto você está muito fodido comigo. – Hoseok quase gritou, mas a única coisa que teve como resposta foi um sorriso de lado antes de encarar a porta fechada. – Coelho dos infernos. Sua peste!

O que fazer agora? Yoongi estava enfiado em algum buraco daquele imenso apartamento e o ruivo não sabia ao certo se queria descobrir, se realmente escutara aquela pergunta ou se havia imaginado; ele sabia a resposta, mas não queria acreditar nela.

Sem muita alternativa, Hoseok começou a procurar pelo apartamento, indo da cozinha até a sala de entretenimento, a procura de tudo, mas nada encontrando. Foi quando ele se lembrou de onde Yoongi gostava de ir para pensar. Só que havia um problema, sua velha e conhecida acrofobia.

De toda maneira, Hoseok foi para lá, o mesmo local que Yoongi o mostrara, mas não se atreveu a passar da porta que levava até a cobertura. Talvez o rapper não estivesse ali, talvez ele nem precisasse sentir os tremores e o nervoso típico, mas infelizmente as preces do professor não foram escutadas, pois o latido de Holly estava vindo do lado de fora e com um suspiro, o ruivo abriu a porta.

A cobertura continuava imensa e exuberante; como se cada centímetro dela gritasse “riqueza”. Hoseok afastou o pensamento com um balançar de cabeça e antes de realmente começar a andar, viu Holly correndo ou pulando na sua direção, ele não tinha muita certeza. O mais impressionante era como o cãozinho já parecia dominar o local, sem medo.

– Yoongi…– Hoseok chamou uma vez, mas não obtivera resposta. – Yoongi! – Nada. Ele detestava aquele medo, pois seria fácil entrar ali e encontrar Yoongi escondido em uma parte que seus olhos não enxergavam da porta. – É muito cruel da sua parte se esconder no único local onde eu não posso te alcançar! Min Yoongi!

O rapper sentia seu coração explodir no peito a cada vez que o ruivo chamava seu nome. Pela divindade, ele não tinha coragem de encarar o outro depois daquilo. Eles eram amigos e Yoongi se comportou como um idiota ao perguntar se poderia beija-lo! Era óbvia a resposta! Hoseok não o via daquele jeito e ainda era apaixonado por Namjoon!

– Eu tenho a resposta para sua pergunta…

– Você não precisa responder nada! Foi estúpido, vamos esquecer!

– Eu não quero esquecer. – afirmou o ruivo, colocando a cabeça para dentro do local, mas assim que o vento lhe atingiu o rosto com força, voltou para onde estava. – Yoongi, por favor, vamos conversar!

– Hobi, por favor… Esqueça aquilo. Eu estava drogado.

– Eu quero que você me beije, Min Yoongi! – gritou o ruivo, não aguentando mais não conseguir ver o rapper e ainda continuar naquela conversa enrolada. – Eu mesmo iria te beijar se não fosse esse maldito medo de altura! Então você poderia facilitar só um pouco a minha vida e vir até aqui?!

O rapper sentiu seus joelhos falharem por alguns segundos ao ouvir as palavras do outro. Seu cérebro estava bugado, certo? Ele estava apenas imaginando aquilo. O moreno deu alguns passos e conseguiu encarar o rosto aflito de Hoseok, o procurando. Era nítido o desejo do professor em entrar naquele espaço assim como o medo latente que o travava.

Yoongi estava cansado de pensar no que seria certo ou errado. Verdade ou fruto de sua imaginação. Ele apenas se deixou guiar pelo momento e pelo olhar de Hoseok. Em passos rápidos, o rapper chegou perto o suficiente do outro e o segurou pelo rosto antes de juntar seus lábios com o dele.

Jimin tinha razão. Beijar Yoongi era espetacular, pensou Hoseok. Este não sabia o que estava acontecendo com o corpo dele, pois poderia jurar que tudo virara líquido dentro de si, incluindo suas pernas, que fraquejaram por um momento.

Yoongi estava tão nervoso que não se mexeu, ficou parado no mesmo lugar, somente com os lábios juntos, mas ao sentir o outro tremer um pouco, resolveu que era hora de agir e com cuidado movimentou a cabeça ao mesmo tempo que seu coração batia tão aceleradamente que o rapper acreditou que enfartaria ali mesmo.

O ruivo entreabriu os lábios para receber a língua de Yoongi, enquanto suas mãos se prendiam a cintura do outro, o puxando ainda mais para perto, colando seus corpos com vontade, como se tivesse medo que o moreno pudesse fugir outra vez para um canto onde ele não pudesse alcançá-lo.

O movimento dos lábios era calmo e exploratório, mas o encaixe era perfeito.

O beijo não durou muito tempo e em logo Hoseok o finalizara, mordiscando o lábio inferior do mais velho para si e deixando que este escapasse com naturalidade por entre seus dentes, sem saber que aquele simples movimento fizera o corpo inteiro de Yoongi se arrepiar e desejar beijá-lo outra vez.

Contudo o rapper se controlou, optando apenas por encostar sua testa a do ruivo enquanto ambos tentavam retomar a respiração e organizar os pensamentos após o beijo.

– Eu…

– Podemos sair daqui primeiro? – questionou o ruivo, ainda receoso de estar tão perto da cobertura. – Por favor…

O rapper concordou com a cabeça, chamando Holly com um assobio, que os seguiu alegremente pelas escadas e depois se colocou no meio dos dois quando estes se sentaram no sofá da sala.

Hoseok e Yoongi levaram as mãos mesmo tempo ao pelo de Holly, que ficou agradecida pelo carinho, sem nem saber como os dois se arrepiaram com o toque dos dedos. O ruivo nunca sentira algo assim antes e o rapper queria falar alguma coisa, mas sua voz estava presa na garganta.

– Eu não ia me jogar lá de cima. – O moreno afirmou após reencontrar sua voz.

– Do que você está falando?

– Que eu não iria me jogar lá de cima só por ser rejeitado.

A mente do rapper trabalhava em algumas possibilidades pelas quais Hoseok havia lhe beijado e uma das que mais fazia sentido era que o ruivo acreditava que ele iria se suicidar caso não fosse correspondido.

– Você acha que eu te beijei por que tive medo de ser um gatilho? – Hoseok observou Yoongi dar de ombros, sem conseguir encará-lo nos olhos. – Essa possibilidade nem passou pela minha cabeça, Yoongi! É sério. Eu… Uau. – O ruivo ponderou por alguns segundos e aquilo faria sentido, mas o rapper estava bem agora, não estava? – Bebê… Eu te beijei por que quis! Porque venho querendo fazer isso há vários meses…

– Sério? – A pergunta saiu tão baixa que Yoongi nem tivera certeza que a havia proferido. – Você… não precisa fingir. Eu sei que você gosta de Namjoon...

– Namjoon está com outra pessoa, Yoongi.

– Ah, entendi. – Ali estava a outra possibilidade que Yoongi pensara: Hoseok o beijara para esquecer o mestrando já que o loiro realmente parecia apaixonado por Jin. – Tudo bem, eu entendo.

– Não! Espera… Você acha que eu estou usando você para esquecer Namjoon, não é? – Hoseok não precisou de uma resposta verbal, não quando vira o outro morder o próprio lábio inferior e dar de ombros. – Céus, essa sua mente é muito bizarra! Min Yoongi. Olha para mim. – O moreno não fez o que foi solicitado, enquanto o ruivo suspirou, segurando o queixo de Yoongi entre o dedo polegar e indicador e carinhosamente o forçando a encará-lo. – Você acha que eu faria tudo o que fiz por você se fosse apenas para te usar em prol de esquecer alguém? Acha também que eu seria baixo a esse ponto?

– Não foi isso o que eu quis dizer! – disse o rapper, com os olhos arregalados, pois a última coisa que queria era ofender Hoseok. – É que… não faz sentindo o beijo para mim…

– Foi tão ruim, assim?

– Não! Foi… maravilhoso. – afirmou o moreno, corando. Yoongi odiava como Hoseok tinha esse poder sobre o corpo dele. – Você é maravilhoso.

A mão de Hoseok que ainda segurava delicadamente o queixo de Yoongi logo migrou para a nuca do moreno, dando estabilidade para que ele pudesse encostar seus lábios nos do outro.

Dessa vez o professor estava mais afoito com a possibilidade de beijar Yoongi e por conta disso os movimentos foram mais bruscos. Sua língua explorava o interior da boca do moreno que não se fazia de rogado, correspondendo ao ato com a mesma intensidade. Assim como iniciara, Hoseok finalizou o beijo, selando os lábios de Yoongi lentamente.

 – Você é maravilhoso Yoongi e somente por você ser você, é que eu quis te beijar, nada mais e nada menos.

Yoongi se sentia um adolescente sendo beijado pelo cara mais desejado da escola e agindo como tal, ele se encolheu com o elogio e sorriu tão abertamente, que Hoseok não conseguiu se controlar, se inclinando para frente e tomando os lábios do rapper mais uma vez.

– Vamos para o quarto? – perguntou Hoseok, piscando um dos olhos.

– O que?! – Yoongi abriu e fechou a boca, sem saber o que dizer, pois na realidade em todos aqueles meses só pensara em beijar o ruivo. Realmente, ele era um bobo apaixonado. – Eu… Eu…

– Me desculpa! Eu estou brincando. Apenas queria ver seu rosto ficar vermelhinho outra vez. – O ruivo afirmou, beijando com carinho as maçãs do rosto de Yoongi, uma por vez.  – Você é muito fofo, bebê.

– Não é realmente a coisa que quero escutar depois de ser beijado pelo homem mais lindo que já vi. – disse o rapper, virando o rosto, mais de brincadeira do que qualquer outra coisa. – Mas… hã… O que faremos agora? Tipo, conosco?

– Eu não sei? Talvez… pudéssemos começar devagar? A gente se conhece há meses, mas éramos só amigos até agora.

– Eu concordo. Ainda mais que tem o comeback se aproximando e… – Yoongi parou de repente, parecendo se lembrar de algo e em seguida estalou os dedos. – Geme para mim?

Hoseok franziu a testa e encarou o outro, esperando que fosse alguma brincadeira, mas o moreno estava sério.

– Achei que iríamos devagar.

– Oh… Não! É que… Falta algo na minha música e eu não sabia o que era e agora me veio a resposta. – Yoongi atropelou a explicação e o ruivo sorriu, pois, o moreno sempre ficava assim quando estava animado ou inspirado para algo. – Por favor, eu preciso colocar um gemido nela. Totalmente profissional, eu juro!

– Mas o meu gemido? Você nunca o escutou…

– Claro que eu já escutei…

– O que?!

– Você não sabe? Hm… bem… você tem uma mania engraçada de se acariciar enquanto dorme e bem… Você geme durante o processo. – Yoongi observou o olhar de puro terror na face do ruivo e então continuou rapidamente. – Não é nada sexual! Calma! Você normalmente acaricia seus braços e os cabelos também… É engraçado e fofo.

– Eu não sabia disso… – disse o ruivo, levando a mão a cabeça por um momento e bagunçando o cabelo. – Ninguém nunca me falou isso.

– Nem os seus… Quer saber? Esquece isso. Como eu disse, é fofo e eu me divirto quando você começa com sua esfregação. – afirmou o moreno, sorrindo. – Então, você vai gemer para mim?

– Não adianta, toda vez que você fala parece ser algo sexual. – Hoseok balançou os ombros e sorriu. – Claro que vou gemer para você, bebê.

E ele gemeu. Gemeu tanto que ficou cansado de olhar aquele microfone na frente dele e repetir os gemidos quando Yoongi pedia. Aquilo era muito difícil! Não era de se estranhar que o rapper vivesse estressado com o lançamento de um novo álbum.

– Cruzes, eu nunca gemi tanto.

– Bom saber. – brincou o moreno, se remexendo na cadeira giratória. – Um dia bateremos essa marca, hein.

Hoseok balançou a cabeça de leve e revirou os olhos em seguida ao mesmo tempo que umedecia os lábios com a ponta da língua.

Yoongi acompanhou todo o movimento com os olhos, mas desviou em seguida, mexendo no computado e ajeitando algumas coisas.

– Acho que ficou bom. – disse Yoongi, depois de uns minutos. – Muito obrigado, Hobi!

– O único agradecimento que quero é aquele pote de sorvete que você tem no freezer.

O rapper balançou a cabeça, se levantando, segurando na mão do ruivo e seguindo para fora do estúdio. Holly esperava deitado do lado de fora do local, o que arrancou um “awn” de Hoseok e um sorriso do moreno.

Ainda de mãos dadas, eles seguiram para a cozinha.

Yoongi abriu a geladeira e pegou o sorvete para o outro ao mesmo tempo que pensava se os beijos realmente tinham acontecido, pois de alguma forma tudo continuava tão igual, ao mesmo tempo que estava tudo diferente. Por algum motivo, o rapper novamente se viu nervoso.

Humm. Eu amo sorvete. – O ruivo lambia uma colher com vontade enquanto fechava os olhos. – Se deixar eu tomo o pote todo… Posso?

O moreno não estava prestando atenção nas palavras do outro, pois havia um pouco de sorvete no canto dos lábios do ruivo e Yoongi estava tentado a lambê-lo, mas achou que talvez fosse ousado demais, então usou o polegar para limpar o local e em seguida o levou até a boca.

Hoseok deixou a colher de lado e puxou o moreno pela cintura com uma das mãos e pela nuca com a outra, o beijando em seguida. Yoongi sorriu, entrelaçando os braços atrás do pescoço do ruivo enquanto aprofundava o momento.

O gosto inicial era de chocolate com morango, no segundo beijo era só de chocolate e no quinto só tinha gosto de Hoseok e sua língua apressada, seguida de mordidas. Yoongi nem raciocinava mais, só acompanhava o momento e quando o ruivo começou a caminhar colado a sua boca, ele fez o mesmo.

Eles tropeçaram três vezes até chegarem a sala de estar, onde tropeçaram a quarta vez na mesa de centro e a quinta ao sentarem no sofá. Não houve o sexto tropeço, porque este foi substituído por uma queda.

Hoseok caíra no chão, entre o sofá e a mesa de centro assim que escutou um grito vindo da porta, que fez ambos encararem o som.

– Aleluia, primo! – Taehyung gritou, fazendo uma dança comemorativa. – Yeah!

– Tae, pelo amor da divindade… – falou Jungkook, morrendo de vergonha do momento. – É a terceira vez que sou empata-foda dos dois.

– E está começando a me causar arrependimento ter adotado você! – Yoongi resmungou, ajudando o ruivo a se levantar. – Taehyung, por favor, sem escândalos.

– Eu não sou escandaloso. – reclamou o de cabelo lilás. – E para você saber, eu vim conhecer Holly, mas acabei testemunhando uma cena linda dessas!

– Cala a boca, que você está envergonhando o meu bebê. – afirmou o rapper, entrelaçando os dedos aos de Hoseok, que encarava os pés. – Vem Hobi…

– Ah, usem cam-

Shiu! – pediu Jungkook, tampando a boca do formando, que reclamou vendo os outros dois sumirem no corredor, provavelmente indo para o quarto. – Eles correm por qualquer coisinha. Então nada de falar de sexo, pelo menos não por enquanto.

Vofos. – falou Taehyung.

– Que? Ah… – Jungkook percebeu que ainda estava com a mão na boca do outro, a tirando em seguida. – Desculpa…

– Eu disse fofos e está tudo bem. – O formando sorriu, balançando uma das mãos. – Agora, cadê Holly?

Como que invocado, o cachorrinho adentrou o recinto correndo com sua patinha machucada, mas aparentemente alegre com toda a atenção que estava recebendo aquele dia.

– Ah! Ele é lindo. – afirmou o mais velho, se abaixando e abrindo os braços; Holly se jogou diretamente naquele abraço. – Eu te amo, sua coisa linda!

– Tae, você acabou de o conhecer.

– Não importa, eu o amo. – disse Taehyung, sorrindo para o animal, que agora estava no alto, aproveitando do colo do formando. – Se alguma acontecer com esse ser puro, eu te mato.

– Você é louco.

– Eu não estou brincando.

– Pior que eu sei que não. – Jungkook balançou a cabeça e riu. – Vem… Vamos nos sentar um pouco.

Taehyung seguiu o outro, com Holly no colo, que parecia extremamente feliz por todo aquele carinho.

– Então Tae… Você está namorando, né?

A pergunta fez o mais velho tirar o sorriso do rosto por uns segundos, mas ele tentou disfarçar, sem sucesso, e logo voltou a sorrir.

Yeaps

 – Ainda aquele cara da outra vez? Sojung? Songjoong? Senjing? – Jungkook estava errando o nome do homem de propósito, o que era ridículo, infantil, mas ele não conseguia evitar. – Ou é outro?

Taehyung estalou a língua para não bater no mais novo. Jungkook não tinha nenhum direito de lhe julgar da forma que estava fazendo naquele exato momento, mas o formando não queria iniciar uma briga, então respirou fundo e ignorou a última pergunta do outro.

– Seojoon.

– Isso mesmo. Sojoon. – Jungkook era um idiota e sabia disso, mas não conseguia evitar.

– Seojoon. – repetiu o mais velho, voltando a acariciar Holly. – Por que você quer saber?

– Nada… É só que eu queria conhecê-lo. – disse o mais novo, sacudindo os ombros. – Acho que temos algo em comum… Ele e eu.

– E o que vocês teriam em comum?

– Você.

Taehyung se esforçou para não corar diante daquilo, mas foi impossível, então ele fez o seu melhor para fingir que não fora afetado o que também não funcionava, já que Jungkook tinha aquele sorriso ladino no canto dos lábios.

– Ainda não estamos na fase de apresentar para os amigos.

– Como assim? Vocês estão juntos há um tempo. Jimin me apresentou aos amigos dele na nossa segunda semana.

– Isso porque todos nós já te conhecíamos!

– Indiferente. Ele ainda sim me apresentou a todos vocês. Seu namorado deveria fazer o mesmo.

– É, você tem razão. Talvez eu devesse ir falar com ele isso agora mesmo. – disse o de cabelo lilás, se levantando após colocar Holly no sofá. – Tchau, Jungkook.

– Não… Não!

Jungkook se adiantou para alcançar o outro, o parando no meio do caminho para a saída e o fazendo se virar para o encarar.

– Jungkook, sério. O que você quer de mim, hein?

– Como… assim?

Taehyung suspirou fundo, fitando o outro, realmente vendo confusão naquele olhar, o que o fez suspirar fundo.

– Você pertence a Jimin, Kookie. – disparou o formando, com uma aparência cansada. – Me deixa em paz; me deixe viver, pois o que você está fazendo comigo é cruel.

Jungkook entreabriu e fechou os lábios diversas vezes, mas não conseguiu formular qualquer frase que fizesse jus a confusão em que sua mente estava. Como conseguiria explicar a Taehyung que o amava, mas também amava Jimin? Era egoísta por querer os dois, não era? E por consequência acabava por impedir o outro de tentar ser feliz sem ele.

Céus, mas o estudante não queria que Taehyung fosse feliz sem ele. Seu desejo era que o mais velho fosse dele e de Jimin, mas como que aquilo poderia fazer algum sentido em voz alta?

– Eu não faço por maldade! Tae… – Jungkook desviou o olhar com raiva, passando uma das mãos pelos cabelos em pura frustração, pois sua mente infantil e orgulhosa não conseguia abrir mão nem de Taehyung, nem de Jimin. – Eu não sei explicar o que sinto…

– Não tem problema. – afirmou o mais velho, suspirando fundo. – Me fala do jeito que vier… Mas me fale algo que seja plausível, que me faça ficar.

O mais novo respirou fundo, olhando em volta por um momento, procurando as palavras certas, ao mesmo tempo que estava apavorado. E se Taehyung saísse dali com raiva dele? Ele não suportaria novamente brigar com o de cabelo lilás.

– Yoongi me disse algo. – falou o mais novo. – Sobre amor não ser só dois…

– O que você quer dizer com isso? – Taehyung questionou. O formando estava apavorado com a possível fala, pois não sabia como reagiria a resposta do outro.

– Eu te amo. Mas eu também amo Jimin. Eu amo vocês dois igualmente… Eu acordo e vou dormir pensando em vocês dois e isso está acabando comigo, pois é tão egoísta, mas não consigo parar de amá-los.

– Eu tenho namorado. – Foi a única coisa racional que o mais velho conseguiu pensar em responder. – Eu não posso…

– Eu sei! Tae, eu sei! Mas eu não podia simplesmente não te dizer… Você pediu os meus motivos e eu te dei…

– Hoje é nosso aniversário de namoro. – afirmou o de cabelo lilás, se afastando do mais novo enquanto balançava a cabeça. – Ele está me esperando… Nós vamos jantar.

– Tae…

– Tchau Holly.

– Tae…

Sem olhar outra vez, Taehyung praticamente correu para fora do apartamento, deixando Jungkook para trás se sentindo um lixo por causar tanto mal ao outro por conta de seus sentimentos. O formando tinha um namorado e ele fora mesquinho ao despejar em cima dele aquele tanto de coisa!

Sem se controlar o mais novo acabou gritando tamanha era sua frustração, antes de se jogar no sofá, afundando o rosto por entre as mãos.

– O que houve?

Hoseok chegou às pressas na sala após escutar o grito do mais novo e logo atrás veio Yoongi, olhando em volta à procura de Taehyung, mas além de Holly, não encontrara o primo.

Hyungs… Desculpa, eu atrapalhei vocês de novo. – disse o mais novo, apertando o cabelo com força. – Eu sou um idiota. Desculpa… Eu vou embora…

– Tá doido, pirralho? Vai para onde? – perguntou o rapper, revirando os olhos. –  Cadê o Tae?

– Foi encontrar com o namorado…

– Ah… – Yoongi assentiu. Então era por isso que Jungkook estava gritando. Céus, amor de adolescente era uma merda.

– Eu… contei a ele.

– Contou o que, Kookie? – O tom de Hoseok era bem mais suave que o de Yoongi e o mais novo era agradecido por isso, era bem mais fácil explicar as coisas assim.

– Eu contei como me sinto sobre ele… e sobre Jimin.

– Ele reagiu mal? – questionou Yoongi, finalmente se aproximando do mais novo. – Ou você contou de uma forma errada?

– Segunda opção. – disse o mais novo. – Eu praticamente o encurralei em uma parede e despejei tudo em cima dele. Eu não consigo me entender… Na minha cabeça o discurso estava todo direitinho, mas saiu um amontoado de merda!

– Está tudo bem, Kookie. – Hoseok falou. – Pelo menos disse. Sabe quantas pessoas deixam oportunidades passarem sem nunca dizer uma palavra? Você fez a sua parte agora vai depender de Taehyung.

– Eu fiz tudo errado; de qualquer maneira. Foi praticamente ontem que eu voltei a falar com eles e de repente jogo essa bomba em Tae. – O mais novo ponderou, balançando a cabeça. – E Jimin ainda terminou comigo. Claro que pareceu que eu estava procurando um substituto ou algo do gênero.

– Jungkook.

O tom de voz do rapper chamou atenção do moreno mais novo, que levantou o olhar e em seguida o corpo. Yoongi aproveitou para se sentar na mesinha de centro e Hoseok ocupou o espaço vago no sofá, segurando a mão do mais novo em um conforto mudo.

Jungkook não podia admitir em voz alta, mas sentia bastante falta da família e a forma como o outro moreno e o ruivo o tratavam deixava esse sentimento um pouco mais fácil de aguentar, pois  naqueles últimos meses ele realmente se sentia como o filho daqueles dois e o pensamento quase o fez rir, mas o músico ainda estava com um olhar sério, então o estudante resolveu prestar atenção nas palavras de Min.

– Garoto, você vem cometendo vários erros, mas eu confio em você. – afirmou o mais velho, com um sorriso. – Eu sei que você gosta realmente dos dois e mesmo que tenha dito de forma errada, Tae uma hora vai entender e Jimin também. – O rapper suspirou. – E eu sei que você vai dar o seu jeito e superar isso tudo; você sempre fez isso, sempre foi forte e resiliente.

– E… – completou o ruivo, apertando um pouco mais a mão do mais novo. – Não pense que é egoísmo amar duas pessoas assim… Somos humanos e complexos. As coisas não são simplesmente pretas e brancas, então não se sinta culpado. Mas… não estou falando que vai ser fácil, principalmente porque todos os envolvidos devem estar na mesma página, mas como eu já disse uma vez: ninguém pode te culpar por tentar. Se não der certo, você vai levantar a cabeça, sorrir e seguir em frente.

– Mas vai ser difícil seguir em frente. – comentou Jungkook.

– Por isso que nós estamos aqui. – falou o rapper.

– Tudo fica mais fácil com um abraço. – concluiu o professor, com um aberto sorriso.

Jungkook concordou, tendo vontade de chorar. Como ele poderia ter tanta sorte de ter amigos como aqueles? O estudante não merecia tanto amor assim; era estranho, mas com toda certeza, o mais novo tinha uma outra família, bem ali e agradecia a divindade por aquilo.

– Vocês são ótimos, maravilhosos, sensacionais. – afirmou Jungkook, se inclinando para abraçar Hoseok, rindo no ouvido do ruivo. – Eu amo vocês!

– Nós também te amamos, moleque. – disse o rapper, logo recebendo um abraço.

– Ah! Eu já ia esquecendo... – comentou o estudante, olhando de um para o outro. – Até que fim, hein?! Se eu soubesse que precisava de um cão, teria trazido o canil inteiro para cá.

– Abusado! – reclamou o ruivo, se levantando de uma vez. – Eu vou embora.

– Ei. – Yoongi também se levantou, com um olhar um pouco triste. – Vai mesmo? Vamos comer algo primeiro…

– Mas bebê…

– Eu te chamo um carro, por favor…

Jungkook observou a cena com um sorriso nos lábios, pois os dois na sua frente eram simplesmente lindos, principalmente quando se perdiam no próprio mundo, com conversas baixas e sorrisos. O mais novo suspirou, lembrando que já teve aquilo, com duas pessoas e sinceramente esperava que tivesse de novo, pois ele sentia saudades daqueles momentos a dois, ou melhor dizendo, a três.

No fim das contas, Hoseok ficou para comer e vários sorrisos e piadas foram escutados antes que Yoongi e o ruivo se despedirem com um beijo profundo e demorado. Jungkook já se encontrava há um tempo no próprio quarto e o Uber esperava do lado de fora do prédio, mas o rapper e o professor se beijaram mais uma vez no saguão, fazendo o porteiro arregalar os olhos e enfiar a cabeça em uma revista.

– Já estou com saudades. – sussurrou o moreno.

– Eu também, bebê. – afirmou o ruivo, estalando um beijo na boca do mais velho. – Amanhã eu volto.

– Promete?

– Eu sempre volto, Yoongi. – falou o professor, sorrindo. – E agora temos dois filhos juntos.

– Sinceramente, Jungkook vai me deixar de cabelos brancos.

Hoseok riu, beijando mais uma vez Yoongi e seguindo para a porta, mas foi impedido por um braço lhe puxando e novamente encontrou os lábios do rapper.

– Eu preciso ir, bebê. O cara está buzinando.

– Tudo bem… Mas volte, hein?

– Pode deixar. – afirmou Hoseok, beijando a bochecha do moreno. – Até amanhã.

– Tchau!

Yoongi dessa vez deixou o ruivo ir e após acenar para o carro – depois da partida –, ele se virou com um sorriso imenso, seguindo para o elevador.

– Senhor Min! – chamou o porteiro.

– Hã? Oi?

– Até que fim, hein?!

O rapper gargalhou balançando a mão para o homem e finalmente entrando no elevador, pensando que aquele era um dos melhores dias que podia se lembrar.

É, definitivamente ele estava apaixonado por Jung Hoseok.


Notas Finais


> O CVV – Centro de Valorização da Vida realiza apoio emocional e prevenção do suicídio, atendendo voluntária e gratuitamente todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo. LIGUE 141.
Mais informações: https://www.cvv.org.br/

> Playlist da fanfic:
https://open.spotify.com/user/12155385492/playlist/3nwPiQQPO2O8A6aVlNWOlk

> Temos um grupo no whatsapp para os leitores da fanfic. Quem se interessar, basta pedir o convite!

Gostaram do capítulo?
Por favor, deixem comentários com as suas opiniões; amamos lê-los.
Até amanhã ;*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...