História One Hundred Years of Love - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Ariana Grande, Austin Mahone, Fifth Harmony, Halsey
Personagens Camila Cabello, Lauren Jauregui
Tags Camilacabello, Camren, Camreng!p, Laureng!p, Laurenjauregui, Normanih
Visualizações 245
Palavras 2.080
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olaaaa, como estão ?

Gente cadê os votos ? Os comentários ? Isso ajuda muito quando vocês fazem, eu fico tão feliz, quando alguém interagem comigo, eu gosto muito de falar com vocês, então eu peço pra vocês fazerem isso, comentarem e votarem, tá ?

Vamos ao capítulo, espero que gostem, tipo muito mesmo.

Capítulo 12 - Capítulo 12


Fanfic / Fanfiction One Hundred Years of Love - Capítulo 12 - Capítulo 12

Escola, Quinta-Feira, 17 de Setembro, 6:56 AM.

POV Camila Cabello

Lauren havia parado no tempo, ela não respondia nada, até estava um pouco estranha, pelo jeito que ela me olhava.

- Lauren, volta pra terra, eu to te perguntando fica comigo agora, e perde a primeira aula ou não ficamos e vamos pra sala, ficar vendo mais uma aula chata, qual você escolhe ? - Vi em seu rosto, que ela pensava em qual escolher, meu Deus qual era o problema dela ?

- Ficar...- Começou ela, até fiquei feliz, por ter um ficar na história, mas o que veio a seguir, não foi muito bem o que esperava.- 50 minutos na sala, seria uma boa...

Estava a ponto de levantar de seu colo, e sair dali, eu não merecia aquilo não, eu era mil vezes melhor que uma aula chata, que nem sabia do que iria se tratar, mas suas mãos fortes, segurou meu braço, me fazendo sentar com tudo sobre seu membro, que até aquele momento, tinha sido esquecido por mim, estava bem duro por sinal.

- Mas prefiro, ir com você, mas tenho uma condição. - Sorri, de orelha a orelha, por ter conseguido, o que eu queria.

- Qual ?

- Que não me provoque com essa mãozinha sua. - A nessa altura, eu nem precisaria, já estava muito animado.

- Okay. - Lógico que eu estava mentindo, da melhor maneira que eu sabia, eu iria descobrir, por que ela era tão quieta, e por que ela ainda, não havia me possuído, de todas as formas e jeitos possíveis.

Ela se levantou, puxando sua blusa pra baixo, pra tampar aquilo que estava parecendo muito em sua calça, e saber que fui eu que havia feito aquilo ali, me deixava tão feliz.

- Eu vou na frente, e te espero em uma das cabines do fundo, pode ser ? - Comecei, a olhando de cima a baixo, mordendo os lábios.

- Okay, vestida nada de nudez. - Sorri, caminhando rebolando o máximo que eu podia, eu sabia muito bem que ela me olhava.

Sai da visão de todos, entrando pra dentro do vestiários, claro que antes e ir pra cabine, olhei todas em volta, olhando pra ver se não havia ninguém pra nos atrapalhar, e por sorte não tinha, nenhuma alma viva ali.

Entrei na cabine, deixando claro, a porta aberta pra ela me ver ali dentro. Esperei alguns minutos, e logo ouvi passos se aproximando da onde eu estava. A vi caminhando em minha direção, com um sorriso nos lábios, que eu não via todos os dias.

Ela entrou, fechando a porta atrás de si, a virei, a deixando de encontro a parede, enquanto ficava em sua frente, não aguentei esperar deixando um selinho demorado em seus lábios carnudos.

- É melhor você abaixar, sabe você já é mais alta que eu, mas você está de salto aí piora a minha situação. - Disse, olhando pro seus lábios, entrelacei meus braços, atrás de seu pescoço nos aproximando mais.

- Okay, eu vou abaixar. - Quando ela abaixou um pouco, fui direto pro seu pescoço, me deliciando de sua pele. - Sem provocação... lembra... Camilaa.

- Quem disse que eu estou provocando você ? Acho que você está endoidando, tá ficando velha sendo nova assim. - Mordi seus lábios, movendo meus lábios sobre os dela, mas claro que não iria continuar assim.

Logo pedi passagem com a língua, pra poder explorar cada canto daquela boca, que era maravilhosa. Ela foi sedendo aos poucos, me deixando explorar sua boca.

O beijo foi ficando cada vez mais agressivo, com mordidas fortes em meus lábios, e claro que fazia nela também, chupadas na língua, estava a cada momento ficando mais excitada, se tivesse um balde em baixo de mim, já estaria cheio, minha calcinha estava deplorável.

Lauren, me virou tão rápido, contra a parede, que achei que fosse agora que ela iria me possuir, como se não houvesse amanhã, mas estava completamente enganada.

Ela desceu os beijos pro meu pescoço, mordendo, passando aquela língua gostosa, de cima a baixo em meu pescoço, queria tanto que aquela boca tivesse em um lugar mais sensível do meu corpo, queria que ela me chupasse como se ela parasse, o mundo acabaria. Levei minhas mãos, até seus cabelos, puxando contra meu pescoço, mas em questão de segundos, ela me soltou, virando de costas pra mim.

- Lauren ? Tá tudo bem ? Ei... - Coloquei minhas mãos em seu ombro, tentando a virar, mas ela não virou.

- Camila... tá tudo bem okay. - Nada ela dizia, estava preocupada, ela não virava e respirava fundo, como se ela tivesse perdido o controle de algo.

A porta, refletia reflexo, de quem estivesse dentro do banheiro, e olhei pra ver se poderia olhar pro seu rosto, mas o que eu vi foi muito feio, veias saltadas em baixo dos olhos, que antes eram lindos, e seus olhos, estavam pretos ou quase isso.

- O que é isso ? Lauren...- Estava a ponto de sair dali, mas ela virou me olhando, e não tinha nada do que eu tinha visto, será que era apenas a minha imaginação me pregando uma peça ? Iria acreditar nisso, era mais saudável.

- Desculpa, eu perdi o controle com você, tinha que me acalma, daqui a pouco temos que sair daqui né ? - Sorriu, e tudo aquilo de ontem, já havia sumido da minha mente.

- Pra que acalma, vamos deixar rolar, até o fim, sem medo, sem nada, apenas nós Lauren, mais ninguém. - Sorri, aproximando dela, a encostando na parede do lado direito. - Por que ainda não me fez sua em ?

- Porque... você não é minha por isso. - Ham ? Como assim ? Tá de brincadeira.

- Lauren, eu posso ser sua, a hora em que você quiser, e você será minha, uma noite, ou duas, ou três, você que sabe. - Iria continuar atiçando, até ela ceder.

- Não, assim não, isso não é certo, um ser humano... ou qualquer outra coisa, não pode ser tratado como um objeto, por uma ou duas ou três noites, como você disse.

- O que você quer dizer com isso ? - Eu não sabia o que ela dizia com aquilo lá, mas eu no meu íntimo sabia.

- Que, isso não pode se fazer com qualquer pessoa, eu penso totalmente diferente de você Camila.- Só podia ser brincadeira isso, meu Deus que loucura.

- Lauren, isso é loucura, e privar de uma coisa que é tão bom, meu Deus eu não consigo ficar sem jamais. - Ela me olhou nos olhos, soltando minha cintura, se afastando de mim.

- Então, eu não sirvo pra você, pois eu sou diferente de tudo que você viu, com licença. - Assim sem mais nem menos, saiu do banheiro me deixando ali sozinha, fiquei sem reação, o que eu tinha feito de errado dessa vez ?

- Droga, merda. - Enfiei as mãos entre meus cabelos, encostando minha cabeça no mármore frio a minha frente, fechei os olhos apenas pra relaxar, pois sabia que tinha feito merda com ela.

Sem pensar duas vezes, abandonei aquela cabine, saindo do local, pra ir atrás dela, pra poder conversa, e tentar me explicar a bomba que tinha jogado em seu colo, praticamente sendo uma ninfomaníaca incontrolável.

***

9:32 AM.

Lauren, ainda me ignorava, a olhava a todo momento, a espera que ela me olhasse, e pudesse pelo menos dar sinal pra ela pra nós conversarmos, mas passei o intervalo inteiro, a olhando comendo meu lanche.

- Perdeu o que lá em Camila ? - Ariana que estava ao meu lado, e olhava na mesma direção que a minha, querendo entender o por que, que eu não tirava os olhos da mesa vizinha.

- Lauren. - Ela revirou os olhos, bebendo seu suco.

- Não sei por que você está tão em cima dela assim, ela não quer nada com você. - É Ariana tinha razão nisso, mas eu queria ela pelo menos mudar esse modo dela pensa.

- Ela é minha amiga, então eu vou ajudar ela, com o que ela tá passando agora. - Lógico que omitiria, alguma coisa de Ariana, ela não precisa saber de tudo.

- Você deveria ficar com quem te quer, não com quem apenas te esnoba como ela faz. - Senti uma leve pontinha de indireta, pro lado dela, nós últimos dias ela estava estranha, tipo muito.

- Tipo quem ? Vai arruma alguém pra mim ? Pelo o que eu to vendo ninguém me quer nessa merda de escola. - Segurei meu rosto, com minhas mãos, e o cotovelos ficaram de apoio.

- Olha em volta, que você vai ver quem te quer, e quem não te quer, e Lauren está na lista de quem não te quer, isso você pode ter certeza. - Nossa, ela estava tão convicta disso, que comecei a acreditar em suas palavras, mas não antes de falar com Lauren, pois hoje nós iríamos fazer o trabalho, então iria ter uma oportunidade.

- Ariana, lógico que não, eu já vi como ela olha pra Karla, acho que ela quer foder com força em. - Um dos amigos de Ariana, que tinha virado meu amigo começou dizendo. - Ninguém olha pra amiguinha, como ela já olhou pra raba dessa menina aqui, minha Santa Lady Gaga.

- O viado cala boca, eu nunca vi ela olhando pra Mila assim, meu Deus Chris. - Ari revirou os olhos ao final da frase, pegando uma de suas batatinhas comendo.

- A o dia em que essa aqui, vir pra escola de cadeira de roda, aí vou saber no que ela se meteu. - Olhei pra Christian, será que ele sabia ta condição de Lauren ?

- Como assim ? Até parece olha os dedos que ela tem, aquilo lá não faz nem cócegas. - Bem, até que não mesmo, mas tinha outra coisa que fazia e muito.

- Ari, faz sim você que tá com recalque. - Disse, levantando da cadeira. - Vou falar com ela, me desejam sorte.

- Vai dar merda, ela não te quer. - Revirei meus olhos, estraga prazeres é um saco meu Deus.

Fui em direção a sua mesa, a cada passo que eu dava, minha perna tremia, não sei se era nervoso demais, mas eu ficava assim, ao aproximar eu fiquei de frente pra ela, que me olhou e desviou novamente, olhando pro seu lanche.

- Podemos conversa ? - Comecei olhando em seus olhos, ignorando por total, o resto que estava na mesa.

- Acho que não, eu estou comendo, então acho que agora não será uma boa hora. - Disse, sem olhar em meu rosto, o que estava acontecendo aqui ?

- Por favor, eu quero me desculpar pelo o que eu disse. - Sussurrei a última parte, mas acho que eles escutaram, mesmo assim.

- Depois, a gente fala do ocorrido, agora não. - Odeio quando me evitam, porra eu fico puta demais.

Dei meia volta, voltando pra onde eu nunca devia ter saído, não era a buceta de Sinu, era a mesa mesmo, deveria ter ficado quietinha aqui na mesa.

- Eu não disse, ela não quer nada com você. - Ariana tinha um sorriso no rosto, qual era o problema dela, gosta de ver desgraça alheia agora ?

- Bom pra você Ariana.- Não disse nenhuma palavra mais, fiquei em silêncio pensando no que eu tinha dito, e sinceramente, não deveria ter falado.

Logo o sinal tocou, levantei da mesa num pulo, deixando Ariana e Christian pra trás, iria ao banheiro, ver se a minha maquiagem ainda estava ótima.

Sai da cantina muito rápido, andando pelo corredor cheio agora, pareciam animais loucos pra entrar no matadouro logo, era assim que nos via.

Ao adentrar o banheiro, não tinha ninguém ali, agradeci mentalmente por isso, mexi em meu cabelo, limpando o lápis que havia em baixo do meu olho que tinha borrado.

- O que você quer falar comigo ? - Dei um pulo na onde eu estava, assustei com sua voz que apareceu do nada.

- Lauren... porra você assustou. - Virei, encostando na pia atrás de mim, fiquei com minhas mãos sobre o mármore, segurando ali, ela contínuo na porta com os braços cruzados, me olhando. - Sobre nós.

- Pode começar, sou todo ouvido por isso. - Aproximou de mim, ficando em minha frente, com seu rosto muito próximo de mim. - Estou ouvindo. 


Notas Finais


Gente, eu tenho uma surpresa, vou postar 1 capítulo por dia a partir de agora, espero que vocês gostam.

Mas também espero que vocês votem, comentem, apresentam a fic pros amiguinhos, e tudo mais.

Quanto mais comentários, mais rápido eu volto, leiam Infidel Love, primeira e segunda temporada.

Até a próxima. ❤

Amo vocês ❤.

TT: @FAcidente.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...