História One Shots - Diverse Couples - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias ASTRO, B.A.P, Bangtan Boys (BTS), Black Pink, Block B, BtoB, EXO
Tags Astro, Bap, Black Pink, Block B, Btob, Bts, Exo, Got7, Seventeen, Snsd, Twice
Visualizações 8
Palavras 3.720
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Fluffy, Lemon, Musical (Songfic), Universo Alternativo, Yaoi, Yuri

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 3 - Boomerang - Chanbaek


Fanfic / Fanfiction One Shots - Diverse Couples - Capítulo 3 - Boomerang - Chanbaek

Todos já tivemos um amor boomerang, certo? Daquele tipo que vai e volta tantas vezes que sequer somos capazes de contar, onde não importa o que aconteça, você sempre acaba voltando para os braços de quem deveria esquecer. Baekhyun sabia bem como era isso. Não importa quantas vezes fosse embora, sempre voltava para o mesmo lugar, sempre cometia o mesmo erro, sempre voltava para Chanyeol. Ele simplesmente não entendia o por que de sempre se entregar, era incapaz de negar qualquer coisa que o mais alto lhe pedisse, para si o ruivo era simplesmente irresistível e ele não sabia controlar, não sabia dizer não, simplesmente perdia o controle de suas próprias ações quando o assunto era Chanyeol, seu autocontrole ia pro espaço e não voltava até que ambos tivessem satisfazido suas vontades. Era como um ciclo vicioso do qual Baekhyun não conseguia sair, no fundo ele nem mesmo queria. De certa forma toda a situação era cômoda para si, poderia ter Chanyeol quando quisesse e aonde quisesse, assim como o gigante o teria da mesma forma, o único problema era que toda vez que Baekhyun parava na cama de Chanyeol, deixava um pedacinho do seu coração com o garoto e isso já estava o matando, sabia que não deveria se apaixonar, nem sequer podia fazer isso, conhecia Chanyeol há anos, sabia tudo sobre o Park, cada mínimo detalhe, cada segredo, cada mania, sabia inclusive que o mais novo não gostava de compromissos sérios, enquanto Baekhyun sofria por gostar dele, Chanyeol esbanjava sua juventude e vitalidade fodendo outros caras aleatoriamente, e mesmo assim, Baekhyun sempre o aceitava de volta, pois ele sempre voltava. Byun já havia tentado o superar, namorou vários garotos, se envolveu com diversas pessoas com personalidades e aparências diferentes, mas sempre que Chanyeol o procurava ele esquecia de tudo e de todos, deixava Chanyeol invadir seu mundo e o fazia de centro, sem dar espaço e nem brecha para outro alguém se aproximar.

-- BAEKHYUN, ANDE LOGO, O PESSOAL JÁ ESTÁ LÁ! -- Kyungsoo gritou do andar de baixo, tirando Byun de seus devaneios.

-- SÓ UM MINUTO, JÁ ESTOU INDO! -- Gritou de volta terminando de fazer a linha com o delineador em seus olhos escurecidos pela sombra preta. 

Baekhyun se olhou no espelho e sorriu, a forma como escurecia a pálpebra dos olhos o deixava incrivelmente sexy, os cabelos dourados caindo sobre um dos olhos em uma franja bagunçada lhe dava um ar misterioso, assinalava perigo e também transbordava luxúria. Suas vestes se resumiam em uma jaqueta de couro que cobria uma camisa branca com a frase "Daddy's Baby" estampada em negrito, suas pernas estavam cobertas por uma calça skinny preta de couro que deixava suas coxas salientadas e fartas, assim como marcava seu bumbum, dando à ele uma forma arredondada. Ele estava perigosamente lindo, sabia disso, não era segredo pra ninguém o quanto Baekhyun era bonito e desejado por diversos homens, só queria aproveitar dos dotes oferecidos pela natureza, ao invés de sofrer por um amor que nunca seria correspondido.

Suspirando, Byun passou uma camada de perfume no corpo e finalmente saiu do quarto, encontrando Kyungsoo do andar inferior.

-- Estou pronto. -- Anunciou vendo o amigo distraído enquanto mexia no celular.

-- Finalmente... -- Desviou os olhos do aparelho para o mais velho e arregalou-os. -- Wow Baekhyun, você está incrível, se está com a intenção de impressionar alguém, fique ciente que seu plano será executado com perfeição. -- Elogiou o mais baixo.

-- Obrigado, e você também não está nada mal, sinto que o Kai irá passar mal hoje. -- Baekhyun sorriu sincero. Kyungsoo realmente estava lindo, a forma como uma simples t-shirt branca e liso junto de uma calça jeans skinny com alguns rasgos lhe caía bem, deixava o Byun invejado pois o outro ficava impecável com as mais simples vestes.

-- Que isso, eu é quem tenho que me cuidar, do jeito que você está bonito é capaz do Jongin não tirar a atenção de você. -- Disse o mais baixo e Baekhyun revirou os olhos enquanto eles saíam de casa e entravam no carro do mais velho.

-- Não seja bobo, Soo. Está mais que óbvio que o Jongin só tem olhos pra você, não entendo por que não assumem logo um relacionamento. Todos já perceberam que vocês ficam, mesmo. -- Baekhyun diz dando partida no carro.

-- Você sabe que não é tão fácil... -- Kyungsoo disse simples, porém não precisou se explicar, o outro já sabia a que Do se referia.

-- É, tô sabendo. -- Encerrou por ali o assunto, afinal sabia que nada que dissesse faria Kyungsoo mudar de idéia, nem mesmo o próprio Jongin havia conseguido. 

O que acontecia era que Kyungsoo era extremamente inseguro, Jongin vinha de um relacionamento conturbado com Sehun, outro membro do seu grupo de amigos. Kyungsoo se sentia culpado por ser, de certa forma o pivô para a separação dos outros dois, já que assim que bateu os olhos em si, Kai se apaixonou pelo Do instantaneamente. O problema era que Kyungsoo não aceitaria nunca ficar com Jongin enquanto este ainda namorasse Sehun, o pequeno prezava a a amizade que havia construído com o Oh e não queria perdê-lo por um desejo que até então considerava bobo. Porém, o tempo passou e Jongin acabou terminando com Sehun, pois já não se via em uma relação com ele, já que estava apaixonado por outra pessoa. Dizer que Sehun aceitou isso de bom grado seria mentira, quando descobriu que o responsável pelo fim fé seu relacionamento com Jongin era Kyungsoo, o Oh fez um tremendo escândalo, dizendo que Kyungsoo era falso e que só havia se aproximado de si para roubar o seu homem. Kyungsoo ficou devastado, se sentia horrível por se meter na relação dos dois, não queria ter se apaixonado por Kai, não queria ter feito o outro amigo chorar, isso fez com que ele se afastasse de Jongin, que também ficou arrasado pois havia terminado um relacionamento duradouro apenas para poder ficar com ele. Um tempo depois, Sehun percebeu o quão infantil estava sendo, ficar chateado com Jongin pelo simples fato dele ter se apaixonado por outro era extremamente egoísta, Jongin era livre, não pertencia à Sehun nem à ninguém, tinha direito de se apaixonar por quem quisesse, ele ainda teve a decência de terminar o namoro, ao invés de meter um par de chifres em sua cabeça, xingar Kyungsoo e o fazer sentir mal com tudo isso também fora terrível, ainda mais quando soube que o Do havia ficado arrasado com toda a situação e nem sequer ficou com Kai depois da separação. Por essa razão ele pediu desculpas aos dois e lhes deu permissão para ficarem juntos, dizendo que queria a felicidade de ambos. Tal atitude de nobreza despertou a admiração de um outro membro daquele círculo de amigos, Luhan, um garoto chinês, primo de Baekhyun que há pouco havia chegado na Coréia, assim que soube da história envolvendo Jongin, Kyungsoo e Sehun, tratou de se aproximar do último citado, vendo que ele era uma pessoa boa que havia passado por cima do próprio orgulho em nome da felicidade dos amigos, Luhan admirava pessoas assim e queria se tornar próximo de Sehun, supondo que a presença de alguém iluminado como ele faria bem para si, que passava por uma fase conturbada de sua vida. Acabou que Lu estava certo, a presença de Sehun em sua vida melhorou-a em muitos aspectos, o Oh, mesmo novo, tinha conselhos bastante valiosos que auxiliaram Luhan em seus tempos difíceis. Não e difícil imaginar o que aconteceu entre eles após um tempo de convivência, não é? Os dois se tornaram íntimos e não demorou para que se apaixonassem e engatassem um namoro.

A esperança de todos, e principalmente a de Jongin, era que com o início do relacionamento entre Sehun e Luhan, Kyungsoo finalmente se acertasse com o Kim. Porém o Do continuava se sentindo culpado, dizendo que ficar com Jongin daria a entender que sua intenção era mesmo destruir o relacionamento antigo  que este tinha com Sehun, movido por esse pensamento, Kyungsoo e Jongin não passavam de beijos secretos, dados geralmente em festas onde todos ficavam bêbados demais para sequer dar importância as ações dos dois, mesmo que todos já soubessem dos encontros não tão discreto dos dois. Infelizmente não importa o que dissessem, Kyungsoo não mudava sua mente, continuava a se deprimir por uma culpa que não tinha e permanecia inflexível às propostas de Jongin para que iniciassem um namoro. A única vontade do Kim atualmente era conseguir um dia fazer Kyungsoo mudar de idéia.

-- Hey, nada de exagerar na bebida hoje. -- Do alertou Baekhyun que sorriu de lado. -- Acho que você se lembra bem do que aconteceu da última vez na festa do Taehyung. 

-- Está falando do meu pequeno show de streaptease sobre a mesa? Ah, aquilo não foi nada, eu andei praticando, estava pensando em fazer um número mais ousado hoje... -- Baekhyun diz olhando para Kyungsoo que o encarava sério. -- Aish, estou brincando. Nada de bebidas. -- Suspirou por fim, entregando-se em derrota.

-- E nada de Chanyeol também. -- Acrescentou Do e Baekhyun arfou, o olhando com um biquinho nos lábios. 

-- Mas Soo... É ele quem sempre me procura. -- Baekhyun justificou parando o carro no farol vermelho.

-- E é você quem sempre cede aos encantos dele, mesmo sabendo que no fim vai acabar chorando por não ser correspondido. -- Kyungsoo diz sem papas na língua.

-- Okay, okay, nada de bebidas e...-- Não foi capaz de completar a frase pois não sabia se seria capaz de cumprir com sua palavra.

-- E...? -- Kyungsoo o incentivou, arrancando um suspiro pesaroso do de cabelos dourados.

-- Nada de Chanyeol.


[...]


-- Se sua intenção era me fazer te desejar, você conseguiu Baekkie... Eu estou louco por você. -- Aquela voz rouca, tão conhecida, soou do ouvido de Baekhyun que até então dançava descontraído na pista, quando sentiu as grandes mãos do ruivo envolverem sua cintura fina.

-- Não é muita pretensão da sua parte pensar que eu gastaria meu tempo me arrumando apenas para te agradar? -- Byun indagou movendo os quadris conforme o ritmo da música, roçando propositadamente sua bunda contra a pélvis do mais alto que arfou em seu ouvido, lhe arrancando um sorriso satisfeito.

-- É, você tem razão, se quisesse mesmo me agradar estaria sem roupas, não é? -- Soltou um risinho fazendo Baekhyun revirar os olhos.

-- Já parou pra pensar na possibilidade das roupas serem só uma desculpa para você tirá-las? -- Questionou Byun rebolando com mais intensidade, sentindo o aperto em sua cintura tornar-se ainda mais forte.

-- Se este for o caso, podemos dar um jeitinho nisso agora mesmo. -- Chanyeol diz começando a distribuir beijos pela pele alva do pescoço de Baekhyun.

-- Não podemos, prometi ao Kyungsoo que ficaria longe de você. -- Byun diz dando de ombros e Chanyeol franziu o cenho, virando o corpo de Byun deixando-o de frente a si.

-- E desde quando o Kyungsoo manda na sua vida? -- Questionou olhando para o rosto fino e delicado de Baekhyun.

-- Desde o momento em que é ele quem seca minhas lágrimas, lágrimas essas que você causa. -- Baekhyun suspirou desviando o olhar e Park imitou o suspiro, já desconfiava dos sentimentos de Byun por si, porém não sabia lidar com isso. Nunca se envolverá em um relacionamento, o compromisso lhe causava arrepios apenas de nome, não gostava de ter responsabilidade, não gostava de regras, seu estilo era viver fora das rédeas, sem ninguém para lhe cobrar, gostava de ficar com quem quem quisesse, sair quando quisesse, simplesmente não poderia ter tais privilégios se namorasse alguém.

-- Olha Baekhyun, eu gosto de ficar com você, de verdade, mas eu não estou pronto para assumir um compromisso, entende? Não tenho maturidade pra isso. -- Chanyeol explicou, porém Baekhyun já estava cansado de ouvir aquilo.

-- Sim, eu sei, mas você não pode tentar? Vamos lá, eu não seria um namorado tão ruim assim. -- Riu fraco e Chanyeol apenas sorriu ladino.

-- Eu sei que você seria maravilhoso, mas não é o certo pra mim, ou melhor, eu não não sou o certo pra você. -- Park diz e Byun fica pensativo, assimilando as palavras do outro, para no fim abrir um sorriso digno de suas tão famosas presinhas. 

-- Bem, se não der certo, a gente fica junto errado mesmo! -- Falou Baekhyun arrancando um risinho do maior.

-- Você é incrível, garoto. -- Disse antes de tomar os lábios do menor em um beijo carinhoso. Baekhyun usava sua língua para explorar cada cantinho da boca de Chanyeol que tinha um gosto de bala de menta, morango e álcool. Havia prometido à Kyungsoo que ficaria longe de bebidas e de Chanyeol, bom, ele não havia ingerido uma única gota de álcool, isso significava que o outro o perdoaria se ele cumprisse apenas metade do acordo,  certo?

Chanyeol sugava e mordiscava o lábios de Baekhyun, logo voltando a mergulhar a língua na boca alheia e disputar território com a semelhante do outro. Suas mãos passeavam sem pudor pelo corpo pequeno de Baekhyun, este correspondia aos toques com arfadas e arranhões na nuca do mais alto, ambos já se encontravam quentes, sabiam do que precisavam para acalmar seus corpos, estavam ansiando por aquilo, dali para frente o trajeto que os levaria para o desfecho daquela noite era bem conhecido, era planejado por Byun, esperado por Park.

-- Eu preciso de você Yeol... -- Baekhyun diz contra os lábios alheios e Chanyeol suspira assentindo. 

-- Vamos dar um jeito nisso, babe. -- Disse o mais alto entre os dois e segurou a mão de Baekhyun, entrelaçando seus dedos aos deles. 

Subiram para o andar superior onde ficavam os quartos e adentraram um aleatório, Chanyeol só torcia para não ser o quarto de Jaehyun, o dono da festa. Trancou a porta e mal teve tempo de pensar, Baekhyun já havia tomado seus lábios em um beijo agora urgente, Chanyeol retribuiu com  mesma intensidade, suas línguas travavam uma batalha lenta e sexy, com apenas um beijo eles conseguiram dar ao quarto um ar de luxúria capaz de excitar qualquer um que passasse ali e ouvissem os gemidos sôfregos que Byun soltava ao ter seu membro massageado por cima da calça pela mão ágil de Chanyeol. 

Baekhyun puxou os cabelos vermelhos de Chanyeol para trás e separou seus lábios dos dele, descendo os beijos agora para o maxilar do mais alto. A língua de Byun fazia círculos com a língua na pele sensível de Chanyeol, o ruivo mordia os lábios enquanto desfrutava da sensação que Baekhyun lhe oferecia e ergueu a cintura do mais baixo que logo entendeu suas intenções e entrelaçou as pernas em volta da cintura do Park.

Chanyeol caminhou até a cama e se deitou na mesma com seu corpo por cima do outro, se encaixou entre as pernas de Baekhyun e tirou a camisa do garoto, já que a jaqueta do outro havia tomado o mesmo destino assim que entraram no quarto. Chanyeol admirou o torso desnudo de Baekhyun e sorriu pensando no quão sortudo era por poder desfrutar daquele corpo maravilhoso, por um momento um pensamento egoísta perambulou a mente do ruivo, afinal, como seria ser o único à tocar o corpo de Baekhyun? Como seria tê-lo só pra si? Ele queria a resposta para as suas perguntas, mas não queria ter que sacrificar sua liberdade para tê-las.

Voltou a atenção para o loiro à sua frente e curvou-se distribuindo beijos por todo o peito do mesmo, trabalhou nos mamilos do mais velho usando sua língua e vez ou outra trincava o bico  o puxava com leveza, foi descendo mais e por onde passava deixava uma trilha de mordidas e beijos, parando apenas quando chegou ao cós da calça do outro, a retirando com agilidade assim como a boxer preta que o outro usava. Chanyeol segurou o membro de Byun e o masturbou com movimentos de vai e vem superficiais, queria apenas ver Baekhyun tão excitado quanto si. Afastou as pernas do loiro e baixou-se até estar de cara com o orifício do mesmo, Chanyeol tocou a entrada rosada do menor com a ponta da língua e recebeu um gemido  um arquejo em resposta, fazendo com que ele sorrisse. Começou a rodear a entrada de Baekhyun com seu músculo bucal naturalmente úmido e logo o penetrou usando somente a língua, suas mãos apertavam as coxas fartas de Byun enquanto o mesmo choramingava palavras desconexas e se empurrava contra  língua de Chanyeol buscando mais contato, o Park sabia o quão prazeroso era para o outro receber esse tipo de carinhoso e ficava extremamente satisfeito em saber que era o motivo dos gemidos que  outro soltava. O membro de Chanyeol se apertava cada vez mais e a boxer que este usava começava a lhe incomodar, parecia que havia encolhido de tamanho, lhe causando um grande desconforto. Devido a este fato, Chanyeol se afastou e começou a retirar suas roupas, Baekhyun por outro lado manhava pela falta de contato repentina, porém não poderia reclamar da visão privilegiada que tinha do corpo desnudo de Chanyeol.

-- Ande logo, Yeollie, eu preciso de você agora...dentro de mim. -- Suplicou mandão e impaciente, o que fez o Park rir  e abanar a cabeça, caminhou até Baekhyun e se abaixou novamente, dando na entrada do menor outro beijo grego, com intenção de prepará-lo para lhe receber, já que eles não tinham nem mesmo um lubrificante. Quando sentiu que Byun estava finalmente pronto para si, se ajeitou novamente entre as pernas do mais velho e posicionou seu membro na entrada do mesmo, mergulhando para dentro deste lenta e pacientemente. Baekhyun tinha os olhos fechados e a boca comprimida em uma linha reta, Chanyeol se ajeitou apoiando os braços na cabeceira da cama e esperou que o outro se acostumasse consigo, Baekhyun deu um leve assentir com a cabeça, mostrando para Chanyeol que este poderia começar a se mover. 

O Park não perdeu tempo  começou a impulsionar as ancas para frente  para trás, fazendo movimentos ondulatórios e causando à Baekhyun uma sensação de prazer intenso. O quarto se encheu com uma sinfonia de gemidos, o que só deixava os dois mais sedentos e excitados. Chanyeol dava  melhor de si enquanto estorava Byun com fervor e concentração, gostava de como o rosto delicado e inocente do outro se retorcia em uma careta de prazer, se tivesse uma câmera ali, Chanyeol bateria uma foto daquela expressão e a grudaria em seu teto apenas para dormir admirando tal obra de arte injustiçada. Já para Baekhyun, a verdadeira obra de arte era o corpo suado de Chanyeol contra o seu, os cabelos vermelhos grudados na testa do mais alto e a gota de suor escorrendo pela lateral de seu rost,  tão sexy, Byun pensou.

Os corpos de ambos de mexiam de forma frenética, queriam desfrutar do momento mas também queriam chegar ao ápice, juntos de preferência. 

-- M-mais r-rápido, Yeol...-- gemeu Baekhyun enquanto arranhava as costas do outro.

-- Assim, Byunnie...? -- Sussurrou de forma arrastada e lenta enquanto seus quadris assumiam um ritmo contrário à sua fala, rápido e forte, Baekhyun sentia sua próstata ser surrada e isso lhe arrancava gritos de prazer, à essa altura não se importava com quem pudesse lhe ouvir, só queria que os outros soubessem o quão bem Chanyeol lhe fazia. 

-- Sim, porra, assim...Não para! -- Baekhyun gemia descontrolado com sua voz naturalmente manhosa, mal sabia que Chanyeol estava longe de quer parar.

Aos poucos os movimentos foram se tornando mais desleixados, o ápice de ambos se aproximava e sentindo isso, Chanyeol intensificou os movimentos.

-- Baekkie, eu vou...-- Não teve tempo de completar a frase, sentiu o líquido jorrar para dentro de Baekhyun enquanto espasmos tomavam seu corpo e um gemido arrastado  profundo escapava de sua garganta. Tal gemido foi o fator chave para que Baekhyun gozasse também, espirrando seu líquido branco e espesso no abs de Chanyeol. A respiração de ambos destava ofegante, os corações acelerados batiam em sincronia, Para saiu de dentro de Byun que logo sentiu um vazio tomar conta de si, ele iria resmungar, porém o ruivo caminhou para o banheiro, deixando um Baekhyun confuso e magoado para trás.

-- Yeollie? -- Baekhyun chamou com um biquinho se formando em seus lábios, Chanyeol apareceu na porta do banheiro e riu da atitude do mais velho.

-- Eu só estava me limpando, Byun. -- Disse indo voltando para a cama e puxando Baekhyun para si.

-- Achei que tinha se arrependido...-- Sussurrou deitando-se no peito nu de Chanyeol.

-- Me arrepender? De fazer seco com você? -- Questionou e Baekhyun assentiu reticente. -- Eu nunca me arrependo de nada que faço com você Bae, é por isso que eu sempre volto.

-- Channie... Você gosta de mim? -- Byun levantou o tronco e olhou para o ruivo.

-- Se eu não gostasse, pode ter certeza de que eu não estaria aqui. -- Respondeu sem hesitar,  afinal era a verdade.

-- Mas, você sai com outras pessoas e...

-- Você também, isso não faz seu sentimento por mim diminuir, não é? -- Park indaga arqueando as sombrancelhas e Byun nega. -- Então pronto, eu posso ficar com diversas pessoas, apenas por diversão, mas nenhuma delas supera você.

-- Acha que um dia você vai encontrar alguémque me supere? -- Byun indagou temendo a resposta.

-- Tenho certeza que não, mas eu espero que você consiga encontrar alguém que me supere. -- Disse por fim, mesmo que doesse em si imaginar Baekhyun com outro, porém ele sabia que não poderia dar ao outro o que ele queria. -- Quando encontrar esse cara, ele vai te fazer feliz de uma forma que eu não posso fazer.

-- Mas...eu quero ser feliz com você, Yeollie, eu não quero esse outro cara! -- Se afastou empurrado enquanto cruzava  os braços como uma criança mimada.

-- Não se preocupe, ainda vou transar com você no dia do seu casamento. -- Garantiu em tom de brincadeira.

-- E quem disse que eu vou trair meu noivo contigo? -- Baekhyun arqueou as sombrancelhas.

-- E quem disse que eu não posso ser o noivo? -- Sorriu ladino e Baekhyun arregalou os olhos.

-- O que? 

-- Nada, só espera pra ver. -- Sorriu tomando os lábios do mais baixo para si novamente o impedindo de responder.

Se eles iriam mesmo ficar juntos no futuro, só  tempo iria dizer, no momento a única coisa que importava era manter firme esse amor boomerang.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...